Com arte e com afeto

1
Zezito de Oliveira · Aracaju, SE
3/8/2006 · 98 · 12
 

Nas aldeias indígenas, as crianças e adolescentes são assumidos pelos adultos. Todos formam uma mistura de pai, tio, irmão mais velho ou primo. Lá o ditado “quem pariu Mateus, que o balance” não voga. Isso contribui para que não haja trombadinhas, mendicância, meninas prostituídas, problemas com drogas,pois o que existe são os filhos e filhas da aldeia.

Em nossa sociedade branca, “cristã” e ocidental, no entanto, é necessário escrever na Constituição que criança é prioridade absoluta e é responsabilidade da família, da sociedade e do Estado. Ainda assim,por esse compromisso não ser levado a sério é que vez ou outra a imprensa nos mostra que muitos adolescentes respondem ao desprezo, à humilhação, ao abandono e à exploração através de agressões a indivíduos e ao patrimônio, furtos e até assassinatos.

Na periferia de muitas cidades e em vários rincões deste imenso país, muita gente boa está recuperando o legado de nossos ancestrais índios e cuidar das crianças e adolescentes para que se transformem em adultos belos, saudáveis, solidários. Afinal, não custa lembrar que o fruto que colhemos depende da terra, da semente e do adubo que resolvemos colocar. Como nos falaram há algum tempo os rapazes do grupo musical A Cor do Som, “Sim, é como a flor, de água e ar, luz e calor, o amor precisa para viver, de emoção e de alegria e tem que regar todo o dia” e Milton Nascimento e Fernando Brant: “É preciso cuidar do broto, para que a vida nos dê flor e fruto”.

Nesse sentido, são diversas as iniciativas socioculturais que têm como objetivo lembrar aos adultos, através do teatro, da dança, da música, da pintura, da capoeira, do audiovisual, dos meios impressos e das emissoras de rádios algo que eles jamais deveriam ter esquecido e que os adultos do amanhã jamais esquecerão: que crianças e adolescentes precisam comer, brincar, estudar de verdade e não como faz de conta, praticar esporte, fazer arte e participar das discussões e decisões que digam respeito ao seu bem estar físico, moral e intelectual. Porque é assim que se constrói um país que nos faça sentir prazer de ter nascido em seu chão, uma verdadeira “pátria mãe gentil”.

O Nordeste do Brasil tem sido um campo fértil para o florescimento de muitas dessas iniciativas, que se tornaram conhecidas tanto nas outras regiões como no exterior. Aqui na Grande Aracaju, por exemplo, tivemos durante vários anos, no Bairro América o Projeto Reculturarte, além do trabalho desenvolvido no Conjunto Eduardo Gomes desde 1989 pela Academia de Dança Rick di Karllo que tem à frente o ator, bailarino, poeta e coreógrafo Carlos Henrique dos Santos, ou ainda, no Conjunto Jardim, o Grupo Teatral Artes, sob direção do ator e documentarista Lázaro, o Grupo Belas Artes, orientado pela bailarina e professora Welma Karla e o Projeto Ecarte. Há também muitas experiências exitosas em outros estados, as quais alguns dirigentes e colaboradores da Ação Cultural tiveram oportunidades de conhecer viajando para o Ceará, Pernambuco, Bahia e Alagoas.

Destarte, vale a pena, para quem desenvolve trabalhos de arte-cidadania com crianças e jovens em Sergipe, procurar realizar intercâmbios e troca de experiências com outras iniciativas para conhecer e aprimorar metodologias visando qualificar artistas e/ou educadores de modo que as flores e os frutos cresçam bem robustos e sadios.

Vale a pena, sobretudo, estudantes e pesquisadores analisarem a contribuição dessas iniciativas para melhorar a qualidade de vida de crianças, adolescentes e jovens das periferias. Quem sabe assim a sociedade e os governos se convencem de que é necessário investir mais nos recursos humanos, materiais e financeiros dessas ações, em vez de ficarem falando tolices como a redução da maioridade penal ou apenas defendendo as ações policiais e/ou de restrição da liberdade como a melhor maneira de acabar com as ações criminosas que tem crianças e jovens como protagonistas.

A realização do II Fórum Popular de Cultura de Sergipe, a ser realizado nos dias 05 e 06 de agosto , no espaço Sebrae, aponta nessa direção, incluir na arte e através da arte, conssequentemente ajudando a contribuir para a construção de verdadeiras cidades da paz.

PS. Mais informações sobre o II Fórum Popular de Cultura e textos de aprofundamento sobre os argumentos apresentados acima, estão disponíveis no blog: http://acaocultural.blig.ig.com.br ou através dos e-mails: zezito2002@ig.com.br e lucy_paixao@hotmail.com.br e do telefone 9961-1954.
Ao publicar em meio digital e/ou impresso, favor citar a fonte enviando e-mail e/ou cópia para: Rua Goiás, 889 – bairro Siqueira Campos – Aracaju – Sergipe - CEP 49.075-280.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Zezito de Oliveira
 

GOSTEI MUITO DE TER EXCRITO O TEXTO ACIMA. É UM TEXTO ESCRITO PARA TOCAR. COMO AS MUSICAS QUE EU CITO NELE. TOCAR O CORAÇÃO DE UMA GENTE PARA QUEM A ARTE ARTE PODE SER UMA FORÇA PODEROSA PARA DIMINUIR O EGOISMO E A INSENSIBILIDADE QUE AMEAÇA DESTRUIR COM TODOS NÓS E COM O PLANETA.

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 30/7/2006 18:12
sua opinião: subir
Fabricio Kc
 

Muito bem Zezito. Importantíssimo o seu texto. É bom lembra a sociedade conservadora que não basta construir presídios para enjaular os criminosos, afinal, quem são esses criminosos? De q

Fabricio Kc · Salvador, BA 1/8/2006 10:04
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Fabricio Kc
 

cont...
De que circunstâncias eles (esses criminosos) são resultados?
Não foram crianças um dia? Simples e bonita - e muito pertinente - a metáfora da semente, do broto.
Valeu

Fabricio Kc · Salvador, BA 1/8/2006 10:06
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Lucy Paixão
 

Esse texto diz toda a "nossa" realidade cultural, vivemos num pais onde se fala muito de crianças e adolescente da periferia e pouco se faz. Acredito que um pouco aqui, um pouco ali, se torna um muito, por isso fazemos nossa parte, faça a sua tb, afinal a união faz a força.

Lucy Paixão · São Cristóvão, SE 2/8/2006 10:26
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Marcelo Rangel
 

Oi, Zezito, ótima idéia utilizar este espaço do Overmundo para falar dessas questões, só faltou registrar que o texto foi publicado originalmente no blog da Ação Cultural. Uma sugestão: que tal um texto sobre como foi o Fórum para colocar aqui? Abraços!

Marcelo Rangel · Aracaju, SE 2/8/2006 11:59
sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Valeu gente! Pelo incentivo e pelas dicas.
Sempre grato.

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 8/8/2006 12:03
sua opinião: subir
carlos conrado
 

valeu muito bom o texto

carlos conrado · Aracaju, SE 25/10/2006 16:57
sua opinião: subir
Remisson Aniceto
 

Olá, Zezito! Percebo que bons textos seus não faltarão para alimentar nosso espírito. Abraço.

Remisson Aniceto · São Paulo, SP 4/8/2007 14:17
sua opinião: subir
J.D. Nascimento
 

Parabéns Zezito!! Sempre com bons texto, não tem como não virar teu fã!!
Valeu!! Abraços!!!!!

J.D. Nascimento · Santo Amaro das Brotas, SE 1/9/2007 00:58
sua opinião: subir
Stella Tuttolomondo
 

Stella Tuttolomondo · Rio de Janeiro, RJ 22/11/2008 23:22
sua opinião: subir
Vanderlei Rodrigues Alves
 

um pouco da minha realidade
muito bom

Vanderlei Rodrigues Alves · São Paulo, SP 9/4/2009 02:46
sua opinião: subir
ayruman
 

Marvilha. É a Arte resgatando Vidas!
Abraços. jbconrado.

ayruman · Cuiabá, MT 10/9/2009 12:03
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados