Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Prostituta é tudo, menos mulher de vida fácil...

06/6 · Rio de Janeiro, RJ
capa do livro - divulgação
1
Egeu Laus · Rio de Janeiro, RJ
4/6/2007 · 102 · 5
 

Lançamento do livro com 9 entrevistas
e Desfile de Modas com as meninas! Venham!


Do release:
Há uma piada que diz que uma prostituta é tudo, menos uma “mulher de vida fácil”. As meninas da Daspu, de Anna Marina Barbará, da Editora Novas Idéias, mostra que toda brincadeira tem um fundo de verdade. Não, as prostitutas não têm uma vida fácil. Ao contrário: a prostituição, para elas, aconteceu como uma saída natural para a pobreza, para a rigidez familiar, para a solidão. Prostituição é, acima de tudo, uma profissão que só é reconhecida como um bem maior por quem precisa dela – prostitutas e clientes.

"Cuidei dos meus irmãos e não pude estudar. A gente trabalhava muito na roça. Nós plantávamos cana, milho, mandioca, feijão, melancia. Colhíamos coco para fazer dendê. Minha mãe ia para a ribeira lavar roupa e depois ficava limpando bucho. As pessoas pagavam a ela para salgar aquelas carnes todas. Então, de tarde, lá pelas cinco horas, eu e minha irmã, a gente tomava banho, dava banho nos dois, deixava lá e ia para a ribeira ajudar minha mãe, porque era muita carne, para deixar em casa para os donos irem pegar. Foi assim dos sete aos 14 anos. A minha vida era essa. Infância mesmo de brincar com outra criança a gente não tinha. Era muito trabalho, muito trabalho mesmo."

Em As meninas da Daspu elas falam da infância, do trabalho, dos clientes, dos filhos, dos amores, das dificuldades, da solidão e da amizade. São 9 depoimentos, colhidos pela pesquisadora Anna Marina Barbará, que mostram que, por trás da mulher seminua na esquina de Copacabana, no inferninho da Praça Mauá ou na vastidão da Central do Brasil, existem pessoas com sonhos como qualquer “mulher direita”. Pois é isso o que elas são: trabalhadoras com rotinas, ascensão profissional, sonhos de uma melhor vida.

O que elas têm em comum: a organização Davida, uma entidade criada para defender e promover os direitos da categoria, por meio de ações culturais, de comunicação, de organização, de educação e saúde, em todo o Brasil. A adesão foi grande, e hoje Davida tem sua própria grife de roupas, a Daspu, que transforma o que antes era “sujo” e “pervertido” em algo contemporâneo e fashion. A grife, que foi centro de polêmica por conta da semelhança com a loja multimarcas de grifes internacionais Daslu, entrou no panteão das etiquetas alternativas cariocas que nasceram travestidas de projetos sociais, como a CoopaRoca (da cooperativa de costureiras da Rocinha) e a Parceria Carioca (do Projeto São Cipriano, em Campo Grande).

"A Daspu foi tudo pra mim. Até porque eu consegui realizar o meu sonho de criança, de ser modelo. Mas quando a idade chegou, eu vi que não daria mais pra realizar esse sonho. Até saí em revista, jornal e tudo. Melhor foi aquela revista “Vogue” do Brasil. A “Vogue” foi tudo de bom! A primeira vez que eu me vi no jornal comecei a chorar. Liguei pra minha irmã chorando. Sinceramente eu consegui realizar o meu sonho e ainda vou realizar mais ainda... Tem o preconceito com a gente, mas eu acho que esse preconceito já acabou 100%. Eu estou me sentindo (risos)."

Cida, Maria, Lina, Marilene, Doroth, Rita, Jane, Roza, Dolores e tantas outras – elas são As meninas da Daspu, e nos mostram que, por trás de todo folclore, preconceito, repressão, rótulos e estereótipos existem apenas mulheres que amam, choram, riem e lutam por uma vida melhor.

Sobre a autora:
Anna Marina Barbará é socióloga formada pela PUC-Rio, mestre e doutora em História formada pela UFF. Trabalhou como pesquisadora da ONG: "Davida, Prostituição, Direitos Civis, Saúde" em 2005. Professora do IFCS-UFRJ.

onde fica
Livraria Saraiva
Shopping Rio Sul ? terceiro piso
R. Lauro Müller, 116 ? Botafogo
Rio de Janeiro, RJ
Tel. (21) 2543.7002

De Metrô a estação mais próxima é a de Botafogo

Alguns ônibus que passam em fente ao Rio Sul:
119 - Praca Xv ? Copacabana
121 - Central - Copacabana (Circular)
123 - Maua - Jardim De Alah (Circular)
125 - Central - Gal Osorio (V.Pq.Flamengo)
125 - J. Botanico (Horto) - Central (Via Copacabana
126 - Rodoviaria - Copacabana (Via Tn Sta Barbara) -
127 - Rodoviaria - Copacabana
128 - Rodoviaria - Leblon (Via Copacabana)
132 - Central - Leblon (Via Parque Flamengo
175 - Central - B.Da Tijuca (V.Copa/Av.Americas)
177 - Praca Maua - Sao Conrado
2015 - Castelo - Leblon
quando ir
06/6/2007, às 19:00h
quanto custa
RS$ 39,00
website
http://www.novasideias.com.br/
contato
contato@novasideias.com.br - (21) 9529.0326 e (21) 2642.8220

compartilhe

comentários feed

+ comentar
crispinga
 

Excelente matéria, Egeu!
Bjs
Cris

crispinga · Nova Friburgo, RJ 4/6/2007 09:40
sua opinião: subir
João Rafael
 

Muito bom Egeu! Uma leitura não apenas interessante mas muito importante para a sociedade comtemporânea! Assino embaixo da Crispinga (literalmente!) Excelente,excelente!

João Rafael · Sabará, MG 4/6/2007 16:18
sua opinião: subir
Fê Pavanello
 

Muito bom!
Abraços!

Fê Pavanello · Brasília, DF 4/6/2007 18:58
sua opinião: subir
Dricas
 

É muito bom saber que essas meninas tem uma outra opção que não a prostituição, entendo até mesmo que tenham enfrentado muitas dificuldades, preconceitos, agressões, mas precisamos refletir também que as mulheres que são mães de família também não tem uma vida nada fácil e nem são remuneradas por isso...
Precisamos parar de aplaudir os desvios de conduta e aprender a aplaudir a pessoa humana, desta forma, poderemos nos alegrar tanto com a história de vida de meninas que sairam do contexto da prostituição e pelas que nunca estiveram lá, pois o que importa não é destacar a profissão, ainda que ela seja importante, mas a pessoa.
Coisa difícil num mundo que inverte os valores mais essenciais da vida, não é mesmo?

Dricas · João Pessoa, PB 6/6/2007 10:09
sua opinião: subir
Mansur
 

Viva as meninas!!

Mansur · Rio de Janeiro, RJ 6/6/2007 14:05
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados