Escravos dos seus senhores parte 3

1
Baiana do Palácio de Cristal · Petrópolis, RJ
26/3/2011 · 0 · 0
 


O inimigo do meu inimigo é meu amigo e o amigo do meu inimigo também é meu amigo: numa terra onde tudo que se planta dar desde a exploração à colonização, ao contrário dos Estados Unidos, o Brasil foi colonizado por homens brancos que estupravam as índias e as africanas, mantidas como escravas, sem nenhum pudor... Dando início a formação do povo brasileiro. Onde muitos destes brancos amancebavam-se ou simplesmente rejeitavam e vendiam os seus filhos como escravos no seu real e grandioso valor, já que não nasciam negros ou índios e sim: caboclos mulatos ou de pele branca com todas as características do pai europeu, onde no mercado eram por demais apreciados para servirem como dama de companhia e moleque de recado... Enquanto que os filhos gerados pelo amor, apesar de todo o preconceito da sociedade na época, em uma família harmoniosa, atuaram juntos com seus irmãos de sangue na formação definitiva de um Brasil bem brasileiro na música, na literatura, na poesia, no nacionalismo dos injustiçados e na cultura em geral: Cruz e Souza, Lima Barreto e Machado de Assis, na música de Chiquinha Gonzaga, o Brasil guarani de José de Alencar a Carlos Gomes, Canção do exílio de Gonçalves Dias, Navio negreiro de Castro Alves e “Se dez vidas eu tivesse dez vidas eu daria” de Tiradentes. Consolidando a partir do dia do “Fico” a nação brasileira, não mais estrangeira ¬“Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação: – Diga ao povo que fico”, do nosso Imperador... nas construções e de tantos outros que compuseram o Brasil brasileiro, mostrando através da minha análise que toda planta semeada no terreno fértil precisa que haja água e sol para poder brotar.
Assim é o homem ao nascer, precisa de um lar em harmonia (terreno fértil), educação e amor (água e sol) ao seu redor. E é através de uma família assim que encontraremos um indivíduo socialmente melhor. Ao contrário dos filhos gerados pelo preconceito do pai que os vendiam, seriam preconceituosos maquinando através das suas próprias faces de traição: não suportando saber que foram gerados por mães negras, apesar de todos os seus traços e educação serem de brancos europeus. Tinham no sangue a cor e um passado negro nagô e desfrutavam das amizades e favores dos europeus em troca de informação sobre os negros fujões, onde juntos com os seus irmãos de sangue, não mostrava a sua maquiavélica intenção no meio do desprezo dos verdadeiros brancos europeus, “Judas sobreviveu”. E só agora eu posso escrever; da humanidade a África e da Bahia o Brasil: no requinte das famílias tradicionais: Proença, De Magalhães, Valença, Bragança, Miranda, Orleans, da Monja filha do Barão do Rio Negro fundadora do Mosteiro da Virgem na rua Ipiranga, do escritor, crítico literário pensador e educador, Alceu Amoroso Lima “O Tristão de Athayde” nos seus corajosos artigos no jornal do Brasil e na Folha de São Paulo acordaram a consciência ética e política da sociedade civil em prol da redemocratização do Brasil.
Mostrando o reciclar de um governo na sociedade não sustentável que vejo com tristeza a maneira com que o Consórcio Intermunicipal de Turismo no Brasil está sendo utilizado... O Consórcio é indicado, pois, pelo estilo da formação política dos municípios brasileiros: na limpeza de rios, florestas, recuperação de acesso entre municípios fronteiriços, porque o fluxo de turistas não respeitam os limites políticos, sendo necessário uma união das cidades do mesmo Estado ou do Estado vizinho. Consórcio público é regido pela lei 11.107, de 6 de abril de 2006.
Segundo Tatiana Lima Sarmento Panosso (Advogada e Especialista em Turismo e Meio Ambiente) Marco Legal dos princípios gerais da atividade econômica definida pela Federação é gerar divisas e lucros ao país. O artigo 180 da Constituição Federal diz: "A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios promoverão e incentivarão o turismo como fator de desenvolvimento social e econômico."
Sendo assim os prefeitos das cidades como Petrópolis: Indutora do Turismo que nunca se preocuparam com os seus vizinhos, agora podem se uni no Consórcio Intermunicipal para promover e Incentiva o turismo com o dinheiro liberado pelo Ministerio do Turismo que não é para esse propósito de acordo com a lei do turismo.
Precisamos fiscalizar!

Viagem hoje pelas estradas que ligam os municípios de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo...
O que os turistas diriam?
O território brasileiro é formado por cada um de nós na rede e na lei do turismo.









Escravos dos seus senhores Parte 3
Máxima Mariana

Baiana do Palácio de Cristal



O inimigo do meu inimigo é meu amigo e o amigo do meu inimigo também é meu amigo: numa terra onde tudo que se planta dar desde a exploração à colonização, ao contrário dos Estados Unidos, o Brasil foi colonizado por homens brancos que estupravam as índias e as africanas, mantidas como escravas, sem nenhum pudor... Dando início a formação do povo brasileiro. Onde muitos destes brancos amancebavam-se ou simplesmente rejeitavam e vendiam os seus filhos como escravos no seu real e grandioso valor, já que não nasciam negros ou índios e sim: caboclos mulatos ou de pele branca com todas as características do pai europeu, onde no mercado eram por demais apreciados para servirem como dama de companhia e moleque de recado... Enquanto que os filhos gerados pelo amor, apesar de todo o preconceito da sociedade na época, em uma família harmoniosa, atuaram juntos com seus irmãos de sangue na formação definitiva de um Brasil bem brasileiro na música, na literatura, na poesia, no nacionalismo dos injustiçados e na cultura em geral: Cruz e Souza, Lima Barreto e Machado de Assis, na música de Chiquinha Gonzaga, o Brasil guarani de José de Alencar a Carlos Gomes, Canção do exílio de Gonçalves Dias, Navio negreiro de Castro Alves e “Se dez vidas eu tivesse dez vidas eu daria” de Tiradentes. Consolidando a partir do dia do “Fico” a nação brasileira, não mais estrangeira ¬“Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação: – Diga ao povo que fico”, do nosso Imperador... nas construções e de tantos outros que compuseram o Brasil brasileiro, mostrando através da minha análise que toda planta semeada no terreno fértil precisa que haja água e sol para poder brotar.
Assim é o homem ao nascer, precisa de um lar em harmonia (terreno fértil), educação e amor (água e sol) ao seu redor. E é através de uma família assim que encontraremos um indivíduo socialmente melhor. Ao contrário dos filhos gerados pelo preconceito do pai que os vendiam, seriam preconceituosos maquinando através das suas próprias faces de traição: não suportando saber que foram gerados por mães negras, apesar de todos os seus traços e educação serem de brancos europeus. Tinham no sangue a cor e um passado negro nagô e desfrutavam das amizades e favores dos europeus em troca de informação sobre os negros fujões, onde juntos com os seus irmãos de sangue (negros fujões), não mostrava a sua maquiavélica intenção no meio do desprezo dos verdadeiros brancos europeus, “Judas sobreviveu”. E só agora eu posso escrever; da humanidade a África e da Bahia o Brasil: no requinte das famílias tradicionais: Proença, De Magalhães, Valença, Bragança, Miranda, Orleans, da Monja filha do Barão do Rio Negro fundadora do Mosteiro da Virgem na rua Ipiranga, do escritor, crítico literário pensador e educador, Alceu Amoroso Lima “OTristão de Athayde” nos seus corajosos artigos no jornal do Brasil e na Folha de São Paulo acordaram a consciência ética e política da sociedade civil em prol da redemocratização do Brasil.
Mostrando o reciclar de um governo na sociedade não sustentável que vejo com tristeza a maneira com que o Consórcio Intermunicipal de Turismo no Brasil está sendo utilizado... O Consórcio é indicado, pois, pelo estilo da formação política dos municípios brasileiros: na limpeza de rios, florestas, recuperação de acesso entre municípios fronteiriços, porque o fluxo de turistas não respeitam os limites políticos, sendo necessário uma união das cidades do mesmo Estado ou do Estado vizinho. Consórcio público é regido pela lei 11.107, de 6 de abril de 2006.
Segundo Tatiana Lima Sarmento Panosso (Advogada e Especialista em Turismo e Meio Ambiente) Marco Legal dos princípios gerais da atividade econômica definida pela Federação é gerar divisas e lucros ao país. O artigo 180 da Constituição Federal diz: "A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios promoverão e incentivarão o turismo como fator de desenvolvimento social e econômico."
Sendo assim os prefeitos das cidades como Petrópolis: Indutora do Turismo que nunca se preocuparam com os seus vizinhos, agora podem se uni no Consórcio Intermunicipal para promover e Incentiva o turismo com o dinheiro liberado pelo Ministerio do Turismo que não é para esse propósito de acordo com a lei do turismo.
Precisamos fiscalizar!

Viagem hoje pelas estradas que ligam os municípios de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo...
O que os turistas diriam?
O território brasileiro é formado por cada um de nós na rede e na lei do turismo.


Atenciosamente,
Máxima Cruz dos Santos









Viagem hoje pelas estradas que ligam os municípios de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo...
O que os turistas diriam?
O território brasileiro é formado por cada um de nós na rede e na lei do turismo.


Atenciosamente,
Máxima Cruz dos Santos


























compartilhe



informações

Autoria
Máxima Cruz dos Santos
Downloads
197 downloads

comentários feed

+ comentar

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados