Dimas na segunda

1
Henrique Araújo - Grupo TR.E.M.A · Fortaleza, CE
25/2/2007 · 70 · 6
 

Segunda-feira, não fecha. Amanhã também não. No domingo, fiquei aqui até as duas horas da tarde, limpando tudo com cuidado, fazendo bifes para o dia seguinte, separando carne de primeira da de segunda e de terceira. Amontoei num canto a pelanca que dona Madalena vem pegar às quartas, religiosamente. Pro cachorro dela, um pé-duro muito bem-tratado. Tudo isso pro chefe perceber que estava trabalhando duro, ralando mesmo. Resultado: consegui sair mais cedo. Claro que menti sobre os motivos, mas foi por uma boa causa. Jogo do Fortaleza, ganhou pela terceira vez. Acho que agora vai. Se não for, não sei. Apostei escondido que seria campeão neste ano, vamos ver no que dá. Ano passado eu perdi, no anterior, também. Neste, acho que vai dar. O jogo contra o Ceará foi um deslize, a gente tem um time melhor, mais bem preparado, gente que não é daqui. Esses meninos vêm de fora, do sul e sudeste, São Paulo, Goiás, sei lá.

É tudo de fora mesmo, garante o Zequinha, entregador aqui do mercantil acostumado a ler o jornal. Ele, o Zequinha, é quem mais entende de futebol que eu conheço, discute com qualquer um, assiste aos programas na televisão e vai ao estádio sempre que o Fortaleza joga. Não perde uma. Uma vez, brigou com um cliente na entrada, falaram alto, o cara, metido a classe média, esbravejou com o moleque, acho que estava bêbado, então o Zequinha amarelou, mais por medo de perder o ganha-pão que de levar um tiro, um chute.

Faz tempo percebi que a faca tá cega, eu mesmo não tô enxergando muito bem, mas ela, coitada, anda muito pior. Depois do jogo no domingo, tomei umas cachaças na esquina lá da rua, longe da vista da mulher, que ficou trabalhando, cortando cabelo e fazendo unha, unha e cabelo, sempre nesse esquema, não pode fugir dele senão o aluguel da casa fica comprometido. Ela sabe que eu bebo, então faz a parte dela e, muitas vezes, a minha também. Por isso anda sempre com uma cara enfezada, a Mazé. Não pára nunca, mesmo nos feriados continua assim, amuada, jeito de quem comeu e não gostou. Quando não, é dando ordens, “Dimas, vai tirar goteira, faz uma massa pra rebocar aqui, consertar ali, vai comprar ração pro Fred”, ela manda o tempo inteiro. Eu não me desgasto, apenas fico ouvindo ela dizer essas coisas, desde sempre foi assim, ela diz, eu escuto, finjo desatenção e tudo volta aos eixos.

Até que ela resolve explodir. Na verdade, acho que ninguém resolve explodir assim, bum, de uma hora pra outra, vai acontecendo aos poucos, juntando tudo durante os dias, a semana até a merda toda chegar na borda e vazar pra fora. Antes de chegar em mim, eu já tô na esquina tomando as minhas, uns poucos amigos ao redor, algumas partidas de sinuca e pronto. Faço a minha festa, confraternizo, esqueço do sangue, da faca rasgando cega, osso e gordura de um lado, carne do outro. No fundo, eu gosto dela, todo mundo sabe, desde quando comecei a trabalhar como servente e vi a menina zanzando da sala pra cozinha, da cozinha pra sala, numa frescura de oferecer café o tempo inteiro, aceitava só porque tinha gostado dela. O pedreiro, seu Moisés, implicava logo, “cuida no serviço, Dezinho”, era assim que ele me chamava. Então cuidava. Mas não perdia o rabo da saia da Mariinha, “Dezinho, que cor é essa da parede?”, “vixe, menina, agora tu me pegou”. (Continua...)

compartilhe



informações

Autoria
Henrique Araújo
Downloads
685 downloads

comentários feed

+ comentar
Marcos André Carvalho Lins
 

gostei, Henrique. confesso que não fiz o download, ma gostei do estilo, depois retorno aqui com mais calma.muito legal!!
abraço,

Marcos André Carvalho Lins · Recife, PE 21/2/2007 23:43
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Henrique Araújo - Grupo TR.E.M.A
 

valeu, garoto. e volte mesmo!

Henrique Araújo - Grupo TR.E.M.A · Fortaleza, CE 22/2/2007 09:50
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Cida Almeida
 

Continuo a leitura depois, com o download. Mas gostei desse esquadrinhamento do cotidiano e mais ainda do cenário e das imagens do açougue - a fascinação por açougue vem da infância...

Cida Almeida · Goiânia, GO 23/2/2007 17:10
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Carlos ETC
 

Bacana, este conto, Henrique!
Bem legal

Carlos ETC · Salvador, BA 23/2/2007 17:43
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Henrique Araújo - Grupo TR.E.M.A
 

obrigado, gente boa!

Henrique Araújo - Grupo TR.E.M.A · Fortaleza, CE 25/2/2007 10:28
sua opinião: subir
Débora Medeiros
 

Adorei o jeito como você uniu tudo, todas as historinhas da vida do cara, no final!

Débora Medeiros · Fortaleza, CE 17/6/2007 13:30
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
doc, 30 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados