A libertação integral através da arte (1ª parte)

Arquivo CESEP
Momento Celebrativo
1
Zezito de Oliveira · Aracaju, SE
27/1/2009 · 141 · 12
 

Compromissos dos participantes do Curso de Verão 2009

Elevamos nossa prece de ação de graças a Deus e a todas as pessoas, famílias, comunidades e instituições que se somaram ao CESEP (Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular) para preparar este grande mutirão de formação popular e ecumênica, o XXII CURSO DE VERÂO, que aconteceu na PUC de São Paulo de 11 a 18 de janeiro.

Das 656 pessoas procedentes de todas as regiões do Brasil e de vários outros países e reunidas em 23 Tendas que evocaram figuras significativas no mundo das artes, da profecia e do testemunho humano e cristão, 519 eram participantes e 137 monitores e integrantes das diversas equipes de serviço, pertencentes a diferentes Igrejas Cristãs, religiões e filosofias de vida.

ARTE E EDUCAÇÂO POPULAR, o tema deste ano, atraiu grande numero de jovens, educadores, artistas, catequistas e responsáveis pelas celebrações litúrgicas nas comunidades.

Fomos tocados pelo relato dos sofrimentos e desamparo das pessoas nas várias regiões atingidas pelas chuvas e enchentes em Santa Catarina, Minas Gerais e Rio de Janeiro e noutros estados castigados pela seca.

A análise de conjuntura deixou-nos claro que a atual crise financeira vem desembocando em crise política de governança global; em crise social, pelo desemprego que se esparrama pelo mundo; em crise ecológica, com o aquecimento global e a escassez de água potável e em crise humanitária, com o aprofundamento da fome, multiplicação de epidemias e eclosão de guerras.

Protestamos contra os bombardeios indiscriminados de Israel sobre a população de Gaza, que não poupam nem respeitam escolas, mesquitas, hospitais, cemitérios, universidades e áreas residenciais, causando milhares de feridos e mortos dentre a população civil, incluindo centenas de crianças, mulheres e idosos e responsáveis pela ajuda humanitária.

Após dias de intensa partilha, vivência, estudo do tema, de refelxão e escuta da Palavra de Deus nos Salmos, assumimos os seguintes compromisssos:

A) Em relação ao entrelaçamento entre arte e educação popular:
1. Valorizar, no processo de formação, a arte em suas diversas formas, tanto na escola, como nas comunidades, igrejas e movimentos sociais.
2. Trabalhar a arte e educação popular, sobretudo com as pessoas excluídas, buscando a transformação não só da sociedade, mas também de nossas práticas e relações sociais excludentes e desumanizadoras.
3. Construir outro mundo possível, comprometendo-nos a descobrir em nossas comunidades e movimentos, a beleza primeira e última que habita cada pessoa, a natureza e nós mesmos e a reafirmar atitudes de perdão, solidariedade, justiça e promoção da paz.

B) Em relação ao celebrar com arte, beleza e emoção:
4. Levar as nossas comunidades toda a experiência vivida no Curso de Verão, ajudando as pessoas a celebrarem a vida com arte.
5. Reconstruir as celebrações e louvores do povo, a partir dos salmos de ontem e de hoje, tendo a arte como instrumento de formação e vivência da cultura e da realidade das comunidades.
6. Fortalecer a caminhada espiritual e social incorporando nas celebrações a arte e a beleza e introduzindo a pratica do ecumenismo e da inculturação, valorizando música e saberes populares.

C) Em relação aos salmos de ontem e de hoje, como forma de cantar a vida, renovar a aliança com Deus e celebrar a nossa caminhada:
7. Retomar a leitura popular e orante dos salmos.
8. Celebrar a liturgia com participação do povo, promovendo uma igreja profética, sem medo do novo, mas que cuide da memória e dos laços com a tradição das primeiras comunidades.

São Paulo, 18 de janeiro de 2009

O curso de verão, que tem no processo dialógico uma de suas virtudes principais, teve isso na edição 2009 levado a níveis bastante altos, em virtude da proposta metodológica apresentada por Dan Baron e Manoela Souza ampliando as maneiras de trocarmos saberes, quereres e fazeres, para além do formato verbal/racional.

Nesse sentido, os presentes foram convidados constantemente a compor palavras e frases através de gestos em movimento e /ou estáticos, a partir das suas memórias afetivas e simbólicas, as quais posteriormente eram objeto de reflexão em conversas com os (as) companheiros (as) do lado.

Em algumas vezes, os gestos eram induzidos (inseridos em uma história). A sequencia de fotos apresentam alguns desses momentos.


EXTRAS:

O curso de verão está disponivel também em formato on-line, em parceria com a Coordenação Central de Educação a Distância da PUC do Rio de Janeiro (CCEAD/PUC-RJ).
Os cursos On-Line têm como destinatários/as pessoas que atuam nas comunidades, pastorais, movimentos populares, área social, cultural, educacional e política, que desejam continuar sua capacitação, fortalecendo seu compromisso com a educação popular, o movimento ecumênico e a partilha organizada.
Os cursos visam atender, sobretudo, pessoas que por razões específicas não podem se afastar da família e do local de trabalho por período prolongado ou que encontram dificuldades para custear despesas com deslocamento e estadia.

Atualmente estão disponíveis os seguintes:

1. AGUA E CIDADANIA
2. ECOLOGIA: CUIDAR DA VIDA E DA INTEGRIDADE DA CRIAÇÃO
3. JUVENTUDE: OUTRO MUNDO POSSÍVEL
4. ARTE E EDUCAÇÃO POPULAR

Mais informações:
E-mail: c.distancia@cesep.org.br
Tel: (55-11) 3105 1680
Fax: (55-11) 3241-1169

--------------------------------------//----------------------------------------
Para ver a exposição, DOM HELDER - memória e profecia no seu centenário - 1909 - 2009. É só clicar aqui

-------------------------------------//------------------------------------------

Alguns over_manos e manas puderam sentir um pouco da energia que emanava do curso de verão, através do I Encontro Overmundo - Sampa 2009, iniciado na porta do TUCA e regado a ciranda, música do Taiguara, poesia do Pedro Monteiro, acertos em torno de um projeto coletivo, dos abraços, postais com reprodução de pinturas de outros cursos de verão, cafés, refrigerante, cerveja e muito alegria, emoção e, magia. Quem (d)escreveu muito bem foi o Alcanu.
Na segunda parte desse post, tentaremos expressar por meio de palavras, o que vimos/sentimos/ouvimos no curso de verão e no pré-encontro e encontro overmundo sampa 2009.

________________________//________________________

Vale a pena conhecer e navegar na proposta da Alfabetização Cultural, proposta pelo Dan Baron e pela Manoela Souza. A metodologia deita raizes no legado do mestre Paulo Freire e o que tem de singular é o fato de incorporar as diferentes linguagens artisticas para realizar a leitura do mundo e organizar a atuação plural de todos os seres humanos que são dotados de inteligências para isso. No blog do consórcio cultural, colocamos a disposição resenha do livro Alfabetização Cultural e outras informações uteis.
Neste mesmo endereço está disponivel o texto da análise de conjuntura apresentada pelo professor Pedro A. Ribeiro de Oliveira
da PUC-Minas e membro de ISER-Assessoria.



compartilhe

comentários feed

+ comentar
Zezito de Oliveira
 

Enfermaria
Coluna de Mylton Severiano na Revista Caros Amigos


"O exercício da arte poética é sempre um esforço de auto-superação e, assim, o refinamento do estilo acaba trazendo a melhoria da alma." Mário Quintana (1906-1994)

Teia
Capítulo 4 (final) - À flor da pele: Alfabetização Cultural


Resumo: A idéia de teia nasceu de epígrafe de João Cabral de Melo Neto em livro sobre o Afroreggae, ONG de Vigário Geral que educa crianças pela arte: Um Galo sozinho não Tece uma Manhã. Quem nos apresentou o livro e o Afroreggae foi a Elizah, apresentada pelo Bruxo da Fidalga, que também nos apresentou Dan Baron, que nos levou ao Morro da Caixa e ali montou oficina de Alfabetização Cultural, pouco depois que outro fio da teia se alçasse sob a lona do Circo Picolino.

Pura coincidência? Em junho, quando iniciávamos curso de clown com a palhaça florianopolitana Patrícia dos Santos, em Salvador o circense Anselmo Serrat buscava alguém para editar o texto do Almanaque Picolino, em comemoração aos dezoito anos de sua escola de circo. Queria algo no estilo do Almanaque Brasil de Cultura Popular, revista de bordo da TAM criada pelo colega de hospício Elifas Andreato. Pronto: quem cuidava do visual do Almanaque Picolino era a amiga Virgínia Fujiwara, que nos indicou justamente na condição de editor de texto do Almanaque do Elifas.

Como uma teia se amplia: a Picolino, após mil sacrifícios, envolve trezentas pessoas – treinadores, voluntários e centenas de alunos, boa parte crianças “de rua”; e sua história, ao chegar a Florianópolis, incita gente a fundar também aqui uma escola de artes circenses.

De volta a Floripa. Morro da Caixa. Padre Vilson é referência aqui. O militante cultural Dan Baron e Vilson ficaram amigos certa noite de 2003; Dan ofereceu jantar de solidariedade a um “juiz progressista vítima de perseguição”, pai do colega de hospício Fernando Evangelista e também amigo de Vilson. Dan diz que amizade é “contagiosa”.

No começo de 2004, Dan e Manoela, a Mano, promoveram no morro a oficina Alfabetização Cultural, de sexta a domingo. Na igreja de Vilson. Cinqüenta pessoas. Os do morro hospedaram os da cidade. A oficina mexe com a gente. Numa seqüência, devemos escolher como par a pessoa mais diferente de nós; que lhe tomemos as mãos e acariciemos, examinemos, simulemos o gesto de lavá-las e enxugá-las; aí, trocamos de lugar. Depois, fechamos os olhos e exploramos com as mãos o rosto um do outro. Noutra cena, em grupos de cinco, sentamos no chão e cada pessoa põe na roda um objeto seu e fala do significado; uma jovem mulher chora ao falar de sua aliança – “quando minha mãe morreu, minha irmã tirou a aliança do dedo da mãe e me deu, disse que fui eu quem cuidou dela até o fim”. Dançamos, cantamos, teatralizamos conceitos e preconceitos.

O domingo começa com o preparo do pão. Um a um, vamos à mesa e doamos nossa cota: amassar, mais farinha, mais óleo, amassar, dar depoimento. Os do morro se abrem mais. Teco conta como drenaram e calçaram ruas com as próprias mãos. Maria relembra que catavam lenha para cozinhar. Alessandra narra a saga da família até ela, primeira a entrar no curso superior. O pão seria partilhado (“corpo de Cristo”) na missa noturna, antes das despedidas. Inesquecível o apelo emocionado do mulato aos brancos do centro: “Agora, quando encontrar a gente, vê se pelo menos cumprimenta”. Dan nos diz que sempre se preocupou com a contradição entre barricada-dos-excluídos e fortaleza-dos-incluídos:

“Naquela igreja, os ‘analfabetos’ ensinaram como ler e escrever o mundo majoritário. E a oficina alcançou um raro diálogo íntimo e lúdico entre esses dois mundos subjetivos. Ouvimos a comunidade negra, lemos e trocamos com o corpo histórias infaláveis, escrevemos nossos preconceitos inconscientes através da dança-narrativa. Assim, o ‘negro do morro’ e o ‘branco do centro’ vivenciaram uma empatia que revelou que uma nova solidariedade, descolonizada, recíproca, pode ser possível.”

Dan acaba de lançar Alfabetização Cultural – A Luta Íntima por uma Nova Humanidade (quer? livraria@alfarrabio.com.br). São seus referenciais Paulo Freire e Augusto Boal. No livro, ilustrado, Dan expõe “propostas para uma pedagogia de autodeterminação baseada na arteducação”. Nas páginas finais, fotos da oficina no morro; numa, contracenam a Maria que catava lenha e a arteducadora Katia. Negra e branca. Na legenda, Dan transcreveu o que disse Maria na sessão de despedida, sobre o momento em que Katia lhe tomou as mãos para “lavá-las”: Senti que tua mão esfriou de repente; e o que disse Katia, no depoimento mais contundente e lancinante, resumo da tomada de consciência do “branco do centro” em relação ao “negro do morro”: Foi como se eu estivesse lavando minha alma da culpa pelos que foram escravizados por meus antepassados.

Estendam-se e liguem-se teias por esses brasis, porque um galo sozinho nã

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 25/1/2009 18:27
sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Estendam-se e liguem-se teias por esses brasis, porque um galo sozinho não tece uma manhã.

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 25/1/2009 18:29
sua opinião: subir
alcanu
 

Maravilha, zezito, seja feita a vontade do Criador aos Homens de Boa Vontade !
um beijo !

alcanu · São Paulo, SP 25/1/2009 19:13
sua opinião: subir
raphaelreys
 

E viva o movimento e os homens de boa vontade! Uma grande energia de fraternidade. Parabéns Zezito e participantes!

raphaelreys · Montes Claros, MG 25/1/2009 20:06
sua opinião: subir
Pedro Monteiro
 

Salve Querido amigo Zezito!
Viva a paz na Terra e os homens do bem.
Baita injeção de animo e da melhor qualidade.
Abraços

Pedro Monteiro · São Paulo, SP 25/1/2009 21:48
sua opinião: subir
azuirfilho
 

Zezito de Oliveira · Aracaju (SE)
A libertação integral através da arte (1ª parte)
Amigo e Mestre poeta.
depois daquelas Aulas nas arcadas no Tuca da PUC-SP mais do que nunca vamos aplaudir seus trabalhos devtanta riquesa do que há de melhor da nossa Cultura Popular e legítima do Brasil.
Parabéns Amigo.
Seus Trabalhos sáo sempre impecáveis e de Utilidade Pública.
Abracáo Amigo.

azuirfilho · Campinas, SP 25/1/2009 23:46
sua opinião: subir
nina araújo
 

Maravilhosa convocação e que seja assim sempre a arte na pauta de todos os movimentos!! Parabéns!
beijos poéticos,

nina araújo · Rio de Janeiro, RJ 26/1/2009 09:02
sua opinião: subir
Ivette G.M.
 

Parece-me que vocês tem escolhido as grandes cidades, onde os problemas também são grandes. Issoé muito bom, para levar humanização, amizade, fraternidade, com arte, que contribuirá para a transformação de uma sociedade violenta.
Parabéns. Ivette G M

Ivette G.M. · Cotia, SP 26/1/2009 11:28
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

Vou voltar para abrir os links.
Falar na atual crise economica, outros falam em crise financeira.
Ao que me parece de forma nenhuma pode se chamar de crise economica. Nada houve no mundo que possa desaguar numa crise economica; crise financeira também não. A crise financeira é consequencia de uma crise monetária. E esta é rigorosamente uma crise monetária.
E sopram os ventos do passado que seja uma crise montada, urdida para atrapalhar o Governo BARAK OBAMA, e com isto tirar a oportunidade de os EUA botar a África no círculo do Livre Comércio.
OU de desmoralização do proprio Obama, e por tabela o negro do
mundo, mais uma vez.

Andre Pessego · São Paulo, SP 26/1/2009 21:05
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

ZezitoIsso é ecumenismo, o resto é tentativa !...rsrs
lindo tudo, meu amigo !...pena não ter podio ir no encontro...haverá outros !
abraço
(André Pêssego : é isso ai, sem tirar nem por !... só tiro meu chapéu pra vc !...abraço)

joe_brazuca · São Paulo, SP 27/1/2009 00:12
sua opinião: subir
ayruman
 

Oi. Desculpe a pressa... Votado.
Luz e Paz. Abraços. jbconrado

ayruman · Cuiabá, MT 27/1/2009 10:54
sua opinião: subir
nina araújo
 

Voltando feliz!!!
beijos poéticos,

nina araújo · Rio de Janeiro, RJ 27/1/2009 18:41
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

D. Hélder Câmara esteve perto de nós (re)vivendo seu legado, na entrada do TUCA zoom
D. Hélder Câmara esteve perto de nós (re)vivendo seu legado, na entrada do TUCA
Plantando sementes do bem, da alegria, da fertilidade, da criatividade... zoom
Plantando sementes do bem, da alegria, da fertilidade, da criatividade...
Cuidando, adubando, regando.... zoom
Cuidando, adubando, regando....
Abrindo o coração para o recebimento e doação dos frutos zoom
Abrindo o coração para o recebimento e doação dos frutos
Espalhando os frutos gerados pelas sementes para o ciclo da vida continuar zoom
Espalhando os frutos gerados pelas sementes para o ciclo da vida continuar
Dan Baron e Pe. José Oscar Beozzo (coordenador geral do curso de verão) zoom
Dan Baron e Pe. José Oscar Beozzo (coordenador geral do curso de verão)

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter