Passagem Aérea

1
rosa melo · Pio IX, PI
2/12/2008 · 173 · 24
 

Já não há tempo
Desde ontem envelhecemos
E o amor foi trocado por mentiras aborrecedoras
Talvez eu não consiga descarrilar o vagão do trem
Que peguei antes do veredicto final
É tarde para arrependimentos!
Condenei-me a uma sorte que não era a minha
Agora, em meio à ferrugem que corrói aquele cômodo mofado
Prendo meu olhar a um invisível ponto que descobre
O trilho da vida que não escolhi
Nada vejo, além de destroços,
De indefiníveis pontos que se desintegram
Ao ritmo da velocidade
Do tempo que já se foi
Debruço-me com a cabeça entre as mãos
Concentrando-me no chacoalhante movimento da
Locomotiva
Quando terei, sem perceber
Chegado à estação do velho tempo que desembarcou?!
Tempo estranho esse!
Nada vejo, nada ouço
Senão o vup vup da máquina que me transporta
Não há destino, não há caminho
Os passageiros tentam me confundir com suas fantasias
Colossais
Assim estonteante, aérea, salto de vagão em vagão
E vou encontrando todos – bichos homens!
Todos condenados ao mesmo cruel abismo
Vazio existencial
Ilusão intelectual
Todos... todos famintos
Sedentos de morte
Sedentos de morte
Morte!
Estágio infinito da busca
Busca do que não há!



Sobre a obra

Uma vida - dois caminhos

Não há um manual onde se possa entender como operar a vida. Mas as vidas estão dispostas de forma tal, numa tal sociedade, que nos faz entender menos ainda as suas funções.

Alguns alunos da UESPI decidiram escrever um artigo sobre a rosa da caatinga, e vasculharam seus cadernos de memórias.

Sem conhecê-la cotidianamente, foi possível identificar na sua personalidade uma marca forte de desespero e um potencial suicida explícito. Ela justifica dizendo que o sofrimento é um dos maiores inspiradores de um poeta. Só consegue escrever na dor, mas por isso mesmo tem uma literatura muito parca, porque na sua memória as dores se dissipam muito rápido.

Embora extremamente embaraçada com a forma de consumo da vida, ela diz gastar seus sopros com a felicidade.

O Passagem Aérea é pois um rabisco do seu diário de bordo, e ela não pode negar.


compartilhe



informações

Autoria
Rosilândia melo de Alencar Maia - Rosa da caatinga
Downloads
368 downloads

comentários feed

+ comentar
Hideraldo Montenegro
 

Muito curioso e interessante a forma de escrever, aberta, livre (quase uma prosa), confessional.
Gostei demais.

Hideraldo Montenegro · Recife, PE 29/11/2008 20:51
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Claudia Almeida
 

Prendo meu olhar a um invisível ponto que descobre
O trilho da vida que não escolhi...

Quando os trilhos são burgueses, querida o desgaste é confortável e bucólico somado a muitos preconceitos no
mundo todo...raça,sexo,religião...não existe um bom convívio.

Nos países em desenvolvimento... teu texto é perfeito “sedentos de morte” ao entrar na vida dos que tem fome e estão acamados no leito eles pedemI isso. Está bem claro no filme Amor Sem Fronteiras a paciente acusa o médico você está tirando meu direito de morrer, mais ou menos por aí, quem quer ficar no
chão , no corredor da morte agonizando@!?
Parabéns querida !
beijos

Claudia Almeida · Niterói, RJ 29/11/2008 23:39
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Aldy Carvalho
 

"...a dor que arde no peito
E os olhos cansados de tanto olhar o caminho..."Aldy


Volto para votar

Bjinho

Aldy Carvalho · São Paulo, SP 30/11/2008 16:27
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Claudia Almeida
 

Beijos!

Claudia Almeida · Niterói, RJ 1/12/2008 18:57
sua opinião: subir
Sergio Berrini
 

Quando terei, sem perceber
Chegado à estação do velho tempo que desembarcou?!
Tempo estranho esse!
Nada vejo, nada ouço

Rosa, gostei demais e além de tudo é musical menina.Separei essa parte com a qual me identifico.
Bjs e voto!

Sergio Berrini · Rio de Janeiro, RJ 2/12/2008 07:01
sua opinião: subir
raphaelreys
 

Pura metafísica o seu texto minha cara Rosa! Sua almna anda volitando pelos oráculos enquanto dormes! Voto e te mando um beijo!

raphaelreys · Montes Claros, MG 2/12/2008 07:22
sua opinião: subir
Aldy Carvalho
 

agorqa votando

Bjo

Aldy Carvalho · São Paulo, SP 2/12/2008 07:51
sua opinião: subir
Raiblue
 

Quando terei, sem perceber
Chegado à estação do velho tempo que desembarcou?!


Rosa,minha linda!

Que poema-prosa mais profundo,querida!
O homem e o tempo...nunca alcançamos o momento...tudo é tão rápido...flashs que vão passando pela retina,enquanto viajamos nesse trem, que de tão rápido,não conseguimos fixar as imagens ....tudo que fica é a dor do vazio das paisagens...da vontade de absorver qualquer coisa que possa marcar o tempo, que nos faça sentirmo-nos vivos...

Gostei muito!Adoro essa temática do tempo!!
Muito lindo!
Votado!!

Parabéns!

Bluebeijocas
Blue

Raiblue · Salvador, BA 2/12/2008 09:44
sua opinião: subir
Raiblue
 

Publicando!!!!

Raiblue · Salvador, BA 2/12/2008 09:45
sua opinião: subir
Ailuj
 

Se tivesse um manual de vida seria ela seria meio sem graça
A adrenalina do incógnito é que acende o interesse de está sempre alerta e em luta e vivendo a cada dia uma esperança
Amei seus textos
Beijos

Ailuj · Niterói, RJ 2/12/2008 11:46
sua opinião: subir
alcanu
 

Por ar ou terra a gente sempre acaba viajando !
Um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 2/12/2008 14:33
sua opinião: subir
Vilorblue
 

Cara poetisa, a vida é um não chegar nunca, uma indefinição de papeis, todo processo criativo é dolorido, eu sempre pensei assim, acredito que seja por isso que Rosa prefere extirpar a criação da dor, é como se ao tirar a arte da dor ficasse-mos imunes aos dilacerantes.
Teu poema é de uma profundidade sem par, e para mim, carregado de metáforas.
Votado,
Abç..

Vilorblue · Colombo, PR 2/12/2008 14:56
sua opinião: subir
Marcos Pontes
 

Sofrimento e pessimismo, mas que se dissipa logo. Ótimo. Nem só na dor escreve o poeta, mas a poesia e a dor são muito amigas, de fato.

Marcos Pontes · Eunápolis, BA 7/12/2008 09:50
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

A escrita das coisas da vida é sempre dolorosa. O expor-se a si mesmo já é assim. Excelente essa passagem aérea.

Juscelino Mendes · Campinas, SP 8/12/2008 11:47
sua opinião: subir
Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7
 

Permita-me novamente exaltar:
"...Condenei-me a uma sorte que não era a minha,
Agora, em meio à ferrugem que corrói aquele cômodo mofado,
Prendo meu olhar a um invisível ponto que descobre
O trilho da vida que não escolhi..."


Adorei, de coração...
Quanto mais alimentava meu olhar,
mais queria eu, poder deitar e deitar sem sair...
Pois são o que são, suas palavras, Belas...

Dyego Lisboa.. ânsia de choro.. 7_7 · Teresina, PI 8/12/2008 12:23
sua opinião: subir
ayruman
 

Maravilha de texto. Lendo e relendo. Voto confirmado.
Feliz Natal e próspero2009. jbconrado.

ayruman · Cuiabá, MT 8/12/2008 12:35
sua opinião: subir
azuirfilho
 


rosa melo · Pio IX (PI)
Passagem Aérea

Uma Poesia triste de uma vida a dois que náo deu certo mas, que deixou uma grande licáo e uma luz no final.
A História náo acabou.
Esta luz no final libertou o espírito que é o importante.
O corpo é desta vida táo passageira e vazia.
A Alma é infinita e atingiu a emancipacáo é só se educar para voar infinitamente pelas imensidóes dos sonhos e santidades humanas nos exemplos de tantosmqu viveram e encantaram pelos cainhos que percorreram.
tem é de dinate da luz se libertar.
Parabéns pelo Trabalho.
Um pouco tarde mas, somando em reconhecimento pelo seu talento, pela licáo que seu trabalho encerra e pela alegria da luz.
Se puder sempre me convide para seus trabalhos.
Abracáo Amigo

azuirfilho · Campinas, SP 25/12/2008 09:06
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Rosa, não tinha visto. Muito legal.
Feliz 2009

Andre Pessego · São Paulo, SP 2/1/2009 23:01
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Excelentes versos , quase prosa, da verdade de uma alma solta. Parabens mesmo!
bj

Cintia Thome · São Paulo, SP 8/1/2009 09:06
sua opinião: subir
Angela Lara
 

Rosa, bonitos versos. Parabéns!!!! Lido e votado...

Angela Lara · Porto Alegre, RS 13/1/2009 15:26
sua opinião: subir
Falcão S.R
 

Rosa,

Como escreveu a saudosa Dolores Duran:-

" Assim como o poeta, só é grande se sofrer."

Beijos

Falcão S.R · Rio de Janeiro, RJ 29/1/2009 04:21
sua opinião: subir
Orisvaldo Tanniy
 

Rosa.

Belo Texto!Votadíssimo.Abração procê!!!

Orisvaldo Tanniy · Teresina, PI 11/2/2009 08:45
sua opinião: subir
Orisvaldo Tanniy
 

Rosa,

Relendo e apreciando a bela poesia.É um show!Abração amigo.

Orisvaldo Tanniy · Teresina, PI 17/11/2009 09:52
sua opinião: subir
Orisvaldo Tanniy
 

A tua bela poesia.Abraços...

Orisvaldo Tanniy · Teresina, PI 17/11/2009 09:53
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados