3ª FitaFloripa animou a capital catarinense

Cristiano Prim
"Cuentos Pequeños" de Hugo & Inês (Peru)
1
Phelipe Janning · Florianópolis, SC
9/7/2009 · 47 · 39
 

Com um público estimado em mais de 20 mil pessoas, o 3º Festival Internacional de Teatro de Animação de Florianópolis (FITAFLORIPA), bate recorde de público em 2009. Entre os dias 14 e 20 de junho, 19 companhias de teatro oriundas de cinco países: Peru, Itália, Espanha, Brasil e França passaram por Florianópolis e deixaram aquilo que melhor representam: a arte em animar objetos, sombras, e claro, muitos bonecos. Aqui você terá um breve panorama do festival, com depoimentos e duas entrevistas feitas com os renomados Hugo Suarez (Peru) e Jordi Bertran (Espanha).

No total 41 apresentações foram realizadas em 13 espaços da Capital, entre teatros e locais públicos, gratuitos ou a preços populares (R$8 e R$4). Grandes referências do teatro mundial em animação fizeram parte deste cenário como a magia das sombras da Cia. Gioco Vita, da Itália, com o espetáculo “Pépé e Stella”; “Cuentos Pequeños”, da companhia peruana Hugo & Inês, que se utiliza de partes do corpo para dar vida a personagens. “São como seres vivos, como se fossem de carne e osso, porém sou eu mesmo”, diz Hugo Suarez,

Em se tratando de manipulação de bonecos com fios a Cia. Jordi Bertran, da Espanha, com “Antologia”, encerrou o festival com espetáculo apresentado desde 1987. “Já é considerado um clássico, está ficando quase perfeito”, brinca Bertran que ganhou os palcos do mundo com a mesma peça. Referencia ainda o grau de cumplicidade que atingiu com seus bonecos: “cansar destes personagens seria cansar de mim mesmo”, ressalta Bertran.

A quarta atração internacional ficou por conta do “Passage Désemboîté”, da companhia francesa Les Apostrophés, que invadiu as ruas do centro da Capital e prendeu atenção dos transeuntes e curiosos. Quem parou para assistir pode garantir boas risadas com os elegantes homens de terno e gravata manipulando objetos simples, como xícaras, pães e vassouras. Os quatro atores ditavam o ritmo de ações junto do sanfoneiro, quem conduzia o público entre as várias histórias, cheias de humor, improviso e constante troca com o público.

Mas não foi só isso: a magia do teatro floresceu em outros pontos da cidade, com companhias nacionais e destaque também para os catarinenses. O espetáculo “Socorro”, do Ronda Grupo de Dança e Teatro, de Florianópolis, “Hagënbeck”, da Cia. Experimentus Teatrais, de Itajaí (SC), e "Só serei flor quando tu flores", da Cia Cênica Espiral foram alguns dos que representaram o que vem sendo produzido no Estado.

Já os brasileiros mostraram igualmente ao que vieram, como a Cia. Circo de Bonecos (SP), com o espetáculo “Circus – A nova turnée”, que encantou e lotou o auditório principal da UFSC. "Bonecrônicas", da Cia Anima Sonho de Porto Alegre (RS), divertiu o público dentro e fora do teatro com esquetes divertidas e cheias de animação.

Espetáculos e grupos:

Nacionais:
“Circus – A Nova Turnée” - Cia. Circo de Bonecos (SP)
“Bonecrônicas” – Cia. Anima Sonho (Rio Grande do Sul)
“Flicts” – Camaleão Teatro de Bonecos (Rio Grande do Sul)
“Uma Noite em Claro” – Cia. Odelê – A Casa dos Gestos (São Paulo)
“Em Concerto” – Contadores de Estórias (Rio de Janeiro)
“(Des)Esperando” – Núcleo #2 do Grupo Sujeitos de Cena Teatro (São Paulo)
“Convocadores de Estrelas” – Seres de Luz Teatro (São Paulo)
“Bichos do Brasil” – Pia Fraus (São Paulo)

Catarinenses:
“O Menino Maluquinho” – Cia. Andante Produções Artísticas (Itajaí)
“Só Serei Flor Quando Tu Flores” – Cia. Cênica Espiral (Florianópolis)
“O Sonho de Natanael” – Cirquinho do Revirado (Criciúma)
“A Farsa do Panelada” – Montagem CEART/UDESC (Florianópolis)
“Socorro” – Ronda Grupo de Dança e Teatro (Florianópolis)
“Nona Strega” – Bando Neon Experiência Cênica (Joinville)
“Hagënbeck” – Cia Experimentus Teatrais (Itajaí)

Internacionais:
“Antologia” – Cia. Jordi Bertran (Espanha)
“Passage Désemboîté” – Les Apostrophes (França)
“Pépé e Stella” – Teatro Gioco Vita (Itália)
“Cuentos Pequeños” – Teatro Hugo & Ines (Peru)

A programação do festival contemplou ainda oficinas e mesa de conversa

O FITAFLORIPA também contribui para formação de profissionais promovendo oficinas voltadas a estudantes e professores de artes. Jordi Bertran ministrou oficina com o tema Manipulação com Fios nas oficinas do Centro Integrado de Cultura (CIC). No mesmo local, Tiche Vianna falou sobre O Ator e a Máscara.

A programação contemplou ainda a mesa de conversa com a professora Dra. Ana Maria Amaral, da Universidade de São Paulo, e o professor Dr. Valmor Beltrame, da Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc). Eles intermediaram debate entre o Núcleo #2 do Sujeito de Cena Teatro, São Paulo (SP), o Ronda Grupo de Dança e Teatro, Florianópolis (SC) e a Cia. Experimentos Teatrais, Itajaí (SC). Os três grupos pesquisam o ator em cena e trazem nos seus espetáculos algo em comum: o boneco.

E como o público recorde superou o ano anterior gerando novas expectativas, “isso significa a realização do quarto FITAFLORIPA”, afirmou Sassá Moretti, coordenadora geral do festival junto com Zélia Sabino, quem assina a coordenação executiva.

Entrevistas por Phelipe Janning

Quero Ser John Malkovich e outros
(Esta entrevista foi publicada no Diário Catarinense no dia 20/06/2009)

Apresentador de uma técnica autoral de manipulação de bonecos com fio, o espanhol Jordi Bertran iniciou sua pesquisa no ano de 1977 para mais tarde desenvolver sua própria companhia. Músico humilde, aprendeu violão com uma régua de desenho quando passou a compor para um grupo de teatro de rua em Barcelona. Seus bonecos foram feitos para satisfazer um desejo pessoal, com um sucesso inesperado.

Você iniciou sua carreira como músico, como chegou até o teatro de bonecos?
Jordi Bertran – Eu comecei com um grupo que descobri nas ruas de Barcelona, em 1977. Se chamava Grupo de Taller de Marionetas, dirigido por Pepe Otal. Antes havia feito conservatório de música, época em que me dedicava ao piano. Eu comecei fazendo música para o grupo, tocava violão, bandolim, quando saiamos em cortejo pelas ruas.

E como foi este primeiro trabalho. Na época, qual era a linha de pesquisa?
Bertran – De lá saí para ser co-fundador da La Companya Ambulante Els Farsants. Os primeiros trabalhos foram apresentados entre 1979 e 1980, quando pude construir e começar a manipular os meus primeiros bonecos. Em 1987, apresentei o meu primeiro trabalho solo, Antologia, no Festival de Tarrega, na Catalunha, com uma compilação de alguns personagens que eu manipulava na Els Farsants.

O que mais transparece nestes personagens, sua personalidade ou suas referências?
Bertran – Na verdade são personagens que eu gostaria de ter sido, aqueles que vi e admirei. A marionete permite desdobrar-me, entrar dentro de cada personagem. Por um instante posso ser Chaplin, Piaf, Malkovich, Dali ou Louis Armstrong, por exemplo.

O que você apresenta em Antologia?
Bertran – É uma relação complexa. Eu não conto nenhuma história, são conflitos, situações emocionais, um verdadeiro cabaré com músicos, palhaços, pintor, cantores de rock, violoncelistas.

Antologia é apresentado há 22 anos. Como você se sente cada vez que entra em cena?
Bertran – Este já é por si só um clássico, e está “quase perfeito” (risos). Gosto muito de ouvir novas opiniões sobre o trabalho. Eu mantenho uma relação de afeto pelos bonecos e, cansar deles, seria cansar de mim mesmo.

E os primeiros retornos, como foram?
Bertran – Foi um inesperado sucesso, nunca pensei que iria viajar o mundo todo com eles. Eu os criei por prazer, para minhas próprias brincadeiras, foi muito sensível, sem pretensão. Com os anos veio o aprimoramento, as marionetes ganharam um atrativo muito forte, uma técnica gestual e autoral surgida através do tempo.

Desde o primeiro trabalho você atua sozinho. Isto foi uma escolha sua?
Bertran – Uma necessidade. Eu trabalhei durante 10 anos em companhias com muitas pessoas e precisava ter uma relação íntima com os bonecos, de buscar maior interiorização com os personagens que fui construindo e descobrindo.

Você se sente sozinho no palco, cercado de bonecos?
Bertran – Eu confio muito neles, eles são bem construídos e têm forte personalidade. Eles são muito bons de comunicação, eu sempre sei que eles irão corresponder, mas eu tenho neles uma situação de total cumplicidade.


As aventuras do "joelho"

Hugo Suarez é ator, manipulador, mímico e fundador do Teatro Hugo & Inês, do Peru. Dirige e atua com Inês Pasic, desde 1986, quando iniciaram a parceria. Desde o início focaram suas atividades na área da pantomima, teatro gestual sem o uso de palavras, focando todas as possibilidades expressivas em cada parte do corpo humano: mãos, pés, joelhos, rosto e onde a criatividade alcançar. O resultado é facilmente visto em cena, com a apresentação de personagens surpreendentes como em "Cuentos Pequeños", que abriu o festival.

A Cia. atua desde 1986, como foi o início e de onde partiram as pesquisas?
Hugo Suarez - Nós começamos experimentando com as figuras corporais, teatrais, na tentativa de retirar novos personagens de diferentes partes do corpo. Isso durou bastante tempo, em 1989 apresentamos o primeiro trabalho “Regresso a La Oscuridad”, realizado apenas com as mãos. Em seguida obtivemos a ideia de passar a atuar com outras partes do corpo, quando em 1990, estreamos “Las aventuras del Ginocchio”, que poderia ser traduzido como as aventuras do joelho.

Estes personagens continuam na ativa?
Suarez - Muitos personagens ainda fazem parte até hoje, mas vão mudando com o tempo. O personagem que faço com a barriga, vem desde 1994, já o dos olhos na boca é apresentado desde 1996. O do joelho e dos pés nasceram entre 1989 e 1990.

Quanto tempo desde a descoberta até a inserção dos personagens nas apresentações?
Suarez - São números soltos. Quando eles aparecem, como a dos olhos na boca, descoberto pela primeira vez em 1995, como um número atípico, vou buscando com o tempo o jeito de pegar os olhos, qual a história que melhor se encaixa, até porque não são bonecos tradicionais. Os joelhos, por exemplo, não possuem nenhuma plasticidade, vou adaptando e assim saem os melhores números. Mas eles nascem em meses, sendo que o mais importante é a criação do personagem, aprová-los, e estar satisfeito com a história, um processo lento.

Como você e Inês realizam o trabalho durante os ensaios?
Suarez - Trabalhamos cada um em frente ao seu próprio espelho e depois olhamos um ao trabalho do outro e nos dirigimos. Em 2000, comecei a trabalhar com a versão Solo dos espetáculos, onde somente os números realizados a quatro mãos ficam impossibilitados de fazer.

Quando você entra em cena, você está só ou os personagens já estão com você?
Suarez - Os personagens são como seres vivos, como se fossem de carne e osso, porém sou eu mesmo! Certa vez um garoto me perguntou quem tocava a guitarra de um dos personagens, se era eu ou o “joelho” (o personagem). Eu respondi que o “joelho” é quem toca e eu dou a melodia (risos). Eles são como seres vivos, são de sangue, tenho muitos personagens em meu corpo, é o meu próprio teatrinho. Desenvolvo o trabalho com poucos elementos (nariz, olhos, camisas e poucos objetos), mas utilizo sobretudo o meu corpo, sem maquinarias, sem grandes efeitos especiais.

E das histórias especiais durante as turnês?
Suarez - Nós temos viajado muito e conhecido diferentes grupos por todo o mundo. Fomos a toda Europa, Ásia, Japão, países norte-americanos e muitas cidades brasileiras. Nas Ilhas Bermudas, terminamos um espetáculo após começar um furacão, um vento muito forte que começou a derrubar toda a iluminação. Na Palestina, quando Inês destapou as pernas para dar vida ao personagem com os pés, toda a platéia foi embora da sala por questões culturais que não permitem observar o corpo de outra pessoa em público.

--

A cobertura completa está no site:
www.fitafloripa.com.br
www.fitafloripa2009.blogspot.com

Letícia Kapper e Phelipe Janning
Assessoria de Imprensa 3º FITAFLORIPA

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Poeta Malume do Brasil
 

Olá amigo, li seu artigo, e desde já faço votos de sucesso! Obrigado por sua consideração em mandar-me este aviso! Abraços! Poeta Malume!

Poeta Malume do Brasil · Fortaleza, CE 9/7/2009 02:20
sua opinião: subir
José Carlos Brandão
 

Parabéns pelo seu trabalho. Gosto muitíssimo do teatro de bonecos. Votos de sucesso.

Abraços.

José Carlos Brandão · Bauru, SP 9/7/2009 14:23
sua opinião: subir
opoertadabaixada
 

Meu Saudoso Pai Trabalhava no cionfecção de bonecos Marionetes, a que chmava de Briguelos, obrigado por me trazer a mentes tão bons momentos. opoeta.

opoertadabaixada · Belford Roxo, RJ 9/7/2009 14:35
sua opinião: subir
Luiz Geremias
 

Valeu. Infelizmente tô tão longe... Minha neneca ia adorar. Abraços e obrigado pelo toque.

Luiz Geremias · Curitiba, PR 9/7/2009 14:56
sua opinião: subir
Greyce Kelly Cruz
 

ri demais,a principio fiquei tentando adivinhar o que era,hihih
eh o joelho do cara eu sou muito tonta!!
ashuahsusha
votei

Greyce Kelly Cruz · São Luís, MA 9/7/2009 15:26
sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

nÃO LI NADA, MAS ACHEI LEGAL A INICIATIVA

Marcos Paulo Carlito · , MS 9/7/2009 15:31
sua opinião: subir
opoertadabaixada
 

LÇerei logo a noite mas desde já obrigago. opoeta.

opoertadabaixada · Belford Roxo, RJ 9/7/2009 15:33
sua opinião: subir
Pedro Monteiro
 

Vou lhe dizer uma coisa amigos, quando a arte pulsa forte na artéria, os meios são conquistados.
Viva a arte, viva ao teatro!

Pedro Monteiro · São Paulo, SP 9/7/2009 16:02
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Phelipe

Saber que o pessoal de Floripa estão engajado no Teatro e
com preços bem acessíves à população, faz um bem danado de bom, pois o Teatro é uma das melhores manifestações culturais para promover alegria e conhecimentos variados.
Vi de cara vi que o bonequinho da imagem era um joelho cantante
E ri da criatividade
grande programação
e pérolas de entrevistas
E que continuem fazendo sucesso por onde passarem
bjs

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 9/7/2009 16:27
sua opinião: subir
Flávia Fontes
 

Que belas fotos!
Fico com água na boca em imaginar os espectáculos!

Flávia Fontes · Macapá, AP 9/7/2009 18:38
sua opinião: subir
Cezar Ubaldo
 

Parabéns,caríssimos,pelo evento.O teatro será sempre importante para a formação de culturas e de educação de um povo.Teatro que diverte,que provoca o pensar,que transforma o ser passivo em questionador é alimento social.Que viva o teatro.E que os homens e mulheres do teatro,sejam sempre homens e mulheres de teatro.Vida eterna.Abraços.

Cezar Ubaldo · Feira de Santana, BA 9/7/2009 19:05
sua opinião: subir
Sandra Santos -
 

Parabéns pelo sucesso!

Sandra Santos - · Porto Alegre, RS 9/7/2009 23:41
sua opinião: subir
Via Cappella
 

Q belo!
induzir o sorriso em outro ser ... é tudo de bom
tanto a quem o faz, tanto àquele q recebe.

Parabens!

Via Cappella · Florianópolis, SC 10/7/2009 00:47
sua opinião: subir
Aldy Carvalho
 

Gostei de ter recebido as informações.

Abs

Aldy Carvalho · São Paulo, SP 10/7/2009 10:46
sua opinião: subir
ayruman
 

Divulgar as manifestaçoes culturais é um dever de todo cidadão que preze por um mundo melhor e mais fraterno. Maravilha!
Abraços e Paz na Terra. jbconrado

ayruman · Cuiabá, MT 10/7/2009 11:35
sua opinião: subir
Felipe Obrer
 

Tive que olhar várias vezes em diferentes momentos até perceber, agora há pouco, que o rosto do boneco da foto inicial é feito do joelho do animador. Incrível. Imagino que tenha sido mais fácil perceber isso pra outras pessoas. Ou não...

Valeu pela cobertura, Phelipe!

Abraços,
Felipe

Felipe Obrer · Florianópolis, SC 10/7/2009 12:58
sua opinião: subir
Ériton Berçaco
 

É de arte q o povo precisa. Parabéns pela cobertura e aos organizadores do Festival.

Ériton Berçaco · Muqui, ES 10/7/2009 15:03
sua opinião: subir
RUI LÔBO
 

Phelippe: Teatro, de qualquer estilo e forma é a maneira mais poética de expressar a vida e manter viva a cultura de um povo! Valeu! Parabéns! Axé!

RUI LÔBO · Brumado, BA 10/7/2009 16:00
sua opinião: subir
erhi Araújo
 

Valeu Phelippe
Sucesso!

erhi Araújo · Feira de Santana, BA 10/7/2009 17:02
sua opinião: subir
Stella Tuttolomondo
 

Parabens!

Stella Tuttolomondo · Rio de Janeiro, RJ 10/7/2009 17:05
sua opinião: subir
Vasqs
 

Só preciso tempo pra ir a essas coisas. Deixa estar, um dia eu me aposento e aí...Tenho fissura por essas coisas, assisto sempre que dá a programação infantil da cultura que é o máximo. Boa sorte!!

Vasqs · São Paulo, SP 10/7/2009 19:14
sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

bom seu trabalho amigo.votado.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 10/7/2009 19:21
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Aline Hermann Berber
 

Parabéns artista!!Lindo seu trablaho!!
Sucesso!!

Aline Hermann Berber · São Paulo, SP 10/7/2009 19:29
sua opinião: subir
Bruno Resende Ramos
 

Simplesmente, encantador.
Bruno Resende Ramos
http://www.novacoletanea.blogspot.com

Bruno Resende Ramos · Viçosa, MG 10/7/2009 23:36
sua opinião: subir
Carlos Venttura
 

Parabéns!

Belo trabalho!

Carlos Venttura · Suíça , WW 11/7/2009 13:34
sua opinião: subir
Raiblue
 

Belísima cobertUra ,Phelipe!!!!

Que trabalho bárbaro o teatro de animação!!!!
E que maravilha ver nosso Brasil participando, com,certeza,lindamente!!
Ainda não existe, em minha opinião, uma forma mais mágica da arte atingir diretamente o coração humano, do que o teatro!!!


Queria muito ter participado desse momento incrível e ímpar,com certeza!!
Aplausos,Phelipe, pela matéria e fotos fantásticas!!!

bluebeijokas
Blue

Raiblue · Salvador, BA 11/7/2009 15:15
sua opinião: subir
Ilia Noronha
 

OIe!!!
Sempre quis conhecer Floripa e espero um dia realizar meu sonho. Mas pelo menos conheci um pouquinho aqui no seu texto. Que obra viu.
Beijinhosss

Ilia Noronha · Manaus, AM 11/7/2009 15:40
sua opinião: subir
Osni Poeta
 

Muito interessante, Phelipe. Parabéns! Um grande abraço overmundiano do Osni.

Osni Poeta · Joinville, SC 11/7/2009 19:16
sua opinião: subir
Zeca Avelar
 

Booommm Diaaa menino Phelipe Janning!

Sou apaixonado pelas Artes, e dentre estas, o Teatro que retrata os cotidianos diários, vividos... sonhados... sentidos.

Assim, só tenho e temos que agradecer pelo Convite, pela divulgação e pelas alegrias que esses seres - artistas - fazem da "arte de viver" um "viver com arte" !

E Floripa, como a Ilha da Magia que é e sempre será, é o Palco próprio e adequado para o nascer e renascer da Arte Nossa de Cada Dia!

Obrigado Amigo e Viva a Arte !!!

ZKrinhoZamenT
ZecaFeliz - gaDs!

Zeca Avelar · Florianópolis, SC 11/7/2009 23:26
sua opinião: subir
menina_flor
 

Olá Phelipe - Um lindo e importante trabalho teatral que voce nos apresenta.
Teatro é vida, é cultura. É diversão com arte...
É muito importante a divulgação desse trabalho.

Parabéns!
Bjos
Patty

menina_flor · Rio de Janeiro, RJ 12/7/2009 18:08
sua opinião: subir
Greta Marcon
 

Parabéns pelo evento. Gosto muito de teatro e de marionetes.
Arte é cultura e o povo precisa disso.
Votado
Baci

Greta Marcon · Ponte Nova, MG 13/7/2009 02:06
sua opinião: subir
Julio Rodrigues Correia
 

Philipe, um grande festival. Esse país precisa de cultura e de esforço como este. Vcs, catarinenses estão de parabens.

Julio Rodrigues Correia · Manaus, AM 13/7/2009 19:25
sua opinião: subir
Mirtes Carvalho
 

Caro Philipe, fico feliz em saber de toda esta programação para teatro de Marionetes e outra modalidades de comunicação, sombras, contadores de histórias, etc A D O R O estas atividades. Adoro contar histórias, ver a galera grudada para saber do andamento da mesma. Vibro o muito com estes eventos. Obrigada por nos contar todo este movimento e muito...mas muito SUCESSO mesmo para todos. Parabéns pela divulgação. Bjs, Mirtes Carvalho

Mirtes Carvalho · Rio de Janeiro, RJ 13/7/2009 20:57
sua opinião: subir
Cláudia Campello
 

Gostei do ler o artigo_convite.
sempre adorei teatro de bonecos.....
e que saLdade de Santa Catarina!

sucesso para todos os eventos!

bjssssss♥;;

Cláudia Campello · Várzea Grande, MT 15/7/2009 01:50
sua opinião: subir
Zemh Teixeira
 

Parabéns!
Excelente cobertura!
Com tanto investimento (muito bem empregado) em cinema (que tem sido de boa qualidade ("técnica ética e estética"), o Teatro (enquanto sexta arte) nas suas várias formas, ainda "sustenta-se a si mesmo", para além das muitas fronteiras.
Obrigado pelo link amigo.
Valeu!
At.
Z.
.

Zemh Teixeira · Belo Horizonte, MG 18/7/2009 02:17
sua opinião: subir
lili mani
 

adoro teatro, mas há muito não frequento, gosto muito das artes, parabéns, encantador.

lili mani · Itanhaém, SP 18/7/2009 15:23
sua opinião: subir
Poeta Malume do Brasil
 

Olá Phelipe, recibi seu recado e li seu texto, meus parabéns! Vais ganhar meu voto! Escrevi um texto para vocês, meus amigos, olha lá minha página, leia sobre o dia do amigo e vota! Abraços, poeta Malume!

Poeta Malume do Brasil · Fortaleza, CE 21/7/2009 19:38
sua opinião: subir
touché
 

Obrigado por se lembrar de mim, eu desconhecia esse tipo de evento, achei muito interessante..Abraços..

touché · Guarulhos, SP 24/7/2009 21:57
sua opinião: subir
Eliana Pontes
 

Parabéns! Adorei a matéria!!!!!!!! Mande notícias, sumido. Como está o livro sobre a história do Senac?

Eliana Pontes · Florianópolis, SC 10/8/2009 19:58
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

zoom
"Antologia" de Jordi Bertran (Espanha)
zoom
"Bonecrônicas" da Cia. Anima Sonhos (RS)
zoom
"Uma noite em claro", Cia Odelê (SP)
zoom
"Convocadores de estrelas", Seres de Luz Teatro (SP)
zoom
"Pépé e Stella", Teatro Gioco Vita (Itália)
zoom
"Passagé désemboîté", Les Apostrophes (França)

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados