A ponte não dorme...

Luís Osete
1
Luís Osete · Juazeiro, BA
19/4/2008 · 122 · 6
 

Nascida para aproximar duas margens opostas por um feixe d’água (o rio São Francisco), a ponte Presidente Dutra conseguiu transgredir sua própria natureza. Sem perder sua função de ser o elo físico entre as cidades de Juazeiro-BA e Petrolina-PE, a ponte exerce um fascínio de tal maneira que, mesmo depois de percorrermos seus 801 metros, fica habitando nossas vidas por um bom tempo...

Há até quem diga que a palavra ponte é designada de “pontífice”, ou seja, “aquele que é o intermédio entre o Homem e Deus”. Apesar de que, ultimamente, atravessar a ponte Presidente Dutra, especialmente nos horários de pico, tem sido um verdadeiro sacrifício.
Se não fosse a visão do Velho Chico, que ainda encanta boa parte dos 35 mil motoristas que passam diariamente pela ponte, a travessia seria bem mais dispendiosa.

As obras de ampliação e duplicação do símbolo maior do submédio São Francisco foram iniciadas em janeiro de 2002, com a promessa de que em 30 meses tudo estaria resolvido. Lá se vão seis anos e três meses de espera. Agora, agosto é o mês que se apresenta como referência para a inauguração das obras deste símbolo augusto.

Francisco de Assis Bernardino, o Assis da Ilha do Fogo, não acredita muito nesta perspectiva: “Primeiro eles [os consórcios que estão realizando as obras na ponte] disseram que seria só dois anos. Depois disseram que ia terminar no final do ano passado. Agora, estão falando em agosto. Mas eu acredito que só vai terminar lá pra outubro...”.

O certo é que as obras na segunda ponte brasileira em concreto protendido, cuja função primordial (há mais de 50 anos) era ligar os trens de Juazeiro e Petrolina, motivaram muita discussão entre a população das duas cidades. Para algumas pessoas, especialmente historiadores, o correto seria construir outra ponte, uma vez que a Presidente Dutra é um patrimônio histórico da região e, por isso, deveria ser preservada.

Desde o início, a maior preocupação das pessoas é com os famosos arcos da ponte. No ciclo da navegação, eram eles que possibilitavam a passagem dos vapores. E, obviamente, ninguém está disposto a perder de vista uma referência daquele período marcante da história cultural do Vale do São Francisco. O ciúme, neste caso, é muito mais do que a letra de uma música de Caetano Veloso:

“Dorme o sol à flor do Chico, meio-dia/tudo esbarra embriagado de seu lume/ dorme ponte, Pernambuco, Rio, Bahia/ só vigia um ponto negro: o meu ciúme...”. Interessante como a ponte (e só ela) tem esta função, também primordial, de provocar uma relação de pertencimento, um fascínio infindável, de tal modo que às vezes não sabemos se a ponte assumiu a gente ou se nós assumimos a ponte...

onde fica
De uma margem à outra do rio São Francisco, entre as cidades de Juazeiro-BA e Petrolina-PE.
por que ir
Pela importância história e cultural para o Vale do São Francisco, servindo de principal via de acesso do Nordeste com o Sul, Sudeste e Centro-oeste do país. Além, é claro, da oportunidade de vislumbrar a imensidão do Velho Chico.
quando ir
Com as obras de duplicação da ponte, o mais interessante é ir nos horários de pouco movimento. Mesmo assim, a ponte está sempre disponível para quem quiser atravessá-la.
quem vai
A ponte é um lugar democrático por excelência. Todo mundo que precisa ir de Juazeiro a Petrolina ou vice versa percorre seus 801 metros, andando, de transporte coletivo, automóvel, bicicleta...
quanto custa
Nada.

comentários feed

+ comentar
Helena Aragão
 

"não sabemos se a ponte assumiu a gente ou se nós assumimos a ponte..." seja como for, te inspirou a fazer uma dica muito bonita, Luis. O São Francisco mexe mesmo com as pessoas...

Helena Aragão · Rio de Janeiro, RJ 16/4/2008 16:18
sua opinião: subir
rozangela ribeiro
 

Os filhos são como pássaros... as vezes tentamos criá-los embaixo das nossas asas e esquecemos que um dia, eles também criarão asas e sentirão necessidade de voar em busca de novos céus...
Quando leio seus textos sinto-me gratificado e orgulhoso de poder ter proporcionado a você esta liberdade tão esperada!!!!
Um forte abraço!
Vânio Carvalho.

rozangela ribeiro · Entre Rios, BA 18/4/2008 18:10
sua opinião: subir
jacirlen
 

Oi, mais uma vez você mostro que é uma baiano RETADO.Parabéns!!!

jacirlen · Juazeiro, BA 20/4/2008 06:55
sua opinião: subir
etiene
 

parabéns pela sua matéria. a ponte realmente é o cartão postal das duas cidades. conheço seus pais tias e tios, estou com vç. abraço.

etiene · Senhor do Bonfim, BA 21/4/2008 18:13
sua opinião: subir
Luís Osete
 

meu pai,

demorei de comentar sua mensagem não foi por nada não...

fiquei realmente sem palavras, tipo beto guedes na música "olhos de jade": "nada que eu possa falar/fala por tudo que eu sei".

quanto à história que os filhos são como pássaros, deveras são... mas, nem por isso, deixarei de seguir "os teus rastros". afinal de contas, "eu sei que num lugar do sem fim existem dois astros
que velam e esperam por mim".

amo muito vocês!

Luís Osete · Juazeiro, BA 27/4/2008 01:26
sua opinião: subir
Ana Carla Lima
 

Oi Osete!! Hum..vc por aqui também né?? Q legal!! Abss. Carlinha

Ana Carla Lima · Juazeiro, BA 9/5/2008 17:48
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados