ELA PARECIA GENTE

Sinvaline Pinheiro
1
Sinvaline · Uruaçu, GO
8/10/2013 · 5 · 4
 


Ela parecia gente

Atrocidades do homem que se diz "civilizado"
guardam memórias que doem na alma.
Foram Avás, kayapós, krahôs e tapuias
exterminados no norte goiano.

Cães bravios corriam nas matas e
espingardas apontadas miravam as sombras
de homens valentes;
Era a caça aos bichos que pareciam gente...

Ferozes, os bichos lutaram
não se rendiam ao regime escravo
que o branco lhe impunha...
Agricultores com fome de terra
contratavam soldados armados
E tiros escureciam a floresta.
Dor, pólvora e fumaça...

A Colônia Agrícola de Ceres não cabia mais
A ordem é invadir as matas do norte
de terras férteis e muitos rios.
Terras de Avá canoeiros, onças, pássaros e flores...
Milhares de anos eles estiveram lá,
sem religião, sem dinheiro e sem roupa;
Cantavam a lua, a mata, os pássaros
Eram ricos e felizes...

A caçada foi ordenada
O velho soldado hesitou, mas foi,
tinha que cumprir o mandado.
Cansado da luta senta segurando o fuzil.
Já quase cochilando, sente o vulto que mexe entre as folhas...
Algo estava ali , um bicho parecido gente...
Recuou em atirar, era um bicho só e indefeso...
Uma voz forte dá ordem:
- Atira é um índia!

O tiro ecoa pela mata
o bicho cai se revolvendo na terra.
Soldado aproxima e sente a força do olhar...
A jovem índia grávida dá o ultimo suspiro;
O soldado chora e bate em retirada.
A alma doendo dá o relatório final:
-Era uma índia , mas parecia gente!


Sobre a obra

Escrevi após ouvir o relato do neto de um soldado que participou da caça aos índios no norte goiano. Milhares de indios ava canoeiros foram mortos na disputa pela terra por posseiros, fazendeiros e soldados. Eram organizadas grandes caçadas em busca dos ferozes ava canoeiros.

compartilhe



informações

Autoria
Sinvaline Pinheiro
Downloads
177 downloads

comentários feed

+ comentar
Sinvaline
 

Na Foto Iwai, Thwia e o filho Trumak, familia ava canoeiro de Minaçu.

Sinvaline · Uruaçu, GO 8/10/2013 11:16
sua opinião: subir
Veronica Aldé
 

dificil até de comentar de tão dura e triste....infelizmente seu poema sintesa a postura de uma sociedade etnocentrica que até hoje trata o indio de forma preconceituosa e ignorante...é de chorar....

Veronica Aldé · Goiânia, GO 8/10/2013 11:34
sua opinião: subir
Renato FUNAI
 

Sim,muito verdadeiro e comovente seu relato Sinvaline..Convivi com os Avá eles mesmosnos contavam estas terríveis histórias dos últimos massacres.. Vergonhoso.. o Brasil deveria se redimir públicamente e pedir perdão ao Povo Avá Canoeiro..Respeitá-los muito mais..ainda neste momento histórico que são poucos..masmuito amáveis..Povo honrado..com certeza.. como disse a amiga indigenista Verônica Aldé:..é de chorar...

Renato FUNAI · Goiânia, GO 9/10/2013 00:40
sua opinião: subir
Sinvaline
 

Obrigada Renato e Vero, sofro muito a cada vez que vou em uma aldeia e volto com a sensação de que o progresso está mudando, ou seja, acabando com a pureza indigena. Abraços

Sinvaline · Uruaçu, GO 9/10/2013 11:10
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados