Mádida e Breve

1
Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7 · Teresina, PI
26/1/2009 · 139 · 18
 

Mádida e Breve

D'outrora, desvelas lufadas, a sobressalto...
Que fostes tu, por fim esperas?
Dar-te ao desvario em pranto indesejado:
Pois em névoa já fostes primavera.

Lençóis errantes, embalde por ti supera.
Enquanto poeira, te esquera tempos atrás,
D'outrora o que foste tu, brisa esmera:
Interminadas velas, revêem o que te refaz...

Não tão tarde, já de ruínas és brilho e perfumado.
Manto que se decorre a reluzir um canto, inda repete...
D'onde então vieste, se sobressalto?

Do que fui, nem que da flor já me fere,
S'enfim, mesmo que alvo não se espaça,
S'em mim recolhe-se e acorda, como quem já se despede...

(Dyego Lisboa)

compartilhe



informações

Autoria
Dyego Lisboa
Downloads
286 downloads

comentários feed

+ comentar
raphaelreys
 

Sua métrica de repente me faz lembrar o grande mestre Castro Alves! Beleza de divagação meu caro poeta! Meu voto e meu abraço!

raphaelreys · Montes Claros, MG 26/1/2009 05:25
sua opinião: subir
victorvapf
 

Beleza amigo, parabens, votado tambem,

victorvapf · Belo Horizonte, MG 26/1/2009 09:28
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7 · Teresina (PI)
Mádida e Breve

No seu Sentimento o respeito e apoio da nossa Amizade.
Um soneto muito bem feito cheio de amor e beleza.
Há uma energia presente, mas há dor.
Há uma capacidade grande de expressáo.
Há a marca do Amigo Dyego Poeta.
Maior alegria ve-lo na sua forca criativa.
Parabéns.
Abracáo Amigo

azuirfilho · Campinas, SP 26/1/2009 10:09
sua opinião: subir
Benny Franklin
 

poema com grande !
parabéns!

Benny Franklin · Belém, PA 26/1/2009 10:21
sua opinião: subir
Raiblue
 

oie,Dy,querido!
O ritmo desse seu poema é deslumbrante!!!

Um soneto belíssimo...digno dos grandes românticos!!!!

Do que fui, nem que da flor já me fere,
S'enfim, mesmo que alvo não se espaça,
S'em mim recolhe-se e acorda, como quem já se despede...


Sublimes versos,querido!!!
Me emocionaram...parabéns!!!!!

bluebeijinhos
Blue

Raiblue · Salvador, BA 26/1/2009 12:35
sua opinião: subir
raphaelreys
 

Meus votos e meus abraços!

raphaelreys · Montes Claros, MG 26/1/2009 15:39
sua opinião: subir
  Gorete
 

Dyego!
Eu me emocionei ao ler seus versos!
Concordo com o nosso amigo Raphael; vc nos lembra o grande Castro Alves!
Além de belíssimos, são infinitamente tristes!
Obgada pelo presente meu amigo! Senti-me honrada ao lê-los!
Voto e deixo meu abraço!!

Gorete · Ipatinga, MG 26/1/2009 15:52
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

Hermético, mas escrito com competência...

Juscelino Mendes · Campinas, SP 26/1/2009 16:38
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

A capacidade de lidar com as palavras de Dyego Lisboa aliada ao conhecimento da língua e a facilidade de tratar com a escrita faz
dele uma sombra dos grandes poetas do passado, furando o presente
com o mesmo brilho.
Pode-se dizer que em Dyego Lisboa encontra-se mesmo, acho que a propósito, o passado e o presente ali - lado a lado - um enfeitando o outro, num desejo de recordação, voluntária ou involuntariamente.
parabens,
andre

Andre Pessego · São Paulo, SP 26/1/2009 21:21
sua opinião: subir
ayruman
 

Oi. Desculpe a pressa... Votado.
Luz e Paz. Abraços. jbconrado

ayruman · Cuiabá, MT 27/1/2009 10:53
sua opinião: subir
crispinga
 

Essa capacidade, de destrinchar a alma humana e seus mais recônditos segredos, transformando-os em versos. Para mim, seus versos são referências à Fernando Pessoa. Muito bonitos.

crispinga · Nova Friburgo, RJ 27/1/2009 13:42
sua opinião: subir
Marcos Pontes
 

Poema duro em sua linguagem dantanho e doutrora. Duro por ser hermético, não pela falta de jeito, muito pelo contrário. Competentíssima construção.

Marcos Pontes · Eunápolis, BA 28/1/2009 19:36
sua opinião: subir
Juliaura
 

Divino foi entender que já se ia quem nem ficara o tanto que pudera.

Juliaura · Porto Alegre, RS 28/1/2009 21:17
sua opinião: subir
Flávio Guedes  - Pensamento Livre
 

Estive off por uns dias, mas volte e como não poderia deixar de ser, venho te visitar e certeiramente, pois lendo teu poema viajei liricamente, dolorosamente, e cheio de prazer por teu interior exteriorizado no texto. Abraço!

Flávio Guedes - Pensamento Livre · Oeiras, PI 30/1/2009 20:31
sua opinião: subir
Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7
 

Encantado, Juliaura...
...7_7

Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7 · Teresina, PI 30/1/2009 21:35
sua opinião: subir
Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7
 

Aproveitando,
Gostaria (mesmo sem palavras) de agradecer aos votos
e comentários de todos, que Tão grandes escritores, poetas,
estiveram cá presente...

Raphael Reys; Victor V; Azuir Filho; Benny F; Raiblue;
Gorete; Juscelino M; André P; Ayruman; Crispinga;
Náthima Danel; Marcos P; - novamente - Juliaura e Flávio Guedes...

Enormemente grato...

Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7 · Teresina, PI 30/1/2009 21:42
sua opinião: subir
rosa melo
 

Diego, sua poesia caminha cada dia mais aprimorada!
Prazer ser sua leitora.

rosa melo · Pio IX, PI 31/1/2009 16:54
sua opinião: subir
Pedro Monteiro
 

Dyego.
Também apareci por aqui para prestigiar teu trabalho e saborear tua poesia.
Abraços Campomaiorense.

Pedro Monteiro · São Paulo, SP 2/2/2009 22:48
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 2 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados