Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Ante que o Sol se Ponha

1
Marlene Bastos · Goiânia, GO
30/4/2011 · 5 · 11
 

Antes que o sol se ponha! - ela disse para si própria.
Logo o sol vai se pôr, o dia findará e perceberás que não se deu à liberdade de permitir-se.
Perdeu-se em pensamentos vãos, em memórias furtivas enquanto a claridade do dia fugia-lhe.
Talvez termine a claridade da vida sem que tenhas tornado possível coisas que nunca se permitiu.
Viajar, conhecer outras culturas, escrever um livro, morar numa casinha à beira da praia.
Enquanto é dia, permita-se! - ela insistiu severamente.
Quem sabe o pôr do sol te lembres de tudo o que deverias ter concretizado ainda em tempo e não o fez.
Antes que caia a noite!
A noite é inevitável e, nesta época do ano, imensamente fria.
Quando a última noite chegar não haverá mais tempo.
Tempo para tomar sorvete, para gargalhar, para dar um abraço, cantarolar, visitar os amigos, ir à igreja, tomar outro sorvete.
Permita-se enquanto podes!
Pois certas coisas tem o seu próprio tempo, dia, hora e minuto para se tornarem possíveis.
Antes que o sol se ponha! - ela repetiu, já sem convicção alguma.
Se tiver sorte, um outro dia nascerá, o sorvete ainda estará lá, a gargalhada congelará,
o abraço esperará, os amigos não se irão, a igreja resistirá...
Estava acostumada com a liberdade do sol de sempre voltar pela manhã.
Mas era como se nunca fosse o mesmo sol de ontem, talvez porque o tempo nunca andou para trás.
Os últimos raios de sol se iam furtivamente, levando os últimos instantes de permitir-se, fazendo escurecer a noite e os pensamentos.

Quem sabe outro dia?!



By Marlene Bastos

Sobre a obra

Certas coisas tem o seu próprio tempo, dia, hora e minuto para se tornarem possíveis.

AS MINHAS ILUSÕES

Hora sagrada dum entardecer
De Outono, à beira-mar, cor de safira,
Soa no ar uma invisível lira ...
O sol é um doente a enlanguescer ...
A vaga estende os braços a suster,
Numa dor de revolta cheia de ira,
A doirada cabeça que delira
Num último suspiro, a estremecer!
O sol morreu ... e veste luto o mar ...
E eu vejo a urna de oiro, a balouçar,
À flor das ondas, num lençol de espuma.
As minhas Ilusões, doce tesoiro,
Também as vi levar em urna de oiro,
No mar da Vida, assim ... uma por uma ...


Livro de Mágoas, de Florbela Espanca
ESPANCA, Florbela. Sonetos. Amadora, Portugal : Bertrand, 1978.

compartilhe



informações

Autoria
Marlene Bastos
Ficha técnica
Dos escombros dos cartapácios...
Downloads
153 downloads

comentários feed

+ comentar
alcanu
 

Amanhã tudo poderá ser diferente... para melhor !
Um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 28/4/2011 18:21
sua opinião: subir
Marlene Bastos
 

Alcanu,
É bom lembrarmos que o hoje nunca se repete... a não ser nos déjà vus.
Os amanhãs sempre serão diferentes, por isso é preciso viver como se eles não existissem...
bjokas

Marlene Bastos · Goiânia, GO 29/4/2011 09:38
sua opinião: subir
ayruman
 

Nada existe fora do Tempo e dentro do Tempo todas as coisas se cumprem...

Luze Paz.
Se Puder visite Ayruman. Sou grato.

ayruman · Cuiabá, MT 1/5/2011 16:11
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

O SOL VIBRARÁ OUTRAS COISAS COM CERTEZA...A ESPERANÇA É A PROPRIA LUZ...NÃO HÁ NOITE QUE SEMPRE DURE

pARABENS BJAO

Cintia Thome · São Paulo, SP 4/5/2011 11:58
sua opinião: subir
Vasqs
 

Maravilhoso!
Mas tem que nesse imenso formigueiro as pessoas andam mais "preocupas em nascer e morrer".

Vasqs · São Paulo, SP 15/5/2011 12:27
sua opinião: subir
Giulia Tadaki
 

Belo trabalho! E concordo com o vasqs... Ultimamente as pessoas não tem notado. Adorei o texto! Abraços!

Giulia Tadaki · Biguaçu, SC 21/5/2011 16:12
sua opinião: subir
DECRÉPITA BÚSSOLA
 

ÓTIMO TRABALHO, PARABENS!!! ABRAÇO E BOM DIA.

DECRÉPITA BÚSSOLA · Caçapava, SP 23/5/2011 09:39
sua opinião: subir
Sihmoneh Maia
 

É assim que a maioria leva a vida, né? :
"Quem sabe outro dia?"

Sou mais o Lulu Santos (em Tempos Modernos:

"Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
E não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há pra viver
Vamos nos permitir..."

Bjk

Sihmoneh Maia · Santo André, SP 26/5/2011 08:31
sua opinião: subir
Marlene Bastos
 

Ayruman, concordo! Todas as coisas se cumprem no seu devido tempo...

Cintia, oxalá o sol sempre esteja lá nas manhãs vindouras...

Vasqs, as pessoas se preocupam demais... e pra quê, né?

Giulia, as pessoas se esqueceram que o essencial é realmente invisível aos olhos...

Decrépita, thanks for your visit and coment! For you too!

Sihmoneh, é isso aí, bem lembrada a música, "a habilidade de dizer mais sim do que não"... Uhuuuu!

Deixo uma bjoka a todos... antes que o sol desponte!!! Fui!

Marlene Bastos · Goiânia, GO 28/5/2011 23:32
sua opinião: subir
H. D. Flúmen
 

Ensaiamos tantas vezes, e sem perceber protagonizamos a inércia encarnada.

Sendo otimista, creio também, que nenhuma experiência é inválida, quando se têm suspiros de sobra.

Parabéns.

Abraço

H. D. Flúmen · São Bernardo do Campo, SP 23/6/2011 02:20
sua opinião: subir
Kasinsk
 

Adorei o texto! Muito bem escrito! Palavras dignas de serem lidas!

Kasinsk · Embu, SP 23/6/2011 12:13
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados