Crimes Perfeitos (da série Pequeno Dicionário de Arquétipos de Massa)

1
Fábio Fernandes · São Paulo, SP
1/11/2006 · 119 · 11
 

Júlio era o que se podia chamar de um rapaz empreendedor: com apenas vinte e quatro anos, montou seu próprio negócio. Ainda morando com os pais, um casal bonito, saudável e bem-estruturado de classe média, ele ampliou o próprio quarto, comprou um carro, saía nos fins-de-semana com os amigos. Júlio era um rapaz feliz.
Um dia, porém, a rua amanheceu com as sirenes da polícia. Durante a madrugada, Júlio matou os pais a golpes de barra de ferro e facadas. Pelo menos quarenta em cada corpo. O que restou foi queimado.
Nos primeiros dias, Júlio negou, chamou um advogado. A alegação da defesa era a de que ladrões haviam invadido a residência. Não havia uma prova que confirmasse isso.
Não adiantando mais, mudou-se a estratégia. Nova alegação: perda súbita da sanidade, motivada por violenta emoção. Para justificar isso, tudo foi aventado: os pais viviam brigando, o pai tinha uma amante, a mãe também, ele apanhava quando criança. Nenhuma dessas hipóteses foi confirmada.
Mas o advogado era bom. Júlio foi condenado, mas pôde cumprir a pena em liberdade por ser réu primário.
Hoje, Júlio é o que se pode chamar de homem de visão: seu pequeno negócio prosperou, ele hoje é dono de uma grande cadeia de lojas, e ainda encabeça uma ONG cujo objetivo é lutar contra a violência urbana. Júlio é um homem feliz.

compartilhe



informações

Autoria
Fábio Fernandes
Ficha técnica
um fragmento canalha do Pequeno Dicionário de Arquétipos de Massa.
Downloads
484 downloads

comentários feed

+ comentar
Rangel Castilho
 

Não existem crimes perfeitos e sim leis imperfeitas...
Esse texto é de uma cruel realidade.
Só lembrar caso Richthofen......

Rangel Castilho · Anastácio, MS 31/10/2006 10:29
sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

Este aqui foi escrito antes, baseado noutro crime que abalou São Paulo. É de uma ironia cachorra.

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 31/10/2006 20:23
sua opinião: subir
Rangel Castilho
 

São arquétipos, Fábio...
E criados por quem ?

Rangel Castilho · Anastácio, MS 31/10/2006 20:55
sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

A vida os cria, Rangel. Eu apenas os catalogo - como metáforas do cotidiano, evidentemente.

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 1/11/2006 08:40
sua opinião: subir
Pedro Ferrari
 

...e o Pequeno Dicionário de Arquétipos de Massa vai, aos poucos, deixando de ser tão pequeno assim.

Gostei muito, Fàbio. Se Foucault tentava relativizar o conceito de loucura enquanto criado pelo saber médico que pretensamente o cataloga, parece-me que com o crime não é muito diferente.
O tribunal cria, em um espetáculo muitas vezes praticamente televisionado, um - digamos - arquétipo no qual enquadrar o réu. Publicidade gratuita, muitas vezes.

Lembro-me da tal Richthofen e dos Cravinhos; a luta entre a promotoria e a acusação não era exatamente sobre o crime em si - mas sim em relação à intencionalidade, justificação e "razões" do crime. Eis que desenhavam arquétipos diferentes nos quais os réus deveriam se encaixar.
O problema é que, para definir a culpa de alguém - e somos viciados em arrumar culpados -, sempre apelamos para suas motivações (quando, para a vítima, isso não faz a menor diferença).

Estou perdendo o foco - terminarei logo e de forma tradicional:
"Belo texto. Abraço".

Pedro Ferrari · Brasília, DF 1/11/2006 12:01
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
eduardo ferreira
 

cara, fábio, tá ficando demais isso. tem que reunir tudo num só volume. eu, particularmente, gosto mesmo é do objeto livro. é um vício. gostaria muito dessa coleção de pérolas. cara, que simplicidade, que escrita clara, sem firulas, mas de uma qualidade impecável. quem disse que precisa rebuscar? parabéns. quanto ao tema...

eduardo ferreira · Cuiabá, MT 1/11/2006 17:44
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

Pois é, Pedro! E não é que Foucault (junto com Deleuze e Barthes) é um dos meus philósofos preferidos? Estou estudando-o para o doutorado, aliás.

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 1/11/2006 18:17
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

Valeu, Eduardo!
Na verdade, desde 2003 o Pequeno Dicionário É um livro. Ele tem 75 "verbetes", e já foi encaminhado para várias editoras, do Rio, de Sampa e de Curitiba. Todas recusaram.

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 1/11/2006 18:18
sua opinião: subir
Ana Cullen
 

Que dizer? Quais são os parâmetros de hoje para definir felicidade, crime, insanidade, tragédia, justiça?
Abraços!

Ana Cullen · Brasília, DF 6/11/2006 13:09
sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

É, Ana, parâmetros não existem mais. Quem balizar nos há-de?

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 12/11/2006 12:50
sua opinião: subir
cris gonzalez
 

A felicidade cíclica de Julio é que me fragmenta inteira.

cris gonzalez · Rio de Janeiro, RJ 20/12/2006 16:03
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados