Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

EM DEFESA DO USO DA PALAVRA "POETISA"

http://www.simplicitate.com/carbono14/imagens/cecilia.jpg
Cecília Meireles nasceu em 07 de novembro de 1901 ( m.1961 )
1
tarokid · Machado, MG
4/10/2008 · 244 · 56
 

EM DEFESA DO USO DA PALAVRA “POETISA”*

Jussara Neves Rezende**


Há alguns anos publiquei um artigo intitulado “Poeta ou poetisa?” , no qual defendia o uso do vocábulo “poeta” para designar a mulher que escreve versos. Naquela ocasião, preocupava-me o sentido meio pejorativo que, ao longo dos anos, impregnou a palavra poetisa. Como eram os homens os únicos a terem acesso à educação, as mulheres geralmente não escreviam nada.

Sabe-se que as primeiras escolas voltadas à educação feminina preocupavam-se em ensinar prendas domésticas e as únicas leituras que incentivavam eram a da Bíblia, dos livros de culinária e de romances água-com-açúcar – obras bem diferentes dos textos filosóficos, históricos e científicos com que os rapazes se educavam.

Assim sendo, como esperar que os textos produzidos por mulheres fugissem do óbvio, do lugar comum, do sentimentalismo? Apresentados nos saraus lítero-músicais de fins do século XIX, acompanhados de torradas e chá, os poemas das primeiras escritoras serviram muitas vezes como motivo de riso aos homens presentes, que passaram a associar o feminino da palavra poeta a essa produção literária de baixa qualidade. Como, então, diante de uma escritora que poetou com enorme fôlego, como Cecília Meireles, por exemplo, empregar a palavra poetisa?

Percebem? Era esta a dúvida que me moveu a escrever o texto a que acima me referi. Servi-me, na ocasião, do nome de Otto Maria Carpeaux para validar o que eu dizia. Em um artigo de 1964 ele chamara de “burrice” o uso do feminino da palavra poeta, afirmando que os poetas não têm diferença de sexo, pois a diferença existe apenas entre os que sabem ou não sabem fazer versos. “Cecília Meireles”, observou Carpeaux, “não é poetisa. É poeta.”.

Pareceu-me, então, que a própria Cecília concordava com o crítico, pois no seu antológico poema, “Motivo”, chega a afirmar: “Não sou alegre, nem sou triste:/ sou poeta”. Estes versos de Cecília se tornaram, portanto, no referido artigo, outro suporte à minha argumentação.

Passou o tempo, no entanto, e outras leituras e reflexões foram modificando meu modo de pensar e exigindo um novo texto que contestasse o primeiro, o que me traz aqui.

Não deixei de concordar com Carpeaux quando afirma que “poesia é feita por poetas e por mais ninguém”. Ao contrário, concordo especialmente com ele quando diz que quem não sabe fazer poesia “não merece o nome de poeta mesmo que tenha escrito cem volumes de versos”. Bravo, Carpeaux! Há muita coisa sendo escrita que não merece o nome de poesia, nem seus autores o de poetas, mas este já é outro assunto.

Sobre a evolução do meu pensamento entre o artigo anterior e este, devo dizer que não incluiu, também, a recusa à voz que canta nos versos de Cecília e se afirma poeta. Continuo a concordar com ela. Ocorre que percebi que tanto a afirmação de Carpeaux quanto a do poema de Cecília referem-se ao criador de poesia como ser universal, independente do seu sexo. Neste sentido, sim, para universalizar o ser poeta, continuo acreditando no uso da palavra no masculino.

No entanto, não posso mais concordar que seja “burrice” o emprego da palavra poetisa, mesmo considerando que com o passar do tempo seu sentido original foi sendo modificado ao incorporar as contribuições dos ambientes nos quais a palavra foi sendo utilizada, mesmo que hoje o vocábulo poeta tenha se tornado um substantivo comum-de-dois-gêneros e possa, sem erro, ser empregado tanto para se referir aos homens quanto às mulheres escritoras de versos.

Não só na língua portuguesa o termo poeta tem um equivalente feminino. O mesmo se dá em todas as línguas, já a partir do grego. Qual a razão para não empregá-lo? A necessidade de enfatizar a universalidade do ser poeta ou da poesia? Que neste sentido se utilize, então, a palavra poeta. Não posso aceitar, entretanto, que essa necessidade nasça do mito de que é preciso mudar a designação de poetisa para a de poeta como se o simples fato de chamar uma mulher de “poeta” melhorasse os seus poemas, atitude no mínimo “machista”, como afirma Gilberto Mendonça Teles.

Para dizer da força poética da portuguesa Florbela Espanca e, assim, distanciá-la das outras, as “poetisas da colméia”, Antônio Ferro a promoveu, num ensaio, à categoria de “poetisa-poeta”. Não posso concordar com uma “homenagem” que, para dizer da grandeza poética de uma mulher – cujos versos enfatizam sua condição feminina – precisa empregar uma palavra masculina.

Sobre esse episódio e tendo em vista o caráter extremamente feminino da poética de Florbela, Natália Correia afirmou que “a homenagem que distingue o gênio poético feminino com o prêmio de lhe masculinar o estro ultraja uma poesia que quer feminizar o mundo”. Concordo hoje com ela. Parece-me, agora, mais correto afirmar que Cecília Meireles e Florbela Espanca – para citar apenas duas escritoras, já que bem longe vai o tempo em que as mulheres não escreviam – são duas grandes poetisas de nossa língua.

* Artigo originalmente publicado no Informativo CESEP, ano IV, nº 38, 29 fev. 2008, p. 08.
** Doutora em Letras pela USP, poetisa e crítica literária.
Folha Machadense, 25 out. 1997.


Obs: Jussara Neves Rezende autorizou a publicação deste artigo

compartilhe

comentários feed

+ comentar
clara arruda
 

Passando para a edição.Uma boa e explicativa matéria.
parabéns meu querido por postar,e para a escritora ,sem dúvida nos tira um grande peso...O deser ou não ser poeta.
Beijos em seu coração.

clara arruda · Rio de Janeiro, RJ 2/10/2008 00:04
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Tarokid,
Elucidativo texto
Concordo com Jussara Neves Resende,
somos POETISAS, no verdadeiro sentido da palavra.
bjsssss

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 2/10/2008 15:52
sua opinião: subir
EdimoGinot
 

Tarokid
Não me importa o termo.
Não entraria numa discussão dessas por nada no mundo.
Isso é coisa de poeta...

Muito bom seu texto. Voce escreve bem.
Um abraço

EdimoGinot · Curitiba, PR 2/10/2008 16:10
sua opinião: subir
celina vasques
 

Pois eu acho que a palavra POETA, define bem tanto para o homem como pra a mulher, comum de de 2.
Gosto que me chamem POETA! não me sinto bem quando me chamam Poetisa, não sei bem porquê!
Quero continuar a ser chamada de "Poeta"
!
beijo na alma poetica!

celina vasques · Manaus, AM 2/10/2008 16:13
sua opinião: subir
Sônia Brandão
 

Prefiro ser chamada de poeta. É apenas uma questão de gosto.
Não gosto do som da palavra poetisa, prefiro a sonoridade da palavra poeta. Assim como acho rosa uma flor muito bonita, mas a palavra nem tanto.
bjs

Sônia Brandão · Bauru, SP 2/10/2008 17:10
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

To com o Edimo...e com a Clara tb...
o rótulo e semântica até aqui, só redundam...
o que importa é ser ou não ser...eis a questão !

Excelente matéria !..parabens pra vc e pra Jussara...
abs ( volto )

joe_brazuca · São Paulo, SP 2/10/2008 17:16
sua opinião: subir
Juscelino Mendes
 

É poeta
para uns,
poetisa para outros,
mas o que importa mesmo é saber compor,
sobretudo com amor.
Abraços.

Juscelino Mendes · Campinas, SP 2/10/2008 17:59
sua opinião: subir
Eloy Santos
 

Tarokid,
a Jussara Neves Rezende encontrou em Otto Maria Carpeaux - um dos anjos que o nazi-fascismo que varreu a Europa fez revoar para o Brasil - o melhor advogado para a defesa do termo poeta, para qualificar as mulheres de alto poder de criação literária.
Sem dúvida, a poeta maior Cecília Meireles foi tratada assim por seus contemporâneos.
Por quê?
Por que qualificar de poetisa alguém que poetava melhor do que a maioria de vates do mercado de então?
Cecília era comparada a Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Vinícius de Moraes, Mário Quintana e outros do mesmo talento.
Como cronista, um gênero literário que infelizmente quase que desapareceu das páginas dos jornais diários, ela gozava do mesmo prestígio que Érico Veríssimo, o mesmo Drummond, Rubem Braga, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos e mais alguns mestres.
Por fim, eu que nada sou, acho que a discussão não tem o menor cabimento.
Não pesa em nada, não resolve nada.
É como essa reforma ortográfica que aí está, tirando trema e algum acento circunflexo.
Quem faz a língua é o povo.
Lá no Chiado eles falam português. Nós falamos brasileiro, nós que temos uma última flor do Lácio - como versejou Bilac - cheia de influência tupi-guarani, de muitos idiomas africanos, do árabe e a herança de tantos imigrantes.
Na década final do século passado (passado?) o povo tinha decidido:
Senhora Cecília Meireles, Poeta do Brasil.

Eloy Santos · Rio de Janeiro, RJ 2/10/2008 18:05
sua opinião: subir
Fatima Paraguassu/Santa Cruz de Goiás
 

Muito interessante o texto. A questào de genero ainda esta arraigado em nossa cultura machista. Nós mulheres em quealquer profissão ainda somos vistas com desdem por alguns homens e mesmo por algumas mulheres

Fatima Paraguassu/Santa Cruz de Goiás · Santa Cruz de Goiás, GO 2/10/2008 18:50
sua opinião: subir
Saramar
 

Já me preocupei muito com esta questão e me resolvi por usar a palavra "poeta" para todos os sexos. Prefiro adotar o que a Professora denominou de universalismo.
Não sabia destas opiniões dos outros escritores sobre o tema, principalmente deste horrível "poetisa-poeta" que inventaram para a dulcíssima Florbela, esta sim, uma típica conduta machista.
Creio que a poesia, a boa poesia, supera estas questões de gênero.
Obrigada pelo excelente artigo.

beijos

Saramar · Goiânia, GO 2/10/2008 19:13
sua opinião: subir
Saramar
 

Perdão pelo erro. Eu quis dizer "e me decidi por usar a ..."

beijos

Saramar · Goiânia, GO 2/10/2008 19:15
sua opinião: subir
JACINTA MORAIS
 

amigo do meu coração,eu particularmente prefiro"POETA" mas acredito q ambas são corretas!vai ser assim eternamente,sem um veredicto final...o importante é conceber a poesia!amo Cecilia e Florbela,em portugal li mto sobre sua vida,a aldeia humilde,os desencontros afetivos,o final triste...parece estígma em Portugal,seus poetas se deparam com o desejo da morte provocada ,a solidão atormenta tanto,de forma devastadora!nos açores fui visitar a casa de ANTERO DE QUENTAL os objetos todos lá,as roupas,seus ultimos poemas,inéditos,escritos de próprio punho,fui visitar o túmulo q abrigou seu corpo...a gente chora,o banco da praça,as pessos dizem q parecem ouvir o estampido dos tiros...bj fui tomada pela nostalgia q assalta os poetas!

JACINTA MORAIS · Cascavel, PR 2/10/2008 20:41
sua opinião: subir
O NOVO POETA.(W.Marques).
 

ótimo texto, parabéns.e depois eu volto.

O NOVO POETA.(W.Marques). · Franca, SP 2/10/2008 21:49
sua opinião: subir
José Carlos Brandão
 

Eu achava mais elegante usar a palavra poeta para mulher que escreve poesia. A palavra poetisa ficou desprestigiada com tanta poesia sentimentalóide feita por mulheres, esquecendo-nos de que os homens também fazem poesia sentimentalóide, que tem mais choradeira no texto do que poesia.
Mudei de idéia quando conheci a poetisa portuguesa Adília Lopes (os portugueses não têm probleminhas como esse). E eu nem gosto especialmente da poesia dela. Admiro a sua atitude como intelectual, mulher, poetisa e católica.
Mas respeitemos quem prefira poeta a poetisa. É opção pessoal, necessária talvez aqui no Brasil.
Abraços.

José Carlos Brandão · Bauru, SP 2/10/2008 23:18
sua opinião: subir
 Profeta  Teatro
 

Voltarei pra votar

Profeta Teatro · Campo Grande, MS 3/10/2008 15:27
sua opinião: subir
Regina Lyra
 

Tarokid,
Leio o texto muito bem argumntado.
A minha opinião sobre o Ser Poeta.
a palavra poeta é feminina, palavra terminada em a.
O subsyantivo Poeta usado inicialmente para o homem
e poetisa para a mulher, não invalida a palavra poeta
ser utilizada para os dois gêneros - o poeta, a poeta.
Prefiro ser chama de poeta. Mas não fico brava quando chamam de poetisa. Mas ao referir-me, a mim mesma, coloco poeta.
Assim prefiro.
Abraços,
Regina

Regina Lyra · João Pessoa, PB 3/10/2008 16:22
sua opinião: subir
MonyBlu
 

se a poesia tocar a alma, que diferença az o nome dado a quem escreveu....?

bela discussão!

bjkk

MonyBlu · São Paulo, SP 3/10/2008 16:35
sua opinião: subir
Lena Girard
 

Acho que chamar uma poetisa de poeta é enfatizar o machismo.
Aqui, então, cabe um outra discussão: as pessoas, homens e mulheres, são machistas por quê? A culpa disso é nossa- das mulheres- que, quer queiramos ou não, educamos nossos filhos sob égide machista. Boa discussão!!
Vo(l)to.

Lena Girard · Belém, PA 3/10/2008 17:40
sua opinião: subir
Sigrid Spolzino
 

Tempos escuros esses mencionados por ti, no início do artigo...Se era uma mulher com veia poética... dane-se, cale-se!!!! Isso lá era coisa de mulher????
Graças, hoje a história é bem diferente, cheinha de linhas e rimas POETISAS, para alegrar nossas vidas, trazendo de tudo um pouco em seus versos tantos...
Baci

Sigrid Spolzino · Brasília, DF 3/10/2008 18:35
sua opinião: subir
joe_brazuca
 

joe_brazuca · São Paulo, SP 3/10/2008 18:50
sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

Sinceramente não entendi o posicionamento da Jussara. No fundo me parece puro feminismo, o que corresponde em grau e número ao puro machismo.
A mulher é mulher, o homem é homem. A mulher pode ser homem (ou tentar), o homem pode ser mulher (ou tentar), e daí?
Poeta ou poetisa? Pra mim tanto faz porque não consigo pensar pela ótica machista, nem pela feminista.

Abraços Guaicuru!

Marcos Paulo Carlito · , MS 3/10/2008 19:42
sua opinião: subir
Ecila Yleus
 

Eu sou poeta

Ecila Yleus · Recife, PE 3/10/2008 20:25
sua opinião: subir
clara arruda
 

clara arruda · Rio de Janeiro, RJ 3/10/2008 22:00
sua opinião: subir
Hideraldo Montenegro
 

Interessante, contudo, particularmente não gosto de nenhum tipo de divisão nas artes. Acho que as artes (e, óbvio, aqui se inclue a poesia) transcende qualquer limite. Assim, não sou favorável a dividir, por exemplo, a poesia feminina, a poesia negra (feita pelos afro-descendentes), a poesia gay, etc. A poesia é a poesia e ponto e quem a faz não importa se é poeta homem ou mulher, branco ou negro, hetero ou homo, etc, etc. Gosto muito desta palavra que une, apesar de ser masculina. Porém, não será burrice não entendermos que ela abrange todos os sexos? Precisamos especificar? Por que dividir se podemos unir? Uma boa poesia é feita por homens, mulheres, jovens, idosos, negros, brancos, etc, etc. O resto, me desculpe, é babaquice.
Acho uma discussão desnecessária.
Qualquer coisa que sirva apenas para separa e não unir não vale a pena, penso.
Assim...

Hideraldo Montenegro · Recife, PE 3/10/2008 22:24
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Nossa!
quanta polêmica...
mas poeta ou poetisa tanto faz
o que importa é saber usar a
palavra para fazer poesia.
Mas acho que a palavra
"poetisa" tem mais "charme"
bjsss

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 4/10/2008 00:32
sua opinião: subir
Falcão S.R
 

"Não deixei de concordar com Carpeaux quando afirma que “poesia é feita por poetas e por mais ninguém”. Ao contrário, concordo especialmente com ele quando diz que quem não sabe fazer poesia “não merece o nome de poeta mesmo que tenha escrito cem volumes de versos”. Bravo, Carpeaux! Há muita coisa sendo escrita que não merece o nome de poesia, nem seus autores o de poetas, mas este já é outro assunto. "

Alguém escreveu:

" De poeta é louco, todo mundo tem um pouco."


Abraço

Falcão S.R · Rio de Janeiro, RJ 4/10/2008 04:44
sua opinião: subir
Elio Cândido de Oliveira
 

É interessante.. Ser poeta! maravilha.
Parabens Parabens Parabens
Abraços prá lá de fraterno.

Elio Cândido de Oliveira · Ibiá, MG 4/10/2008 08:06
sua opinião: subir
 Amigos do MIS - MS
 

Oi !!!

Muito legal !!!
Visitamos e votamos !!!!

Abraços e Bjs

Amigos do MIS - MS · Campo Grande, MS 4/10/2008 13:44
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

O que vai em versos,
vez nem mede ou rima
os que lêem chamam poesia
até de poema, poetiza uma
poetisa dando poema corpo
à alma. O inverso, a pessoa de si
depende de como se compreenda
se faz poema, poetiza neles, se só
escreve versos, e havido poeta é.

Não é o deixar ser, relativo que é,
sim, o modo de compreender, no
tempo que se examine. Pessoa é
poeta e poetisa é mulher.
Pessoa é poeta, mulher também é.
Feitas as defesas, faça-se a poesia!

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 4/10/2008 15:22
sua opinião: subir
alcanu
 

Nopssa língua é tão rica, vão ficar se pegando nessas picuinhas ?
é poeta, poetisa, depende da ocasião...
tem bardo
menestrel
escritor
cronista
roteirista
argumentador
narrador
contista e daí vai !
Um abraço !

alcanu · São Paulo, SP 4/10/2008 16:36
sua opinião: subir
Nydia Bonetti
 

Eu prefiro poeta, Tarokid. Mas o que ímporta é que sigamos na lida da poesia, sempre...
beijo!

Nydia Bonetti · Campinas, SP 4/10/2008 18:12
sua opinião: subir
Pedro Rivero
 

Não sei se certo ou errado mas sou afavor de se usar "Poetisa".
Acho bonita e sonora palavra, mais delicada que "Poeta". Aliás , sem saber da polêmica,escre vi a uma amiga algo assim:

Poetisa Sonhadora

Sonha poetisa, sonha que o mundo vale a pena.
Sonha com aquele grande amor
Que tudo vai mudar e ficar como a gente pensa
As pessoas vão ter mais valor

Poetisa sonha que Deus enviará uma luz
Que ilumine as cabeças dos homens
Todos nós sejamos livres e façamos jus
Que cada um faça jus aos seu nome

Sonha sim poetisa que teu poema será amor
A natureza será cada dia mais linda
Guerras cessarão e um decreto de paz entrará em vigor
E a Lua, a Lua será mais bela ainda.

Sonha sonhadora Poetisa.
Com tudo que é bonito, em sermos todos felizes.
Que é disso que se precisa
E que um dia todos estes teus desejos realizes.

Pedro Rivero · Bélgica , WW 4/10/2008 18:51
sua opinião: subir
Giovanni Guidi
 

Fica a reflexão.
Sucesso.
Votado.

Giovanni Guidi · Piracicaba, SP 4/10/2008 21:45
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

É estes dias entrei numa livraria em SP e estava uma placa, luminosa sobre a cabeça dos vendores "VENDEDOR FULANO DE TAL". Não importando se fosse homem ou mulher. Perguntei ao gerente porque não podia ser 'VENDEDORA. .....tal e coisa sugeri a ele que nos dias pares fosse VENDEDOR e nos dias
Impares fosse "VENDDORA".......... risos e tal
abraço
andre.

Andre Pessego · São Paulo, SP 5/10/2008 08:44
sua opinião: subir
Sérgio Franck
 

Poeta Homem, Mulher Poeta... Compõem versos que se completam...

Sérgio Franck · Belo Horizonte, MG 5/10/2008 10:37
sua opinião: subir
Ecila Yleus
 

votado

Ecila Yleus · Recife, PE 5/10/2008 15:37
sua opinião: subir
Carlos Mota
 

Carlos Mota · Goiânia, GO 6/10/2008 09:51
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Cintia Thome · São Paulo, SP 6/10/2008 12:06
sua opinião: subir
Vanessa Anacleto
 

Excelente texto e muito boa a discussão. Parabéns.

abraço

Vanessa Anacleto · Rio de Janeiro, RJ 6/10/2008 19:10
sua opinião: subir
Ailuj
 

''E de tanto batalhar, virei... poeta — um grande passo em minha meta, porque em poetisa todo mundo pisa[Leila Miccolis]
Bom,nao me julgo poeta,nem poetisa,mas o termo poetisa acho legal,porque maioria das profissoes tem o masculino e feminino
Beijos

Ailuj · Niterói, RJ 7/10/2008 00:07
sua opinião: subir
@lvarez
 

eu tb quero ser poetisa...!

@lvarez · Porto Velho, RO 7/10/2008 14:45
sua opinião: subir
AnaLu Fernandes
 

Acho uma enorme bobagem essa coisa das mulheres não gostarem de serem chamadas de poetisas e quererem ser chamadas de poetas. Se é assim, seremos todas chamadas de homens e não de mulheres(pra que feminino?). Acho linda a palavra poetisa. Essa exigência feminina de serem tratadas como poetas, só reforça um conteúdo machista inverso, feminismo inútil, sou poetisa sim com muito orgulho, e diga-se de passagem muito feminina!

AnaLu Fernandes · Rio de Janeiro, RJ 7/10/2008 15:55
sua opinião: subir
delen
 

Sendo poeta ou poetisa o importante é saber que temos excelentes escritores por esse Brasil , parabéns pelo trabalho , deixo meu voto e admiração . Abraços...

delen · Cotia, SP 8/10/2008 02:19
sua opinião: subir
Ivy Menon
 

Bom saber... muito bom!
bjim

Ivy Menon · Maringá, PR 8/10/2008 12:11
sua opinião: subir
Maria Loussa
 

Tarokid,
Seu texto é fantástico, porque instrui.
Votado com louvor.
Na minha maneira de pensar entendo que o termo "poetisa" é mais popular enquanto que o termo "poeta" é mais clássico. Mas acima desses conceitos, o mais importante é o conteúdo manifesto por essa atista.
Abraços.

Maria Loussa · Goiânia, GO 8/10/2008 16:43
sua opinião: subir
fatima queiroz
 

maravilhoso!

fatima queiroz · Santos, SP 11/10/2008 04:03
sua opinião: subir
JACINTA MORAIS
 

NOSSA!!! voltei a ler seus textos,poeta! acho q gostei da minha opinião dada no dia 02-10 às 20:41.EM TEMPO- SUA CIDADE É LINDA...Obrigada pelo convite,sinto-me honrada amigo''Tarokid" grande abraço e uma semana d mta luz!

JACINTA MORAIS · Cascavel, PR 15/10/2008 01:57
sua opinião: subir
Cassiane Schmidt
 

Maravilhoso texto! Reflexões pertinentes e necessárias!
Um abraço

Cassiane Schmidt · Gaspar, SC 26/10/2008 17:02
sua opinião: subir
Espartano
 

muito bom, votado

Espartano · Ilópolis, RS 31/10/2008 22:08
sua opinião: subir
Mylena Lima
 

...Se textos como esses resgatasse os valores perdidos ao longo dos anos.., mas em fim texto muito bom, já havia refletido sobre modo a respeito ..mas acredito que ser poetisa mim deixa mais a vontade...pois meus poemas não deixam de ter o seu valor por esta definição...entrtanto a quem queira ser chamado de poetisa e de poeta...sem muitos meros...acreito que escrever está muito além desta magnifica oportunidade de ser chamada de poetisa ou poeta...!
é Algo que possui brilho próprio..então não mim preocupo muito com esse Dogma...mas O texto é simplismente excepcional, fantastico até por que é legal ver a opnião dos demais que aqui estabelecem seus sentimentos de poetas e poetisas!!
abraços

Mylena Lima · Guanambi, BA 7/12/2010 10:00
sua opinião: subir
kfarias
 


Que coisa maravilhosa essa tal Democracia, um assunto e varias opiniões. Questão de ponto de vista.
Mas, gostei, aprendi muito e conheci pessoas inteligentes a escrever e escrever...
Parabéns para todos, para o texto, para o autor e para nós ao ganhar esse maravilhoso presente.

kfarias · Águas de Lindóia, SP 25/2/2011 21:09
sua opinião: subir
Maressa Marins
 

Acho que toda discussão é valida, quando não tem um martelo juiz para dar o veredito. Gosto de escrever, desde meus oito anos, mas ser poeta ou poetisa não significada nada, se não soubermos sentir e estarmos conectados com nossas idéias, sentimentos. Acho poetisa, um adjetivo muito meigo, delicado, tanto quanto o sexo feminino, que para ser reconhecida, não precisa ser comparada com Drummond ou Mario de Andrade, pois cada um é especial por si mesmo, por suas qualidades. A mulher sempre teve seu espaço merecido e igualitário em conhecimento. Não é necessário usar uma designação que antes era aplicada universalmente, por causa dos homens poetas (isto é, se todos estes nomes eram mesmo homens, pois sabemos muito bem que muitos heterônimos masculinos foram usados por mulheres, por causa do machismo da época... e certamente muitos famosos. Não concordo com o androginismo em excesso para ser reconhecida como tal,acho um cúmulo, mulheres serem transvestidas de homem e até pigarrear e fazer outros gestos obscenos e nada convenientes, a fim de se igualar em poder ao ser homem. Toda mulher é uma cabeça privilegiada e podemos ser até mais fortes e mais inteligentes e com mais sensibilidade que muitos homens por aí (amigos, não me entendam mal, há sempre as exceções, lógico). Não precisamos abrir mão de nossa delicadeza (e não digo com isso sentimentalismo barato e melosidade) para sermos excelentes como a nossa querida e admirada Cecília Meireles. Poetas ou poetisas, somos mais...bjcas a todos.Maressa Marins

Maressa Marins · Brodowski, SP 2/7/2011 20:21
sua opinião: subir
Jurandir Barbosa
 

Cara poeta, com respeito ao seus texto e suas citações que teve muitas perolas.
bem, enxergo um universo de siferença entre A poeta e A poetisa.
Gilberto Mendonça Telles que conheço pessoalmente e em quem votei para o premio Juca Pato após apresentação de Aroldo Pereira, digo que fez media para a classe que escreve a mesmice do blablabla e se dizem poetas.
Não existe nada de machismo na proposta dos outros geniais quando universifica a referência poeta.
Simples, se usarmos a inteligência e excluirmos a hipocrisia da necessidade de fazer media, descobriremos que quando deferimos a todos \"POETA\" estamos sim colocando ambos, homens e mulheres, num mesmo tamanho. Numa mesma importância. Ao contrário de machismo, é sim um grande respeito a mulher.
Eu, como poeta me recuso a enxergar Ana Cristina Cesar como poetisa assim como também a Cassia Eller ou Adriana Calcanhoto.
Existe uma diferença entre poetisa e poeta.
Poetisa estão presas as condições poéticas, estéticas e regras comuns as normas abnt e rimas. Até porque poesia nem tem que ter rima.
A rima é mais apropriado pro repente, soneto... Poesia não.

Poetisa estão sempre escrevendo coisinhas de amor (com todo o respeito). Não inovam a sua linguagem, estética e não usam da \"invenção\".
A invenção é propriedade dos poetas. Seja poeta homem ou Poeta mulher.
Poetisa estão nas mesmices dos textos de amor (adoro amar).
\'Poeta\' é antes de tudo uma criadora, criatura preocupada com tudo ao seu redor. Poeta é holística. Poetisa é bitolada (vou apanhar).
Poeta cria formas, linguagens, tempos. Poetas são passado, presente e futuro. Poetisa estão \"amor da minha vida no seio da madrugada, ó clarão da lua amada e blablabla\"
Poetisa são cansativas e estereotipadas. Poeta nos leva ao gozo a cada leitura, compra brigas, cutuca, incomoda, da sentido a vida, tira o sentido da vida... Poeta eu leio. Poetisa não.
Tenho uma amiga poeta genial. Ela tem 83 anos e é aposentada da receita federal. Se chama Claire e é dona não so de uma perfeita dicção também como de uma construção poética que deixa muita gente nova e recem saida da faculdade, no chinelo. Acima de tudo, com os seus 83 anos consegue ser modernista como poucos até em seus textos eróticos.
Gosto das poetas como Marli Froes, Isabel, Samella Priscila, Helena Soares, Mirna Mendes, Rita Câmara... A poeta é acima de tudo, criadora.
Poetisa cansa e é chato ler sempre os mesmos poemas que nunca mudam.
Poetisa são todas parecidas. Aqueles poeminhas do \"eu te amo amor da minha vida que eu amo. Poetisa cansa!
As poetas nos apetecem para novas leituras. As poetisas afastam os leitores. As poetisas são dolorosas.
A escrita de uma poeta nunca se repete. As poetisas so mudam as palavras de lugares mas os poeminhas são sempre os mesmos.
A poetisa; \"meu amor que num cavalo branco chegou...\" isso é uma verdadeira diarreia escrita.
A poeta; \"não olhei para trás/ segui apenas.../ nobre guerreiro/ sabe escolher/ por qual guerra se deve lutar\" (Marli Froes)... Genial isso!
Outro exemplo da dimensão \"da\" poeta; \"quem procura acha:/ um sorriso na ponta de um raio de sol na manhã seguinte/ uma música que embala os sonhos/ mesmo que dormidos/ tem uma cor para cada respiração/...\" (Helena Soares). palmas palmas palmas para essas duas geniais poetas.
Das poetas eu espero o perdão. Das poetisas eu espero o rancor.
Joguem praga, ebó e pó de mico mas pelo amor de Deus,
não me joguem os seus poemas.

Não escrevo para ofender e nem com intenção de agredir, meramente para deixar claro o meu compromisso com a poesia.
Por isso amo as poetas.

Jurandir Barbosa · Montes Claros, MG 24/1/2012 10:06
sua opinião: subir
Doroni Hilgenberg
 

Que coisa Juranddir... Eu me sinto bem quando me chamam poetisa e nao me julgo mediocre.. Não sou repetitiva e penso que escrevo bem. Tanto que ja tive 3 textos selecionados para livros didatico, sendo um deles pela editara Pitagoras, a melhor do Brasil. Sem contar 3 medalhas de ouro e outras tantas de prata.
Ta bom para vc?

Doroni Hilgenberg · Manaus, AM 6/2/2013 18:18
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Quanta mágoa e dor
Quanto pouco amor
à ferramenta inútil
que recusar ser vil

A poesia não aceita
e o poeta rejeita
fórmula ou receita.

Sei eu dos meus amores
Seis também das cores
e aprecio todas as flores
Rimem ou não com dores.

[abraço terno, Doroni]

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 7/2/2013 14:21
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

Quanta mágoa e dor
Quanto pouco amor
à ferramenta inútil
que recusar ser vil

A poesia não aceita
e o poeta rejeita
fórmula ou receita.

Sei eu dos meus amores
também sei das cores
vindas do cio da terra
em todas as flores
Rimem ou não com dores.

O amor dá bom combate ao ódio
Baionetas de cravos rubros
fazem vasos de fuzis
desembalados, sem guerra.

Não queira sentir por mim o amor.
Não sinta por mim minha dor.
Não despetale nem pise minha flor.

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 7/2/2013 14:34
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter