Entrevista com o poeta piauiense Elias Paz e Silva

Elias Paz e Silva
Elias Paz e Silva
1
Cláudio Carvalho Fernandes · Teresina, PI
6/2/2011 · 9 · 0
 

“Poesia econômica, linguagem contida, Elias Paz e Silva afirma-se como um dos melhores poetas da atual literatura piauiense e nacional”. Palavras do crítico literário Assis Brasil sobre o poeta piauiense, também jornalista, Elias Paz e Silva, caudatário da Geração Mimeógrafo, que iniciou seu percurso literário ainda na década de 80, quando publicou “Poemário I” em 1985 e “Poemário II” em 1992, “formando, com a primeira obra, um díptico poético dos mais expressivos”, ainda segundo o mesmo Assis Brasil, que também apresentou uma breve biografia e alguns poemas do poeta Elias Paz e Silva no livro “A Poesia Piauiense no Século XX”. Acostumado a perguntar, pois faz jornalismo cultural no seu “site” ( http://eliaspazesilva.vila.bol.com.br ), publicando entrevistas com grandes nomes da cultura e letras locais, o poeta inicialmente mostrou uma leve resistência a ser entrevistado mas acabou cedendo e mesmo usando de uma certa ironia não muito habitual à singeleza e humildade dos que como ele se dizem convertidos às coisas de além, divinas, espirituais, respondeu algumas perguntas sobre sua vida, pensamento e trajetória do seu fazer poético. Apresentamos aqui a primeira parte da sua entrevista.



- Inicialmente, por que e como você começou a se interessar por literatura e poesia ? Qual o seu primeiro contato com a literatura?

Elias Paz e Silva - Na infância – pré-adolescência, lia tudo: do “Caso da borboleta Atília”, quadrinhos (Batman), livros de bang-bang ... até chegar em uma antologia poética nacional – de que não lembro o nome e o organizador -, onde me impressionaram os versos de Castro Alves e Gonçalves Dias (ainda hoje sei alguns de cor). Depois veio o dicionário, as gramáticas, as bibliotecas públicas – de Teresina e de Esperantina [ cidade do interior piauiense ].


- Qual é a função da literatura e, mais especificamente, da poesia? Poesia e literatura servem para quê?

Elias Paz e Silva - São o consolo do consolador ( a Ruach Hakodesh ) para alma humana, saudosa do Gan-Éden. Entretanto, há os “rebeldes”.


- Para você, o que é e o que não é literatura ou poesia?

Elias Paz e Silva - Nada


- Quais os autores que mais o influenciaram? Cite alguns poetas e/ou escritores pelos quais você tem admiração.

Elias Paz e Silva - Já disse. Oswald, Bandeira, Gullar, Paulo Machado, Cineas Santos...


- Hoje em dia, com as facilidades do mundo moderno, cheio de mil e uma opções, ainda há espaço para a poesia, diante da variedade de coisas, muitas delas de qualidade duvidosa, oferecidas diariamente para as pessoas?

Elias Paz e Silva - A poesia de qualidade sempre terá espaço em qualquer lugar ( midium ).


- Existe algum poema, frase ou pensamento que sempre o acompanhou ou acompanha por toda a vida? Qual ou quais?

Elias Paz e Silva - Tenho princípios ( já quebrei alguns ) que me acompanham desde que me entendi como gente. Só meus.


- Você mantém há algum tempo um “site” de jornalismo cultural em que também divulga a poesia piauiense na internet. Qual o principal objetivo dele? O público tem procurado muito por ele? Qual a sua frequência de visitas habitual? Quem são as pessoas que o procuram? Vale a pena lutar pela cultura e literatura, especialmente pela poesia?

Elias Paz e Silva - Só o internauta pode avaliar.


- Qual(is) você considera que seja(m) o(s) seu(s) melhor(es) poema(s)? Cite um trecho dele(s).

Elias Paz e Silva - Poema bom é aquele que, depois de feito e refeito, nos dá uma sensação de alegria e prazer. Os que eu considero os melhores foram perdidos.


- O que você acha da utilização da internet e de outros meios ditos modernos para a divulgação de obras e autores? O livro corre algum perigo de extinção?

Elias Paz e Silva - Os micro-mundos são vastos no macro-mundo. Há espaço para todos, para uma convivência harmoniosa no planeta.


- Quais as dificuldades enfrentadas por um escritor poeta para publicar sua(s) obra(s)?

Elias Paz e Silva - Muitas. Principalmente se o que escreve não tem qualidade. Sempre digo – e isso é bíblico – se você é bom no que faz ( um sapateiro, por exemplo ) acaba sendo solicitado.


- Qual o tipo de público que mais aprecia as suas obras? Há interesse das novas gerações pela literatura e em especial pela poesia?

Elias Paz e Silva - Se não há, haverá um dia. O Salipi* é exemplo disso.

[ * Salão do Livro do Piauí. O último livro do poeta Elias Paz e Silva, “Face das Águas”, foi lançado ao público na mais recente edição do Salipi, em junho de 2010. ]


- Como o senhor vê a situação atual da literatura no Brasil e no Piauí? Existe apoio de algum tipo ou mesmo incentivo para a produção cultural, literária e, especialmente, de poesia?

Elias Paz e Silva - Há leis, programas, projetos governamentais... Isso me interessa pouco. Sempre o “Eterno” deu um jeito de publicar o que escrevo, com ou sem incentivo do Estado ou governo.


- Que conselhos o senhor daria para quem está iniciando na área da literatura e de poesia?

Elias Paz e Silva - Leia muito, com qualidade. E viva bastante, viaje, conheça outras “literaturas”, pessoas, países, gentes...


- Para finalizar, expresse algo que deseja tornar público

Elias Paz e Silva - Arrependam-se, pois o Mashiach Yesh’ua está voltando!



... ... ...


compartilhe

comentários feed

+ comentar

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados