Óculos escuros

1
Wellington Coelho · Belo Horizonte, MG
5/7/2011 · 10 · 9
 

Certamente era uma esposa exemplar. Ele, administrador de empresas, ela, do lar. Casara-se cedo. Tivera dois filhos: um arquiteto e uma professora. Agora, com 46 anos, bem que se passava pelos 35. Contava o tempo como se ele fosse culminar em algo pelo qual esperava, só não sabia em quê. Aliás, no fundo sabia, mas tinha um medo desse algo e imaginava que a coragem brotaria ainda a tempo. Quando a ansiedade extrapolava os limites de sua força, ia ao shopping.

Lá dentro, colocava os óculos escuros para enxergar melhor.

Sentava-se no café e pedia um preto com leite, waffer e uma pastilha de chocolate.

A garçonete se chamava Charlote. Por que pobre gosta de nome estrangeiro? Seria para se impregnar de uma personalidade que não possui? Ela se chamava Paula, mas sempre viveu uma vida que não era dela.

O amargo do café forte brincava com o cacau no céu da boca. Os olhos, atrás dos óculos escuros, miravam nas pernas de Charlote. Duras e torneadas sabe-se lá por que suplícios. Calçava a rasteirinha de sempre.

Depois do café, foi às roupas.

Luisa como sempre a recebeu com um sorriso largo de vendedora Tinha cabelos loiros longos até o quadril. Equibrava-se num salto harmonicamente. Os olhos de Paula a viam em câmara lenta. Fitavam nos lábios moles e úmidos de Luisa refletidos no espelho do provador:

- Paula, essa calça embeleza ainda mais suas pernas, lindas, lindas!

Embora frio, Paula sentia seu coração arder. Comprou a calça para levar o elogio para casa.

Na perfumaria, pediu para experimentar a nova fragrância do hidratante. Kátia aspergia o creme em suaves movimentos circulares sobre as costas da mão de Paula. Os pés de Kátia eram uma coisa. Pequenos, alvos, os dedinhos simétricos e as unhas feitas. Paula via apenas alguns dedos, mas adivinhava a formosura dos demais. Os óculos escuros subiram dos pés aos seios, nos quais um pingente se escondia.

- Colarzinho bonito, o seu!

- É uma pomba. – Disse Kátia tirando a ave banhada a ouro, da aresta de carne.

- No inverno, ela se esconde aí? – Perguntou Paula com um sorriso, empurrando os óculos com o indicador.

Levou o creme. E foi ao Hortifruti.

Onde estavam as tangerinas? Em Minas falam mexericas. Aquela fruta combina mais com qual palavra? Tangerina parece uma composição entre tangente e outra palavra. Qual? Ruborizou-se Pode ser, os gomos se tocam, mas não se fundem. Mexerica lembra mexer com outra... Hum.. qual? Ruborizou-se novamente. Ainda bem que os óculos eram grandes e tapavam suas bochechas vermelhas de atrevimento.

Pegou um exemplar do fruto cítrico e cravou as unhas na casca. Puxou-a suavemente, desfazendo a aderência do velcro. Os óculos miravam em dois gomos que deixou transparecer. Acariciou a película fina que continha o líquido alaranjado. A boca salivava advinhando a acidez que faria vibrar o corpo. Levou audaciosa a fruta à ponta da língua, que explorou o encontro dos gomos quase os separando.

Êxtase.

Jogou a fruta na banca e saiu apressadamente. A cabeça baixa, o dedo médio segurando os óculos no rosto. A passos largos, alcançou o toalete. Ofegante, parou diante do espelho. Inspirou e expirou quase que em uma só golfada. O suor brotava da fronte e ensopava as bochechas.A funcionária da limpeza, curiosa:.

- A senhora está passando bem, dona?

Num movimento rápido, escondeu os óculos escuros na bolsa, abriu a torneira e enfiou o rosto debaixo da torneira.

- Estou ótima, mas às vezes o fogo da menopausa me incendeia a cabeça.

Sobre a obra

Caminhando com uma amiga no shopping, ela me disse: "uso óculos escuros para enxergar melhor". Este conto me veio quase instantaneamente.

compartilhe



informações

Autoria
Wellington Pinto Coelho
Downloads
347 downloads

comentários feed

+ comentar
kfarias
 

Tangerina? Mexerica? Pokan? Tanto faz a fruta é muito boa e saborosa, a maliciosa segunda intenção, que tão bem somo induzidos a pensar, realmente não tem preço. Ou melhor, tem preço muito alto.
Bom texto, nos prende e nos leva a viajar fantasiando o imaginário.
Abraços.

kfarias · Águas de Lindóia, SP 5/7/2011 19:58
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Os óculos são necessários para enxergarmos o que não poderíamos a olho nu
doem as tristezas desse mundo
as alegrias ficam mais suaves à nossa idade
para que o coração entre no compasso de valsa...


lindo texto...adorei.
gde abraço...

Cintia Thome · São Paulo, SP 6/7/2011 10:19
sua opinião: subir
Sihmoneh Maia
 

Issaí, Wellington! Mandou bem!!!
Metafórica e literalmente, hehe.

Esse texto traduz bem nossos tempos (os tempos idos também, mas é que antes ninguém podia falar muito a respeito de certos "tabus", apesar de os escritores já o fazerem assim como tu, através de textos onde usavam e abusavam de metáforas); ou seja, a mulher de hoje (o homem também) quando se sente "atormentada" por um dilema pessoal, "encurralada" em um relacionamento que já não a satisfaz mais, tende a duas saídas possíveis: ou fica "curtindo" esse "dilema" como tua protagonista aí, ou realmente vivencia novas experiências fora da relação, o que - naturalmente - pode acabar até em tragédia, ahahah.

Muito bem escrito, saboroso e sugestivo até o útlimo gomo!
Parabéns!

Simone Maia

Sihmoneh Maia · Santo André, SP 6/7/2011 10:50
sua opinião: subir
Mylena Lima
 

Muuuuito bom, Parabéns com essa Fluidez vai longe...!!
Votado!!
Tenha um boa semana, abraços.

Mylena Lima · Guanambi, BA 6/7/2011 15:33
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Uma bergamota deliciosa essa tangerina que mexerica, excita, provoca e conquista. Parabéns!

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 12/7/2011 11:00
sua opinião: subir
Cezar Ubaldo
 

Que os tabus sejam quebrados,sempre.Excelente texto,caro Welligton .É sempre bom quando o autor nos faz viajar,viajar.Parabéns,sempre.

Cezar Ubaldo · Feira de Santana, BA 13/7/2011 09:36
sua opinião: subir
And.Marques
 

Bonito trabalho!!! abraço.

And.Marques · Itapevi, SP 25/7/2011 16:23
sua opinião: subir
Edson1970
 

mUITO BOM .A mudança da personagem a partir da fruta. Uma verdadeira epifania como o que acontece com os persongens de Clarice. Os óculos na verdade era pra esconder o que realmnete ele era. vlw

Edson1970 · Mossoró, RN 27/7/2011 12:25
sua opinião: subir
Vinícius Motta
 

Muito bom cara.

Vou colocar nos meus favoritos.

Vinícius Motta · Rio de Janeiro, RJ 16/10/2011 12:48
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 4 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter