Na trilha dos "cinquenta"

1
anamineira · Alvinópolis, MG
20/3/2009 · 71 · 13
 

Foi só um zumbido para me despertar.
E mal sabia a dona do zumbido que era disso que eu estava precisando: despertar.
Coçei os olhos, olhei o quarto aconchegante do chalé, levantei.

Abri a janela, desci as escadas procurando por algo, talvez uma estrada.
Resolvi caminhar pela trilha.
Desde que percorri aquela trilha pela primeira vez, algo mudou dentro de mim.
Voltei nela ontem pela tardinha.
Achei-a sinistra. Tinha chovido, o chão, bem cuidado, de terra batida, estava ainda molhado e frio.
Haviam pingos nas folhas dos bambus, arrepiei.

Incrível como aquela trilha mostrava passos. Meus?
Cada lugar que eu passava, ficava atenta.
Até um simples cipó, emaranhado nos bambus, queria me dizer algo.
Dizia e eu escutava.
Meu coração ofegante concordava.

Senti que o universo daquele lugar, onde folhas, teias de aranhas, tocas de coelho, ninhos de passarinhos, até um broto de bambu que despontava do solo, todos, todos, queriam entrar no meu universo e mostrar a minha trilha.

Então olhei para trás, vi uma estrada, diversas encruzilhadas, onde optei por caminhos desconhecidos.
Alguns com muitos obstáculos.
AH! Esses aprendi a retirar algumas pedras, levantar dos tombos que levei. Valeu, valeu!

E agora? Estou na trilha dos cinquenta anos.
Descobri que não quero ficar com o pé no chão.

Um passarinho me contou, na trilha da minha chácara, que voar é lindo, para eu não desistir nunca.
Ainda deu-me um conselho:
---Chega lá em baixo só para se energizar na terra, bom mesmo é seguir... de encontro ao infinito.

Voltei mais leve. Vou me aconchegar debaixo das minhas cobertas, com meu bem querer.
Só não quero outro beijo de muriçoca.

compartilhe



informações

Autoria
Anamineira
Downloads
299 downloads

comentários feed

+ comentar
Onivaldo Paiva
 

Li em algum lugar que o que importa não é a chegada e sim a maneira de viajar. É não ficar de olhos fechados para os encantos do caminho.
E eu acrescento: e aprender com os tombos, e ficar mais resistente com a dor sofrida, pois um galho de árvore, onde trinca, se recupera, forma um calombo e ali fica mais forte.
Que passemos bem pela trilha dos cinquenta. A meta agora deve ser a trilha dos cem!
Voe, anamineira, mas não deixe de pisar a terra batida, de usufruir o frescor do orvalho, pois que frescor há ainda nesta trilha. E vê: não é sinistra: pode ter trechos sombrios, recantos obscuros, ainda não conhecidos...
Quanta coisa ainda há a explorar, experimentar, e quantas surpresas.
Quem sabe esta trilha a leve ao mar ou ao Paraíso?

Onivaldo Paiva · Uberlândia, MG 19/3/2009 02:55
sua opinião: subir
Branca Pires
 

Oi Ana, que bom é ler-te!
Pois é, o Onivaldo está certíssmo. Esse home é sábio, viu?
às vezes, precisamos de um pequeno "zumbido" para despertar os sentidos para vida. Ainda que nas própria trilhas. Chegar a essa trilha com serenidade, tranquilidade e sobretudo consciência, é para poucos. E você está nos mostrando que caminhar é preciso...
Caminhe sim por aí, "leve livre e solta". Nessa estrada, vale a pena!
Beijos querida!

Branca Pires · Aracaju, SE 19/3/2009 07:55
sua opinião: subir
anamineira
 

Onivaldo,
Seguirei seus sábios conselhos.
Agradecida.
Abraços,

anamineira · Alvinópolis, MG 19/3/2009 10:28
sua opinião: subir
anamineira
 

Branca, ando mesmo sumida.
Atravessando uma trilha complicada. Já, já rumo ao mar, como diz o Onivaldo. Brotou até sentimentos que me inspiraram a escrever, graças à Deus.
Seu comentário alegrou minha manhã.
Abraços,

anamineira · Alvinópolis, MG 19/3/2009 10:33
sua opinião: subir
danlima
 

ana,
que bom ter você de volta, e de quebra com um texto saboroso, leve e profundo ao mesmo tempo... é, a trilha dos cinquenta, assim como a trilha dos quarenta, dos trinta, assim como qualquer trilha, requer nosso olhar para dentro e pede meditação: afinal, o que é viver? afinal, quais são nossos caminhos? o que nos importa, afinal, neste nosso caminhar? é muito dificil, e sei que filosofar não vai resolver nossas questões do dia a dia, mas é sempre bom enveredar por estas trilhas, físicass ou mentais, e pondera\r, sopesar, questionar e buscar mudar, se preciso for... e relevar, relevar muitas coisas, e perdoar, perdoar demais, e amar sempre e desmedidamente, pois amar é única coisa que realmetne importa na vida... amar o amor swem medida e sem exigência de reciprocidade... e, claro, escrever belos textos como esse seu, que me adoça a alma e me alegra o coração.. beijos do mano alvinopolense e amigo do mundo. Danilo

danlima · Brasília, DF 19/3/2009 16:54
sua opinião: subir
anamineira
 

Querido Dan,
Até brotou um pingo d'água bem aqui, oh!!! No canto dos zóios.
Saudades das nossas trilhas em comum. Andamos juntos algumas vezes.
Agradecida pelo comentário.
Beijos

anamineira · Alvinópolis, MG 19/3/2009 17:06
sua opinião: subir
Saramar
 

Ana, que bom vê-la de volta.
Se a trilha for assim, cheia de reflexão e beleza, vamos todos, vamos juntos.

beijos

Saramar · Goiânia, GO 20/3/2009 00:54
sua opinião: subir
anamineira
 

Delícia sua presença, seu comentário.
Coração pulsando , na estrada da vida. Alegria! Alegria!
Abraços,

anamineira · Alvinópolis, MG 20/3/2009 10:54
sua opinião: subir
Branca Pires
 

De volta para a TRILHA!
beijos

Branca Pires · Aracaju, SE 20/3/2009 20:39
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

Como a natureza nos ensina , não ? !
Nossas marcas... nossos caminhos...
e chegar aos 50, 60, 70... olhar pra tras e nao ter
do que se arrepender.
Muriçoca ? é , dessas as vezes nao conseguimos nos livrar, rs

bjsssssssss;)

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 21/3/2009 06:42
sua opinião: subir
ayruman
 

Beijo de muriçoca não, mas ouvir a voz de Deus no canto dos passarinhos isso é puro merecimento minha amiga conterrânea das Gerais.
Saúde e Paz na Terra. jbconrado.

ayruman · Cuiabá, MT 9/8/2009 22:32
sua opinião: subir
Zemh Teixeira
 

Gostei. Acho que todos temos referências de trilhas comuns e especiais. A possibilidade de sentidos figurados é múltipla. O despertar sempre necessário... Parece que a agitação do mundo acaba por impor certa letargia. Nada como enveredar por certa trilha e crurtir a distanciação. abcs. Zemh

Zemh Teixeira · Belo Horizonte, MG 10/2/2013 15:03
sua opinião: subir
anamineira
 

Agradecida pelo comentário. Muito bom reler,depois de 06 anos, algo que a gente escreveu. Hoje são novas trillhas. Caminhos importantes, alguns até sem rumo. Gosto de surpresas lá na frente. Abração pra voce.

anamineira · Alvinópolis, MG 13/2/2013 14:16
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados