Versos Mudos

1
Isabel Seixas · Rio de Janeiro, RJ
23/5/2006 · 20 · 6
 

Por tempos se calou. Tentou algumas vezes se entorpecer para falar, ou para esquecer. Descobriu q não podia mais viver escondida sobre si mesma. Ansiou, porque não soube que notas tocar. Uma sinfonia muda? Nem a nudez vulgar e nem um disfarce banal.

Isso já não a interessava mais....

Queria soar mais alto... Não sabia como...Caprichou um enredo imaginário... Tentou a eloqüência, queria o êxtase da melodia perfeita! Não foi perfeita... Teve dúvidas sobre seu talento, e se frustrou, mais uma vez...

Lembrou que o ouvido alheio nem sempre está preparado!

Também no caos está a ordem...! Um silêncio preciso. A magia da dúvida. Gritou alto e certeiro! Pôde escutar o eco. Não agradou a platéia... Mas estava feliz! Pôde ouvir a si própria! Ganhou o direito de tentar mais uma vez.

E então foi tocar longe dali... Endorfinas pulsavam com a corrida utópica. Percebeu o êxtase de cada passo, achou o timbre! Ouviu os aplausos depois. E aprendeu que, se um ouvido se fecha, uma nota morre...

compartilhe



informações

Autoria
Isabel Seixas
Downloads
222 downloads

comentários feed

+ comentar
Carol Kalil
 

Vou chorar.

Te juro que parece que fui eu que escrevi isso.

BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

(haouhaouhaohoua)

Pq é EXATAMENTE assim que me sinto quanto ao que eu faço de melhor, que é escrever - imagine as coisas que eu faço de pior - , desde sempre, dentro de minha carreira...

Parece que nunca é o suficiente, ou vc fala e os outros não entendem. Parece outra sintonia, parece que es´ta tudo, TUDO mesmo, vendido, rendido, que tudo já faz parte do sistema... E olha que eu só tô falando de jornalismo, estritamente disso... Imagina se fosse falar do resto.

Bom, pra resumir, parece que vc resumiu neste texto - poema, sei lá, como queira chamar -, a minha experiência no meu primeiro estágio em um jornal. Sem tirar nem pôr.

Carol Kalil · Rio de Janeiro, RJ 21/5/2006 20:32
sua opinião: subir
dáia flórios
 

gostei também.
sugestão: eu colocaria no final..."um ouvido se fecha e uma nota se abre"

dáia flórios · Rio de Janeiro, RJ 22/5/2006 11:45
sua opinião: subir
Carol Kalil
 

Eita, Daia, mas é justamente o contrário...

Carol Kalil · Rio de Janeiro, RJ 22/5/2006 12:33
sua opinião: subir
Marcos Paulo
 

Pra ouvir uma canção dessa, eu fico antenado o tempo todo. Rsrs...
Adorei!

Marcos Paulo · Rio de Janeiro, RJ 22/5/2006 17:19
sua opinião: subir
beni borja
 

Muito bom, Isabel - parte de uma idéia boa. Lembra Clarice, como a ação externa parece tão pequena perto de tudo que acontece por dentro da personagem, como ela interioriza tudo.

Implico um pouco com a palavra "endorfina" - tira um pouco a sensação onírica usar um termo tão científico, mas vai ver essa é a sua intenção.

parabéns, tem o meu voto!

J.

beni borja · Rio de Janeiro, RJ 25/5/2006 07:42
sua opinião: subir
beni borja
 

Ah, por falar nisso, estou postando no Over de outra pessoa, eu não sou o Beni Borja, sou a Julia, hahaha.

J.

beni borja · Rio de Janeiro, RJ 25/5/2006 07:43
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

baixar
doc, 24 Kb

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados