Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

PARQUE DAS NASCENTES

Divulgação / IPAN
A vista do alto do Morro do Sapo nos mostra que preservar é mais que importante.
1
Labes, Marcelo · Blumenau, SC
1/8/2007 · 114 · 4
 

No início do século XX, a região de Blumenau denominada Nova Rússia era uma área com grande movimentação. Pela época e pelo lugar, podemos mesmo dizer que se tratava de um pequeno perímetro urbano: em 1886, e dali por quinze anos, escavaram minas em busca de ouro e prata; mais adiante, já no século XX, famílias inteiras migraram para o local e ali construíram serrarias, casas, escola, igreja; ali fizeram suas pequenas lavouras e criaram seu gado.

Não tardou para que a iniciativa privada se desse conta do prejuízo que teria. A empresa Artex, do ramo têxtil na região, percebeu que muito perderia com a devastação daquela área: ali estão todas as nascentes do Ribeirão Garcia, um dos principais ribeirões da cidade e que ainda alimenta as tinturarias da Artex, hoje Coteminas. Por isso a empresa adquiriu o terreno: para preservá-lo. Em nome da preservação ambiental (leia-se interesses privados) criaram o Parque Ecológico da Artex. Não sabem o bem que fizeram.

O parque já teve vários nomes e pertenceu a vários proprietários, até que a Artex doou-o à FURB (Universidade Regional de Blumenau) e à FAEMA (órgão público municipal de preservação ambiental): ambas as instituições deveriam tomar conta do lugar. E o fizeram.

Hoje, o Parque das Nascentes do Garcia é aberto ao público. Felizmente, sua localização e o esforço necessário para chegar ao Parque permitem que somente poucas pessoas tenham acesso a ele. Afinal, é uma das áreas de preservação ambiental mais bem estruturadas da região, com vegetação fechada e animais à vista.

Em seus 5.326,16 hectares de área, o parque tem cadastradas 240 espécies de aves, 65 de mamíferos, 39 de anfíbios, 10 de répteis e 10 de peixes. Assim como acontece com animais, é de enorme interesse que sejam conhecidas as plantas presentes no parque, o que até hoje somam 360 espécies de árvores e arbustos. São estes animais (ou rastros deles) que podemos ver ao caminhar pelas trilhas do Parque das Nascentes, entre eles a capivara, o tatu, o guaxinim, a lontra e o puma, mas isto já parece lenda. Tomara que o seja.

A estrutura do parque é diversa. Há área para camping (100 barracas), churrasqueira, banheiros e chuveiros. Há o ribeirão Garcia, onde pode-se banhar no calor. Para quem não gosta de acampar, pode se alugar a casa-sede no final de semana. E há as trilhas.

Com diferentes graus de dificuldade, pode-se caminhar pelo meio da mata e possivelmente enxergar espécies de animais silvestres, sejam aves (tucanos, saíras, saracuras, tirivas), mamíferos (tatus, capivaras, lontras...). As trilham são divididas por grau de dificuldade, ficando entre o fácil, o médio e o difícil.

É nas trilhas difíceis que visitante tem as melhores vistas. A Trilha do Sapo, por exemplo, leva o visitante ao alto do Morro do Sapo, com 760 metros de altitude. De lá pode se ver muito pouco o centro de Blumenau, mas em compensação se tem um panorama da preservação do verde no Vale do Itajaí. A outra trilha leva à Terceira Vargem, onde ainda há resquícios de habitação, como bases de casas (de pedra) e restos do que foi uma serraria.

O Parque das Nascentes, depois de estatizado, tornou-se ponto de parada de pesquisadores e visitantes. A estrutura ambiental fica por parte dos acadêmicos da FURB, que testam ali alternativas contra a poluição, como a lagoa de raízes que filtra o esgoto das casas. A segurança quem faz são os fiscais do parque, que volta e meia precisam recorrer à polícia militar ambiental: apesar de ser dito bem claramente, alguns caçadores parecem não querer ouvir mesmo.

Eis um pequeno paraíso. Quanto à dificuldade em alcançá-lo, não se trata de tanta dificuldade assim. O difícil, mesmo, de verdade, é conseguir não se apaixonar.

onde fica
No bairro Nova Rússia, em Blumenau. O mapa de localização está aqui.
por que ir
Para ver como se consegue, quando se quer, reflorestar e preservar áreas que já foram habitadas e exploradas pelo Homem. E para conhecer um projeto saudável de preservação, pesquisa e visita ao meio-ambiente.

Ah sim, e para contar para todo mundo os animais que você viu fora das grades dum zoológico.
quando ir
Durante todo o ano. No inverno, os mosquitos parecem extintos e no verão dá para tomar banho de rio.
quem vai
Alunos da FURB e de diversas escolas da região; pesquisadores; aventureiros e famílias que querem um pouco de paz e sossego com uma paisagem inesquecível.
quanto custa
A visita ao Parque custa R$4,00 (é necessário documento de identidade).

O valor para acampar é R$10,00 por pessoa e R$6,00 para estudante (mediante comprovação).

Para ficar na casa-sede o valor do Aluguel é de R$60,00 reais para o final de semana mais R$8,00 por pessoa e R$4,00 para estudante.
website
http://www.parquedasnascentes.org.br/
contato
Para maiores informações ligue para 47 3335-1863.

comentários feed

+ comentar
Patricia Moreira
 

Lindo..

Patricia Moreira · Vitória da Conquista, BA 31/7/2007 22:29
sua opinião: subir
CCorrales
 

Muito mesmo. Abs

CCorrales · São Paulo, SP 1/8/2007 13:44
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Labes, quando for viajar pro interior de Santa Catarina, te convido pra ir junto... todos os dias descubro algum lugar novo nas tuas colaborações. Parabéns pelo trabalho.
Te admiro, cara.
Abração,
Felipe

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 2/8/2007 09:48
sua opinião: subir
Labes, Marcelo
 

Patricia, Corales... muito obrigado pela visita.

Obrer, me convide mesmo. Há muito ainda que o que descobrir por aqui. Abraço.

Labes, Marcelo · Blumenau, SC 2/8/2007 10:39
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

A casa-sede, que aceita hóspedes no final de semana. zoom
A casa-sede, que aceita hóspedes no final de semana.
Área de camping, com churrasqueiras. zoom
Área de camping, com churrasqueiras.
Entrada do Parque das Nascentes. zoom
Entrada do Parque das Nascentes.

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados