Arte Paleolítica como proposição cosmopolítica

5
Mônica C. Lepri · Niterói, RJ
15/7/2014 · 7 · 1
 

Amostra do texto

O foco deste trabalho é investigar o uso de algumas idéias de Gregory Bateson na exploração do universo de sentidos criado pela proposição cosmopolítica de Isabelle Stengers. Os dois epistemólogos da Ciência – o ícone por excelência da ontologia moderna e contemporânea – partilham a mesma ojeriza ao reducionismo cartesiano que a domina e às consequências ecológicas e políticas (nessa ordem, agora) desastrosas de sua fome canibal por energia e metais, que devora, sem culpa, os não-Um: povos outros, seres vivos não-humanos e as próprias entranhas do planeta que suportou (até hoje) os desatinos de nossa vaidosa espécie.
Como Bateson, Stengers quer “fazer pensar” para além da epistemologia hegemônica partilhada pelo conhecimento científico e pelo senso-comum (no sentido conservador gramsciano): ambos se arvoram dizer, sem estremecer, “o que é” e “o que deve ser”. A capacidade de “desacelerar os argumentos”, de criar “uma ocasião para uma sensibilidade um pouco diferente com relação aos problemas e às situações que nos mobilizam” é talvez um bom indício de autenticidade de uma proposição como cosmopolítica (Proposition Cosmopolitique/PC: 45). Apontando na mesma direção, Bateson chama a atenção para a importância do “contexto do contexto” do aprendizado, pois todo ser humano tem um segundo aprendizado ao aprender qualquer coisa, e esse “aprendizado secundário” é tão ou mais importante que o ‘conteúdo’ absorvido no processo, pois determina a própria capacidade de aprender do sujeito.

Sobre a obra

Investigação batesoniana da arte parietal paleolítica como proposição cosmopolítica (Isabelle Stengers).

compartilhe



informações

Autoria
Monica C. Lepri
Ficha técnica
trabalho final - PPGA-UFF, 2013
Downloads
433 downloads

comentários feed

+ comentar
mikeowen
 

seguidor

mikeowen · Borba, AM 20/7/2014 18:40
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 847 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados