Maldição

1
Ana Beise · Porto Alegre, RS
15/10/2008 · 74 · 6
 

Meus olhos estão cansados
De esperar uma nova imagem
Se formar a minha frente.
Mas ao que me consta
Nada muda por aqui.

Tudo é tão constante
E ao mesmo tempo
Não me restam certezas.

Não digo que é mais um fim do mundo
Mas algo de ruim se aproxima
Queria uma chance de mudar
Mas quanto mais caminho
Mais pesado fica o ar.

Existem luzes tão ofuscantes
Deste lado do precipício
Não tenho certeza se são estrelas
Simples cometas
Ou apenas o fim do meu principio.

Mas as luzes me cegam
Me tomam, enganam
E me irritam
De maneira tal
Que quase não posso suportar.

O ar me falta às vezes
Como se houvesse uma grande mão
A pressionar meu peito
Tentando tirar de mim
As últimas chances de alegria que me restam.

Maldita agonia que me deixa assim
Transtornada e irradiando fúria.
Tenho a sensação que conseguiria
Explodir o mundo
Apenas com a força de meus dedos.

Maldito! Maldito!
Maldito o caminho que escolhi
Maldito esse dom
Que não sei se é dom ou desespero
Maldita essa mania que tenho
De tentar transformar tudo em poesia.

compartilhe



informações

Autoria
Ana Beise
Downloads
270 downloads

comentários feed

+ comentar
José
 

Que o mundo se exploda!!
Agradecido, José

José · Criciúma, SC 6/5/2007 10:10
sua opinião: subir
Ana Beise
 

Nossa, esse poema é antigo, tem pelo menos uns quatro anos... Nem sei porque postei, mas me sinto bem com ele, escri-o depois que uma pessoa me disse que escrever não leva ninguém a lugar algum, que é uma grande besteira. Ai fiquei um tempão deprimida, joguei todas as minhas coisas fora... Depois me arrependi e resolvi que ninguém mais iria me deixar mal, principalmente quando falassem mal da minha poesia, afinal, tem louco pra tudo, e se eu gosto, com certeza mais alguém vai gostar! Valeu por ter lido!
Beijinho, Aninha.

Ana Beise · Porto Alegre, RS 7/5/2007 12:37
sua opinião: subir
José
 

Oi, Aninha!
Sou seu admirador... Suas letras são fortes, nuas e cruas vai no âmago e revela a verdade... Seus versos tem vida...
Um beijinho doce...
José

José · Criciúma, SC 7/5/2007 16:01
sua opinião: subir
Pedro Vianna
 

"Tudo é tão constante
E ao mesmo tempo
Não me restam certezas."

Adorei isso Ana. É o cúmulo do desespero, nem mesmo o tédio traz algum conforto. Ótima imagem.

http://textormento.blogspot.com/

Pedro Vianna · Belém, PA 10/5/2007 11:07
sua opinião: subir
Ana Beise
 

É, as vezes acontece...
Valeu por ter lido,
Aninha.

Ana Beise · Porto Alegre, RS 10/5/2007 15:53
sua opinião: subir
carlos magno
 

Beleza de poema, bendita poesia.maravilhosa, parabéns.
Carlos Magno.

carlos magno · Rio de Janeiro, RJ 10/5/2007 20:40
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados