No "Terreno Baldio" você pode gritar!

Leonardo Nahoum  (Rock Symphony)
1
drigo · Belo Horizonte, MG
18/8/2008 · 94 · 6
 

Já se passaram 32 anos desde o lançamento do álbum de estréia do Terreno Baldio, formado em 1974.

O lendário grupo paulista era integrado por:
João Kurk, voz e percussão, Roberto Lazzarini, tecladista,
Joaquim Corrêa na bateria, João Ascenção, ex-baixista do Fush, que deixou a banda dando lugar ao Rodolfo Ayres, também baixista. Completando a formação, Mozart Mello como segundo vocal e guitarras.

Para os ouvintes familiares ao rock progressivo, o impacto do primeiro disco se dá pela excelência vocal de João Kurk, rara de se ouvir entre os progressistas brasileiros.

Kurk utiliza uma entonação característica: valendo-se de agudos surpreendentes, associados a uma estrutura musical muitas vezes densa, nunca antes experimentada no Brasil, fez do álbum um grande sucesso ao vivo.

Receberam o mérito de crítica em pesquisas realizadas pela Folha de São Paulo como os melhores do ano de 76, após terem se aprentado no famoso festival Banana Progressiva.

Faziam uma música conceitual, enfatizando a liberdade e a natureza. Na faixa título do álbum pode-se ouvir com total angústia e deleite o seguinte trecho:

“A solidão a todos vem; Pode ser, você se sinta esmagar; É mais difícil que morrer; Você vê que o terreno lá está; Guardando o que sobrou de paz; No terreno baldio você pode gritar”. Uma analogia à ditadura, à sociedade ultra-individualizada e à cidade de São Paulo, que já se mostrava sufocante e poluída na época.

A saída de João Ascenção se deu por motivos pessoais. O músico veio a participar em seguida do retorno dos Secos e Molhados em 78. Rodolfo Braga do Joelho de Porco o substituiu brilhantemente.

Talvez a sonoridade soasse sofisticada ou política demais para as emissoras de rádio, que começavam a apostar em uma nova onda de música eletrônica.

O mercado estava se fechando para o grupo, que chegou a gravar um álbum envolvendo o folclore nacional, chamado “Além das lendas brasileiras”, registrando ainda em 77 uma versão em inglês do primeiro vinil. A banda encerrou suas atividades em meados de 94.

Hoje Lazzarini trabalha como produtor, tendo gravado o disco Hips of Tradition de Tom Zé e arranjado músicas para nomes como Sá & Guarabira, Moreira da Silva e Tim Maia.

Mozart Mello (tocou com João Bosco, Marco Pereira, Zimbo Trio, Kiko Loureiro, Trio D'Alma com André Geraissati e Ulisses Rocha, etc) é um dos mais consagrados auto-didatas brasileiros e sem dúvida um dos maiores guitarristas de nossa história.

Rodolfo Ayres tocou com Joelho de Porco, The Jet Black's,Tony Dodd & Southbound e com Rex-Rox to name a few.

Joquim Corrêa dividiu estúdios e palcos com nomes consagrados tais como: Made in Brazil, Ronnie Von e Pete Dunaway.

João Kurk participou do Egydio Conde (ex-Moto Perpétuo e Som Nosso). Atualmente ele atua em projetos como "Rockover" e "DuoByrd" em Sampa.

Estes homens sem dúvida, fazem parte da "nata" do progressivo brasileiro. Estão entre os melhores do mundo, não há dúvidas sobre isto. Basta ouvir qualquer uma de suas melodias.

Maiores informações:

Portal do Rock Progressivo:
http://www.rockprogressivo.com.br/canais/bio/terreno.htm

Enciclopédia Colaborativa:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Terreno_baldio

Selo/Gravadora:
http://www.rocksymphony.com

Site do Rodolfo:
http://www.myspace.com/captaguirre

Site do Mozart:
http://www.mozartmello.com/

Site do Kurk:
http://www.kurk.com.br/

Sobre a obra

Introdução ao Terreno Baldio, um dos mais importantes grupos de Rock Progressivo brasileiros. Suas letras continuam atuais, sua sonoridade permanece surpreendente, até mesmo para os velhos ouvites do rock clássico, que por uma razão ou outra, não conheciam a banda.

compartilhe



informações

Autoria
Rodrigo de Araujo
Ficha técnica
Terreno Baldio era formado por:

João Kurk (Fusa) - Vocais e percussão
Joaquim Corrêa (Jô) - Bateria e percussão
Mozart Mello - Guitarra e vocais
Roberto Lazzarini - Teclados
Rodolfo Ayres Braga - Baixo (76-78)
João Ascenção - Baixo (76)
Downloads
469 downloads

comentários feed

+ comentar
Compulsão Diária
 

Drigo, drigo;)))
Achei!
Vctrouxe tudo e diz que voltou aos pouquinhos?!!
Túnel do tempo total.
mille baci

Compulsão Diária · São Paulo, SP 17/8/2008 05:06
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Compulsão Diária
 

não acredito no que vejo. pasma! Todos ali...Drigo!!
Nossa. loucura, loucura rsrs

Compulsão Diária · São Paulo, SP 17/8/2008 05:07
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
celina vasques
 

Meus votos e meu carinho!
Meu beijo no coração!

celina vasques · Manaus, AM 17/8/2008 10:59
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

sucesso amigo.votado.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 18/8/2008 11:10
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Ailuj
 

Muito bom Drigo
Publicado
Beijos e sucesso!

Ailuj · Niterói, RJ 18/8/2008 11:22
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
drigo
 

Apesar de meus tropeços, vejo que votaram com carinho. É difícil voltar aqui e notar que o Terreno Baldio merecia uma matéria ainda maior e rica em detalhes, mas não foi fácil resgatar estas informações.
Beijos e abraços!

drigo · Belo Horizonte, MG 1/9/2008 23:03
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

zoom
Esq. Rockover Dir. Show da Banda Terreno Baldio no Teatro Ruth Escobar em 1976. zoom
Esq. Rockover Dir. Show da Banda Terreno Baldio no Teatro Ruth Escobar em 1976.
baixar
pdf, 4 Kb

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados