EU PRECISO DIZER ADEUS

Foto de Gregory Valente-meu filho- autorizada.
1
Cintia Thome · São Paulo, SP
23/2/2008 · 240 · 47
 



EU PRECISO DIZER ADEUS

Eu preciso dizer Adeus
Às paredes que grafitam poesia
Do dia-a-dia das guias, das agonias
Do asfalto frio que não me vê
Na esquina da solidão
Da Consolação, cão faminto
Tão sozinho

Eu preciso dizer Adeus

À fumaça das fábricas, dos carros
No proibido das faixas neon
Ao lixo, aos escarros
Aos trincados telhados
Ao quartel, ao cartel, patrulha
Aos negros gatos

Eu preciso dizer Adeus
Aos prédios espelhados
Reflexos de mim, tempo molhado
À garoa da minha fé retrô
Nos trilhos, no metrô, à Praça da Sé
Aos ambulantes e andantes sem café,
Pedantes, arrogantes elegantes

Eu preciso dizer Adeus
A toda gente que aqui não tem lugar
Ao parque que eu também corria
Que há poeira nas flores, no ar
No descanso no Ibirapuera
Beijos no Arouche, carinho fugaz
Carrinho de mão, verdura e limão
Velho moço, velha lata, idoso
Na casa papelão, na escadaria
À gritaria, aos fumantes. Droga!
Às Catedrais, ais.
Escadas rolantes, finos barbantes

Eu preciso dizer Adeus
À minha amiga Paulista
Que tem pista e sombra que zomba
Nos spots e placas oportunistas
Dos trapezistas e alpinistas
Nas pernas de pau e sale
Preço da fantasia, álcool e gasolina
Do tostão, da creolina, fedentina, das Carolinas
Que perdi o passe e não vejo qualquer estação
Ao portão do não que arromba
Ao pedinte que ronda. Rapadura!

Eu preciso dizer Adeus
Ao gelado da contramão
Do 13 ou 23 de maios já vãos
No sinal entoando vermelha paixão
Sem ensaios, desmaios
Do palhaço, do cordel, do cantador
Sem outdoor encantador

Eu preciso dizer Adeus
Aos réus, às vitimas, aos fariseus,
Às chuvas de março e aos ipês no breu
Jacarandás de aço como eu
No barranco, furados pneus
Aos cartões picotados e afanados

Eu preciso dizer Adeus
Aos pastéis, ao arroz e feijão sem vaidade
Baião de dois, de mil mornos e sem gás
À bandeira que agita a cidade
Tremula no rubro e negro de mim
Trémula... Trémula...
Nos carretéis dos andaimes
Nos motéis perfume


Eu preciso dizer Adeus
À arquitetura, às abandonadas esculturas
À arte sem cor, só dor demolição
À loucura da meia-noite no corredor
Nos pontos de açoite e chorinho
À candura do menino vadio
Que vazio chora baixinho
No meio fio, no meio fio
Marginal, das marginais

Eu preciso dizer Adeus
Aos filhos meus e teus
Estou por um fio de lamento
Sem tua mão quente
Nas valas, nos rios, nas veias
Da realidade da cidade
Do meu coração já doente

Eu preciso dizer Adeus
Às cabeças, aos monumentos
Neste Imperial momento
Sem querer ter documento
Ser especial, espacial
Na nave de um Cometa
A me levar
À sorte, ao norte, ou morte
E na janela sem nada dizer...
a Deus...a Deus...
Que tudo é normal.

Eu preciso dizer Adeus
Adeus...

Cíntia Thomé

.

compartilhe



informações

Autoria
............. Cíntia Thomé.
Ficha técnica
....viajando pelo mundo de Sampa São Paulo, SP

...."I Love You São Paulo"(?)

Cometa: Viação Cometa, transporte rodoviário...mas pode ser também um cometa...

---------------------------------------------------------
Dados do site: www.SPTrans.com.br:
quarta maior cidade do planeta é o portão de entrada dos visitantes estrangeiros - 1,5 milhão desembarcam na capital por ano. Podem se perder na barafunda do sistema de transporte público ou no português pouco falado no mundo, mas logo se encontram representados em 89 consulados e 43 comunidades organizadas - de cinco milhões de árabes a grupos pequenos como cem famílias da República Tcheca. E a maior concentração de japoneses, portugueses e espanhóis fora de seus países.

Imigrantes garantem à cidade uma diversidade sem igual, na cultura e no comércio, mas mais evidente na gastronomia de 42 etnias encontradas em 12,5 mil restaurantes e 15.000 bares.
Em meio a 3,5 milhões de veículos que circulam diariamente (a frota total está perto de 6 milhões), é difícil ir além da terceira marcha. Em dezembro, por exemplo, a média de velocidade no corredor Consolação-Rebouças-Eusébio Matoso foi de 10,4 quilômetros por hora, inferior à de bicicletas (15 km/h) e comparável à das carroças (8 km/h).data: 25.01.2007
Downloads
358 downloads

comentários feed

+ comentar
Regina Lyra
 

Querida Cíntia,
Eu preciso deizer adeus, belo grito de protesto.
Belo poema!
Aplausos!
Inspirou-me o poetrix que segue.
Beijos,
Regina

Adeus - Regina Lyra

Insanidade das ruas,
vida galopante
...assaltos e avenidas.

Regina Lyra · João Pessoa, PB 21/2/2008 12:55
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Saramar
 

Cíntia, como já disse alguém, algum poeta, há poemas seus que leio como se rezasse, tal a rever~encia que despertam em mim, a beleza, o sentimento de alegria ou dor...

Este é um deles.

beijos

Saramar · Goiânia, GO 21/2/2008 16:51
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Mell Glitter
 

Amiga, escreveste com o coração!Que belo poema!Que sublime inspiração!Prá tí, meus sinceros aplausos!Volto prá votação!Bjos

Mell Glitter · São Paulo, SP 22/2/2008 19:47
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Nydia Bonetti
 

Cintia
Eu vi apenas a cidade negra. Você vasculhou cada fresta, cada detalhe, todos os cantos e desencantos desta mesma cidade...
Belo!
bjo.

Nydia Bonetti · Piracaia, SP 22/2/2008 20:43
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Branca Pires
 

Cíntiaa querida! Quantoss belos "adeus"!
Que apesar de serem Adeus, são tb um reverência, uma saudação a tamnha diversidade que São Paulo proporciona... Salve Sampa e todas esa gente que fizeram, fazem e farão esse sem tamanho.
Belíssimo!
beijos

Branca Pires · Aracaju, SE 23/2/2008 07:10
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
LAILTON ARAÚJO
 


AMIGA CINTIA!


Eu preciso dizer Adeus!

Talvez um dia!
Sampa magia...
Não mais de Itapemirim
Irei de avião: Varig?
Navio santista... São José?
Corinthians? Tá rebaixado...
Irei de bicicleta...
Ou mesmo na "canela"
Igual aos retirantes...
Que vieram e foram...
Da cidade querida
Porta dos povos...
Portos e poços de amor!

Brinquei... rsrsr

Gostei das rimas do teu poema!

Gostei do Universo social...

Parabéns!

Beijão!


Lailton Araújo

LAILTON ARAÚJO · São Paulo, SP 23/2/2008 13:34
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Branca Pires
 

Branca Pires · Aracaju, SE 23/2/2008 15:46
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Regina Luna
 

Cintia, lindo poema para uma cidade. E, afinal, vivemos dizendo adeus porque nunca mais seremos os mesmos... acontece que às vezes isso fica claro...
Obrigada pelo comentário.
Beijo.

Regina Luna · Fortaleza, CE 23/2/2008 17:31
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
victorvapf
 

Voce precisa mas nao diz, porque voce ama...e quem a gente ama, nunca dizemos adeus...beijos

victorvapf · Belo Horizonte, MG 23/2/2008 19:35
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Sinvaline
 

Querida Cintia, grande poema! Precisamos dizer adeus.
Belíssimo, votado com muito prazer.
bjs
sinvaline

Sinvaline · Uruaçu, GO 23/2/2008 20:15
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Roberto Girard
 

Querida Cintia, é preciso dizer À DEUS...
E prazeirosamente voto e me comovo nos protestos teus...
Bjs
Beto

Roberto Girard · Rio de Janeiro, RJ 23/2/2008 21:24
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Patipetista
 

Cíntia, embora eu seja muito provinciana, nunca quis deixar Santo André, amo a metrópole desvairada , Sampa !
Beleza de texto , mas por favor, nunca mais diga "Adeus", fique pra sempre !

Patipetista · Taboão da Serra, SP 23/2/2008 22:37
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Marco Bastos
 

Não é São Paulo, não é a cidade, não são as cidades, é a sociedade e nossos valores. Isso sim, precisa ser revisto. Todos os signos, os referenciais, os símbolos que Cintia mobilizou são o cântico ao contrário, o lado bom mostrado pelas contradições. Um lindo poema que também mostra pelo "Dizer Adeus" o sentimento de impotência de cada pessoa, de todos nós, diante de problemas tão grandes. O Leviatã que criamos foi alimentado por todos os nossos sonhos, cantos de sereia, quando atendemos aos chamamentos do que sempre nos pareceu tão ingênuo, tão bom e normal. O culto ao consumismo e ao gigantismo não é bom.
abraços.

Marco Bastos · Salvador, BA 23/2/2008 22:41
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Benny Franklin
 

Ei, quanta inspiração, hein?
Flor, jamais diga: "Adeus!"
Eu, morreria.
Bjs.

Benny Franklin · Belém, PA 24/2/2008 01:12
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Falcão S.R
 

So não podes nos dizer adeus, nos privando do privilégio de desfrutar de seu talento. Beijos

Falcão S.R · Rio de Janeiro, RJ 24/2/2008 02:16
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Sérgio Franck
 

Fantastic!

bjo.

Sérgio Franck · Belo Horizonte, MG 24/2/2008 10:05
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
raphaelreys
 

Esse Sampa, minha cara Cintia é, o avesso, do avesso do avesso, de um mundo no espelho da solidão do concreto armado que desarma a alma e enche o coração de solidão! Abraços Overmanos.

raphaelreys · Montes Claros, MG 24/2/2008 15:40
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Cinthia,
Eu voltei muito mais para arquivar que tudo o mais,
Parabéns. Parabens mesmo.
Andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 25/2/2008 07:10
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Rosa Campello
 

concordo c Falcao, nao nos diga adeus...votado, bjs,rosa

Rosa Campello · Recife, PE 25/2/2008 14:03
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

AUUUUUUUU!

Mulherão, cometes o Lado B exatos 40 anos depois de Tom Zé, em 1968, que já fizera a primeira parte desse Hino, tendo por recheio o arrependido e monumental Sampa de Cae.

Não tiro uma vírgula, nem um espaço sequer. Nem que me espanquem Bandeira ou Andrade, sequer dona Rita.

Maravilha se percebe no ato e se aplaude em pé.

Bravo! Bravo!
BRAVÍSSIMA!

São São Paulo
(Tom Zé)


São São Paulo quanta dor
São São Paulo meu amor
São oito milhões de habitantes
De todo canto e nação
Que se agridem cortesmente
Correndo a todo vapor
E amando com todo ódio
Se odeiam com todo amor
São oito milhões de habitantes
Aglomerada solidão
Por mil chaminés e carros
Gaseados a prestação
Porém com todo defeito
Te carrego no meu peito

São São Paulo quanta dor
São São Paulo meu amor

Salvai-nos por caridade
Pecadoras invadiram
Todo o centro da cidade
Armadas de ruge e batom
Dando vivas ao bom humor
Num atentado contra o pudor
A família protegida
O palavrão reprimido
Um pregador que condena
Um festival por quinzena
porém com todo defeito
Te carrego no meu peito

São São Paulo quanta dor
São São Paulo meu amor

Santo Antonio foi demitido
E os ministros de Cupido
Armados da eletrônica
Casam pela tevê
Crescem flores de concreto
Céu aberto ninguém vê
Em Brasília é veraneio
No Rio é banho de mar
O país todo de férias
E aqui é só trabalhar
Porém com todo defeito
Te carrego no meu peito

São São Paulo quanta dor
São São Paulo meu amor





Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 25/2/2008 20:47
3 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Lígia Saavedra
 

Cintia, sou tão grata à vc por ter me ensinado a ver através da sua poesia.
Hoje no entremeio das palavras vc me mostra uma cidade inteira dizendo adeus à tristeza e eu te amo.

Bj

Lígia Saavedra · Ananindeua, PA 25/2/2008 21:32
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
SILVIA BATISTA
 

Cintia...que encanto essa poesia! Fiquei viajando nas suas palavras...e como foi bom! Obrigada por nos privilegiar com um texto tão rico, tão puro..tão profundo. Você é iluminada. Beijos.

SILVIA BATISTA · João Pessoa, PB 26/2/2008 13:41
3 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
carlos magno
 

Como é gostoso ler este teu poema. Meus sinceros aplausos e beijos.
Carlos Magno.

carlos magno · Rio de Janeiro, RJ 1/3/2008 20:35
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Raiblue
 



Olá Cíntia!!
Belíssimo pema!!!Um retrato veropoético da grandes cidades...no caso,São Paulo.
Bravo!!Forte e profundo poema!!

Um beijo azul...
Rai

Se puder,passa na minha página tá?
ttp://www.overmundo.com.br/banco/entre-morangos-e-mofo

Raiblue · Salvador, BA 3/3/2008 13:13
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Regina - poesia em volta
 

Existe uma necessidade de grito presa aí dentro. Não é a cidade, é uma imensidão dentro de você. Belíssimo!

Regina - poesia em volta · Volta Redonda, RJ 4/3/2008 15:57
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
victorvapf
 

Cintia voce esta se despedindo? Como, quando e porque? a gente aqui cria amizades e sente qualquer despedida ue!

victorvapf · Belo Horizonte, MG 8/3/2008 21:49
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
ana wagner
 

Cheguei só nos overpontos!
Parabéns, Citia! Lindo! bjs

ana wagner · Porto Alegre, RS 9/3/2008 17:39
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Letícia L. Möller
 

Cintia,

mais uma poesia excelente da tua safra infinita...
(que descubro somente agora porque ando meio sumida daqui).
Como disse o Adroaldo: sem tirar nem por. Maravilha!
Versos maduros de uma poeta que sabe bem o que quer dizer, e onde chegar.
Beijos,

Letícia L. Möller · Porto Alegre, RS 13/3/2008 09:54
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
clara arruda
 

Só não diga adeus as suas poesias,é linda minha querida.Dei meu voto

clara arruda · Rio de Janeiro, RJ 13/3/2008 11:31
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Eduardo Pereira ODÙDÚWA
 

Muito bom , parabéns!!!
Ps. Devido a importância da criação da Primeira Biblioteca Comunitária Especializada Em Cultura Afro-brasileira e Africana, no subúrbio de Salvador-Ba. Por Favor vote em: http://www.overmundo.com.br/agenda/biblioteca-comunitaria-especializada-em-cultura-afro-brasileira-e-africana

Eduardo Pereira ODÙDÚWA · Salvador, BA 25/4/2008 03:04
sua opinião: subir
Nadir Vilela Poetisa
 

Como ja disse antes...
você escreve com a alma e o coracão...
dizer adeus ou não
não teria nem uma razão
pois onde quer que você vá...
a sua mensagem fica tatuada
no centro do core...

beijos no core...

Nadir Vilela Poetisa · Itatiaia, RJ 26/4/2008 15:25
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Aepan
 

Belo poema...
Airton
Estrela-RS

Aepan · Estrela, RS 2/5/2008 14:13
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Hideraldo Montenegro
 

Morei por aí. conheço o sufoco.

Hideraldo Montenegro · Recife, PE 3/5/2008 09:50
sua opinião: subir
Lioviola
 

E EU QUE DISSE ADEUS A TUDO ISSO.

MAS, TE CONFESSO, DEIXOU SAUDADES.

" SÃO PAULO FEIA MAIS QUERIDA QUE JÁ VÍ"

ABRAÇOS.

Lioviola · Carnaíba, PE 25/6/2008 14:08
sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

em primeiro lugar fiquei feliz com suas palavras e gostei muito da maneira como vc escreve. parabéns pelo seu lindo trabalho,beijosssss

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 30/6/2008 22:22
sua opinião: subir
Thiers
 

Escutei o outro e entrei nesse pra comentar... sem palavras, apenas com sentidos.. Um navio se vai , fica o lenço branco tremulando lágrimas em poças. ADEUS! Q dor, que fuligem, qto pó, par-ti-do.
Não me diga adeus,eu sofro dentro da sinfonia concertante.
Parabéns
bacios

Thiers · Rio de Janeiro, RJ 7/7/2008 18:38
sua opinião: subir
Smalltown Poeths
 

WOW!! Fiquei sem fôlego, mas valeu a pena ir até o fim. Uma viagem paulistana sem nunca ter conhecido a cidade, só de passagem. maravilha , brigadu pela visita, e por favor, "não diga adeus à minha página", será sempre bem vinda. Beijos!!

Smalltown Poeths · Belo Horizonte, MG 19/7/2008 14:27
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

Poeta de boa cepa, parabéns!

Juscelino Mendes · Campinas, SP 25/7/2008 15:53
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Eu fiquei sabendo de umas boas notícias sobre esses bons versos aqui.
Quem poderia mais nos dizer se nossa querida Cíntia não o fizer?
É fato.

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 27/7/2008 00:32
sua opinião: subir
José Carlos Brandão
 

Cíantia, parabéns pelo prêmio, pelo poema, pela homenagem a São Paulo. As pequenas e simples belezas da grande São Paulo. Não é só grandiosidade, um monumento à pressa, ao trabalho. O poema mostra o aconchego de São Paulo. Um poema é sempre uma oração.
Beijos.

José Carlos Brandão · Bauru, SP 1/8/2008 12:48
sua opinião: subir
Hideraldo Montenegro
 

Não conhecia sua poesia. A gente sempre tem agradáveis surpresas por aqui. Algo que nos serve de inspiração e exemplo. Muito bom. aliás, um poema para estudarmos e contemplá-lo constantemente.
A força, a marca, as imagens, a linguagem...Que grande!

Hideraldo Montenegro · Recife, PE 2/8/2008 12:23
sua opinião: subir
Circus do Suannes
 


Cíntia querida:
Há Deus?
Ah, Deus!
Adeus.

Circus do Suannes · São Paulo, SP 3/8/2008 14:34
sua opinião: subir
LAILTON ARAÚJO
 


AMIGA CÍNTIA!


Eu preciso dizer Adeus! Talvez um dia... Sampa magia! Não mais de Itapemirim, São Geraldo ou João Teotônio. Voltarei de avião: Varig (talvez), Gol, Tam (não sei). Navio santista (ou Corinthians)... Clandestino para o Recife ou Tóquio - igual aos 100 Anos da Imigração Japonesa – ao contrário da história oficial. Irei (quem sabe) de bicicleta: é politicamente correto; ecologicamente atual. De caminhão (como eu vim) só de noite! Sem a luz do sol. De pau-de-arara é impossível! Não tenho mais idade... Retirantes vieram e ficaram. Alguns foram engolidos; outros maltratados; a maioria tornou-se paulistana (como eu sou) na cidade querida, porta dos povos, portos e poços de amor! Brinquei na viagem! Comi letras... Bebi cultura! Gostei das rimas do teu poema e do Universo Social.

Parabéns! Beijão!

Lailton Araújo

LAILTON ARAÚJO · São Paulo, SP 4/8/2008 01:56
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Cintia, amada e querida amiga.
Estou contente. Muito contente. Feliz demais da conta, tchê, com que tenhas sido uma das vencedoras do I Prêmio Literário da Canon do Brasil, integrando com Eu Preciso dizer Adeus a antologia que será lançada na 20a. Bienal Internacional de Sampa, no próximo dia 24 de agosto.
Ah! deixa a Juli saber que ele vai rasgar toda a seda da China. Nem é bom que saiba agora, se não deixam ela sair mais não. e nós aqui sem a Juli somos capazes de organizar uma armada brancaleônica pra resgatar nossa chinoca do jugo chino em terras orientais do planeta.
Em fevereiro eu já te falara da qualidade épica e ímpar destes teus versos.
Viva, Cintia!
Merecidos parabéns!

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 4/8/2008 15:12
sua opinião: subir
Compulsão Diária
 

vc nunca deveria ter mudado daqui!!! adorei vc!

Compulsão Diária · São Paulo, SP 16/8/2008 17:57
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

...
Até logo, até mais tarde, até amanhã, até depois...
Nunca adeus.
Por Deus !!!

parabens pelas conquistas.

bjsssssssssss ;)

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 3/2/2009 02:23
sua opinião: subir
Vicente Machado
 

A velada dor de quem quer dizer Adeus sem poder realmente ir embora...

Vicente Machado · Rio de Janeiro, RJ 21/2/2011 13:32
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
, 13 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados