ROCKANTYGONA

de 26/2 a 18/4 · Rio de Janeiro, RJ
Rockantygona
1
Fernanda Carvalho Jorge · Rio de Janeiro, RJ
23/2/2010 · 7 · 0
 

Guilherme encena RockAntygona com Luis Melo, Larissa Bracher, Armando Babaioff e Marcelo H no Mezzanino do Espaço SESC a partir de 26 de fevereiro.

O diretor se cercou de uma ficha técnica de respeito. Além da participação dos atores na construção do texto, o trabalho é supervisionado pelo premiado dramaturgo, Caio de Andrade.

Para o cenário, Aurora dos Campos, com quem já trabalhou em três peças. Assim como Marcelo H, responsável pela música nos últimos cinco espetáculos do diretor. Nesse caso, Marcelo H vai além. Ele está em cena, operando o som ao vivo diante do público e comentando o espetáculo em um microfone como um mestre de cerimônias. Na concepção do diretor, Marcelo H faz o papel da Mídia Eletrônica, de quem informa ao povo os acontecimentos. A trilha está sendo composta originalmente para o espetáculo. “Estamos usando guitarras distorcidas e som pesado para dar o tom em RockAntygona”, explica Marcelo H. Luis Melo define bem o título da peça: “Uma tragédia tem que ser encenada com a pulsação e a adrenalina de um show de rock”.

Segundo Caio de Andrade, “É nos jovens, ou mais precisamente nas almas jovens, que se instaura a rebeldia. A velocidade com que ações são revistas ou reinventadas no mundo dos governantes estará sempre aquém da busca impaciente da juventude. Antígona traz essa marca. Aparentemente indefesa, sem partidários, resolve enfrentar a lei que para ela soa como uma imposição arbitrária, uma ordem abusiva. Quer enterrar o irmão que morreu em batalha. E enquanto a ordem do governante a impede, os deuses a inspiram.

Fiel a uma crença centrada na família e em seus mortos, decide desafiar a lei vigente e, tragicamente, desobedece.”

“Antígona fala de rompimento, insatisfação, fúria juvenil e enfrentamento. Que cada um, no seu tempo e espaço, crie ou recrie o seu próprio manifesto contra a intolerância”, conclui.

O texto de Sófocles foi representado pela primeira vez em Atenas, em 441 a.C. e vem, ao longo dos séculos, inspirando montagens, versões, adaptações, num processo de revisão e recriação dramatúrgica que arrebatou muitos autores, filósofos e estudiosos da obra se Sófocles, entre eles, Bertold Brecht, Albin Lesky, Friedrich Nietzsche, Barbara Freitag e Friedrich Hölderlin, alicerces da nossa encenação.

“Durante o processo de feitura do texto consultamos inúmeras traduções, lendo e relendo o trabalho de profissionais respeitados como Angelika E. Köhnke, Christine Roehrig, Domingos Pachoal Cegalla, Lawrence Flores Pereira, Mário da Gama Kury, Millôr Fernandes e Trajano Vieira”, ressalta Guilherme Leme.

Sinopse

A história conta a trajetória de Antígona , que deseja enterrar seu irmão Polinices , morto em combate contra Tebas. O governante da cidade, Creonte, decreta que os mortos que atentaram contra a cidade não recebessem enterro ou qualquer rito funerário. Antígona desafia as leis e enterra o irmão ,sozinha, sendo depois presa e condenada à morte .

onde fica
Espaço Sesc – Mezanino
Rua Domingos Ferreira, 60 – Copacabana

Quinta e Domingo às 20h e Sexta e Sábado às 21h30
quando ir
26/2/2010 a 18/4/2010
quanto custa
R$ 16,00 (inteira), R$ 8,00 (meia entrada), R$ 4,00 (comerciários)
contato
Tel. 21-2547-0156

compartilhe

comentários feed

+ comentar

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados