A BIBLIOTECA RECICLADA

jjLeandro
Biblioteca do Bairro Santa Terezinha
1
jjLeandro · Araguaína, TO
17/11/2008 · 130 · 14
 

Há homens que lutam um dia, e são bons;
Há outros que lutam um ano, e são melhores;
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;
Porém há os que lutam toda a vida
Estes são os imprescindíveis.

Bertold Brecht



................................................
A história de um homem e
sua humilde biblioteca revela-nos
um ser imprescindível.

...............................................


Há homens cujos sonhos valem a sua vida. Há outros cujos sonhos transformam a vida de milhares. Renato Carneiro Sousa, 28 anos, brasileiro, estudante dos cursos superiores de Filosofia e Biologia, presencial e semipresencial, vai além. É a síntese dos dois tipos, contagiando com seus sonhos outros jovens que com ele vão moldar uma nova realidade.

Na sua vida não cabe precipitação. A pressa não é ingrediente da fórmula que processa diariamente. O resultado do seu trabalho não é imediato. É coisa para décadas. Mas é garantido, e sólido se levado até o fim, pois resulta na formação de cidadãos da estirpe que o mundo mais precisa atualmente: o homem consciente.

Além de estudante ele é professor particular dos ensinos fundamental e médio e dono de uma humilde biblioteca no bairro Santa Terezinha em Araguaína, que funciona desde o segundo semestre de 2005.

Aí reside a sua importância para milhares de pessoas e para o mundo.

A biblioteca

A biblioteca é humilde, sequer tem nome. Mas ele bem podia ser “Esperança”. Ela funciona na própria casa de Renato, na minúscula sala da frente, onde também dá suas aulas. As paredes só não deixam os tijolos completamente à mostra pela ausência de reboco porque são cobertas de ensinamentos em papéis que lhas tornam sublimes. O calor dentro é grande durante o dia, pois as telhas são de cimento. A única pequena mesa é de madeira toscamente lavrada, os bancos são tamboretes — de madeira e couro de boi. Em muitas circunstâncias da vida essas dificuldades e adversidades enfrentadas seriam empecilhos a fazer esboroar qualquer projeto. Mas diante do que guarda, o invólucro anula-se; torna-se superficial, são apenas provações a comprovar que “nada vem de graça nessa vida.” Assim Renato expressou-se a mim quando questionei sobre o choque que a realidade impunha a seus sonhos.

O otimismo estampado em sua fisionomia sempre alegre permeia também suas palavras. Assim falou às crianças que estavam presentes quando cheguei para conversar com ele: “Se Deus mandou esse homem aqui hoje, é porque alguma coisa boa vai acontecer conosco.”

Sonhos ele os tem. São modestos como objetivo de vida. Mas de um alcance ambicioso. “Quero me formar, passar num concurso, ajudar a família, colocar neste local uma biblioteca mais ampla e com melhor acervo para servir à comunidade.” Aliás, o que mais a biblioteca de Renato carece é de livros. Hoje tem livros didáticos, literários, gibis e revistas; mas são poucos. Uma melhor estrutura será bem-vinda, claro, mas quando um acervo maior justificar a sua carência.

O seu maior desejo, e que involuntariamente deixa transparecer em suas palavras, é servir ao próximo. A sua biblioteca, mesmo com o limitado acervo, é freqüentada por alunos de seis escolas de bairros próximos e ainda por estudantes carentes de faculdades da cidade.

Revela-me com simplicidade, numa loquacidade que parece um misto de nervosismo e vontade de conseguir aliados a seu projeto, que “nos colégios aqui por perto sou mais conhecido que arroz de terceira”. Isso tem valido ao professor Renato que pais confiem seus filhos para aulas extras diárias. O bom rendimento das crianças no colégio lhe tem garantido uma grande clientela: 27 alunos fixos. E os pupilos têm um só adjetivo para qualificar o professor quando questionados sobre o seu método e sua dedicação: “bom!”

De crianças até a quarta série do ensino fundamental ele cobra 40 reais por mês nas aulas; a partir da quinta série, o preço é 60 reais. “Com esse dinheiro e trabalhos que faço para alunos de Pedagogia me mantenho e mantenho meu sonho.”

Persistência

Bibliotecas como a de Renato só podem mesmo nascer da persistência. Você imagina como ele amealhou o acervo sem dinheiro que pudesse realizar o seu sonho? Começou com doações de pais de alunos de colégios particulares para os quais lecionava em domicílio. Mas a maior parte foi recolhida no lixo. É uma revelação que ele faz naturalmente sem qualquer ponta de vergonha. “Achei muitos gibis, livros e revistas em perfeito estado largados nas ruas e em lixeiras. Trouxe tudo para a biblioteca. Hoje passam conhecimento adiante.”

Trabalhando com dificuldade, Renato nunca negou acesso à informação a quem procura a sua biblioteca. Aberta diariamente nos três períodos, está apta a consultas no local e até empréstimo de livros. “Quando é pessoa que não conheço, cobro uma taxa pelo empréstimo, após anotar direitinho o seu endereço. Isso vai garantir a aquisição de outro livro se nunca mais receber o que emprestei”, conclui.


SE ALGUÉM DESEJAR FAZER DOAÇÕES EM LIVROS, EU TENHO O ENDEREÇO DO RENATO PARA PASSAR.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Ilhandarilha
 

Fantásticos trabalho e atitude de vida do Renato! A foto dele com as crianças na sala abarrotada de livros e citações nas paredes é emocionante.
abraços

Ilhandarilha · Vitória, ES 13/11/2008 21:20
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Meu Jovem Reporter. Esta materia não é um escrito, é uma reportagem daquelas que enchem o século.
Tenho lembranças agradáveis e ricas do então Norte de Goiás,
uma passagem à noite........ e duas durante o dia por Araguaina, me faz oferecer-lhe um presente.
Vou mandar sim, alguns livros para Araguaina, na pessoa do Renato, vou escolher. Vou ver o que tenho em duplicata
de JORGE AMADO e de
CAMARA CASCUDO, acho muito importante a criança pobre e de cultura regional conhecer algo dos dois.
Não estou me isentando de outros.
abraço
andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 13/11/2008 23:22
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
jjLeandro
 

Ilha, obrigado pela sua presença. A literatura precisa do empenho de todos nós com certeza.
....

André, o seu gesto em doar livros ao Renato fará ele contente e vai ajudar muita gente. Pode ter certeza que documentarei e mostrarei depois a felicidade dele com tudo que receber através da boa vontade dos colaboradores.

abcs

jjLeandro · Araguaína, TO 13/11/2008 23:57
sua opinião: subir
Saramar
 

Leandro, é realmente emocionante a dedicação deste jovem.
Espalhar livros, como disse o poeta, dar oportunidade real aos carentes que, muitas vezes, vêem-se intimidados diante da imponência das bibliotecas (quando elas existem), dar aulas praticamente de graça, abrir a casa para que o conhecimento flua dela, como semente e fonte, são atitudes admiráveis, exemplares.
Este sim, é um homem merecedor de todos os louvores.

beijos

Saramar · Goiânia, GO 14/11/2008 03:24
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
MARCONI BARROS
 

Júnior,
.
Precioso artigo ! Bela a contribuição que você dá a Araguaína e ao Renato ! Abraços !

MARCONI BARROS · Paraíso do Tocantins, TO 14/11/2008 09:21
sua opinião: subir
EdimoGinot
 

Há aqueles que por menos que tenham, multiplicam.
Outros por mais que tenham, são nulos.
Devemos louvar iniciativas como esta
e como este artigotambém.

Um abraço

EdimoGinot · Curitiba, PR 14/11/2008 09:38
sua opinião: subir
EdimoGinot
 

EdimoGinot · Curitiba, PR 16/11/2008 10:35
sua opinião: subir
Ilhandarilha
 

Lembre dessa outra biblioteca aqui, bem no espírito da do Renato.

Ilhandarilha · Vitória, ES 16/11/2008 14:02
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Jorge Daher
 

Gostei muito!
Leia o meu também, por favor! Obrigado
Abraço

Jorge Daher · Ribeirão Preto, SP 16/11/2008 16:24
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Já anotado o endereço volto para votar,
abraço
andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 17/11/2008 19:56
sua opinião: subir
Luciano Carôso
 

Caro Leandro, parabéns pelo texto e divulgação do trabalho de Renato. A gente encontra Renatos de vez em quando por aí. Isso nos dá a certeza de que as coisas efetivamente podem melhorar. Mas os entraves ainda são muitos. Ele, certamente, já descobriu o único caminho possível: educação.

[]s,

LC

Luciano Carôso · Salvador, BA 18/11/2008 06:37
sua opinião: subir
Maris Stella
 

Tocante demais Leandro. Parabéns por nos trazer essa história de vida tão produtiva e necessária ao mundo. Quantos Renatos não temos por este Brasil afora que também careceriam de se tornarem conhecidos? Ao Renato nosso agradecimento pela iniciativa e pelo cultivo feliz de seu canteiro de sonhos!!

Maris Stella · Vitória da Conquista, BA 19/11/2008 10:50
sua opinião: subir
Francinne Amarante
 

leandro:
meu amigo, que maravilha!
doação de conhecimento, solidariedade e esperança!!!

beijão

Francinne Amarante · Brasília, DF 19/11/2008 11:33
sua opinião: subir
Pepê Mattos
 

Taí uma boa notícia, Leandro... Que Renato consiga realizar os sonhos (seus, deles) e que esses sonhos espalhen-se por todos os rincões desse país... Ando sonhando com instalar bibliotecas em todos os municípios desse Brasilzão... Enquanto sonho, o Renato realiza... Abraços...

Pepê Mattos · Macapá, AP 22/11/2008 23:10
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Renato e os seus livros zoom
Renato e os seus livros
Renato orientando zoom
Renato orientando
Parte do acervo zoom
Parte do acervo
O interior da biblioteca zoom
O interior da biblioteca
Renato e suas alunas zoom
Renato e suas alunas
Pesquisadoras na biblioteca zoom
Pesquisadoras na biblioteca

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados