O Baú no Boné 02

Foto de Srbyug
1
Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ
21/8/2007 · 145 · 19
 

Memória 02


Entre os papéis remexidos por mim às vésperas de me tornar um sexagenário, alguns são cópias recentes. Os originais, no entanto, estão do mesmo modo que os outros, amarelados, empoeirados e amarfanhados em alguma caixa da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro.

É que, por força de uma medida judicial coletiva, tive acesso às cópias de parte do que escreveram e falaram sobre mim, nos autos de prisão e no processo que se seguiu, a partir de 1968. É o meu ‘Habeas Data’.

Nenhum documento sobre a minha estada na Ilha Grande apareceu. Nestes documentos fragmentados, aparece um memorando dando conta de minha transferência para o presídio da ilha, mas, estranhamente, não existe nenhum outro memorando dando conta de meu regresso ao continente. É com se, para eles, eu tivesse ficado morto, enterrado por lá mesmo.

Kafka perde. Monty Python também.

---------------

O Alfarrábio de 1975:
(de um agente secreto que, pela escrita pouco burocrática, sem o jargão policial tradicional, devia ser talvez, um estudante, um informante infiltrado)

“Ministério da Justiça
Departamento de Polícia Federal
Divisão de Polícia Federal
SEÇÃO DE INFORMAÇÕES

Informação
Ref.a Semana Cultural (encerramento)
Diretório Central dos Estudantes
28.05.975

Sr. Diretor:

Levo ao conhecimento de V.Sa., para os devidos fins, que realizou-se na noite de ontem, dia 27, o último dos debates programados pelo DCE/UFF, relativo a Semana Cultural

1. O assunto debatido, Literatura, teve a presença de três convidados, dos oito programados, e o comparecimento de uns 60 assistentes.

2. Foi notada a presença do compositor e intérprete Antônio José do Espírito Santo, um dos componentes do Grupo Vissungo, que na noite do dia 23, quando o DCE fez realizar um Show, na quadra da Faculdade de Direito, foi pelo mesmo grupo executada a música Saci Pererê. O referido elemento não tomou parte dos debates, ficando pelos cantos conversando com outros elementos..”

É o que me cabe informar no momento.”


(carimbo de confidencial)

------------------

O fato é que, como se vê, claramente, os alfarrábios dão conta de que, livre da prisão desde 1971, virei, definitivamente, um artista. Engajado como qualquer artista da época, porém, exercendo, tranquilamente, o meu ofício de cantor compositor sem mais nenhum compromisso com a luta armada.

No Brasil, revolucionávamos a cultura do planeta com a música popular mais criativa que havia, desde os Beatles. Havia a censura, claro, mas, e agora, hoje em dia? Nem é necessário censurar mais nada. Pelo contrário, censura-se o que é rebelde, o que é transgressor. Odeia-se o que é novo, caímos de pau, violentamente sobre tudo que é, realmente, revolucionário. O ‘novo’ dá alergia na juventude senil de hoje em dia, conservadora, reacionária como que.

Na poesia com que vestíamos nossas canções, quase sempre falávamos de liberdade, de forma cifrada, metafórica mas falávamos. Rimávamos amor e liberdade. Sempre. Liberdade política, cultural, sexual, qualquer liberdade que fosse ética, justa e positiva - sem hedonismos - para todos.

E nos esbordoávamos nesta atitude de jovens pra valer.

Hoje a ditadura está em nós.

---------------

A vida era assim, como este poeminha da época:

Mariinha
Spírito Santo ( Dezembro 1975)

Tinha bunda de orquestra afinada
E peitos de pêssegos sossegados
não mordidos pêssegos de veludo

Tinha boca de lingüiças frescas
E olhos pesados e negros
olheiras fundas
de tristezas anônimas

compartilhe



informações

Autoria
Spírito Santo
Dezembro de 1975
Downloads
377 downloads

comentários feed

+ comentar
Ize
 

Puxa, vc tem história pra contar hein Spirito. Seu poeminha de 1975 é bárbaro. Mas não entendi pq vc disse que " o ‘novo’ dá alergia na juventude senil de hoje em dia, conservadora, reacionária como que". Estranho, não tenho o mesmo sentimento que vc. AS coisas mudaram tanto desde 68, qdo a política mostrava sua cara e tínhamos contra o que lutar. Hj a participação coletiva da juventude se dá por outras vias. Aonde ficam aqueles adolescentes do seu "Bonde"? Ou será que entendi tudo errado?
Abrs

Ize · Rio de Janeiro, RJ 19/8/2007 03:15
sua opinião: subir
Ize
 

Não precisa explicar mais nada não. Acabei de ler o Baú no Boné 1 e ficou claro porque vc pensa assim. Só não sei se é justo.
Nem sei como me expressar sobre esses textos. Admiro sua coragem de relembrar momentos tenebrosos como foram aqueles, ainda mais pq aqueles anos se imprimiram em sua carne. E as marcas na carne não admitem réplicas. Agora estou entendendo seu sentimento em relação à juventude de hj. Identifico sua impressão com o que Pasolini dizia sobre os jovens romanos que, na década de 70, haviam aderido incondicionalmente ao fascismo do consumo que, pra ele, era mto pior do que o fascismo político.
Enfim, Spirito, não sei se parabenizo vc pelos textos ou se digo sinto muito. O fato é que vc me tocou: estou às quatro da manhã pensando na vida...
Valeu
Abraço grande

Ize · Rio de Janeiro, RJ 19/8/2007 03:52
sua opinião: subir
Saramar
 

Spirito, acabei de ler ambos os textos, que arquivei junto em um só documento.
Fiquei com ligeiro tremor ao saber deste pedaço de seu passado na escuridão do "destróier ancorado" e me recusei a imaginar cenas e dores (perdão, sou fraca).
À escuridão, fico com os poemas. E nem sei o que será melhor nesta série que se inicia, mas este poema "Mariinha" tem os versos mais profundamente livres e lindos que já vi.
(acho que vou jogar todos os meus rabiscos no lixo).

beijos

Saramar · Goiânia, GO 19/8/2007 08:54
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Ize e Saramar,
(Adorei vocês terem lido tão rapidamente).
O que eu mais gosto da minha vida foram as chances que tive de experimentar o inusitado e dele as tirar as lições mais absurdas. Tem gente que uma vida mais linear e precisa se esforçar muito mais para ter as tais lições.
Realmente, Ize, eu tenho uma opinião um pouco amarga sobre a juventude brasileira de hoje, até mesmo comparando-a com a juventude de fora do país, de hoje mesmo, mas, principalmente, comparando-a com a da minha própria mocidade. Este conformismo hedonista me irrita, esta relação quase omissa diante desta realidade social tão estúpida. Moro num bairro de classe média em Jacarepaguá, outro dia, num orelhão, escutei o seguinte monólogo:
_" Fica aí que já vou, sua filha da puta! Se você sair de novo, eu vou te encher os cornos de porrada. Eu já falei que mulher minha só sai se eu deixar!" - quem falava era um cara branco, com jeito de bem nascido, bem vestido com roupas de grife. Não tinha mais que 18 anos de idade. Do outro lado da linha, a namorada.
Ora, nos esforçamos tanto para que houvesse, para as mulheres e todo mundo, alguma liberdades e que se vê como regra é isto...
E o apagão ético? O que falar sobre a quase nenhuma importância que a juventude dá a estas coisas tão essenciais para uma sociedade ser sadia e próspera, para todos?

Bem, saibam de uma coisa boa, entre tantas (eu, pelo visto) já sei:
1- Como sou criança, sou ainda jovem também. Posso falar de cadeira.
2- É uma lei da natureza que, também para a juventude... a fila anda.

Grande abraço

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 19/8/2007 09:51
sua opinião: subir
Ilhandarilha
 

Quando é que vai ser a festa?

Ilhandarilha · Vitória, ES 19/8/2007 14:30
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Estou fugindo desta festa. A dos cinquenta já foi dose de aturar. Não consigo me reconhecer sessentão. Parece que a festa de outra pessoa.
Outro dia, uma atendente de banco me indicou, gentilmente, o caixa para os 'sexagenários'. pensei comigo: Como assim? Ainda fala mais de uma semana! A moça tá me estranhando?

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 19/8/2007 18:43
sua opinião: subir
Ilhandarilha
 

Rsrsr. Pois é, a gente que é criança a vida toda estranha quando outros nos vêem como o que somos fisicamente. Eu comecei a sentir o peso da idade quando os feirantes começaram a me chamar de madame. E olha que isso faz um bom tempo. Agora sou tia. Outro dia um guardador, provavelmente bem mais velho que eu, me chamou de tia. Ai não aguentei: tia é a a pqp!
Mas, como vc já disse antes, idade tem suas vantagens. A maior delas é um gradual libertar-se de amarras sociais, psicológicas e afetivas, um deprendimento que vai deixando a gente mais leve, mesmo que a coluna doa mais e o fôlego às vezes falte.
Sabe o que achei impressionante no ofício que vc postou? A falta de assunto! O cara não tinha nada pra falar de vc (o elemento), a não ser o fato de vc estar lá. O seu problema é o mesmo do Forest Gump: vc estava lá!

Ilhandarilha · Vitória, ES 20/8/2007 11:02
sua opinião: subir
Egeu Laus
 

Ajoelhou tem que rezar: Qual será o cardápio da festa?

Egeu Laus · Rio de Janeiro, RJ 21/8/2007 10:04
sua opinião: subir
Saramar
 

Spirito, para um sessentão (quase) você está muito bem.
Compartilho dessa sua preocupação ou amargura, vá lá, com a juventude atual. É formada por gente totalmente alienada. Os jovens parecem mortos ou habitantes de outro mundo que não conhecemos, sem horizontes a não ser eus desejos imediatos.
Creio que isso é resultado da péssima educação formal e familiar que recebem.

Como disse, estou guardando os recortes do seu baú no meu baú.

beijos

Saramar · Goiânia, GO 21/8/2007 10:05
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Valeu Saramar, sempre presente.

Grande abraço

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 21/8/2007 10:30
sua opinião: subir
Ize
 

Voltei e votei... mesmo sem estar convencida de sua concepção de juventude. Embora convencer seja infrutífero, vou tentar uns argumentos com vc que tavez façam vc mudar de idéia.
Abrçs

Ize · Rio de Janeiro, RJ 21/8/2007 11:21
sua opinião: subir
Benny Franklin
 

Spirito, muito bom. Fechadíssimo.
Abçs; Benny.

Benny Franklin · Belém, PA 21/8/2007 13:03
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Minhas economias eu estava guardando para ir em outro lugar, mas como bai ter churrasco, cerveja, samba du bão o jeito é ir pro churrasco do SPIRITÃO rs..

Higor Assis · São Paulo, SP 21/8/2007 17:11
sua opinião: subir
Claudia Puget
 

Texto tão bem dito...
"O Mundo Gira e a Luzitâna Roda"
Década de 70, a Mudança acontecia nas rodas da Luzitâna.
Cada tempo tem seus carrascos e suas dores; hoje vivemos em tempos sem princípios, sem convicções, sem ética,com cultura de novela...
A Educação precisa de reforma... Spirito, socorro!
a Educação tá sem Cultura e a Cultura tá sem Educação.
Isso é crônico.
...

Claudia Puget · Muqui, ES 21/8/2007 18:43
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Ilha,
Pois é, o memorando é non sense mesmo, mas, o que o agente achou mais estranho foi eu não participar dos debates e estar ali, 'pelos cantos'. Imagine! Eu seria menos 'subversivo' se stivesse debatendo? Confesso contudo que fiquei meio assustado de saber, 30 anos depois que tinha um cara me seguindo, 4 anos depois de ter sido solto. Sinistro.

Egeu,
Rezarei

Ize,
Vai depender do tipo de gente jovem que você vai me apresentar como argumento. É um bom papo este, confesso que me anima.

Benny, Claudia,
Vamos entrar neste papo também? Com cerveja e churrasco então...

Abs, para todos.



Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 21/8/2007 21:45
sua opinião: subir
Lia Raz
 

cheguei tardemas a tempo de comentar
m,uito bom

Lia Raz · São Paulo, SP 26/8/2007 19:43
sua opinião: subir
analuizadapenha
 

oi. vc será mais um "sex" e bem charmoso e com um talento... e com "histórias" para contar. É o cara. Parabéns.

analuizadapenha · Natal, RN 26/8/2007 22:03
sua opinião: subir
taisanto
 

acho que eu cheguei mais tarde ainda...rsrsrs
2 anos depois!
Gostei!

Beijos!

taisanto · Quissamã, RJ 9/11/2009 13:54
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Caraca! Dois anos depois 'taí o santo'. Tava fazendo 60 naquela hora. Hoje tenho 62. Analuiza enchendo a minha bola (devo ter visto, mas nem lembrava)
Que bom sobreviver!

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 9/11/2009 22:10
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
doc, 114 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados