VERSOS DE POESIA MINHA

1
Benny Franklin · Belém, PA
24/7/2009 · 6 · 6
 

Amostra do texto

Roubam-se gentes.
Cristais refletem-se no asfalto
e conjugam verbos de poesia minha
— a tropa
e os armamentos perfilam-se
no retropasso.

Regurgito
estampidos de revolveres,
bebo
o vago da aurora
e o condomínio do medo
fode a lonjura como se cresse,
ou mesmo manufaturasse velcro
de partida
levedado por sepulturas
de igrejas.

(Os homens
ainda continuam de fraudas
e alcançam o parapeito
da fome ao primeiro rejeito
da mama que corta a língua
à frente dos asteróides de fuligens pálidas,
à frente do pingo ácido
na relva,
à frente do salteador
que é rápido
à frente da polícia)

Tal como um herói
que não se trai
na antes-morte,
cruzo
aéreo
os arranha-céus de São Paulo:
é cinza-primavera
o lodo que os cobrem,
ou mesmo cru-inverno
os sorrisos sem graça
e deparo
a poesia perfurada à bala
de beiços tremidos
sobre os bueiros.

© Benny Franklin

compartilhe



informações

Autoria
Benny Franklin
Ficha técnica
Poesia Bennyana

Fotografia (...)
gentilmente cedida por "Ana Mokarzel".
Downloads
267 downloads

comentários feed

+ comentar
Cintia Thome
 

Versos de poesia minha
um asfalto, um sangue, é assalto à alma
de São Paulo, da gente das gentes, da folia e agonia
da dor comovente que dá gosto entre as gengivas
e os olhos no lacre tão verdes de esperança
ainda olhos de folha minha


Belo?

O seu Belíssimo

OS HF

Cintia Thomé

Cintia Thome · São Paulo, SP 24/7/2009 21:22
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

Que poema forte!!!
e linnndo. cuja leitura me levou a interpreçao de forma
vibrante...mas com o peso da daçura que ela traz.

adorei mesmo. parabens poeta.

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 25/7/2009 20:28
sua opinião: subir
Juliaura
 

do que falo
se não calo

Juliaura · Porto Alegre, RS 26/7/2009 22:07
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Vou gravar isso...toca-me como tiro
e nao devo calar diante da beleza crua do horrível
desse mundo que versas tão bem...sampa coalha sangue...

Cintia Thome · São Paulo, SP 27/7/2009 10:40
sua opinião: subir
Rangel Castilho
 

Salve, Benny!

Magnífica imagem do interior do poeta e da capital que engole a todos...

Abraço Pantaneiro.

Rangel Castilho · Anastácio, MS 28/7/2009 11:57
sua opinião: subir
Ivan Cezar
 

Grande Benny !

Sou condômino dos versos
E moro no mesmo
bairro do medo ...
abraço !!

Ivan Cezar · São Sepé, RS 9/8/2009 14:41
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
doc, 25 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados