Agora e na hora de nossa morte, amém!

1
Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI
8/11/2007 · 176 · 12
 

"Citação: leve um homem e um boi para o matadouro.
O que berrar primeiro é o homem,
mesmo que seja o boi."
Torquato Neto: Pessoal Intransferível


Na vida da gente existem sempre, a cada minuto, dois momentos cruciais: o aqui e agora e a hora da nossa morte, amém! Alguns de nossos amigos e todos os nossos antepassados tiveram, ou melhor, "vivenciaram" uma única vez estes dois momentos ao mesmo tempo. Este futuro momento nos espera!

Acho, acho não, tenho certeza, que o que a humanidade tem de melhor e, ao mesmo tempo, a sua maior tragédia, é a consciência que todos nós temos da Morte Certa. Para mim é esta a essência do ser humano adulto, seja ele um feitor de guerras ou um convicto pacifista, um sádico ou um humanista, um serial killer ou um defensor intransigente da vida em todas as suas formas, uma pessoa profundamente religiosa ou um ateu convicto, moralmente desmoralizada (mendigo, drogado, parricida, e por aí afora) ou alguém que se atribui um alto valor moral, esteja ele em Wall Street ou em Ruanda, formado na Sorbonne ou nas ruas de Hong Kong, goste, não goste ou nunca tenha ouvido sequer falar a respeito dos Beatles.

Desde a mais sublime poeta ao mais abjeto criminoso, do mais generoso altruísta ao mais cínico egoísta, do mais devasso ao mais santo dos monges, do mais místico ao mais descrente dos homens, da virgem recatada até a mais promíscua prostituta, cada um de nós age na vida em função das conseqüências que deduz da certeza da morte, da sua postura diante dela. A própria religião, Deus não faria nenhum sentido, nem teria qualquer utilidade sem a promessa da vida ("eterna") depois da morte!

Claro que eu falo do ser humano adulto, mas não se trata, no caso, de um fenômeno físico. Acho que uma pessoa se torna adulta quando toma consciência da inevitabilidade da morte. E a ingenuidade celebrada nas crianças para mim não tem caráter sexual: não se trata do fato que elas ignoram como nascemos mas sim, que ainda não sabem como, inevitavelmente, termina esta nossa "experiência terrena".

Já pensei, várias vezes, em escrever um livro totalmente dedicado à morte dos únicos seres na terra que realmente morrem: os homens. Porque a morte não é "propriedade de quem morre" mas, também ela, e principalmente ela, propriedade social! Quem morre, morre: serão os vivos que sentirão a minha morte, como eu senti a morte dos meus pais, do meu irmão e de tantos amigos!

Para além da perda destes meus entes queridos eu vivenciei, na morte deles, a minha, anunciada. E até humanizamos o passamento de nossos animais de estimação, sofrendo a sua perda como se, de fato, morressem! Um religioso diria que a diferença entre os animais e os seres humanos é que aqueles não tem uma alma a ser salva. Eu afirmo que a diferença reside no fato de que eles não tem consciência da morte!

Via de regra, a morte de uma pessoa qualquer só afeta um círculo muito restrito de familiares e amigos e as estatísticas demográficas. A exceção são os famosos Outro dia, aqui mesmo no overmundo, alguém se dizia inconformado com a comoção popular causada pela morte do ACM Ditadores sanguinários como Hitler e Stalin, ainda hoje, são lembrados. A busca da fama tem muito disto: morrer mas ser lembrado. O fascínio e a luta pelo poder também se revestem, pelo menos em alguma medida, deste caráter. A maior aspiração do artista é que sua obra permaneça. Os membros das Academias de Letras são, ainda que por decreto, imortais!

Existiu um grego que tocou fogo, se não me engano, no oráculo de Delfos declaradamente só para ser lembrado pela história. Parece que o assassino de John Lenon ( me recuso a guardar seu nome) desejava o mesmo. Bilhões e bilhões de pessoas já morreram. Pouquíssimas permanecem nos anais da história!

Cada um sabe de si! De minha parte tudo o que eu faço é em função de ser lembrado por muito mais tempo (de preferência séculos) e por muito mais gente após a minha morte! Mas não quero ser lembrado apenas pelos textos que escrevi ou os desenhos que fiz, mas também como uma pessoa boa, doce, sensível, amável, por ser "dengoso" como dizia minha avó! Quero, também, por ter abraçado, com o melhor do meu ser, o Piauí, o Estado mais charmoso do Brasil, e por tudo o que esta atitude tem de poética. É este o meu projeto mais, digamos, estratégico.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Marcos Paulo Carlito
 

Joca, a citação de cabeceira é terrivelmente verdadeira...

Marcos Paulo Carlito · , MS 5/11/2007 12:30
sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

e o texto bastante pertinente ao exercício do pensamento mortal... ops, duplo sentido aqui: O pensamento é mortal? E a mente?...

Marcos Paulo Carlito · , MS 5/11/2007 12:36
sua opinião: subir
Nivaldo Lemos
 

Joca,
que seu projeto estratégico tarde o máximo a se concretizar e que o privilégio de sua convivência ainda nos seja um prazer por muitos e muitos anos.

Abraços.

Nivaldo Lemos · Rio de Janeiro, RJ 5/11/2007 17:01
sua opinião: subir
brigitte
 

Joca,
o dito popular, corretíssimo por sinal, "para morrer basta estar vivo" se encaixa perfeitamente no contexto abordado. A certeza da morte é o que nos faz tentar viver em harmonia com o cosmos e ficarmos em paz com a nossa consciencia, pelo simples fato de não sabermos a hora derradeira.A sabedoria divina é extrema, como sempre é, quando não nos permite conhecer com antecedencia o quando nem como se dará a hora derradeira.Numa coisa eu acredito: ninguém morre antes da hora. E a hora é quando a missão a ser cumprida se esgotar.E eu acho que você ainda tem pelo menos uma ainda a ser cumprida: a edição do livro virtual( rsrsrs)
Vida longa para você!
Abração!

brigitte · Goiânia, GO 5/11/2007 23:40
sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

O voto é um ato mortal?
Matado...

Marcos Paulo Carlito · , MS 7/11/2007 09:44
sua opinião: subir
Nivaldo Lemos
 

Joca, votado.
Abraços

Nivaldo Lemos · Rio de Janeiro, RJ 7/11/2007 10:29
sua opinião: subir
Elizete Vasconcelos Arantes Filha
 

Joca. Só pude ler agora, estava muito atarefada nos meus afazeres de vida. Texto primoso, de fácil leitura. Um assunto que geralmente as pessoas se negam em pensar e até falar. Portanto, és corajoso. provavelmente este texto seja o melhor ou um dos melhores lidos até hoje aqui no over.
Só achei que as imagens deveriam ter créditos, (pertencem a qual cultura, em que ano, essas coisas que são importantes para identificação).

Elizete Vasconcelos Arantes Filha · Natal, RN 7/11/2007 10:45
sua opinião: subir
brigitte
 

Joca, querido
vim votar, claro!
Parabéns e um abração!

brigitte · Goiânia, GO 7/11/2007 18:11
sua opinião: subir
LAILTON ARAÚJO
 


JOCA! (Teimoso e Pensador)


O que está acontecendo com você? O texto é muito bom! O tema sobre morte e vida é fundamental para a comprensão, de quem somos, o que fazemos, de onde viemos e pra onde vamos...

Estou preocupado com você! Tenho "sexto-sentido"...

Marque meus e-mails:
lailtonaraujo@ig.com.br
lailtonaraujo@bol.com.br

Quero que saiba de uma coisa: não estou nesse site apenas para escrever, pontuar, mostrar meu dotes artísticos e ser apenas mais um - perdido num mar de ilusões - "latino americano, sem dinheiro no banco e vindo do interior (Belchior)"...

Estou aqui para aprender e entender o ser humano! E brigar também! Como qualquer ser humano... E você e eu fazemos parte do universo de pessoas que pensam, e são sensíveis (ou insensíveis) ao dia dia...

Leia isto...

VISÕES DE TERÇA-FEIRA...

Hoje é quarta-feira e a noite chega
Igual à sombra do repouso eterno
E a viagem será mais confortável
Sem corpo... Como é fácil flutuar!
E perceber as emoções - fluindo
Como raios em plena tempestade

Serão eternas as nossas lembranças
E os dias não estarão no calendário
As mágoas estarão perdidas no ar
Pois o amor já habita a alma livre
É manta do Pai Eterno, protegendo
Mais um filho com sede de carinho

E as vozes dos que ficaram, pedem
Indulgência pelo irmão que viajou...
As flores são de respeito nas orações
E todos os santos serão procurados
Mas Deus... Escuta e sabe o porquê!
Deste segredo nunca ser revelado...

Os espíritos esperam a oportunidade
A nova missão virá por merecimento
Sendo luzes que brilham no universo
Os olhos na Terra vêem e admiram
Nunca conhecerão o grande mistério
Da reencarnação da alma no corpo...

OBS.: Se o que eu estou entendendo é o que você pensa... Cuidado! Não vai resolver nada... Fique sabendo que a fuga só aumenta o "karma" nas próximas missões...

Votei e bem votado!

Aguardo contatos...

Abraços.

Lailton Araújo

LAILTON ARAÚJO · São Paulo, SP 7/11/2007 23:12
sua opinião: subir
Letícia L. Möller
 

Querido Joca:

Parabéns pelos sentimentos que expressa em teu texto.
O tema da morte e do reconhecimento de um direito à morte é fascinante. Tanto que fiz minha tese de mestrado, em 2004, justamente sobre ele, defendendo o direito dos pacientes em estado terminal a terem limitado um tratamento que se mostra fútil ou inútil, que apenas prolonga um estado penoso de final de vida não desejado pelo paciente. Este meu trabalho foi publicado este ano, com o título “Direito à morte com dignidade e autonomia”, pela Editora Juruá. Aproveito a deixa para fazer uma auto-propaganda, e colo abaixo a sinopse do livro.
Um forte abraço,
Letícia.

Sinopse:
O cenário do fim da vida no ambiente hospitalar envolve dilemas éticos e jurídicos acerca da definição de rumos de tratamento de pacientes terminais. A tendência ao prolongamento excessivo e penoso do final da vida, comumente fruto de uma atitude de angústia perante a finitude e de um determinado perfil de formação dos profissionais da saúde, começa a encontrar oposição na percepção de que excessos vinham sendo cometidos. Fortalece-se a exigência de uma postura de respeito à autonomia dos pacientes terminais, estes capazes de definir para si próprios em que consiste morrer de forma digna, de acordo com seus valores, crenças e convicções. O direito à morte com dignidade e autonomia deve ser compreendido como reconhecido juridicamente na categoria dos direitos fundamentais, tal qual expressa na nossa Constituição, bem como na categoria dos direitos humanos, compondo um mínimo ético possível de ser compartilhado por diferentes indivíduos e comunidades culturais, com distintas concepções de vida e morte.

Letícia L. Möller · Porto Alegre, RS 8/11/2007 13:44
sua opinião: subir
stefano ferreira
 

Joca, esse texto está simplesmente maravilhoso, com uma reflexão profunda e filosófica sobre o enigma maior da humanidade.

stefano ferreira · Oeiras, PI 10/11/2007 01:05
sua opinião: subir
Ize
 

Caraca Joca,
que texto bom!!! A fotografia que o encabeça é admirável!!!
Parabéns!
Bjs

Ize · Rio de Janeiro, RJ 27/12/2007 02:32
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados