Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

O Baile Funk Carioca - Hermano Vianna

1
Hermano Vianna · Rio de Janeiro, RJ
22/9/2006 · 389 · 46
 

Meu livro O Mundo Funk Carioca está esgotado há muito tempo. Culpa minha. Minha querida editora, Cristina Zahar, bem que tenta, todo ano, que eu escreva uma nova introdução para um relançamento. Ela tem toda razão: o baile funk carioca mudou radicalmente de 1988 (data da primeira edição) para hoje. Por exemplo: era 100% música importada, hoje é 100% música nacional. Ou: era totalmente desconhecido na Zona Sul... Etc. Mas não tive tempo até agora para a tarefa: é quase como escrever um outro livro... E como muita gente vive me cobrando o livro, enquanto não junto energias para a introdução, vai aqui um quebra-galho: o texto integral da dissertação de mestrado, intitulada O Baile Funk Carioca.

Demorei também para disponibilizar este texto aqui no Overmundo pois não tinha cópia digital. Marie Azambuja me ajudou a digitalizar. Tentei fazer uma revisão a mais cuidadosa possível, mas muito errinho deve ter escapado. Coloquei o número das páginas originais da dissertação assinaladas em vermelho na margem direita do PDF, para facilitar a vida de quem quiser citar (assim a citação vai se referir à versão que está depositada na biblioteca do PPGAS, Museu Nacional, UFRJ).

Como brinde, disponibilizo também, um outro arquivo (encontrável via a tag "o baile funk carioca hermano vianna") com as fotos que acho que até hoje só os membros da minha banca de mestrado viram. A qualidade é péssima (eu sou o autor...) Mas é um documento de época. Chamo atenção para as fotos da roda, dança que desapareceu dos bailes atuais.

Relendo tudo, tive a impressão de que tudo que escrevi depois é apenas um anexo para esta dissertação. E tenho certeza que o melhor dela são as epígrafes...

Divirtam-se!

PS: O Capítulo 1, mais teórico e cheio de citações em inglês e francês, pode ser pulado na boa por quem estiver com pressa de chegar logo ao baile.

compartilhe



informações

Autoria
Hermano Vianna
Ficha técnica
Está lá nos Agradecimentos
Downloads
13389 downloads

comentários feed

+ comentar
Marcelo Rangel
 

Excelente, Hermano, já me perguntaram muito se seus livros estavam aqui também. Só não achei o arquivo das fotos.
Abraço!!

Marcelo Rangel · Aracaju, SE 20/9/2006 14:45
sua opinião: subir
Lorena Dantas
 

Que bom que disponibilizou sua dissertação. Fui informada por um amigo meu da faculdade, que trabalha no Overmundo e sabe de meu interesse- Viktor Chagas - que você iria por o texto aqui, fiquei esperando pacientemente... e enfim poderei lê-lo. Minha pesquisa de fim de curso é sobre a sociedade e os bailes funk, utilizando como viés as mulheres no baile... ainda está em elaboração.
Obrigada pelo primoroso documento. Um abraço.

Lorena Dantas · Rio de Janeiro, RJ 21/9/2006 11:01
sua opinião: subir
Marcelo Rangel
 

Já achei as fotos!!!

Marcelo Rangel · Aracaju, SE 21/9/2006 13:46
sua opinião: subir
ronaldo lemos
 

Finalmente! Daqui uns dias vai ser a vez do meu livro (Direito, Tecnologia e Cultura) ser postado aqui. E vamos nessa.

ronaldo lemos · Rio de Janeiro, RJ 22/9/2006 21:52
sua opinião: subir
eduardo ferreira
 

beleza hermano. há tempos queria adquirir esse seu trabalho. ronaldo, aviso aqui também que logo logo estarei disponibilizando aqui a novela que acabei de lançar : eunóia.

eduardo ferreira · Cuiabá, MT 23/9/2006 17:34
sua opinião: subir
Ricardo Sabóia
 

Pronto, acabou-se a busca desesperada em sebos (ô livro difícil de achar!), as fotocópias passadas de mão em mão!
Ótima notícia!

Ricardo Sabóia · Fortaleza, CE 23/9/2006 23:34
sua opinião: subir
Eduardo EGS
 

Fico realmente empolgado com essa quantidade de livros postados. A coisa tá ficando boa!

Quero disponibilizar em breve a minha monografia por aqui. Uma hora vai!

Eduardo EGS · Porto Alegre, RS 25/9/2006 21:27
sua opinião: subir
dansudansu
 

Legal, Hermano. Eu me lembro de ter lido o livro na faculdade, numa cadeira de antropologia perdida no meio das jurídicas. Foi inclusive o objeto da avaliação final da disciplina. Na época achei tudo muito louco. Passados uns oito anos, acho ainda mais. O baile deve ter mudado, mas o texto não perdeu o charme, digo, o funk. Excelente contribuição para a parte de livros do site (que só faz melhorar mesmo)! Abs!

dansudansu · Rio de Janeiro, RJ 26/9/2006 14:25
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

Hermano, que barato! Eu estava atrás desse teu livro há tempos! Obrigado por esse presentão!

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 30/9/2006 14:58
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
achr
 

Muito bom, o livro e o anexo das fotos. Me pareceu bem familiar com os bailes blacks sulistas. As vestimentas (anos 80), me recordei de cara da minha infância dos bailes do Jara musisom, jogos de luzes e as paredes de caixas de som, parabéns.
abraço

achr · Porto Alegre, RS 16/10/2006 02:54
sua opinião: subir
Roberto Maxwell
 

Eu tenho... Hahahaha. MAs, ficou no Brasil. Impressionante como o funk carioca gera interesses. Fiz um documentario em 2001 e ateh hoje o documentario eh requisitado para exibicoes. Na verdade, acho que ultimanente bem mais requisitado que na epoca do lancamento. Coloquei o video no YouTube e descobri depois ele linkado ateh num programa de um curso de musica de uma universidade estrangeira. Recentemente, entrevistei para uma materia num jornal local uma funkeira japonesa. Na verdade, ela faz uma musica em que o funk carioca eh uma das influencias. Pensei em posta--la aqui, mas nao sei se rola pq ela nao eh brasileira... O que acham?

Roberto Maxwell · Japão , WW 9/11/2006 12:29
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Hermano Vianna
 

rola sim, Roberto - fiquei bem curioso!

Hermano Vianna · Rio de Janeiro, RJ 9/11/2006 12:32
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Monique
 

Hermano, valeu por publicar seu trabalho!!!!!!!!!
Agora vou esperar o livro. Estou dependendo dele p/ começar meu trabalho de graduação.
Bjs!!!!!!!!!

Monique · Vila Velha, ES 9/11/2006 14:02
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Roberto Maxwell
 

A entrevista esta na sala de edicao.

Roberto Maxwell · Japão , WW 9/11/2006 15:09
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Henrique Cairus
 

sempre indico esse teu texto para todos, e eu mesmo só tinha uma cópia tosca. Muito obrigado por esse presente.
Um abraço!

Henrique Cairus · Rio de Janeiro, RJ 23/12/2006 22:23
sua opinião: subir
Solange, tô aberta!
 

valeu por disponibilizar sua dissertação.
abçs.

Solange, tô aberta! · Salvador, BA 10/2/2007 13:44
sua opinião: subir
Bruna Célia
 

Poxa! Amei sua atitude. Como assim, disponibilizar um livro? UM máximo... quem dera se os autores que preciso citar em meus artigos fizessem isso. Fico aqui, procurando, procurando e esperando minha poupança aumentar para conseguir comprar todos... Parabéns de verdade! Um máximo!

Bruna Célia · Goiânia, GO 7/5/2007 00:45
sua opinião: subir
marcio rufino
 

Não adianta ter preconceito contra o funk. Ele é a identidade do Rio de Janeiro assim como o samba.
Um grande abraço, Hermano.

marcio rufino · Belford Roxo, RJ 31/5/2007 18:18
sua opinião: subir
Guto Mello
 

Belo livro Gostei !!!

Guto Mello · Niterói, RJ 18/6/2007 18:36
sua opinião: subir
Douguinissímo Nãt
 

poxa hermano, não daria pra disponibilizar o mistério do samba?
pois tenho procurado para comprar e não tenho consiguido.
sou estudante de filosofia da UF de Ouro Preto, mas sou pesquisador de samba, já li o MS e ele é de fundamental importancia para o meu trabalho
no mais valeu!

Douguinissímo Nãt · Ouro Preto, MG 28/6/2007 15:30
sua opinião: subir
AZnº 666
 

Participei de uns 3 bailes Funk no Clube Botafogo em Botafogo, com Luizinho D'J, era legal até eles começarem a fazer traduções das musicas tocadas, ai vinha palavrão e só esperavam a musica - acho que era do nazareth traduzida para: vou dar porrada, porrada até cair no chão, ai começava a pancadaria nós manés antecipadamente visados. Ai na saida quem deixasse para sair no fim do baile corria risco de vida, me lembro de um lance terrivel: formou um bolo em volta de 2 que tinham brigado lá dentro, ai um moleque aqui de fora pegou um paralepipedo e jogou no bolo visando a cabeça de alguém. Pouco meses depois meu amigo foi tirado da cama por outro "amigo" para ir nesse baile, esse falso amigo tinha batido em 2 fracotes na semana anterior- ja havia essa guerra de morros- e temia que ele viesse com muitos. Ele veio só com 1 que tinha uma camisa enrolada na mão. Os 2 amigos ja dentro do onibus, os pivetes la de fora chamaram: Vem bater na gente, otarios! O que tinha batido nos moleques desceu 1º, enquanto isso o pivete dizia ao outro: Me dá o negocio!
O outro deu um revolver, e este saiu atirando: Pegou na perna de um, e na cabeça do meu amigo!
Enterrei ele no dia do meu Aniversario!

AZnº 666 · Rio de Janeiro, RJ 9/7/2007 17:47
sua opinião: subir
Denis Martins
 

A respeito do mesmo funk carioca, sob um enfoque social, cultural e também jurídico, fica o meu convite a quem se interessar a ler minha monografia. Está em:

http://www.overmundo.com.br/banco/direito-e-cultura-popular-o-batidao-do-funk-carioca-no-ordenamento-juridico

Abraços!

Denis Martins · Rio de Janeiro, RJ 15/7/2007 15:37
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
azuirfilho
 

Parabéns Hermano Vianna.
Maior orgulho votar em sua obra.
Obra igual ao seu Criador.
Imensidáo de ricas informacoes, beleza e generosidade no compartilhar.
Esta no lugar certo pra contribuir para a formacao do nosso povo.
Desculpas por meu micro nao ter til, cedilha e pontuacao.

azuirfilho · Campinas, SP 24/9/2007 10:48
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Mauro Paz
 

Cara, lendo seu artigo lembrei de um texto que escrevi faz muito tempo... Vou colocar aqui pra você dar uma olhada.

Abraço,

Bom ou ruim?

Ultimamente tenho me perguntado bastante sobre o que é bom e o que é ruim na arte em geral. Normalmente é julgado bom o que a academia consagra, e ruim o que o grande público consome. Mas me pergunto: Para que serve a arte? No meu entendimento arte é catarse, é o remexer dos sentimentos guardados, é incomodação gerada por um ponto de vista limitado.
Logo, se vivemos em um país no qual 70% das pessoas se mobilizam ao escutar “piriririm-pirirrim-piriririm alguém ligou pra mim”, e não só se mobilizam, mas se sentem provocadas com todo apelo sexual dessa música, será que ela não é boa? Será que se convencionou que é ruim?
Particularmente não gosto muito, no entanto não posso negar que a letra dessa música reflete perfeitamente a mentalidade do ser humano na entrada do século XXI; uma mentalidade impregnada com transações comerciais, uma mentalidade que considera pessoas iguais a coisas consumíveis. Sendo assim, acho que a música do Bola de Fogo retrata perfeitamente a sociedade atual, assim como Machado de Assis retrata a sociedade no final do séc. XIX.
Não podemos negar que esses mesmos 70% da população que se comovem com “piriririm-pirirrim-piriririm alguém ligou pra mim” não sentiriam nada ao escutar “Construção” do Chico Buarque, por mais relacionada com suas vidas que a música esteja.
Para mim não existe bom ou ruim; o que existe são pontos de vistas, e alguns são mais doloridos de aceitar.
O que é bom e o que é ruim para você?

Mauro Paz · São Paulo, SP 1/10/2007 00:47
sua opinião: subir
Hermano Vianna
 

oi Mauro: seu texto inicia uma boa conversa! já leu o que escrevi (também nos comentários) neste outro post do Overmundo? grande abraço!

PS: e quanto ao Bola de Fogo: por que "transações comerciais"? os garotos só estão namorando na praia! hehehehehe

Hermano Vianna · Rio de Janeiro, RJ 1/10/2007 01:16
sua opinião: subir
giuliano obici
 


demorei mas vou ler...

abração

giuliano obici · São Paulo, SP 31/10/2007 20:17
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Mc Jefinho
 

Fantastico!!!!

Mc Jefinho · Belo Horizonte, MG 7/2/2008 20:55
sua opinião: subir
Flávia Durante
 

DEUZÉPAI!!! Obrigada!!!

Flávia Durante · São Paulo, SP 27/2/2008 23:39
sua opinião: subir
mcperebah
 

oi hermano, graças a deus vi tudo acotecendo, alô FUNK BRASIL 1!!!começei a ler hoje!venho numa expectativa de anos!!li por tabela através de entrevistas com dj malrboro e o livro do meu amigo jornalista silvio essinguer- batidão: uma história do funk; "é como dar um rifle para um chefe indígena" isso é maravilhoso, a forma crucial que vc participou da criação do nosso funk!
desde que eu tocava rock e o rock pra mim , principalmente o rock´n´roll tem muito do nosso funk; é energico, é sexual, duplo sentido, irônico, noturno e mestiço.o nosso funk é antorpófago, da maneira mais linda e espontânea que poderia ser, e vem e continua vindo num processo de massa, multidões!!!
alô inquisidores não me venham com a idealização cultural dos cadernos b que predominam na zona sul, é uma dificuldade e um pudor papal para requebrar os quadris...parecem um bando de freiras falando mal do falo do diabo, mas cheias de tesão, rsrsrs
acredito que o oiticica teria ficando pirado com o funk e sua apropriação canibal-espontânea.
DEMORÔ FORMÁ O BONDE DO ABAPURU!
até breve!pois eu vou viajar no tempo, ah!! fiquei muito feliz de saber que vc (hermano) ouviu nossos funks (perebah e jair) e achou legalzinho!

mcperebah · São João de Meriti, RJ 31/3/2008 06:17
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
mcperebah
 

errata:
saiu antorpófago, e é antropófago (nesse caso foi uma citação ao Manifesto Antropofágico escrito por Oswald de Andrade caros amigos do overmundofashionparadisesuculentochurros)

mcperebah · São João de Meriti, RJ 1/4/2008 16:03
sua opinião: subir
Tiago Jucá
 

tae um livro que eu ainda não tinha lido, apesar da vontade de ler. costumo dizer quando opino sobre o funk: "quem hoje diz que funk, rap, pagode não é música, ontem dizia que negro não era gente".
download concluído. até mais!

Tiago Jucá · Acrelândia, AC 17/4/2008 02:26
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
giuliano obici
 

hermano

lido e citado

logo mais aviso

abraços

giuliano obici · São Paulo, SP 17/4/2008 09:27
sua opinião: subir
Lili Reston
 

Lili Reston · São João de Meriti, RJ 27/4/2008 19:44
sua opinião: subir
Enzo
 

oi Hermano!
voltando ao overmundo depois de algum tempo me deparo com seu livro, grata surpresa. O que você acha deste artigo que escrevi?
http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=481FDS010
abraço!
eenzo.m@gmail.com

Enzo · Belo Horizonte, MG 29/4/2008 12:26
sua opinião: subir
graça grauna
 

...parabenizo-o por disponibiliar um trabalho tão importante. Fico torcendo pela reedição do seu livro. Abraços.

graça grauna · Recife, PE 24/5/2008 08:51
sua opinião: subir
mariana.
 

Hermano, estou fazendo um artigo sobre o surgimento e a evolução do funk no brasil, li tua monografia (que ajudou muito) e não sei se é meio impossível, mas gostaria de saber se nao teria como eu te mandar uma entrevista curta sobre o assunto por e-mail? obrigada

mariana. · Porto Alegre, RS 12/6/2008 01:11
sua opinião: subir
Marianne Malini de Lima
 

Que bom que disponibilizou sua dissertação. Fazia tempo que queria ler.
Parabéns pela iniciativa
Abraço
Marianne

Marianne Malini de Lima · Vila Velha, ES 23/7/2008 08:49
sua opinião: subir
W.Doug - Stonefish films
 

Hermano, agora poderei saber um pouco mais da pessoa que faz ótimos comentários e dá ótimas sugestões. Obrigado por disponibilizar.
Abrax!

W.Doug - Stonefish films · Japão , WW 13/2/2009 15:35
sua opinião: subir
Brida
 

Vou mergulhar no seu livro sem dúvida. Parabéns, overmano! Grande abraço.
Veja se aprova:
http://www.overmundo.com.br/banco/carnaval-transdoor-na-bahia#c369889

Brida · Salvador, BA 24/2/2009 10:35
sua opinião: subir
Brida
 

Comecei a leitura.
Na qualidade de professora de pós-graduação de IFES, posso lhe garantir que sua dissertação é valiosa.
Beijo!

Brida · Salvador, BA 24/2/2009 10:41
sua opinião: subir
lagoacristo
 

Além do enfoque social, cultural e jurídico(sic), é preciso levar em conta o enfoque neuro-psiquiátrico dos frequentadores desses bailes. Centenas deles passaram a ser medicados com Haldol, que parece ser o único medicamento eficaz nesses casos. Música de baixa qualidade e excessivamente barulhenta pode prejudicar a saúde auditiva e mental dos atingidos. Nosso grande maestro Diogo Pacheco, ao transitar de carro pela periferia de S. Paulo, foi atingido por um projétil de música 'fanque'. Atendido pela emergência da Unimed,teve que fazer uso de Haldol, além de fartas doses de Respidon durante 3 meses. Quanto aos freqëntadores que foram baleados nestes tranquilos bailes, ficam apenas na esfera policial ou médico-cirúrgica mesmo. E de custo social barato... Para um país rico como o nosso. Infelizmente, nestes casos,o uso do Haldol é inútil. Faz-se necessário, portanto, uma avaliação rigorosa do estado neuro-psiquiátrico dos amantes deste tipo de ... música. Nosso Ministro Temporão até poderia ser consultado. Quem sabe o Haldol não seja a solução?

lagoacristo · Rio de Janeiro, RJ 22/3/2009 07:04
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Flávio Clímaco
 

Olá Hermano... não te conhecia mas por necessidade vim parar aqui e pude conhecer um pouco de seu trabalho.
a necessidade que me tras aqui não tem nada a ver com o que se está comentando, mas como não consegui outra maneira de falar com vc, vou postar aqui mesmo. tenho uma banda em goiânia na qual estamos lançando um cd e estamos utilizando 10 segundos de um música disponibilizada no programa música do brasil. É a música que imagino que se chama Rosinha, de domínio público. queriamos autorização para poder utilizá-la.... será que poderia me passar seu contato para podermos conversar mais diretamente? obrigado
FLávio (email - faclimaco@hotmail.com)

Flávio Clímaco · Goiânia, GO 1/4/2009 14:17
sua opinião: subir
Faraó
 

Hermano,
eu que não acreditava muito na divulgação internética de alguns textos, agora fico meio sem jeito em dizer que a sua idéia foi muito boa. Os meus alunos adoram o seu livro e as reflexões que ele propõe.
Um abraço afetuoso, Faraó

Faraó · Fortaleza, CE 12/4/2009 20:54
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Hermano Vianna
 

que bacana Faraó - mande abraços para os seus alunos!

Hermano Vianna · Rio de Janeiro, RJ 12/4/2009 21:00
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Assisti há pouquinho e me veio a idéia de linkar aqui: Tom Zé falando sobre o Funk Carioca e a influência do estilo sobre o disco Danç-Êh-Sá, além de outras circunvoluções possíveis.

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 19/12/2009 03:58
sua opinião: subir
Guiwhi
 

Prezados,
vejam 3 min de graça!

http://www.youtube.com/watch?v=NHOr71ccj6A

Guiwhi · Rio de Janeiro, RJ 30/1/2011 07:16
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados