Jazigo de Amor

1
Cau Santana · Barreiras, BA
29/5/2011 · 3 · 11
 

Jazigo de Amor

Jaz no tempo forte tormento
Embevecido de nua saudade
De amores que amei em verdade
Numa solidão de triste lamento.

Brota entorpecido sentimento
Rogando teu amor por caridade
- Perdão meu amor, tende piedade!
Me ame mesmo que em pensamento.

Humilho-me a ti eternamente
Sem temer imprevisível futuro
Busco na noite um sonho clemente

Carícias de um amor que juro
Seu vulto a me tocar ardentemente
Afaga em meu peito amor tão puro.

Sobre a obra

Os tormentos da alma face ao amor

compartilhe



informações

Autoria
Claudia Saores Santana Lopes
Downloads
193 downloads

comentários feed

+ comentar
LAURO WINCK
 

Belo poema, estás cada vez melhor. Prometo que vou achar um tempo para acompanhar seus belos poemas.
bjs

LAURO WINCK · Rio Pardo, RS 27/5/2011 21:27
sua opinião: subir
alcanu
 

Poesia carinhosa e agradável !
Um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 28/5/2011 03:34
sua opinião: subir
Sihmoneh Maia
 

Certos sentimentos (especialmente o amor) são indeléveis tanto à memória, quanto ao tempo e ao nosso coração. Não importa quantos foram. Todos deixam sua marca.
E é certo que um deles (dos amores) sempre deixa uma marca mais profunda que a dos outros - seja por ter sido mais intenso, seja por ter sido mais compactuado ou mais bem intencionado, puro.
Quando a solidão impera, tais marcas - como cicatrizes - parecem voltar a abrir - e o sangue, dantes estancado, parece voltar a jorrar dentro do peito.
O elixir para isso? O choro. O poema. O desabafo. A arte. A criação.
Só assim o que parece "morto" em nós volta a ganhar "vida", uma vida diferente, consciente do seu lugar, que é o passado, que é a beleza do "já ter sido".
Lindo poema, querida!
Adorei... : ]

Sihmoneh Maia · Santo André, SP 28/5/2011 07:33
sua opinião: subir
Wellington Coelho
 

"Humilho-me a ti eternamente
Sem temer imprevisível futuro"

Este sim é o amor que leva à morte,
das possibilidades com outro,
ou seja ao jazigo, onde só ficarão as lembranças das flores. Mas como disse a Sihmoneh, a arte pode curar e até, quem sabe, ressuscitar.
Abração

Wellington Coelho · Belo Horizonte, MG 28/5/2011 07:52
sua opinião: subir
DECRÉPITA BÚSSOLA
 

OLÁ... VENHO À SEU CONVITE !!! TEU POEMA REFLETE O QUE HÁ DE MAIS LATENTE NO SER QUE AMOU E QUE AMA, MAS , QUE POR ALGUMA RAZÃO, NÃO TEM CONSIGO O DESTINATÁRIO DESTE AMOR...ENTÃO, O QUE FICA??? -SAUDADE... AQUELA SAUDADE SUFOCANTE ATÉ!!! AQUELE DESEJO DE PODER REVIVER NOVAMENTE, UM PASSADO LINDO E MARCADO PROFUNDAMENTE POR UM AMOR (DIFERENTE)!!! AINDA ASSIM, PENSO QUE A ANGÚSTIA DE UMA PERDA, NÃO PODE SER MAIOR QUE A ALEGRIA DE UM DIA SE TER POSSUIDO!!!PARABENS PELO POEMA E OBRIGADO PELO CONVITE !!! BOA TARDE

DECRÉPITA BÚSSOLA · Caçapava, SP 28/5/2011 15:03
sua opinião: subir
Zeca Avelar
 

Menina Cau...

Seu soneto onde os sentimentos se 'desvestem'
e assim se desvestindo e em peles nuas
deixam à mostra as feridas não cicatrizadas
por onde ainda o sangue jorra em borbotões
sob o riso nefando e mórbido das saudades
que em harém casada com todas as Solidões!

Espera a Vida e o Amor, que transbordante
em seu peito em jazigo - vivo que pela Arte
ou pelos choros, ou em desabafos incontidos,
como bem disse u'a Menina e seu saber Poético
aos poucos vá se tornando passado esse sofrer
que fere o corpo... corrói a Alma e todo seu SER!
...

Amei... Amei... Amei-Te !!!

Karinhos Kentinhos
Zeca Feliz Avelar = um simples Zé
gaDs!

Zeca Avelar · Florianópolis, SC 29/5/2011 13:03
sua opinião: subir
Débora Maria Macedo
 

Não sou muito de poemas, são como riachos.
Gosto de contos, são como o mar.
Alguns poemas são sofridos, como o seu. Os sofrimentos me atormentam, talvez por isso evite poemas.
Mas ainda assim, o incômodo mostra uma resposta.
Longe do "muito bom, muito belo, muito bem", obrigada por me desconfortar.

Débora Maria Macedo · São Paulo, SP 29/5/2011 15:15
sua opinião: subir
Débora Maria Macedo
 

O Overmundo pede pautas para a 2ª edição de sua revista. O tema é “fronteiras”. Quem escreve aqui quantas existem nesse espaço de convivência. Existe um mundo de maravilhas que não vemos, lemos, ouvimos, sentimos, simplesmente porque não conseguimos encontrá-las.
Constantemente enviamos mensagens uns aos outros solicitando visitar, votos e comentários. Claro, o retorno é um consolo, um meio de assegurar que não falamos ao vazio. Mas agora, sugiro aos amigos que indiquem em forma de lista trabalhos de outros, que, de certa forma vocês acreditam que devem ser admirados. Vamos transpor essas fronteiras!

El Pajaro Rujj•http://www.overmundo.com.br/banco/eu-sou-um-livro (EDIÇÃO COLABORATIVA, CORRE LÁ!)
Vinícius Motta http://www.overmundo.com.br/banco/mentira-2
Cátia Garcez http://www.overmundo.com.br/overblog/a-cultura-em-sao-sebastiao-do-passe-bahia-1
Jonne http://www.overmundo.com.br/banco/danca-de-salao#-banco-46123
Deyvson: http://www.overmundo.com.br/banco/sr-portugues-o-perfeito#-banco-45793
Deyvson http://www.overmundo.com.br/banco/razoes-2 (EDIÇÃO COLABORATIVA, CORRE LÁ!)
Sihmoneh Maia http://www.overmundo.com.br/banco/atras-da-porta-de-ferro
Jurandir Barbosa http://www.overmundo.com.br/banco/atrito-anarquico-romantico#-banco-45076
Wellington Coelho http://www.overmundo.com.br/banco/veredicto (EDIÇÃO COLABORATIVA, CORRE LÁ!)
Selva Rodrigues http://www.overmundo.com.br/banco/frouxetudinalidadeamento-cientifico
wam nick http://www.overmundo.com.br/banco/tua-graca
Wuldson Marcelo http://www.overmundo.com.br/banco/bem-nascido
Antonio Brás Constante (Escritor maluco) •http://www.overmundo.com.br/banco/estrangeirismos-os-estrangeiros-somos-nos#-banco-46110

Débora Maria Macedo · São Paulo, SP 29/5/2011 16:47
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Ah o amor, por mais que queiramos sepultá-lo, ele nunca morre compelatmente, sempre fica aquele residuo a trazer lembranças de algo belo e puro, que já não se tem mas que se deseja ardentemente. bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 29/5/2011 21:24
sua opinião: subir
Branca Pires
 

Apesar de seputarmos alguns amores, vez e outra os trazemos do jazigo das nossas lembranças. Ainda que seja com a alma atormentada pela sua história.
Bendito o amor, bendito os verso e bendita a poesia que nos faz transceder atodos os jazigos.
Beijos

Branca Pires · Aracaju, SE 2/6/2011 07:19
sua opinião: subir
Ivan Cezar
 

De joelhos - assim se posta quem ama ...Belos versos.
Ando super ausente, porque meu trabalho me suga o tempo.Bjs aqui do sul

Ivan Cezar · São Sepé, RS 2/7/2011 14:00
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 2 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados