Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Senhor da cura natural

Yusseff Abrahim
1
Yusseff Abrahim · Manaus, AM
1/7/2006 · 75 · 3
 

Ele afirma ter o dom de saber exatamente do que você precisa. Com seu Francisco Ribeiro, 68, basta explicar o que está sentindo de errado com seu organismo que ele aponta os ingredientes e faz na hora a mistura que vai curá-lo do seu problema de saúde.
A procura na sua chamada Banca do Mel é constante, como a do condutor de triciclo Alcinelson Miranda, 19, que comprou um pequeno frasco de andiroba - óleo vegetal com propriedades cicatrizantes - para ajudar, segundo ele, na retirada de ar do umbigo do filho recém-nascido. "Raramente compro remédio em farmácia", afirma o cliente.
Há 26 anos em Parintins, seu Francisco se considera um caboclo sacaca - aquele cuja sensibilidade permite conhecer as substâncias naturais, finalidades e formas de aplicação. "Ninguém me ensinou, mas eu sei como é e sei que é assim".
Em meio às garrafas de copaíba, leite de amapá, gordura de cobras venenosas como surucucu, sucuriju e tantos outros segredos que a floresta abriga, seu Francisco segue em seu dia-a-dia alimentando a fé do parintinense em seus próprios recursos naturais. A cultura cabocla e a vida agradecem.

onde fica
A Banca do Mel está na Av. Amazonas, em frente à lanchonete Mc Daves.
por que ir
Conhecer e comprar remédios naturais eficientes a baixo custo. Algumas das substâncias vendidas por seu Francisco inclusive servem de princípio ativo para muitos medicamentos industrializados em laboratórios estrangeiros.
quando ir
Aberta diariamente das 7h às 17h.
quem vai
Durante a entrevista, uma grande variedade de pessoas comprou da simples porção de andiroba às garrafadas feitas a partir de misturas mais complexas.

comentários feed

+ comentar
krenakore
 

Acredito nas garrafadas dele, pois é assim que funciona, ele não estudou nada,mais sabe, porque sabe, veja a exemplo a matéria a seguir:
Segredo (MAGIA) para a cura da psoríase pode estar na família das margaridas
LONDRES - Uma planta da família das margaridas tradicionalmente usada pelos índios para combater a psoríase foi estudada por uma equipe do King's College, de Londres - e os resultados das pesquisas mostraram que as sementes das margaridas exercem não só um, mas dois tipos de ação importantes para o tratamento da doença.
A pesquisa, ainda em fase de laboratório, foi financiada pela companhia britânica que produz medicamentos a partir de plantas, a Phytopharm Plc, e seus resultados vieram a público na Conferência Farmacêutica Britânica, em Manchester, no norte da Inglaterra.
A psoríase é uma inflamação e escamação da pele. Afetada pela psoríase, a pele apresenta placas vermelhas e escamosas, sobretudo nos cotovelos, nos joelhos, nas mãos e no couro cabeludo, ignorando-se sua causa exata.
Os cientistas descobriram que as sementes continham uma substância chamada vemodalol, que inibe o crescimento de certas células da pele, produzidas em excesso pelas pessoas que sofrem de psoríase.
Os investigadores descobriram também que esta substância exerce uma ação claramente antiinflamatória, outra propriedade útil para qualquer medicamento que trate desta doença.
Amala Raman, que dirigiu a equipe de pesquisa, disse que, em geral, os medicamentos contra a psoríase só têm um tipo de ação.
"O que é interessante sobre a vemonia é que tem uma dupla ação", ressaltou. "Nossos avós tinham sua razão".
Raman comentou que ainda não tinha decidido qual seria o próximo passo na investigação sobre a psoríase, mas que poderá ser desenvolvido um novo medicamento ou um produto herbário.
A psoríase manifesta-se quase sempre entre os 10 e os 40 anos e afeta milhões de pessoas em
Observem que o investigador Amala Raman, diz “nossos avós tinham razão, ora, é claro, veja que as sementes da planta da família das margaridas, contem vemodalol, é o que os índios krenakore usam junto com mais plantas e as gorduras da cobra e do lagarto, que tem propriedades regenerativas da pele e da carne, a planta da família das margaridas usada pelos índio krenakores, que até então só nascem em regiões de vulcões extintos, chama-se retama, estão descobrindo, o que o índio já faz a tempos, eis então, sem discução, a cura da psoriase em evidencia, comunga desse pensamento, o renomado terapeuta naturalista Victor Souza: ver em blog: http://terapeutanaturalista.blig.ig.com.br
Assim, fechamos essa matéria, com a certeza de ter prestado um serviço de alta relevância aos doentes de psoriase em especial, e acabando de uma vez por toda, com essa fantasia de que psoriase em qualquer de suas formas, não teria cura, pois os krenakores, provaram por a + b, que tem cura sim.

krenakore · Anamã, AM 19/7/2007 02:24
sua opinião: subir
krenakore
 

Si el factor plegado por muchos, de que aludida enfermedad (psoriase)se desencadena por problemas de extress o nerviosismo, fuere correcta, correcto tambem es afirmar que algo debe frenar el desarrollo de la enfermedad, bien como neutraliza-la, por definitivo, la parte de los comentarios existente en la red, de muchos falsos milagros, El preparado del KRENAKORE no Es milagro, ni tan poco una farsa, es sencillamente el conocimiento de las plantas que él tiene, en la calidad ede nativo de selva y por ser indio, he que esos, nunca fueron en médicos, así, tenemos que varías personas por el mundo, ja gastaron fortunas en medicamentos, y ahí ? funciounou ?, sí, funcionó en algunos casos, con acompanãmiento nutricional y pscologico. Pero cuantos otros no tuvieron la misma suerte. De ahí, que cuesta intentar? un pequeño pote para comprobar, se vizualizar señales de que va a resolver el problema, porque no?

MERCOSUR:

Potyra_krenakore@orangemail.es

EN BLASIL:

indio_psoriase@ig.com.br

If the factor nailed for many, of that alluded illness (psoriase)if it unchains for problems of extress or nervousness, will be correct, correct also is to affirm that something must brake the development of the illness, as well as neutralizes it, for definitive, the part of the commentaries existing in the net, of many false miracles, the chemical preparation of the KRENAKORE is not miracle, nor so little a humbug, is simply the knowledge of the plants that it has, in the native quality ede of the forest and for being indian, here it is that these, had never been in doctors, thus, have that you vary people for the world, already had spent richnesses in medicines. and there? it funciounou? , yes, it functioned in some cases, with nutricional and pscologico accompaniment. But how many others had not had the same luck. From there, that it costs to try? a small pot to test, if to vizualizar signals of that goes to decide the problem, because not?

MERCOSUR:

Potyra_krenakore@orangemail.es

IN BRAZIL:

indio_psoriase@ig.com.br

krenakore · Anamã, AM 19/7/2007 02:27
sua opinião: subir
Yusseff Abrahim
 

Olá Krenakore.
Primeiramente obrigado pelo comentário, e fico feliz de ter visto por aqui alguém de Anamã. Ainda vou por ai conhecer esta terra.
Bem, preciso apenas te informar que aqui no espaço para comentários, nós costumamos reservar este espaço para para o que o internauta tem a dizer, publicar o texto de uma matéria não é um procedimento muito aconselhável por não sabermos se o conteúdo está libarado para publicação livre.
Há uma ferramenta nos botões logo acima desta caixa de texto própria para isso, basta selecionar a palavra em destaque e clicar o botão 'link', feito isso, basta clicar em "enviar comentário" para sua mensagem ser publicada com um link.

Yusseff Abrahim · Manaus, AM 21/7/2007 15:34
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados