As Cinco Lembranças

1
Claudio Miklos · Rio de Janeiro, RJ
15/5/2007 · 89 · 4
 

"Eu pertenço à natureza do envelhecimento; não há nenhum modo de escapar do envelhecimento".
"Eu pertenço à natureza das doenças; não há nenhum modo de escapar de sofrer alguma doença".
"Eu pertenço à natureza da morte; não há nenhum modo de escapar da morte".
"Tudo aquilo que me é querido e todos que amo pertencem à natureza da impermanência. Não há nenhum modo de evitar me separar deles algum dia".
"Minhas ações são meus únicos verdadeiros pertences. Eu não posso escapar às conseqüências de minhas ações. Minhas ações são o solo sobre o qual eu piso".

Gatha buddhista segundo versão da escola Thien Lam-Te (Zen Vietnamita)


Nada mais incômodo do que ler ou ouvir palavras sobre nossa finitude, nossa fugacidade na vida, não é mesmo? Isso irrita às vezes, nos deixa com um gosto amargo na boca... Afinal, quem precisa ser lembrado das coisas que são desagradáveis? Envelhecimento, doenças, morte. Um trinômio quase absurdo, pois se somos capazes de tantas coisas, se somos jovens, bonitos (ou pelo menos bem tratados), saudáveis, inteligentes, como é possível que em um futuro indefinido esteja à nossa espera um destino tão... frágil?

É inacreditável. Mais do que isso, é mal educado, pessimista e completamente constrangedor falar das coisas que acabam. O melhor da vida está na sua "curtição", e a melhor forma de incentivar aos outros e a nós mesmos a viver bem é falar de coisas singelas e bonitas, coisas poéticas e amorosas...

Bem, eu concordo com isso. Acho que a vida nos oferece uma gama enorme de maravilhas e belezas que, se bem vividas, nos trazem amor, alegria e contentamento. Também concordo que falar de coisas agradáveis e belas mantém nossa alma pronta para voar sempre mais alto, forte e resistente ao sofrimento do mundo. Mas, o que é agradável de dizer? O que é amoroso e poético?

compartilhe



informações

Autoria
Tam Huyen Van
Ficha técnica
Simples ensaios humanistas, fundamentados na tradição zen.
Downloads
670 downloads

comentários feed

+ comentar
Tê Jardim
 

maravilhoso... eu diria até que o texto começa um tanto quanto despretensioso, mas acaba tomando proporções grandiosas!

adorei, e vou enviar para algumas pessoas que conheço, e acredito que precisam muito pensar nisso tudo.

Tê Jardim · Belém, PA 14/5/2007 11:51
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
André Gonçalves
 

engraçado como ler isso altera nosso jeito de ver as coisas.
apeasr da gente tentar esquecer no minuto seguinte.

André Gonçalves · Teresina, PI 15/5/2007 08:54
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Fanny
 

Sempre é bom lembrar da dolorida e dolorosa finitude... Cuidar das nossas ações é a parte mais importante desta mensagem. Também vou enviar para pessoas que pensam que são eternas e infalíveis.

Fanny · Rio de Janeiro, RJ 15/5/2007 15:09
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
carlos magno
 

Boa advertência, Claudio. Realmente a vida deve ser bem vivida mesmo mas para tanto é preciso saber desfrutá-la. Gostei do texto.Meus sinceros aplausos.
Carlos Magno.

carlos magno · Rio de Janeiro, RJ 16/5/2007 18:43
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
doc, 31 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados