Cartola, meu amor

12/5 · Porto Alegre, RS
divulgação
Lucia Helena canta Cartola
1
Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS
13/5/2007 · 72 · 2
 

Será uma festa.
Lúcia Helena Corrêa canta cartola em Mangueira. Sábado, no Centro Cultural Cartola.
O show homenageia o genial compositor.
Participam como convidados de Lúcia três compositores de São Paulo:
Caio Bassitt,
Nando Távora e
Valdir Dafonseca
Vão estar lá também o compositor e multinstrumentista carioca Heitor dos Prazeres Filho e dois músicos que a menina Lúcia diz serem de primeira linha: Bráu Mendonça (violonista de São Paulo) e Bruno De La Rosa (violonista de Santos), ambos diretores do espetáculo.
Lúcia diz dela mesma no perfil do orkut:
Filha de Oxum, orixá-mulher da sedução, e Xangô, o senhor da Justiça, tenho a proteção de Obaluaê, que detém o poder da cura e da morte. Mas, também, cobertura de Oxalá, o deus da sabedoria.
Sob o signo de Touro, nasci no outono de 1949 - maio da fertilidade - de pais operários, no subúrbio carioca de Vaz Lobo, quintal da escola de samba de mesmo nome. Negra (de alma negra), de Madureira/Portela/Império Serrano, mas salgueirense, conservo a ginga do samba. A raiz.

Graduada pela Escola de Comunicação (ECA) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Jornalismo Gráfico e Audiovisual e curso de doutorado em Lingüística/Ciência da Comunicação pela Universidade de São Paulo, cultivo uma grande paixão: o jornalismo, espécie de sacerdócio.
Dela dizem os que a conhecem mais:

Valdir:
Difícil é falar dessa mulher, negra, culta, inteligente, extremamente linda, excelente jornalista, escritora, poeta inspiradíssima e premiada, que domina, como poucos, a arte de produzir textos sobre os mais variados assuntos...
Comecei a conhecer LHC quando a vi cantando, na roda de samba regada a feijoada que ela mesma, excelente cozinheira, produziu, no Clube Caiubi, ainda, no velho casarão das Perdizes.
Ali, sem microfone, ela soltou o vozeirão potente e afinado, lembrando Mahalia Jackson, em cânticos gospel.
Ou Clementina de Jesus, com a afinação e o balanço de Leny Andrade, Alcione, Nana Caymmi, Paula Lima, Elizeth Cardoso, entre outras divas...
Janita:
Faço aqui hoje publicamente o que quis fazer pessoalmente anteontem, mas estremeci sob o impacto do teu perfil contra a luz, da tua presença contra a vacuidade que anda reinando e cavando vazios na alma da gente, da tua voz telúrica, titânica e mãe.
Venho agradecer pelo deleite, pelo arrepio, pela surpresa, por me fazer pulsar naquela noite, de maneira tão febril. Você só canta há um ano.
Mas agora condenou o mundo à tua voz, não se cale jamais, ou será um crime.
Agradeço por tocar minha alma tão fundo e mudar minha vida por alguns minutos. Você é arte.
Obrigada.
Lah:
Minha avó. Uma linda voz, e um jeito que contagia todo mundo.
Amo demais.
Heitor:
Preta da voz retumbante.
Desfila como em uma passarela.
Mira um lado e outro.
Sobe. Se apruma.

(É séria. Fechada.
Se canta, te leva na voz densa.
Se te tens como amigo, te apresenta o mundo.)

Lá vem o vibrato.
Nem Elizeth, Clara, E. Fitzgerald. Nem ninguém.
É só Lucia.

O olho fecha. A voz externa.

Os pobres mortais
abaixo ficam.
Boqui-abertos.
Se sentem como no céu,
flutuando sob as nuvens
- sua voz terna.

Pedro Pedro Moreno. Lisboa, 08/06 :
Há pessoas que se nos revelam ao primeiro toque de mãos e cruzar de olhos, que evidenciam a grandeza da alma.
Elas embarcam no veículo da simpatia,empreendendo surpreendente viagem rumo ao nosso mais profundo interior. Tocam, de fato, a nossa alma, porque trazem na alma a grandeza dos seres iluminados.
Lucia Helena Corrêa, por exemplo.
Fui apresentado a ela pelo músico Tato Fischer, uma hora, antes de ela dividir o palco do Crowne Plaza conosco como convidada especial.
Parecia uma rainha, uma deusa africana, figura revelada na singular indumentária. Parecia uma rainh

onde fica
No Centro Cultural Cartola
(Rua Visconde de Niterói, 1296, Mangueira, Rio de Janeiro)
quando ir
12/5/2007, às 19:00h
quanto custa
A entrada sai por um quilograma de alimento não perecível

compartilhe

comentários feed

+ comentar
apple
 

Hummm... Cartola? Ele está nas telas dos cinemas também. Recomendo o filme também porque mostra bem a vida dele: as composições, a ligação com a Mangueira, a ligação dele com outros músicos, a forma como ele levou a vida, ...

Ele tinha músicas fenomenais, né? Olha essa:

"Ainda é cedo, amor
mal começaste a conhecer a vida
já anuncias a hora de partida
sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
embora eu saiba que estás resolvida
em cada esquina cai um pouco a tua vida
e em pouco tempo não serás mais o que és

preste atenção, o mundo é um moinho
vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
vai reduzir as ilusões a pó...
Ouça-me bem, amor

Preste atenção, querida
de cada amor tu herdarás só o cinismo
quando notares estás à beira do abismo
abismo que cavaste com teus pés"

apple · Juiz de Fora, MG 13/5/2007 11:09
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Beleza, apple.
Grato

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 14/5/2007 09:04
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados