Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Flautas de Bambu

Felipe Obrer
1
Felipe Obrer · Florianópolis, SC
16/6/2008 · 131 · 10
 

Jaime Ollivet é flautista, antes de mais nada. Toca muito. Há mais de 30 anos. É chileno, radicado em Floripa.

Vejo como diferença primordial entre o trabalho dele como artesão que produz instrumentos musicais e uma fábrica convencional, que produz em grande escala, essa relação íntima com a música. Em lugar de um operário que aperta botões, ele lida com as flautas das quais também extrai música.

Vale dizer que ele não posou para a foto. Quando entrei por aquele caminho, ouvi a música e em seguida identifiquei a origem. Já conhecia o artesão de outros lugares onde ele expunha antes. Como nesse dia calhou de estar com a máquina fotográfica na mochila, aproveitei e fiz as fotos pensando em postar a dica aqui. Está feito.

onde fica
É possível encontrar o flautista e artesão no campus da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) todas as quartas-feiras durante a tarde. o gramado onde expõe fica entre a biblioteca central e o prédio conhecido como "básico" (na verdade o Centro de Comunicação e Expressão). Para chegar, basta descer pelo acesso que vem da rua Lauro Linhares.
por que ir
Porque o trabalho do Jaime é bonito e as flautas têm, além de bom som, bons preços.
quando ir
Ás quartas-feiras, no período da tarde.
quem vai
Estudantes e professores universitários, a comunidade local, curiosos, músicos.
quanto custa
Os preços (de qualquer coisa neste mundo) não são fixos, então pode ser que mudem com o passar do tempo. Agora, no momento em que escrevo esta dica, uma flauta sai por 20 reais e duas saem por 30.
contato
Jaime Ollivet 48 3337 4801

comentários feed

+ comentar
jjLeandro
 

Um cara que faz o que gosta e com certeza curte a vida. Conheço por aqui alguns flautistas desses, mas bolivianos, que vendem as flautas e CDs nas praças. O som instrumental é mavioso, excelso, faz bem ao raciocínio e aplaca o estresse.
Também gosto de andar com a digital pronta para qualquer eventualidade. Hoje mesmo lamentei tê-la emprestado a um amigo. Estive num local que me daria boas fotos, a calhar por aqui, maas estava "desarmado".
Boa dica.
abcs

jjLeandro · Araguaína, TO 15/6/2008 13:50
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Aqui em Floripa também tem dos bolivianos, mas esse chileno é um caso à parte.

Abraço!

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 22/6/2008 05:45
sua opinião: subir
Dulce Nara
 

Sou encantada por flautas. Na minha cidade quase não existe para comprar e muito menos quem as faça. Eu pelo menos não conheço ninguém!
Ele esta de parabéns!
Ai esta o meu voto!
Abraço

Dulce Nara · Conceição das Alagoas, MG 14/7/2008 14:58
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

O Jaime me pediu para fazer algumas retificações. Lá vão:

Ele está expondo, atualmente, de quarta a sábado na feira de artesanato da Franklin Cascaes, no espaço que fica logo abaixo da Praça XV, ao lado do Largo da Alfândega e do antigo terminal urbano, no Centro de Floripa.

Além disso, o preço das flatuas mudou: atualmente uma não sai por menos de R$ 50,00. A exposição gerada (até por esta nota no Guia) aumentou a demanda. Como o trabalho é artesanal e demanda tempo, tendo portanto produção limitada, nada mais justo do que alterar o preço unitário.


Por último, quero contar que encontrei com o Jaime Ollivet duas vezes depois da publicação. Uma foi rápida, mas houve tempo suficiente para que ele me contasse sobre a guinada que aconteceu com o trabalho dele depois de entrar no "mundo da internet". Acabou recebendo ajuda de uma filha que manja mais do assunto e conseguiu começar a vender as flautas que fabrica em sites de comércio online. Fiquei contente com o resultado prático na vida dele. Me agradeceu muito e propôs uma idéia irrecusável: me disse que sabe fabricar uma flatua em um bambu enraizado, vivo, curvando-o até o chão e tocando sem colhê-lo. Faz os furos e o som, em seguida solta o bambu e ele fica lá, marcado pela música entre os pares que só ressoam ao vento, sem sopro humano. Me propôs filmar o processo. Só me falta a câmera, agora.

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 12/12/2008 14:46
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 



Achei o link para comprar via internet flautas do Jaime.

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 12/12/2008 16:22
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Última observação: as flautas podem sair, com negociação presencial, a 50 reais, mas por correio o preço básico é de R$ 70.

É esse o ganha-pão do Jaime, temos que entender. Mesmo assim, ele se dispõe (conversou comigo sobre isso no segundo encontro, mais longo) a publicar um vídeo no qual ensinaria a fazer as flautas de bambu. Comentou comigo ter descoberto "um furo" nas instruções encontradas na internet. O tom era de indignação, do tipo "tem um monte de gente ganhando dinheiro com isso, mas ninguém explica direito como é que se fabrica". Ele quer fazer isso. A técnica é produto da mistura de referências que vão do Japão aos Andes latino-americanos.

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 12/12/2008 16:26
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Contatos atuais do Jaime Ollivet:

55 48 3337 4801
55 48 9166 0469


Felipe Obrer · Florianópolis, SC 19/12/2008 11:15
sua opinião: subir
Spírito Santo
 

Felipe,

Fantástico! Eu mesmo, que sei 'um monte' de coisas sobre quenas e flutas (em teoria) por causa das pesquisas do Musik vivo pagando mico com alunos que perecebem que eu 'bato mal' de aula, na prática, quando se trata de afinar as 'bichinhas'.
Vou até replicar no blog do musikfabrik

Abs

Spírito Santo · Rio de Janeiro, RJ 3/4/2009 09:49
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Legal, Spírito. Sugiro que também dês algum retorno pro Jaime lá no banco de cultura.

Abração e valeu,
Felipe

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 3/4/2009 10:09
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 



Quem quiser conhecer mais o trabalho do Jaime pode visitar o perfil dele no Overmundo.

Já publicou cartilha com notas e posições da quena e do pífano, vídeo com processo de fabricação de transversal de bambu, dos furos ao acabamento, e por último uma aula de sopro em bambu para iniciantes.

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 23/6/2009 13:29
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados