CULTURA AMEAÇADA

ÉLCIO PARAÍSO/BENDITA – CONTEÚDO & IMAGEM
OS BURACOS NO TELHADO DO GALPÃO DE ENCONTROS SÃO APENAS PARTE DO ESTRAGO
1
Liliane Pelegrini · Belo Horizonte, MG
28/9/2008 · 183 · 6
 

Como se sabe, a chuva de granizo que despencou sobre a região metropolitana de Belo Horizonte na quarta-feira, dia 17, causou prejuízos para inúmeras famílias e também para o comércio. Só que na Comunidade dos Arturos, que fica em Contagem, os danos foram muito além da questão material. Ao esburacar 80% das construções que formam a vila quilombola, as pedras de gelo que vieram com a tempestade colocaram em risco um patrimônio imaterial que diz respeito à luta de mais de século encampada pelos descendentes do escravo Artur Silvério Camilo, que se estabeleceu no local nos últimos tempos da escravidão no país.

Casas, galpão utilizado para os festejos e até mesmo a capela em que os Arturos celebram seus rituais religiosos tiveram telhas e vidros destruídos, num episódio sem precedentes na comunidade. "Nesses meus 75 anos de vida, nunca vi uma coisa dessas. Já vi muitas chuvas, muitos ventos, tudo muito forte, mas pedras caindo desse jeito eu não tinha visto. Não tinha como se esconder. Tomei um susto", conta ‘seu’ Mário Brás da Luz, um dos quatro filhos de Artur Camilo ainda vivos. "Não sobrou um telhado. As plantas, nossa horta, tudo ficou acabado. Não quero nunca mais ver coisa assim. São Sebastião há de nos proteger", continua ele.

Na capela, a situação é crítica. Cheio de buracos espalhados pelo teto, feito com telhas de amianto, e com a porta de vidro igualmente esburacada, o local, que impressiona pela profusão de cores que vêm dos estandartes, fotos, enfeites e imagens dos santos de devoção, agora está uma bagunça. Tudo teve que ser empurrado para um dos cantos, para evitar a água e o granizo. Nas paredes, mesmo uma semana após a tempestade, é possível ver as marcas da umidade que danificou a pintura. O galpão em que a comunidade realiza encontros e faz as refeições – inclusive, no momento em que a chuva começou, estava acontecendo ali uma reunião para definir ações sócio-culturais – e a casa paterna, marco-zero da comunidade, levantado pelo próprio Artur Camilo, também ficaram bastante prejudicados.

Impossível contabilizar o número de telhas furadas. "Aqui, a grande maioria dos lugares é coberta com telha de amianto. Onde não tem laje ficou assim", lamenta Jorge Antônio dos Santos, diretor de eventos da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário da Comunidade dos Arturos.

A tristeza dos Arturos diante dos estragos neste momento é ainda maior, já que eles estão prestes a dar início à comemoração mais tradicional de sua cultura, a Festa de Nossa Senhora do Rosário, que, este ano, começa nesta sexta-feira, dia 26, e vai até o dia 13 de outubro, com novenas, procissões, missa conga, desfile de guardas de Congo e Moçambique, entre outras solenidades realizadas em parceria com a Paróquia São Gonçalo, de Contagem. "Agora, a gente tem que tentar correr para conseguir dar um jeito no que ficou estragado", diz Jorge Antônio.

Apesar de contar com o apoio fundamental da Casa de Cultura de Contagem, a comunidade se vê num momento difícil para angariar recursos e consertar as estruturas destruídas pela chuva. "Precisamos de, no mínimo, 200 telhas de amianto", conta Jorge Antônio. "A nossa prioridade é arrumar pelo menos a capela, o galpão e a casa paterna", planeja ele, acrescentando que, nos dias 11, 12 e 13 de outubro, em que a Festa de Nossa Senhora do Rosário se concentra no território da comunidade, quase 3.000 pessoas passam pelo local. "Mas a gente queria também dar uma força para as famílias que perderam muita coisa. Temos pessoas aqui que perderam tudo com a enxurrada que veio depois do granizo e invadiu as casas", lamenta ele.

A partir de conversas espontâneas pela Internet, pessoas que acompanham e pesquisam a cultura defendida pelos Arturos começaram a se mobilizar e enviar doações. “Essas pessoas são anjos para nós”, diz ‘seu’ Mário Brás da Luz. Quem quiser colaborar com as reconstruções necessárias para a Comunidade dos Arturos, pode entrar em contato com Jorge Antônio dos Santos pelos telefones 31 9182-4413 e 3395-8373.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Andre Pessego
 

De que outra forma podemos contribuir no momento acho que esta tua mesmo de escrever.
abraço
andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 28/9/2008 07:34
sua opinião: subir
clara arruda
 

Estamos aqui para a solidariedade,deixo meu carinho por seu trabalho esperando uma melhor forma de ajudar.

clara arruda · Rio de Janeiro, RJ 28/9/2008 08:42
sua opinião: subir
Luciano Moura
 

É triste quando isso acontece, fica registrada minha solidariedade para quem trabalha com a cultura e que por alguns motivos, isso afeta o andamento, mas sabemos que a cultura não para.

Luciano Moura · São Paulo, SP 28/9/2008 10:31
sua opinião: subir
Kasinsk
 

Deixo registrado o meu lamento de solidariedade. São vestígios da história de um povo que um desastre natural nos furta. Espero que todos aqueles que possam daí fazer alguma coisa para o resgate do que for possível, o façam, porque estarão recompondo fragmentos de uma história.

Kasinsk · Embu, SP 28/9/2008 12:09
sua opinião: subir
Sérgio Franck
 

Liliane, como se não bastasse, não é mesmo? A periferia poderia ser um lugar diferente, não fossem os gargalos da politicagem que desdenha as tantas famílias viventes nelas. Nos resta o lamento e a tais famílias, a angústia de saber que a primavera, para elas, ameaça flores cinzentas e desperfumadas.

Liliane, uma vez vi o Jô Soares questionar em seu programa o fato de os barracos do morro parecerem caixotes. Pois bem, se hoje houvesse lajes em todas essas moradias, certamente não veríamos casas destelhadas.

Um abraço.

Sérgio Franck · Belo Horizonte, MG 28/9/2008 13:48
sua opinião: subir
Eloy Santos
 

Seu apoio e sua solidariedade à Comunidade dos Arturos são comoventes.
Sua narrativa é clara, objetiva.
Espero que a Festa de Nossa Senhora do Rosário, Padroeira dos negros escravizados, esteja transcorrendo no clima tradicional de comemoração e que a ajuda que eles tanto necessitam tenha chegado.
Mande-nos notícias da comunidade e do desenvolvimento do período de festas de Nossa Senhora do Rosário.
Abraços.

Eloy Santos · Rio de Janeiro, RJ 29/9/2008 15:07
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

'SEU' MÁRIO É O PATRIARCA DA COMUNIDADE DOS ARTUROS zoom
'SEU' MÁRIO É O PATRIARCA DA COMUNIDADE DOS ARTUROS
A CAPELA DOS ARTUROS, ANTES DE SER ESTRAGADA PELA CHUVA, NA FESTA DE 2006 zoom
A CAPELA DOS ARTUROS, ANTES DE SER ESTRAGADA PELA CHUVA, NA FESTA DE 2006
FESTA DO ROSÁRIO DE 2006&059; NESTE ANO, ELES PRECISAM DE AJUDA NA RECONSTRUÇÃO zoom
FESTA DO ROSÁRIO DE 2006&059; NESTE ANO, ELES PRECISAM DE AJUDA NA RECONSTRUÇÃO

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados