Imagináveis flores irrigadas por inimagináveis raios de Luz da cor invisível

foto do autor.
1
André Teixeira · Aracaju, SE
4/9/2008 · 116 · 11
 

Imagináveis flores irrigadas por inimagináveis raios de Luz da cor invisível



Imaginável apenas pelo inimaginável,

a noite estende-se na pele

como um dia transformado em muitos

dias.



Inefavibilidades escorrem qual suco

pelos rios tortuosamente doces nascidos em seivas

minadas dos gozos que se acotovelam p'ra sair

e saem qual bando de ciorentas estrelas

inorteáveis,

pois são muitas, e eu, apenas um, pouco

para tanto... e não paro!



Guiado por sua Luz,

rumo o barco nas ondas imateriais que arrebentam

por dentro - 1.9891 × 1030 kg

pesa o sonho em fusão à carne

que cede cheia de sede -

seda que embala os ventos dos meus moinhos.



Empino a alma qual menino uma pipa

embalando-a em ventos solares que patinam sobre

a lua tatuada em meu peito,

sob a raiz de minha raiz em nuvens

de cores invisivelmente mudas,

que gritam com os olhos e beijos a seiva, o céu, o sol, a pele

imaginados apenas pelo inimaginado.

Sobre a obra

poema sentido hoje, 01.09.2008, embebido em doces e doses de beijos da amada.

Foto de minha autoria, no site Flickr: Flor no jardim de pedras 3

Tirada com uma Kodak EasyShare C613 Zoom, em 31 de agosto de 2008

compartilhe



informaes

Autoria
André Teixeira
Ficha tcnica
Foto de minha autoria, no site Flickr: Flor no jardim de pedras 3

Tirada com uma Kodak EasyShare C613 Zoom, em 31.08.
Downloads
479 downloads

comentrios feed

+ comentar
André Teixeira
 

Cara Aglacy,

Tua sugestão para edição está certa! Falta um 's'. Mas o comentário que fizeste: "Em compensação, sobra gás na metáfora. Aliás, não sobra; está na medida." Fez esse aqui parir mais um desgarrado rebanho de letras:


Qual é a medida certa para o combustível da poesia?

Sobram metáforas
na enchente de sentires
que se desdobram letras
dessa poesia de ontem
a construir ponte para a de hoje.

Medidas lastreáveis por
inmedidas,
meço a kilometragem etérea que o não-dizer
traça no espírito cada vez menos agrimensurável:
nessa topografia invisível
a literatura e a gramática
quantificam apenas o dizível e o mostrável,
pois, o que passeia em revoadas de banquetes abstratos
nas cardiomultiplurivias,
é a carne dessa poesia que é seu próprio combustível
a alimentar uma fogueira de fogueiras
- faróis quentes para estrelas frias –
dança de ouroboros em finas
melodias.

Pesar, quantificar, aferir...
quantas linhas e entrelinhas
para a alma traduzir?
quantos quilos de espírito colhidos valem um ramalhete de flores?

Não sei!
só sei dos meus bálsamos e das minhas inanestesiáveis
dores.

=================

GRANDE abraço!!!

André Teixeira · Aracaju, SE 2/9/2008 11:33
sua opinio: subir
Coluna do Domingos
 

Muita inspiraçaõ poética. Parabéns

Coluna do Domingos · Aurora, CE 3/9/2008 13:13
sua opinio: subir
Aglacy
 

E o seu "Qual é a medida certa para o combustível da poesia?" provocou meu "desmedida", que está na fila de edição.
Assim as filas andam.

Abraço.

Aglacy · Aracaju, SE 3/9/2008 19:14
sua opinio: subir
azuirfilho
 

André Teixeira · Aracaju (SE) ·
Imagináveis flores irrigadas por inimagináveis raios de Luz da cor invisível

Um Trabalho também teatral.
Uma Ópera incrível.

de cores invisivelmente mudas,
que gritam com os olhos e beijos a seiva, o céu, o sol, a pele
imaginados apenas pelo inimaginado.

Parabéns .
Abracáo Amigo.
PS- (Desculpas Meu Micro náo tem til, cedilha e acentos).

azuirfilho · Campinas, SP 3/9/2008 23:40
sua opinio: subir
Saramar
 

André, como bem definiu Azuir, "uma ópera", canto em allegro de "ciorentas estrelas inorteáveis".
Para que norte se há beijos da pessoa amada, ainda que imaginados?

Lindíssimo!

Saramar · Goiânia, GO 4/9/2008 00:03
sua opinio: subir
Doroni Hilgenberg
 

André
Quanta inspiração sem medida
perante essa alma
que envolta em beleza e mistério,
torna-se indiscritivel, como a flor
que nasce num jardim de pedras.
bjsssssss

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 4/9/2008 00:14
sua opinio: subir
Agassi
 

Votado meu caro!!!
Trabalho muito interessante e belo!
"Cores mudas e luas tatuadas neste jardim de pedras ovaladas onde, vezes sempre, roda meu coração!"
Abraços!

Agassi · Caraguatatuba, SP 4/9/2008 10:55
sua opinio: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

muito bom. votado.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 4/9/2008 12:04
sua opinio: subir
Ailuj
 

Um beijo e publicado seu belo texto e bela imagem

Ailuj · Niterói, RJ 4/9/2008 16:53
sua opinio: subir
Francinne Amarante
 

andré,
belíssimo poema!
beijo.

Francinne Amarante · Brasília, DF 7/9/2008 00:39
sua opinio: subir
Nydia Bonetti
 

Lindo demais, André. Lindo...
beijo!

Nydia Bonetti · Piracaia, SP 15/9/2008 21:00
sua opinio: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faa primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Voc conhece a Revista Overmundo? Baixe j no seu iPad ou em formato PDF -- grtis!

+conhea agora

overmixter

feed

No Overmixter voc encontra samples, vocais e remixes em licenas livres. Confira os mais votados, ou envie seu prprio remix!

+conhea o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados