Ferreira Gullar: uma pequena introdução

1
Luís, o último literário · São Luís, MA
17/12/2009 · 7 · 8
 

Um dos últimos maiores poetas nascidos em terras tupiniquins, segundo Vinicius de Morais, o maranhense Ferreira Gullar é um dos poetas mais completos de nossa literatura. Sua poesia se apresenta para nós recheada de vida e existência, de fatos simples que transformam-se em verdadeiras cachoeiras de poder poético, de primazia artística, pouco vista entre nós. Num primeiro contato, a poesia gullariana parece não ter sentido, por ser tão cotidiana que qualquer um, preso a conteúdos passados, à “mulheres de nuvens ou homens sem estomago” segundo o próprio poeta, não conseguira entender a profundidade dela, para tanto, o leitor precisará desprender-se de todas as suas antigas concepções literárias e estar aberto para o novo, seus olhos devem abrir-se muito mais além do concreto, só desse modo saberá e tomará o conhecimento desse eterno e grande poeta brasileiro.

Quem conhece Ferreira Gullar, que este ano foi homenageado na 3ª Feira do Livro da Cidade de São Luís do Maranhão (comentaremos em uma outra oportunidade sobre esse evento), sabe que sua poesia não é cheia de “ frescuras” poéticas, de frufrus literários; a elaboração formal ( rimas, métricas) não é sua preocupação central, muito menos parecer dizer bonito, ao contrário, Ferreira quer sim, destroçar o âmago da existência. O que parece na poesia Gullariana é o simples sendo levado ao topo de sua expressividade, sendo levado a extasia da expressão. Uma simples garça comendo um peixe na Lagoa Rodrigo de Freitas verte-se em uma poesia poderosa e complicada do ponto de vista conceitual. Como já dito, um olhar preso à velhos e já ultrapassados formalismo, escandalizaria-se diante da poesia desse grande poeta.

Tomemos uma de suas grandes obras: o poema “traduzir-se” que será aqui demonstrado em pequenos fragmentos. Nele é perceptivel a grande habilidade poética desse autor – o poeta inicia mostrando a própria existência em fragmentos explicativos sobre a complicada – do ponto de vista semântico – ação de falar sobre o ser humano e seu objetivo principal, o existir:

“ uma parte de mim é todo o mundo
outra parte ninguém, fundo sem fundo”

O poeta quer demonstrar, através desse trecho inicial, um assunto que escorre ao longo de todo o poema - O que é sempre muito corrente na poesia gullariana: objetivismo - logo nos primeiros versos, o poema já diz do que ele vai tratar ao longo de todo dele. O cotidiano midianísmo que cerca a todos os sujeitos de nossa sociedade, nessa poesia é desmascarado com esplendor e força. Ancorado em Jung, Ferreira Gullar parece fazer propositalmente uma síntese da teoria do arquétipo “mascara” que o psicanalista austríaco aborda em “O inconsciente coletivo”. Os dois seres que moram em nossa existência, pulam e são descobertos pela poesia gullariana. Um é calmo, outro agitado, um é gelo outro fogo, um amor, outro paixão. É isso que Ferreira Gullar quer expor nesses outros trechos de sua poesia:

“Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.”

Perceba-se da grande dicotomia da vida que grita na poesia Gullariana. "Traduzir-se" é uma síntese do que queremos explicar, porém nunca conseguimos, tentamos de todo o modo entender, mas não conseguimos, Ferreira Gullar oferece nessa poesia uma forma de entendermos essa dicotmia que precisa ser harmoniosa, por uma questão de vida ou morte:

” traduzir uma parte
na outra parte
_ que é uma questão
de vida ou morte _
será arte?”

É por essa e por outras que Ferreira Gullar sempre será lembrado. É bom que se saiba que essa poesia, aqui analisada de forma rápida e sucinta, é só a ponta do iceberg desse grande mundo cheio de vida e poesia, de desafios e força, de vontade de viver que se esconde por traz de cada verso, que é o universo Gullariano. Para outras consultas, aconselhamos Luta corporal, um pouco acima do chão e poema sujo entre outros.

Até a próxima e saudações gullarianas.....

compartilhe



informações

Downloads
319 downloads

comentários feed

+ comentar
ayruman
 

Belo postado amigo. Nunca é demais falar de nossos grandes Poetas e Gullar com certeza é linha de frente neste maravilhoso mundo da criação literária.
A Luz de sempre.

ayruman · Cuiabá, MT 16/12/2009 10:52
sua opinião: subir
Jairo de Salinas
 

Vc é d+, cara. Escolheu bem p/ karamba.
Sempre que posso vejo Ferreira, nos canais Brasil e SescTV. Adoro a sua filosofia poética e, esse texto realmente é a síntese de um quase explicar sobre Ele. Nas vozes de Fagner e Chico Buarque, podemos sentir um pouco desse grande poeta.
Valeusão, cara.
Feliz Natal, amigo poeta!

Jairo de Salinas · Salinas da Margarida, BA 16/12/2009 13:04
sua opinião: subir
nina poeta
 

Ainda temos Gullar, Manoel de Barros,Ariano Suassuna,Adélia Prado,Lygia Fagundes Telles,Nelida Piñon e outros pelo país afora, ainda temos baluartes Graças a Deus. Belo postado sobre a admiração que todos temos por este poeta Maravilhoso, imprescindível !!

nina poeta · Rio de Janeiro, RJ 17/12/2009 18:27
sua opinião: subir
Luís, o último literário
 

De fato temos, o que eu quis através desse postado foi parafrasear a opinião de Vinicius

Luís, o último literário · São Luís, MA 18/12/2009 13:49
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

percebo sim......sua genial interpretaçao de fatos e sentidos.
adoro te ler......cresço mais. sempre mais contigo.

bjsssssss;

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 26/12/2009 05:02
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Luís, o último literário · São Luís (MA)
Ferreira Gullar: uma pequena introdução

Nosso Mestre do maranhão e do Brasil.
Nosso poeta do Mundo que já atingiu a Imortalidade.
Orgulho do Brasileiro que temos de sempre louvar pelo que nos eleva em humanidade.
É um Revolucionário que vislumbrou um mundo melhor para todos sem opressores dominadores donos de todas as riquesas, e sem os oprimidos excluidos de tudo. Um Mundo irmão e cidadão, de todo mundo estar preparado pra ser igual.
Parabéns pelo Trabalho de tanto merecimento e valor.
Abração Amigo.

azuirfilho · Campinas, SP 26/12/2009 08:36
sua opinião: subir
kfarias
 

Belo postado, valeu.

kfarias · Águas de Lindóia, SP 26/12/2009 13:56
sua opinião: subir
ayruman
 

Vo( l )tando e reapreciando.
Saúde. jbconrado

ayruman · Cuiabá, MT 21/5/2010 18:07
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 5 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados