Marcha Nico Lopes

Paulo Sacramento - www.paulosacramento.com.br
Animação da galera
1
Paulo Sacramento · Viçosa, MG
5/1/2007 · 86 · 2
 

A marcha Nico Lopes tem esse nome em homenagem a Antônio Lopes Sobrinho, a folclórica figura de Viçosa que deu nome à festa. Nascido em 1850, o boêmio velhinho conquistou a simpatia dos estudantes da antiga ESAV (Escola Superior de Agricultura e Veterinária), instituição que veio a se tornar a UFV. A escola havia acabado ser criada e havia apenas 50 alunos no ano 1929. E foi neste ano que o estudante Antônio Secundino de São José, juntamente com alguns amigos, criou a irreverente marcha. O espírito festeiro de Nico Lopes inspirava a festa, da qual só os calouros participavam. Fantasiados, os participantes faziam críticas à universidade e a política regional e nacional como um todo. Com o fim da marcha terminava o período de trote e os calouros passavam a ser tratados como veteranos.

Durante os anos muitas mudanças foram ocorrendo. A partir de 1951, por exemplo, estudantes do sexo feminino, matriculadas no recém-criado curso de Economia Doméstica, começaram a participar. Durante o regime militar a marcha foi proibida. Em 1979, em uma ocasião em que a marcha protestava contra a posse do presidente João Batista Figueiredo, ocorreu um confronto com um batalhão do exército. A partir de 1992 começou a serem utilizados trio elétricos na marcha, o que a transformou em uma espécie de micareta mineira. Em 1995, 1996 e 1997, a marcha substituiu o trio por atividades artísticas e culturais diversas. Em 2003 a Nico Lopes contou não só com shows de grupos nacionalmente reconhecidos, como Cordel do Fogo Encantado e Casaca, como também com palestras de personalidades da área cultural. Estima-se que durante os dias de oficinas, shows e palestras, cerca de 50 mil pessoas tenham passado pelo evento.

A Marcha Nico Lopes deste ano aconteceu pela 76ª vez. O evento chegou a ser elogiado por representantes populares na Câmara Municipal da cidade. Creio que o motivo foi o fato dos organizadores do evento – Diretório Central dos Estudantes (DCE) - terem conseguido resgatar um pouco do espírito contestador original da marcha. É realmente muito difícil organizar uma festa com estudantes universitários que fuja do forte e previsível impulso alcoólico. Em Viçosa, principalmente, sempre foi assim: festa é sinônimo de bebedeira. Espero estar me fazendo por entender, pois não quero ser interpretado como um moralista quadrado. Só quero deixar claro que, do meu ponto de vista, dependendo da forma como uma festa é divulgada e organizada, o panorama da noite pode ser diferente de hospitais lotados de gente tomando glicose na veia. É claro que houve bebedeira e farra nesta Nico Lopes, principalmente em eventos paralelos à marcha, como a festas avulsas em repúblicas e na grande festa do Bloco Nico Loco. Entretanto, pude notar um esforço no sentido de ampliar o leque de possibilidades durante as atividades do evento como um todo. Foi promovida durante toda semana comemorativa da marcha uma programação cultural com concurso de bandas, sessões temáticas de cinema, palestras sobre cultura e apresentações culturais diversas. Creio que por meio das fotos adicionais e dos vídeos 1 e 2 que fiz dê para notar bem o clima da marcha. É, por fim, acho que o tema da Nico Lopes caiu muito bem: Educação, arte e irreverência. Nico Lopes, cultura e consciência.

onde fica
A marcha sai da Universidade Federal de Viçosa e segue em direção ao centro da cidade.
quando ir
O evento não tem uma periodicidade regular.
quem vai
Estudantes universitários.
quanto custa
A marcha é na rua, aberta a todos.
website
http://www.ufv.br/dce/

comentários feed

+ comentar
Ana Cullen
 

Muito bom! Deu vontade de ir... Mas acho que está mais com cara de Overblog esse texto não? Parece mais uma matéria, faz reflexões sobre o foco da marcha, conta a história dela...
Ah! As fotos ficaram ótimas!
Abraços!

Ana Cullen · Brasília, DF 4/1/2007 14:02
sua opinião: subir
Ricardo_Louzada
 

Participei do DCE em 1992 (É pra Mudar) e foi emocionante ver o pequeno trio Realce ( Paulo Batera e sua Turma) começar a festa com a música CAnto ao Pescador (Jogou sua rede, oh pescador, se encantou com beleza desse lindo mar, 2 de fevereiro é dia de Iemanjá...). O arrepio na espinha é o mesmo até hoje, 19 anos depois. Obrigado Alcino, Mário, Abílio, Clarete, Ernane, Rogério e todo mundo do DCE e dos CA's pela coragem de levar um trio elétrico pra Viçosa, direto de Ilhéus-Ba. Preservem a Nico Lopes galera, poucas festas de rua chegam aos 80 anos.

Ricardo_Louzada · Eunápolis, BA 26/10/2011 21:52
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Bloco da percussão zoom
Bloco da percussão
Bloco dos blocos? zoom
Bloco dos blocos?
Água foi jogada dos alto dos prédios zoom
Água foi jogada dos alto dos prédios
Mamadeira zoom
Mamadeira
Meninas da percussão zoom
Meninas da percussão
Água na galera zoom
Água na galera

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados