O som dos homens acorrentados

1
lucaspinduca · Cabo Frio, RJ
28/3/2011 · 16 · 3
 

A música se espalhava pelo ar, densa como a gordura e fumaça que vinham da cozinha. Apesar da letra estar em inglês, era perfeitamente compreensível para quase todos, mesmo estando quase todos bêbados!
_"that song of men, work more chains..." A voz, uma oitava mais baixa que o barítono, encerrou a música. Os aplausos foram escassos, feito esmolas a pedintes. O músico agradeceu assim mesmo e atacou de Vinicius de Moraes.
Eu estava bastante deprimido para poder saborear a música, olhei minhas batatas ensopadas de óleo rançoso e decidi ir para casa; sou músico e meu instrumento é a alma. Toco gaita e dou aulas para quem gosta de Blues. Não tenho conseguido muitos alunos é verdade, mas pelo menos não passo fome. Neste país abençoado por Deus e bonito por natureza não existe fórmulas filosofais para sobreviver, somente o bom e velho jeitinho, mais conhecido como "se vira"; saí sem comer minhas batatas, melhor assim, poderia passar mal com tamanho veneno!
O bar ficava em um local próximo ao meu apê, em um cortiço no bairro pobre de classe operária. Aqui o Blues é mais melancólico, tanto quanto o povo que sobrevive a margem desta sociedade (serosa e sorumbática?), pelos atalhos da velhice mal amparada e do desemprego. Eita! Que o cheiro de genebra continua grudado no meu casaco engordurado!
_ Nunca mais volto a este boteco sebento!
Desabafei, como se as ruas pudessem se envergonhar pelo desafeto!
_ Concordo com você!
Alguém com voz melodiosa e cheiro de Martini (?), misturado com passos pesados e cambaleantes bem atrás de mim. Virei-me rapidamente, poderia ser uma tentativa de assalto, se bem que, o assaltado seria ele. Para minha surpresa era 'ela'. Reconheci na hora que era a garçonete do bar.
_Puxa você me deu um susto daqueles! Respondi meio trêmulo.
_ Desculpe, eu estou meio bêbada! Não quis te interromper. Desabafar ao vento é um santo remédio!
'Meio bêbada' era eufemismo brabo! a criatura estava que era Contini purinho! Mas o ser humano é uma merda mesmo! Meu primeiro impulso foi o de levá-la para o meu moquifo e aproveitar que estava entorpecida, e... controlei-me a tempo.
_ Quer uma carona até em casa? Fusca 77, queimando óleo na segunda, rateando na subida, Brinquei. Ela desfaz o coque e solta a cabeleira vermelha, enquanto divaga:
_ Bem, estou proibida de voltar pra casa sem dinheiro. Meu companheiro me dá uma surra se disser que fui demitida. Além disso, bebi o mísero resto de esbórnia alheia que ganhei! Tem sofá no seu cafofo?
Pela sutileza dela percebi que o negócio era sério. O 'futum' que exalava estava proibido até para menores de rua! Era cerveja com Contini misturado a perfume barato. Estava de amargar! Lembrei-me que havia pago a conta de água e sendo assim, partimos.
Quase amanhecendo e estávamos na minha sala. Não pensem que o sofá era banco de kombi não. Não senhor, era um tremendo Luiz XV falsificado dos brechós do Humaitá!
_ Cadê o meu maldito cigarro? Fred você não comeu os cigarros comeu?
Meu pobre cachorro levantou as orelhas e ganiu cheio de fome. Resolvi lhe dar o resto da sopa.
_ Qual é o seu nome?
A garçonete. Havia me esquecido dela.
_ Raimundo. Mas pode me chamar de Raí.
_ O meu é Amélia. Qual é a raça do cachorro?
_ Beagle.
_ Vocês dois não são casados, são?
Disse isto tentando fazer charme balançando os cabelos, balançou demais a cabeça, rodou e caiu no tal Luiz 'cãnzi'. Fred ganiu.
"Vocês dois não são casados, são?" adorei o plural, senti-me no mesmo nível do Fred. Tudo bem, eu tinha uma vida de cão mesmo.
_ Separados. Ela não aguentou a barra; como disse Vinicius de Moraes: "O romantismo não resiste a problemas financeiros".
Amélia riu. Bebeu dois litros de água e caiu no sofá. Não percebi que na sua ignorância de Amélia ela não conhecia Romantismo apesar de saber quem era Vinicius. Sentei-me no sofá e remoí o meu passado: A minha ex era bonita, se bem que nunca a vi de porre. O seu materialismo é que era mortal para um pobre artista como eu. Ela sempre fazia questão de lembrar que a minha vida era um quadro mal pintado, acho eu que era uma pintura cubista mal feita, desbotada. Lembro-me de quando se foi:
Separar é sinônimo de partir?/A dor é longa e profunda/arrancando pequenos nacos/esmiuçando sonhos/reduzindo a cacos/o espelho de lágrimas/onde minha vida náufraga afunda.(Cadê a minha gaita?)/Ela partiu em pedaços/cada centímetro de utopia,/estrangulando o barítono/enquanto ele entoava a minha alegria!(Achei!)/Que miséria humana poderia/a dor de não amar (O Fred babou a gaita toda!) ter alguma simetria?/A quem interessar possa,/e quem nunca amou rejubile!/Estou pronto para a crucificação,/entrego-me aos algozes sem símele,/deste mundo cretino e cão...
_ Raí...
Amélia de novo.
_ Fala...
_ Eu não queria falar... mas o meu marido é soldador ferramenteiro e não vai gostar nem um pouco de saber que estou com você!
_ Beleza! Meu desejo secreto é sair na porrada com um troglodita gigolô mesmo!
_ Droga, eu estou falando sério! Você pode se machucar, vou embora antes de...
_ Vai dormir. Eu cuido disso amanhã.
O rôto querendo cobrir o esfarrapado; parece novela das oito. Na verdade eu gostei da garçonete, gostei, não no sentido pejorativo. Aquele corpinho franzino, os olhos fundos e tristes. Pelo menos uma vez ela merecia alguém que não a explorasse. Grande hipócrita eu sou! Estou é querendo tapar o buraco aberto na minha vida depois que a outra meteu o pé na minha bunda!
_ Amélia...?
Ela olhou para mim com aquela lascívia própria dos bêbados, e eu vi que havia o brilho do desejo naqueles olhos!
_ Quié Raí...?
Meu Deus! Eu sou um aproveitador!
_ Me dá um beijo de boa noite?
Ela deu. E ofereceu de bom grado tudo o que dispunha no momento e eu não rejeitei. Que cheiro de sopa é esse?

Sobre a obra

texto escrito para participar de um concurso online da revista Piauí.

compartilhe



informações

Autoria
lucas manoel da silva filho
Downloads
271 downloads

comentários feed

+ comentar
Sihmoneh Maia
 

Já ganhou! Já ganhou! rs...
Puxa que puxa, mas que puxaaa vida!
Tu é muito bom escritor! Multiartista!
Adorei o texto... Um dia incomum na vida de dois perdidos na noite suja, ahahah. E com desfecho cheirando a Contini sem gelo, rs.
Bela trama, com citações bem encaixadas, bem humorada e envolvente!
Parabéns, curti mesmo! Votado e "downloadeado" total!
Abrçssssss!!!

Sihmoneh Maia · Santo André, SP 29/3/2011 16:31
sua opinião: subir
Srº Lebron
 

Muito bom muito bom mesmo, talento nato
e "downloadeado

Srº Lebron · Ji-Paraná, RO 2/4/2011 17:04
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

triste é a solidão, mas mais triste ainda é a vida dessas pessoas que precisam fazer de tudo para sobreviver em pleno seculo XXI.
Muito bem escrito...
bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 5/5/2011 21:37
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 6 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados