VELHO RIO

Domínio Público
1
LAURO WINCK · Rio Pardo, RS
3/3/2010 · 13 · 20
 

Velho companheiro de aventuras.
Em tuas águas límpidas de minha infância
Me senti a mais feliz das criaturas.
Nadei sem medir esforço ou distância
Fiz meu leito em tuas brancas areias
Na calmaria da noite verão
Sonhei com doces e ardentes sereias
Em tuas margens de virgem mata
Descobri o prazer de amar sem cadeias
Tirei de tuas águas o peixe do dia
Dourado, pintado, traíra, tainha
Dourados que, carregar nem podia.
Que ofereci a minha rainha.
Rainha que se foi. Virou sereia.
Hoje choro por ti e por ela.
Molho de lágrimas a tua areia.
Na tua morte me cabe parcela.
Deixei que te poluíssem. Não fiz nada.
Olho tuas entranhas barrentas, sem vida.
Não singro mais tuas águas na madrugada.
Esta é a hora da despedida.
Tua morte sempre será lembrada.
Por que tenho uma ferida.
Encravada na alma arrasada.
Que um dia foi feliz em tuas águas.
Resta a paisagem desolada.
Sem sereias, sem anáguas
Apenas a saudade.
De um velho rio que naufraga
Vítima da crueldade.
Do ser humano, maldosa praga.

Sobre a obra

Voltando a minha terra natal, fui matar as saudades do velho Jacuí.
Levei um choque. Ao invés de suas antigas trilhas, ruas iluminadas, casas e águas poluídas. Esgoto! Meu rio virou esgoto. Águas barrentas, pesca predadora. Confesso que chorei. Acho que ajudei a tirar da água um dos últimos Dourados de 15 kg de que tive notícia. Eles não existem mais. Ali vivi os melhores dias de minha juventude. Agora só cabe a despedida. Ele está agonizante. Não terei coragem de voltar lá. Espero que este poema sirva para alertar aqueles qu ainda acham que podem fazer alguma coisa. Talvez seja tarde.

compartilhe



informações

Autoria
Lauro Winck
Ficha técnica
Texto/Brw
Downloads
252 downloads

comentários feed

+ comentar
Doroni Hilgenberg
 

Que beleza Lauro,
Quem não teve um rio na sua infancia, não sabe o que é sonhar. Pena que as pessoas não respeitam o rio, pois rio tem vida, tem lenda e tem sereias.
Mas o rio da minha infãncia ( Rio Tibagi) ainda é prodigo em peixes, mas ele não corta a cidade, esta longe da poluição.

bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 3/3/2010 21:14
sua opinião: subir
LAURO WINCK
 

Feliz de você que ainda tem um rio. Mas, quantos podem dizer o mesmo?
bjs

LAURO WINCK · Rio Pardo, RS 3/3/2010 21:16
sua opinião: subir
Mirtes Carvalho
 

Meu querido amigo Lauro, Bom te ler. Bom saber de sua sensibilidade de poeta e escritor. Seus olhos choram de saudades e seu coração aperta a cada recordação. Lindo poema. Lindos sentimentos que afloram no meio de suas recordações. Parabéns amigo. Muito bonito. Pena que não podemos voltar no tempo. Você melhora a cada dia se isso fosse possível. Bjs, Mirtes Carvalho

Mirtes Carvalho · Rio de Janeiro, RJ 3/3/2010 21:18
sua opinião: subir
LAURO WINCK
 

Mirtes, finalmente, tenho o prazer de vê-la novamente em meus postados, sempre com comentários amáveis. Fico feliz em saber que está se recuperando.
um beijo em seu coração.

LAURO WINCK · Rio Pardo, RS 3/3/2010 21:28
sua opinião: subir
Ilia Noronha
 

Ola!!!!
Se todos dessem valor a natureza acredito que mt rios, florestas estariam salvas.
belo texto.
Beijus

Ilia Noronha · Manaus, AM 3/3/2010 21:49
sua opinião: subir
ayruman
 

"O murmúrio das águas é a voz de meus ancestrais.
Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimentam nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos, e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam a qualquer irmão".(cacique Seatle, 1854).
Maravilha de postado amigo. Fico sem Palavras.
Abraço fraterno. jbconrado.

ayruman · Cuiabá, MT 3/3/2010 22:50
sua opinião: subir
Greyce Kelly Cruz
 

recordar é viver...

Greyce Kelly Cruz · São Luís, MA 3/3/2010 23:23
sua opinião: subir
azuirfilho
 

LAURO WINCK · Torres, RS
VELHO RIO

A Vida é uma passagem incrível e rápida.
Um caos sem fim a exigir da gente uma tomada de decisão para que lá do alto assistam a gente e avaliem o amor que temos e que nos anima neste Teatro da Vida.
Há tudo para fazer e pelo que caprichar na parte que nos cabe.
Estão contando com a gente.
parabéns pelo Trabalho motivador.
Abração Amigo para todos.

azuirfilho · Campinas, SP 4/3/2010 00:28
sua opinião: subir
Greta Marcon
 

Querido Lauro! Nada mais triste do que ver a morte de um rio. Eu moro perto do rio que passa no meio da cidade; ouço o murmúrio de suas águas; já não tem tanto peixe como outrora. Minha sorte, que o rio da cidade onde nasci,[Jaguari] RS, continua intacto, para quando eu for matar a saudade.
Beijosss

Greta Marcon · Ponte Nova, MG 4/3/2010 02:49
sua opinião: subir
raphaelreys
 

Só encontraremos novamente os ruios da nossa juventude na réplica do mundo astral!

raphaelreys · Montes Claros, MG 4/3/2010 08:28
sua opinião: subir
graça grauna
 

É muito triste ver um rio em agonia e muito mais quando suas águas desaparecem sob nossos pés. Lamento profundamente o que fizram com o velho Jacui. Gostei imensamente do seu poema. Bjos.

graça grauna · Recife, PE 4/3/2010 08:33
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

O lixo já a muito que habita os rios...
Triste que nas gerações futuras , eles nao saberão
o que é um Dourado...
O atum está extinto pela mão do homem.
é triste.
Muito boa a sua mensagem neste poema...

parabens mesmo
ab

Cintia Thome · São Paulo, SP 4/3/2010 10:30
sua opinião: subir
LAURO WINCK
 

Só quem já comeu um Dourado a escabeche, com óleo de dendê e molho de vinho sabe! Pena que gerações futuras não conheçam.
bjs

LAURO WINCK · Rio Pardo, RS 4/3/2010 10:39
sua opinião: subir
kfarias
 

... "maldosa praga".

já disse tudo. o ser humano e suas "maravilhas".
Parabéns e obrigado por mais esse aprendizado.

kfarias · Águas de Lindóia, SP 4/3/2010 13:45
sua opinião: subir
alcanu
 

A gente guarda só as melhores lembranças !
um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 4/3/2010 15:48
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

Esse encontro é sempre triste e retira de nós momentos que entendíamos indeléveis! Abraço.

Juscelino Mendes · Campinas, SP 5/3/2010 00:19
sua opinião: subir
Pedro Vianna
 

O confronto com os efeitos impiedosos do tempo manipulado pelas mãos homicidas do homem sempre nos choca. Ainda mais quando esses efeitos destroem as ilusões da infancia e se opõe ao que chamamos de memória.

Pedro Vianna · Belém, PA 5/3/2010 10:20
sua opinião: subir
Léia Alves Moreira Pierucci
 

Puxa, puxa, triste isso né.. fiquei preocupada agora será que o rio que cortava o sítio também está assimm... desolador..

abçs e tudo de bom pra tí

Léia Alves Moreira Pierucci · Diamantina, MG 6/3/2010 15:40
sua opinião: subir
Léia Alves Moreira Pierucci
 

votadíssiiimmmooooooo....

Léia Alves Moreira Pierucci · Diamantina, MG 6/3/2010 15:41
sua opinião: subir
R. Marcchi
 

Meu Amigo Lauro,

Seu poema traz a dor de quem viu de perto a morte de algo muito querido. Muito bem escrito.

Parabéns. Votadíssimo.

R. Marcchi

R. Marcchi · Rio de Janeiro, RJ 11/3/2010 19:57
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
pdf, 2 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter