...talvez tenha acontecido assim...

1
Max Reinert · Florianópolis, SC
28/7/2008 · 93 · 4
 

- Você não foi a primeira Carolina... mas, algo ocorreu naquela noite... talvez tenha sido porque você foi a número 8... talvez tenha sido a maneira como nos conhecemos... você, ao contrário das outras, sabia que estava indo encontrar um serial killer. Você, ao contrário das outras, não gritou. Você, ao contrário das outras, queria a morte. Talvez, tudo tenha acontecido assim:

Foram 321 passos até o carro. 12 minutos passando por dois bairros até chegar ao bar onde marcamos o encontro. 07 minutos de espera até ver você chegando. Cabelos loiros, falsamente cacheados. Blusa azul, calça jeans. 1,65 no máximo. Você mente! Mas não no peso. Você realmente estava um pouco acima do peso. Uma mulher normal. Provavelmente eu não a teria percebido se passasse ao seu lado na rua. Mas, se a olhasse nos olhos eu sentiria o que só fui perceber depois.

Você me esperou no bar durante 47 minutos. Eu não cheguei. Eu nunca chego aos encontros marcados. Não gosto de ficar conversando banalidades. Eu gosto de ir direto ao ponto. Você saiu do bar e foi em direção à praça. Você realmente estava procurando algo naquela noite. Você só não sabia que iria encontrar. Não sabia ainda...

Na praça, você sentou no banco e tirou um livro da bolsa. "Cidade do Sol". Você não leu o livro, ficou segurando-o como se quisesse que alguém o visse. Você ficou 17 minutos esperando. Eu pensei em ir ao seu encontro nesse momento. Já era tarde da noite e o movimento na praça era suficientemente calmo. Outra mulher chegou e foi em sua direção. Não sei dizer ao certo se você a aguardava ou não... mas você não se surpreendeu com a chegada dela.

Não consegui contar 01 minuto no relógio e vocês duas já estavam saindo. Eu as segui. Quando entraram no motel eu decidi ficar aguardando. Eu nunca tenho pressa. Foram 88 minutos até que a outra mulher saiu de lá, chorando. 08 minutos eu esperei que você saísse... Você não saiu.
Eu entrei...

- Você não foi a primeira Carolina... mas, algo ocorreu naquela noite... talvez tenha sido porque você foi a número 8... um número infinito... talvez tenha sido a maneira como nos conhecemos... você, ao contrário das outras, sabia que estava indo encontrar um serial killer. Você, ao contrário das outras, não gritou. Você, ao contrário das outras, queria a morte. Talvez, tudo tenha acontecido assim.

Sobre a obra

Conto que faz parte de um blog coletivo chamado "O Triste fim de Carolina Villenflusser" (http://carolinavillenflusser.blogspot.com)... a idéia é que ele faça sentido sozinho... mas quem quiser entender melhor o contexto pode ir no blog.

compartilhe



informações

Downloads
320 downloads

comentários feed

+ comentar
Cristiano Melo
 

Max,
Sua veia ao escrito fantástico é muito boa. As informações/pistas numéricas dão um suspense a mais, ou uma curiosidade a mais.
Gostei muito e com certeza irei ao blog só para conferir.
Parabéns
abraços

Cristiano Melo · Brasília, DF 25/7/2008 12:29
sua opinião: subir
Ilhandarilha
 

Já tinha lido esse aqui no seu blog (coisas ótimas lá). Seus contos são muito bons, Max. Acompanho cada um deles. Escreve para teatro também?
abraços

Ilhandarilha · Vitória, ES 27/7/2008 02:48
sua opinião: subir
celina vasques
 


Iniciando sua votação com muito prazer!

beijo no coração!

celina vasques · Manaus, AM 27/7/2008 11:25
sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

maravilha de escrito.votei.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 27/7/2008 11:39
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 3 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados