AS CHAGAS

1
Brida · Salvador, BA
3/5/2009 · 14 · 23
 

Desposo-vos meu Criador e Salvador, desposo-Vos. Conservai intacta minha fé, para que um dia possa eu celebrar convosco as bodas eternas. (Santa Catarina de Siena)


Aqui sangram meus olhos, mãos e pés
marcados como os Vossos. No abandono,
chamais-me com brandura, e eu Vos desposo
aos sete anos setenta vezes sete.

Que esse sangue me inunda, reme, unge,
e os demônios crocitam, ungueados,
e urdem planos vis naquela tumba
em que já enterrei desejos da carne.

Não quero para mim o amor de homem,
tão precário se mostra, no interesse
de um corpo perecível e padecente –
não, não é orgulho – e a cobiça é louca!

A traição se faz de muito amar,
e isto é o amor, dolorida é esta essência,
um eterno trair, por não tomar
do amado, a posse externa, contingente,

prazeroso sim, que Deus assim o quis,
belo e bom a Seus olhos. Vê o ser:
em seu caminho tem o dom magnífico
de unir o corpo à alma em casamento


...deixá-lo, por saber de outro amor –
este, o dos tabernáculos da dor:
deslumbrante harmonia me seduz
alegria de amar em plena luz

dentro da a alma sedenta do Infinito.
Já dispensei de Lúcifer o convite,
deserto ardente em que me vi proscrita,
rejeitada por todos na família.

Contudo. Em novéis águas ancorar,
escutando as mensagens em erma noite
de mãos em concha nos ouvidos cálidos –
nos ritos de passagem, sem pernoite,

pois a vigília é clara, e as orações,
apascentam este espírito em canções
nessas palavras com sabor de hóstia,
e serpentes fluindo em minha história.

Oh, sim, as garatujas infantis,
polida superfície, aquela, eu vejo
ilesa nos canteiros de jacintos,
nas margens e no sangue das abelhas,

e o dentro dos rochedos, na fissura
este vinho escarlate, este momento
é mineral, eu sei e agora, rígido –
este carvão nas horas de tormento

amainado no pão da Eucaristia.
Oh, delícia maior, ó vida grata,
tua antevisão entra na vida e cria
os caminhos do amor em cada estrada.

......................................................

Dentro de ti tens feras, animália
que é venenífera. Mentor de bestas,
o horto de tua alma está envenenado
de improbidades vis, traições, malfeitos.

Ó miserável, aonde tu chegaste,
enfermo e vão, a compleição em chagas,
sem todavia ter vivido a Cruz –
vestido e apavesado, mas sem a luz

que de cima te invade, e não percebes.
Tu denegriste a glória do teu Pai,
fora dos jardins santos de tua igreja
tal qual uma prostituta que se vai

sem honra e sem pudor, deleite ou paz.
E nunca te envergonhas, nunca cessas,
nessa bazófia estranha e alvarinha
bandoleiro e embusteiro incorrigível.

Os porcos atiraram-se nas águas,
penetrados da fúria do execrado –
destino malogrado dos doentes
de poder e de glória, os quais dispenso.

Espírito sem luz, tu perambulas
em florestas de urzes, a ferir-te,
pois permitiste ao demo o entranhar-te,
e te enleias à imagem que não excluis.

Tu já morreste, e quedas morto-vivo,
tal vampiro, estuário de pavores,
esquecido de ti, hostil a ti
pela concupiscência por seu dolo.

Muita cal nos sepulcros violados
em festins do demônio, esse audaz,
esse profanador de tantas almas
ignorantes do torvo lupanar.

Vade retro Satana, eu te conjuro,
pelo Pai, pelo Filho e o Santo Espírito!
Foi-me dado o poder de ver a injúria,
porque descortinei obras do impuro

em minha vida exposta, a mim, banida,
quando este corpo foi-se do calcário
de que somos moldados, e essa lápide
do corpo amortalhando a alma transida.

............................................................

Prostro-me ao chão, não mais irei comer,
nem beberei mais nada : o corpo falha
se demasiado vai-se em vãos manjares:
Ele, somente Ele é meu alimento

no pão da vida, ó santa Eucaristia,
ó sacramento grato para o espírito
abrigado no seio de quem guia,
à Santa Madre Igreja, seus caminhos.

Pare este tempo, agora, somos carne
e sangue e nervo e transe, pois nos tange
um sentir invadido de relógios
num só carpir de fogo, em necrológio.

Se eu vier a morrer, aos trinta e sete,
sabeis que é de paixão a minha morte,
paixão por esta Igreja que nos pede
um sim, noiva de Cristo, seu consorte.

Este sangue minando das feridas
no corpo padecente, narram a vida
de uma pobre mulher cuja beleza
despediu-se da vasta cabeleira

que lhe cobria os ombros, dorso e pés.
Queriam-na rendida a um estrangeiro.
Já predestinada, alma flamejante
às bodas consumadas para o céu

celebradas bem cedo, sem retorno,
na solidão do quarto da menina,
sem platéia e sem palmas, pura entrega
ao sempiterno Amado, ao doce Esposo.

Deste lado direito sangra o flanco,
os lábios já gretados na agonia
de sede portentosa, e é vinagre
o que oferecem à boca consumida.

Um sol abrasador castiga o cenho,
pende a cabeça augusta, soberana,
há um gemido de dor, tudo estremece
penetrado de luz, e estertora um deus

e descobrem-se neves nesses sóis,
e revelam-se gelos nessas chamas,
e o desejo despido, sem tocar,
só o pensamento alado, inda mortal.
...........................................................

Eu, Catarina, só e analfabeta,
dito a minha sina de dentro da cela:
já estou só voz, vejo só luz, sou só
expectação em corpo de donzela.

Quero, sim, a palavra que murmura,
achada no fulgor do pensamento
e no bater das cordas, paixão pura,
aliviando chagas e tormentos.

Essa palavra extrema é minha carne,
aqui é minha casa e minha cama,
daqui eu vos aceno, só enquanto
a casca desta alma não se quebra.

Sobre a obra

Poema do livro Poemas Místicos. Cada um dos poemas invoca um dos Doutores, místicos ou mártires da história do Catolicismo,

compartilhe



informações

Downloads
269 downloads

comentários feed

+ comentar
graça grauna
 

Brida, que maravilha. Você escreve coisas assim, voltadas a religião de uma maneira leve, sem alardes. Que leveza.Bjos. Estarei te acompanhando sempre.

graça grauna · Recife, PE 1/5/2009 11:30
sua opinião: subir
Falcão S.R
 

Brida,


Emoções triplicadas em versos fortes e emocionantes.

Bjs

Falcão S.R · Rio de Janeiro, RJ 1/5/2009 22:20
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

Texto bem escrito, instigante e fluido. Um bj

Juscelino Mendes · Campinas, SP 1/5/2009 23:12
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

Muito bonito, Brida !
abraço

joe_brazuca · São Paulo, SP 1/5/2009 23:59
sua opinião: subir
raphaelreys
 

Nada como um mergulho no lado religioso da vida!

raphaelreys · Montes Claros, MG 2/5/2009 09:38
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Brida

So depois de termos sofrido uma dor maior ( principalmente por amar demais) é que entendemos o Calvario de Cristo e a traição dos homens, e aprendemos a nos dar mais valor mesmo amando.
bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 2/5/2009 12:18
sua opinião: subir
Onivaldo Paiva
 

Poema místico que tem a profundidade de uma oração e a grandiosidade de uma sinfonia. A autora, como as santas, modela-se nas imagens de uma Rute, uma Sara, e mesmo Hagar, a desprezada.

“daqui eu vos aceno, só enquanto
a casca desta alma não se quebra”.

É espinhoso o caminho da fé. A santidade passa pela via-crúcis das tentações, da dúvida, das quedas. Este lado do ser humano que busca a fé quando tem, nos seus paradoxos, dúvida! Que busca a sagrado quando tem, encravado na carne, a tentação do pecado. O caminho da salvação é uma via-sacra; há quedas e as torturas da carne, e há o espírito se reerguendo, graças à fé.
(Pena que a fé não seja dom conquistado, mas graça concedida, que não me foi dada).

“nessas palavras com sabor de hóstia,
e serpentes fluindo em minha história.”

À autora lembro uns versos dos Salmos:
“Foi ele quem conservou a vida de nossa alma, e não permitiu resvalassem nossos pés”. [Sl,65:9] “votos proferidos pelos meus lábios, quando me encontrava na tribulação.” [Sl, 65:14]

Onivaldo Paiva · Uberlândia, MG 2/5/2009 13:52
sua opinião: subir
Onivaldo Paiva
 

Correção: encravada na carne e não "encravado na carne"
E aproveito para agradecer à Brida por ter me levado a, neste sábado, ler "Imitação de Cristo" em vez de ir tomar um chopp num shopping, templo do consumismo. Então, "garrei" o livrinho do filho de Santa Mônica e fiquei uns minutos em briga com Agostinho, aquele que disse algo mais ou menos assim: "Oh, Senhor, me conserte, livre-me de meus vícios, mas não o façais agora!"

Onivaldo Paiva · Uberlândia, MG 2/5/2009 14:00
sua opinião: subir
Roberto Costa Carvalho
 

Muito obrigado pelo convite, mana!
Sonetos lindos, lindíssimos!...
Voltarei por aqui, com certeza, voltarei.
Abrs.

Roberto Costa Carvalho · Aracaju, SE 2/5/2009 15:37
sua opinião: subir
Claudia Almeida
 

Brida,

Lido querida depois volto,bjs.

Claudia Almeida · Niterói, RJ 3/5/2009 01:55
sua opinião: subir
Onivaldo Paiva
 

Mais correções: 1] onde eu disse "livrinho" é mais pelo tamanho, pois o conteúdo, devocional, merece meu respeito.
2] "Imitação de Cristo" é atribuido a Tomás de Kempis e foi escrito uns mil anos depois de Santo Agostinho. Deste, gosto de tudo que meditou e escreveu, embora não concorde com todas as conclusões. Porém, me iludo que um dia nos encontraremos na "Cidade de Deus", onde aprenderei sobre a Predestinação e a Graça, e ele me explicará, quem sabe, do por que de uns serem eleitos e outros, condenados.
Entretanto, me desculpo com a Brida: a questão aqui não é sobre teologia e sim que suas Chagas são luminosas e inspiradas.

Onivaldo Paiva · Uberlândia, MG 3/5/2009 02:08
sua opinião: subir
Roberto Costa Carvalho
 

Mana, aceite meu voto!

Roberto Costa Carvalho · Aracaju, SE 3/5/2009 11:18
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Brida · Salvador (BA)
AS CHAGAS

Muito lindo.Uma imensidão de beleza a orgulhar a gente.
Este trabalho Garante que a Humanidade não esta perdida e que valea pena seguir em frente seja qual for o fardo, mesmo que seja arrastando.
As lutas e as desigualdades são sem fim mais o projeto vale a pena.
Temos de caprichar tudo que for possivel e seguir sempre.


...Não quero para mim o amor de homem,
tão precário se mostra, no interesse
de um corpo perecível e padecente –
não, não é orgulho – e a cobiça é louca!...

Parabéns.
Sua colaboração é especial.
Abração Amigo.

azuirfilho · Campinas, SP 3/5/2009 11:36
sua opinião: subir
Carlos Venttura
 

Maraivilhosamente Belo!

Carlos Venttura · Suíça , WW 3/5/2009 12:08
sua opinião: subir
Falcão S.R
 

Votando!

Abs

Falcão S.R · Rio de Janeiro, RJ 3/5/2009 13:58
sua opinião: subir
nina poeta
 

Brida que trabalho importante além de farto alimento para a fé!Bjs.

nina poeta · Rio de Janeiro, RJ 3/5/2009 19:36
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

voltando
bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 3/5/2009 19:37
sua opinião: subir
Claudia Almeida
 

Votado,bjs.

Claudia Almeida · Niterói, RJ 3/5/2009 21:35
sua opinião: subir
Aube
 

Brida, minha querida
Que lindeza! Que delicadeza!
Votado com carinho.
Beijos,
Aube.

Aube · Salvador, BA 4/5/2009 12:10
sua opinião: subir
Ailuj
 

Muito lindo querida
''custei mas demorei''
Beijos

Ailuj · Niterói, RJ 4/5/2009 23:49
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

Deu tudo que eu ja i de voce.......esse, nossa!
tem tudo a ver com o que sinto. penso. vivo.
sei la........vc foi funnnndo. e eu amei.
obrigada.

bjsssss;)

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 6/5/2009 15:27
sua opinião: subir
ayruman
 

Fina inteligência... Luz e Paz.
Abraços. jbconrado.

ayruman · Cuiabá, MT 9/5/2009 00:33
sua opinião: subir
patriciaborato
 

Teus trabalhos nos trazem muitas reflexões em torno da fé, brida! Adoro! Bjs.

patriciaborato · Rio de Janeiro, RJ 10/5/2009 20:19
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 7 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados