Identidade e Fala Poética

1
Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ
9/1/2008 · 150 · 34
 

Este texto é parte da minha tese de doutorado que ainda estou ruminando e escrevendo. Chama-se "Identidade Expressiva". O objetivo central da pesquisa é investigar se o ator, ao instituir a cena, produz um estado capaz de compor uma identidade de natureza poética, inquirir qual o estatuto desta identidade e quais relações que agencia com o mundo subjetivo e com os pertencimentos sociais do ator.

compartilhe



informações

Autoria
Celeia Machado
Downloads
1970 downloads

comentários feed

+ comentar
Joana Eleutério
 

Celéia,
Gostei da sua pesquisa de doutorado - é uma tese interessante.
Veja:
Na p.2 , 3º parágrafo: Não se trata de procurar na(s) obras de arte
Na p.3, no 1º parágrafo: impermenência
Grande abraço e muito sucesso.

Joana Eleutério · Brasília, DF 7/1/2008 11:07
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Celeia Machado
 

oi Joana, Obrigada pelas dicas. . Já corrigi no original, porque sou inexperiente no Overmundo e não sei corrigir na versão do site.
A palavra é impermanência, que segundo o Aurélio significa qualidade do que é não permanente, inconstante, mutável.agradeço sua colaboração! bjs

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 7/1/2008 11:26
sua opinião: subir
victorvapf
 

Minha amiga Celeia, infelizmente nao consegui abrir, iria passar a critica para minha filha que poderia dar uma opiniao mais objetiva sobre o tema, mas estou tentando, obrigado pelo convite. abrs.

victorvapf · Belo Horizonte, MG 7/1/2008 12:22
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Victor, acho que é preciso dar o download e depois salvar . espero que você consiga! eu é que vou ficar feliz com seu comentário.

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 7/1/2008 12:36
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Olá Célia, grato pelo convite a ler teu texto.
Boa tese, essa tua.
Quando repito que aprendo muito e a todo instante aqui em Overmundo e alhures, alguns ainda se espantam.
Contigo aprendi mais.
Principalmente a objetividade sobre os conceitos, faina muitíssimo difícil, eis que dela, a objetividade, foram feitos mais de 35 anos de minhas funções e inda hoje me atapalho, porque vez que outra o danado do sonho, do idealizado, se interpõe não só à escrita como mesmo à fala, e à vida então, porque não se quer só reproduzir o suporte da existência e dele ser tão somente a coisa dada, mas dar materialidade à coisa sonhada.
Sei que não é o objeto da tua investigação, mas aquele momento em que o intérprete, tentando apagar o próprio rastro, ainda não é a representação, que não o será, para que não deixe de ser o ator para ser o representado, aquele instante, ínfimo, um átimo, talvez, e friso, talvez possa ser também, dependendo da perspectiva e dos instrumentos de análise, coisa também já dada, fato consumado, locus de interpretação.
Exemplo. Um tecido a olho nu e um tecido examinado ao microscópio.
Caso do ator, o tempo como nós o percebemos e no caso de alguém que o possa perceber em "câmera extremamente lenta".
Um segundo é uma vida, gerador de vida e passível de interpretação, então, e o momento configurado como "entre" desaparece para ser o entre ele mesmo um "fato a ser interpretado", o momento do ser.
É isso que nos diz o fato de que o passado não mais é, o futuro ainda não é o presente se foi, já, muito antes do piscar de olhos ou estalar de dedos.
Para depois do almoço, a percepção ainda sonolenta do fenômeno da da sesta não feita, foi o que consegui perceber.
---
Da redação, se me permites, na terceira página tem um A que não necessita de ser maiúsculo:
Como um sistema simbólico, A linguagem artística apresenta conformidade àquelas propriedades apontadas por Saussure
E, quase ao final, há múltiplas possibilidades para a redação, a meu ver, imprecisa:

A Identidade Expressiva é uma escritura, uma composição, de funcionamento frágil porque é construída está sempre sujeita ao acaso, à subversão, ao abandono ou à reviravolta.

Posso ler:
1. porque é construída e está sempre sujeita...
2. porque é construída. Está sempre sujeita...
3. porque é construída, razão de estar sempre sujeita...
(sendo que li desta terceira forma, que me pareceu mais conforme para afirmar os conceitos que vinhas desenvolvendo)
E, ao final:
... Como obra poética, adquiri as qualidades de um poema
creio que a grafia deva ser adquire

Tenha sucesso pleno na empreitada.

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 7/1/2008 13:55
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Querida Celeia:
Em primeiro lugar, muito prazer em conhecê-la, pois não me lembro de ter-nos cruzado no overmundo. Obrigado ainda mais por achar que posso contribuir de algum modo com o seu texto.
Eu o li duas vezes e a única coisa que consegui identificar como algo problematizável é um aparente divórcio do primeiro pará grafo com os demais
"Na modernidade, o processo de identidade aproxima-se mais de um percurso de representação do que de reconhecimento. A resposta à pergunta sobre quem somos se dá através de um percurso simbólico."
A partir daí, você passa a um discurso ahistórico mostrando como se dá em nós a representação das coisas e por aí vai. Sinceramente não vi uma única explicação, no texto, para a sua categórica afirmação inicial segundo a qual "na modernidade o processo é diferente', Mas também posso estar enganado, isto é, pode ter-me passado despercebida a explicação. Então eu diria que você deve aproximar mais a afirmação de sua justificativa.
Acho até que o texto teria até maior intelecção se não houvesse o primeiro parágrafo.
Não sei se ajudei em alguma coisa, mas era esta a minha intenção.
beijos e abraços
do Joca Oeiras, o anjo andarilho

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 7/1/2008 14:12
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Querida Celeia:
Só pra não dizer que não falei de flores...

"Por meio da atribuição de significados o homem apreende o que ocorre a sua volta" quando o correto é "Por meio da atribuição de significados o homem apreende o que ocorre à sua volta"

"Além disto, o trajeto de criação articula um espaço simbólico aonde o homem vai tecendo as narrativas das experiências individuais e coletivas." quando o correto é "Além disto, o trajeto de criação articula um espaço simbólico onde o homem vai tecendo as narrativas das experiências individuais e coletivas."

"Não se trata de procurar na obras de arte, dados sobre a personalidade, história de vida ou os vínculos sociais e culturais do seu autor. Mas refletir sobre a condição da identidade manifesta e produzida na criação artística, como ato poético"
ou escreveria
"Não se trata de procurar na obras de arte, dados sobre a personalidade, história de vida ou os vínculos sociais e culturais do seu autor, mas de refletir sobre a condição da identidade manifesta e produzida na criação artística, como ato poético"

"A fala poética é irredutível à outra forma de dizer" quando o correto é "A fala poética é irredutível a outra forma de dizer"

"onde se produz as possibilidades, as contradições, as multiplicidades e as diferenças." quando o correto é "onde se produzem as possibilidades, as contradições, as multiplicidades e as diferenças."
beijos e abraços do

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 7/1/2008 16:13
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Em tempo:
"Não se trata de procurar na obras de arte, dados sobre a personalidade, história de vida ou os vínculos sociais e culturais do seu autor."
eu diria
"Não se trata de procurar, na obra de arte, dados sobre a personalidade, a história de vida ou os vínculos sociais e culturais do seu autor, mas..."

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 7/1/2008 16:28
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Adroaldo e Joca, Muitíssimo obrigada. Aproveitei todas as sugestões. Acho tão difícil revisar meu próprio texto. Acabo misturando análise do conteúdo com a revisão ortográfica e me perdendo ora em uma crítica exagerada, ora em uma tolerância generosa demais.
Joca,
nós nunca nos cruzamos no overmundo porque esta é a primeira vez que eu posto. Meu irmão, Sander Bazetti, com veia mais poética, é que disponibiliza vários textos seus.
Por isto eu já conhecia o site há um tempo e acompanho alguns comentários. Quando coloquei o artigo, convidei algumas pessoas das quais gosto particularmente das críticas, por serem justas e honestas e ao mesmo tempo delicadas e respeitosas.
Se houver outra sugestão, não hesite em enviá-la.
Adroaldo,
você pegou a "alma" da minha idéia. Minha curiosidade é sobre este que se apresenta entre ator e representado, que já é uma representação, mas não é nem um nem outro, sequer a mistura dos dois. Uma terceira margem, talvez.
Seu comentário me fez pensar outras possibilidades

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 7/1/2008 17:16
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

esqueci: eu fiz as correções no original, mas não sei como alterar o que está postado aqui. devo dar novo download?

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 7/1/2008 17:18
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

para quem se interessar, o texto do meu irmão está no banco de culturas, chama-se Silêncio.
http://www.overmundo.com.br/banco/silencio-8

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 7/1/2008 17:19
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

“Por meus textos sou mudado mais do que por meu existir”

Tua tese é supra.Quando finaliza, é muito feliz:
. O homem considerado obra poética constitui-se na imagem e como imagem. Como um trajeto de atribuição de significados, esta narrativa de si está assinalada por um caráter provisório, instável e inconstante

Parabens e continue!bjus.

Cintia Thome · São Paulo, SP 8/1/2008 20:47
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Joana Eleutério
 

Bom dia Celéia!!!!

Joana Eleutério · Brasília, DF 9/1/2008 08:07
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Sander Machado
 

A Celéia deve ter pisado no tablado pela primeira vez com 8 a 9 anos. Nesse mesmo espetáculo lembro-me que enquanto um menino improvisava era ela que mantinha a estrutura dramática. Sempre tens me sido surpreendente. A Atriz, a Educadora, essa estrela tão angustiada pelo justo. Matéria tão em falta nos palcos da vida.
Separar a tua tese da tua arte, seria separar-te.
Beijos grandes e sucesso.
Sander

Sander Machado · Porto Alegre, RS 9/1/2008 09:38
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Sandra Barros Ferreira
 

Celéia,
Não consegui ler o seu texto, não abriu... Continuarei tentando.
Beijos.

Sandra Barros Ferreira · Niterói, RJ 9/1/2008 18:27
sua opinião: subir
Nydia Bonetti
 

Celeia
Que trabalho bonito, que tema interessante!
O ator é o rastro do seu próprio apagamento...
Parabéns!
Abçs.

Nydia Bonetti · Piracaia, SP 9/1/2008 18:32
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
victorvapf
 

voto

victorvapf · Belo Horizonte, MG 9/1/2008 19:08
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Victor, obrigada por ter se apresentado! Vendo o número de votos e downloads crescer, fico aflita e minha curiosidade me devora. Não exatamente para saber qual a opinião (é claro que o comentário tem um valoor inestimável), mas para saber quem fez o clique generoso.
Ai, eu ainda trago muitas referências das "antigas" ou talvez por trabalhar com as artes cênicas - arte presencial, por natureza - não me adapto muito com esta relação anônima e exponencial do mundo da internet. Eu preciso da relação um-a-um. Preciso de um corpo, nem que seja um nome, um avatar, nem que seja virtual.
E Victor, você atendeu a este pedido. obrigada!

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 9/1/2008 20:33
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Mas é claro, que fico feliz com todos aqueles generosos que estão lendo meu trabalho e que querem continuar anônimos. obrigada Também!

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 9/1/2008 20:34
sua opinião: subir
victorvapf
 

Celeia, voce esta certissima, conte comigo, parabens! abrs.

victorvapf · Belo Horizonte, MG 9/1/2008 21:56
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Em público comentado, o apresentado ao público referido, não poderia deixar de voltar, votando, pra dizer-te do que artistas precisamos:
Bravo!

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 10/1/2008 00:57
sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Querida Celeia:
Saiba que agi da mesma forma, quando havia apenas 32 votos
beijos e abraços
do Joca Oeiras, o anjo andarilho

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 10/1/2008 02:02
sua opinião: subir
Sérgio Franck
 

Celeia, eu gostei muito de ler o seu texto. Incrível como as diferentes formas de escrever nos ensina tanto.

bjo.

Sérgio Franck · Belo Horizonte, MG 10/1/2008 15:11
sua opinião: subir
Lígia Saavedra
 

Celéia, seu texto mostra-me uma outra maneira de ver a Arte falando de uma teoria que quase desconheço.
Relerei até que os conceitos adentrem no meu pouco entendimento.

Um abraço

Lígia Saavedra · Ananindeua, PA 10/1/2008 20:34
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Lígia, fico feliz que meu texto pode te suscitar novos pensamentos. O que você achar difícil de compreender, me questione, pois um texto truncado não é um bom sinal. Mesmo, e principalmente, para um trabalho acadêmico.

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 10/1/2008 20:48
sua opinião: subir
Sandra Barros Ferreira
 

Olá Celéia,
Hoje, num momento de distanciamento necessário da escrita do meu trabalho, consegui abrir o seu texto e ler.
Fiquei com algumas questões que depois poderíamos até conversar pessoalmente. Gostei da forma como você trata o conceito de representação, que é muito difícil e problemático. Sobre a situação "entre" vivida pelo ator, achei rica e interessante.
Vi que você utilizou o Hall como referência, valeu.
Celéia, será possível a arte abarcar a pluralidade de sentidos? Não será ela também uma edição? tenho mais a conversar...
Parabéns pelo seu texto. Está muito bem escrito.
Beijos, Sandra.

Sandra Barros Ferreira · Niterói, RJ 24/1/2008 11:40
sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Queridas Sandra e Celeia:
Sandra disse:"!Fiquei com algumas questões que depois poderíamos até conversar pessoalmente". Porque isto de pessoalmente? É fofoca de comadre ou receita de bolo?
Pelo que entendi, muito longe disso, trata-se de questões pertinentes à reflexão da Celeia. Por isto eu proponho: Vamos organizar esta discussão, não apenas pessoalmente, mas aqui nas páginas do overmundo. O que? Vc acha que ninguém se interessaria? Quer apostar?
beijos e abraços
do Joca Oeiras, o anjo andarilho

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 24/1/2008 12:12
sua opinião: subir
Mauro Tolotti
 

voto.

Mauro Tolotti · Rio de Janeiro, RJ 24/1/2008 23:16
sua opinião: subir
Mauro Tolotti
 

Pois é Joca...é fofoca de comadre... é receita de bolo...é a presença que pede passagem...somos da antiga...o que fazer? mas concordo que este é um espaço muito rico para uma discussão.
Quanto à questão da Sandra, penso que a arte é sempre a elaboração e a ação de alguém e por isto é uma edição, uma perspectiva, um modo de ver e representar.
Se abarca a pluralidade dos sentidos? puxa! aí teria que pensar em que sentido rsrs! de imediato, minha resposta seria que a arte tem o poder de, ao tranformar em imagem, dar um sentido à pluralidade, de capturá-la , de presentificá-la.
E está aberto o debate!

Mauro Tolotti · Rio de Janeiro, RJ 24/1/2008 23:28
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

queridos, este comentário aí de cima é meu! Meu marido aproveitou que sai do computador alguns minutos e logou para votar no texto do meu irmão e deixou logado.
Eu achei que estava no meu pefil, tentei apagar o comentário, mas não consegui. Bom está feita a confusão! vou copiá-lo com meu perfil!

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 24/1/2008 23:35
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Pois é Joca...é fofoca de comadre... é receita de bolo...é a presença que pede passagem...somos da antiga...o que fazer? mas concordo que este é um espaço muito rico para uma discussão.
Quanto à questão da Sandra, penso que a arte é sempre a elaboração e a ação de alguém e por isto é uma edição, uma perspectiva, um modo de ver e representar.
Se abarca a pluralidade dos sentidos? puxa! aí teria que pensar em que sentido rsrs! de imediato, minha resposta seria que a arte tem o poder de, ao tranformar em imagem, dar um sentido à pluralidade, de capturá-la , de presentificá-la.
E está aberto o debate!

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 24/1/2008 23:36
sua opinião: subir
Sandra Barros Ferreira
 

Joca, como disse Celéia, "somos da antiga", "o que fazer"...
Não sou nativa da cibercultura, ainda estou presa a conversa pessoal, olhos nos olhos... Mas estou aberta a novos desafios... já que Celéia autorizou, continuaremos o debate!
Na verdade, tenho dúvidas se na arte os vários sentidos do símbolo estão presentes, por isso não sei se é possível abarcar a pluralidade de sentidos. Quanto a imagem, acho que também é uma edição. Em relação ao que foi dito sobre a palavra, não temos a dimensão do sentido que o outro está atribuindo ao que dissemos. Numa visão Bakhtiniana, a palavra contem as vozes do mundo, como pode ser uma redução?
Está no ar a "fofoca de comadre" !

Sandra Barros Ferreira · Niterói, RJ 26/1/2008 19:17
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Celeia Machado · Rio de Janeiro (RJ)

Parabéns pelo grandeTrabalho.

.....compor uma identidade de natureza poética, inquirir qual o estatuto desta identidade e quais relações que agencia com o mundo subjetivo e com os pertencimentos sociais do ator.

Valeu.
Receba nossa admiracáo,exaltacáo e voto.

azuirfilho · Campinas, SP 14/3/2008 11:14
sua opinião: subir
Celeia Machado
 

Oi Azuir, fiquei super feliz que você pretigiou meu trabalho.

Celeia Machado · Rio de Janeiro, RJ 15/3/2008 00:06
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados