Projeto Portal dos Ventos - COMPLEXO RESUMO

1
maravestruz · Caiçara do Rio do Vento, RN
24/4/2011 · 0 · 0
 

Amostra do texto

PROJETO PORTAL DOS VENTOS E ADECARVE NO SERTÃO NORDESTINO - COMPLEXO RESUMO

Amigos,
Muitos foram os comentários recebidos em nosso Site – www.adecarve.org (que por nossa pobreza mais parece um blog) de diversas partes do mundo, em sua grande maioria valorizando seu conteúdo. Muito emocionado e agradecido pelas palavras de estímulo, como coordenador local do Projeto Portal dos Ventos, Presidente da Adecarve, Vice-Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e pseudo-proprietário da Fazenda São Luiz, em Caiçara do Rio do(s) Vento(s), sinto-me na obrigação de fazer um resumo que seja capaz de fazer com que nossos interlocutores, saibam em que contexto nos situamos e porque nossas linhas de redação teimam em abrir o foco e não perder o colorido desenho de nossas experiências humanísticas.
Em tempo: Crente de que o "tempo" da Geologia é o verdadeiro, creio ser bebê, ainda... Por isso uso as mãos para fazer o que for possível, morrendo de medo de me desligar maternalmente de meus simiescos ancestrais. Por isso, também, meu "tempo" da especialização é incompetente.
Grato, Márcio Cezar Carvalho (maravestruzrn@bol.com.br).

RESUMO
Por força do desenho social brasileiro e das condições sociais em que atuamos aqui na Região do Nordeste do Brasil, onde o clima é semi-árido, a nossa vida no campo é caracterizada, por um lado, por representativa parcela produtiva ligada à agricultura e pecuária de subsistência, e por outra, por uma matriz cultural que é marcada por uma pequena parcela da população (normalmente ligada à política, à Igreja e agentes de comércio) que responde pelo poder, pela tomada de decisão e pela reprodução do modelo cultural, e outra parcela formada predominantemente por famílias de baixa renda, difícil acesso à técnica e à cultura e forte dependência econômica dos poderes constituídos e da reprodutibilidade da comunicaçao de massa veiculada principalmente pela TV.
Nosso povo é ordeiro, pacífico amoroso e criativo, valorizando muito o sistema de crenças herdado pela tradição cristã. O caiçarense descende dos índios Tapuios, das tribos Tupis, que se fixaram no interior do Sertão Nordestino e resistiram, como puderam, à violenta ocupação dos colonizadores (predominantemente portugueses), utilizando o conhecimento de seu meio para organizar a defesa dos ataques dos invasores, cujo objetivo principal era o de enriquecer o Reino de Portugal, disso resultando os seguidos e insistentes massacres de nossas tribos indígenas, algumas vezes com requintes de barbarismo... Nossos primeiros colonizadores aparecem nos registros historiográficos através do Sistema de Sesmarias (modo de ocupação colonizadora definida pela Coroa Portuguesa desde o Século XVI), onde o colonizador recebia a Consessão de uma determinada faixa de terra para se fixar, sistema que iria chegar à região de Caiçara do Rio dos Ventos no Rio Grande do Norte (nosso registro oficial ainda é: Caiçara do Rio do Vento), a partir do ano de 1709 com a DATA DA BOA ÁGUA e posteriormente em 1724 com a DATA DO RIO DO VENTO.
Hoje, nossa cidade é cortada pela BR-304 (rodovia federal que liga nossa capital, Natal, à Fortaleza, capital do Estado do Ceará, separadas por cerca de 600 km) no KM 320. Nossa topografia é acidentada e nossas fazendas não dispõem de superfície plana contínua que permita práticas de mecanização da agricultura de escala (o que de certo modo nos salvou da devastação total do ambiente natural), mas também restringe a produção agrícola de alimentos e de forrragens, com as agravantes do clima (cerca de 600mm chuva/ano), subsolo predominantemente formado de rochas em decomposição, presença de sílica e xisto betuminoso e apenas uma camada fina (menos de 1,0m) de sedimento agricultável. Desse ambiente resulta um processo de agressiva erosão do solo no período de chuvas e açoreamento permanente do leito dos rios, que na maior parte do ano permanecem secos.
Tal fenômeno de precipitação de chuvas localizadas em superfície topográfica acidentada, em qualquer civilização (incaica, asteca, egípcia, etc) resultaria em práticas de cultivo de água, permitindo compensar (produtiva e ambientalmente) a predominância climática de aridez. Não, nossas chuvas adoram banhar-se no mar, a 100 km de distância e nossos políticos, acadêmicos, empresários e demais atores sociais, respeitam secularmente essa tendência, enquanto o gado, sem água e alimento, anualmente engrossa o exército Quixotesco de Rocinantes, escancarando portas para a ação assistencialista direta e escravizante dos produtores rurais, Amém..
Nessa ambiência social que está infinitamente melhor delineada nos escritos romanceados de Graciliano Ramos, Jorge Amado, Gilberto Freire, José Lins do Rego, Guimarães Rosa, Euclides da Cunha, entre outros, o Projeto Portal dos Ventos foi concebido por agentes da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da Universidade de São Paulo (USP) e voluntários daqui, eu entre eles, pretendendo unir as necessidades vivenciais dos estudantes e professores da USP e da comunidade caiçarense, aproveitando outras experiências de contribuição com o processo social, sempre com o objetivo principal do “conhecimento”, do resgate da cidadania e reversão da matriz cultural de dependência e exclusão social.
O Projeto se propôs a iniciar ações de desenvolvimento sustentado e humano e definiu como espaço físico para instalar-se, a partir de janeiro de 2006, a Fazenda São Luiz, na comunidade de Bela Vista, em Caiçara, propriedade formal, mas não espiritual, de minha família: eu, Márcio Cezar Carvalho, pseudo-poeta; Sandra Salu C. Carvalho, minha esposa, pintora e pedagoga; Pablo Cezar Carvalho, filho, quase-médico; Gabriel Cezar Carvalho, filho, DJ e estudante de Administração. A partir de maio de 2007 a Fazenda torna-se um Campus Avançado Experimental da FZEA/USP, através de Portaria (documento deliberativo oficial da entidade), passando a receber estudantes de graduação e professores das 2 áreas, para trabalhos de extensão junto à comunidade caiçarense, incluindo os Bolsistas do Projeto Portal dos Ventos.
Com o acúmulo de ações integradas (mais de 100, desde então), além de estimular-se a revitalização da Associação de Desenvolvimento Comunitário de Caiçara do Rio do Vento (ADECARVE), há 8 anos inoperante, o Portal estabeleceu variados contatos com muitos segmentos sociais, sem lograr captar recursos substanciais que não fossem os gerados apenas em seu próprio interior, e sensibilizar alguns setores do meio acadêmico, do que resultou uma feliz aproximação com o Projeto Solhyco, da Comunidade Européia (formado por mais de 8 países), com desenvolvimento de tecnologias de nergia solar concentrada de alta potência, que atuava predominantemente na Plataforma Solar de Almeria (Espanha), Projeto do qual o Brasil, a partir de 2008, passou a ser integrante, propondo expansão das atividades de pesquisa para o Nordeste do Brasil.
Dessa aproximação resultou uma crescente tendência de aproveitamento potencializador do aspecto ambiental do Projeto, unindo energia limpa e tecnologia social, culminando com a aprovação pelos organismos ligados ao Projeto Solhyco, ao final de 2009, da criação do Projeto Smile, sob a responsabilidade da empresa brasileira Solinova – Soluções em Inovação, com apoio e recursos parciais oriundos dos Fundos de Preservação Ambiental, com participação técnica da DLR – Agência Aero-Espacial Alemã, complementados por captação nacional a ser feita pela empresa brasileira (hoje em fase final de aprovação junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)).
O Projeto Smile traz um elemento novo, com forte apelo de P&D, na medida em que propõe que a tecnologia de Concntradores de Energia Solar de Alta Potência, que gera energia elétrica através da movimentação de uma micro-turbina, que já está em fase de comercialização na Europa, seja pioneiramente testada no ambiente tropical do semi-árido, para prolongar o período de funcionamento da micro-turbina elétrica, com o desenvolvimento de tecnologia baseada na produção de biocombustível, compensando os períodos de queda da captação de radiação solar (noite, chuva, núvens), estimulando uma tecnologia social baseada na produção de biomassa e biodíesel.
É nessse cenário técnico que o Projeto Portal dos Ventos, após 4 anos de atividades na região, propõe um sistema integrado de produção rural e tecnologia experimental, abrangendo cerca de 14 subprojetos produtivos e parcerias com organizações empresariais, acadêmicas, governamentais e não-governamentais, num esforço conjunto para provocar "saltos" atualizadores na organização social, unindo tecnologia e inovação num modelo integrado de produção, que já em janeiro de 2012 terá uma Unidade de Beneficiamento de Leite - Laticínio (com equipamentos já doados pela USP à Adecarve) alimentado por calor originado no Concentrador da Torre da Plataforma Solar, numa experiência também pioneira. Com a inevitável sistemização dos procedimentos produtivos integrados a esse momento tecnológico, a Adecarve assume um papel de extrema importância para a comunidade, na medida em que mediará os procedimentos necessários a uma justa arquitetura de interesses, onde o produtor rural aspire a uma oportunidade de geração de renda e de acumulação de bens que o integre ao modelo moderno de qualidade de vida, como preconizam todos os organismos internacionais com esse foco.
Todos que sabem, sabem como é difícil quaisquer gestões comunitárias, associativas e cooperativas em lastros sociais onde a exclusão social é um fator cultural, dele dependendo o próprio coeficiente de resposta esperada dos potenciais beneficiários. Conhecida também é a praga da descontinuidade da grande maioria dos projetos sociais veiculados pelos órgãos fomentadores do desenvolvimento em países como o Brasil, dadas as condições de flutuação de um "mercado" que, por vezes, parece mais cristalizado nas consciências economicamente ativas do que Deus, em muitos casos fazendo com que o técnico responsável pela assistência técnica a um determinado projeto, ele próprio, que é o capital humano capacitado a duras penas pelas enegias da própria comunidade, se afaste dos seus e corra à procura de outro projeto que se insinue como "bola da vez". Há quem preconize, no Projeto Portal dos Ventos, que não há razão para fazermos, na atualidade, o que Platão fez para ombrear-se a Sócrates: criar um mundo ideal que o merecesse e que não despejasse sobre ele, Socrates, a ignominiosa sistematização da ignorância e da injustiça de sua realidade objetiva. Para nosso bem isso já foi (bem) feito... Nós temos outra função: misturar mil elementos e, pacientemente, medir cada resultado, até o final dos tempos...

Sobre a obra

Este é um resumo produzido para atender ao crescente interesse de interlocutores internacionais que acessam o site www.adecarve.org, em sua maioria interessados na nova tecnologia de Energia Solar Concentrada de Alta Potência, que terá uma plataforma pioneira no mundo instalada em Caiçara do Rio do(s) Vento(s), no sertão do Rio Grande do Norte, neste segundo semestre de 2011.

compartilhe



informações

Autoria
Márcio Cezar Carvalho
Ficha técnica
Texto digitado em arquivo Word
Downloads
212 downloads

comentários feed

+ comentar

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Ocupação das Sesmarias na região de Caiçara do Rio do(s) Vento(s) zoom
Ocupação das Sesmarias na região de Caiçara do Rio do(s) Vento(s)
Aridez é um conceito, apenas... zoom
Aridez é um conceito, apenas...
baixar
doc, 35 Kb

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados