Indígena - a cultura do prazer

Sinvaline
Kayapo mebengokre na IV Semana Indigena Memorial S da Mesa
1
Sinvaline · Uruaçu, GO
24/4/2012 · 25 · 5
 

A Semana Indigena Serra da Mesa 2012 foi multicolorida com a presença de indigenas ava canoeiros, kariri-xocos, yawalapiti e kayapo mebengokres. Na observação das cenas criei esse texto.

A indumentaria do homem branco o faz ridiculo diante da simplicidade do nativo indigena.

Onde estavam deputados, doutores, pastores, padres, médicos e outros, a presença indigena foi mais forte, eles eram mais importantes, afinal estavam livres do sistema que funciona cronometrando tudo.

Quando cantam não se importam com o corpo a mostra apesar da idade, tudo é natural. Se orgulham do que fazem, seu canto é sagrado, sua missão é perpetuar a cultura e guardar matas e rios para as gerações futuras.

Crianças brincam descontraidas, um sorriso verdadeiro no rosto, enquanto outras filhas de pais civilizados desfilam olhando como se vissem animais peçonhentos gritam com medo.

No restaurante enquanto os indiozinhos devoram toda a comida, na mesa ao lado uma mãe chiquerrima com auxilio da babá insiste em por a comida na boca do filho e este não quer. A mãe indigena e os pequenos indios não entendem porque a mãe branca empurra a comida na boca do filho sem ele querer, até canta uma musiquinha e cada vez ele esperneia para não comer, não entendem, afinal comida é tao importante...

Após se fartarem, riem comentando numa linguagem intima e a india tira os piolhos do filho até que ele durma... Não vê o povo civilizado estarrecido fotografando a cena...

Como explicar a eles que a diferença está no viver a vida sem indumentaria, sem regras, viver a cultura do prazer e isso o homem branco não tem. Ele é escravo do trabalho, do luxo, do consumismo e de si mesmo.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Higor Assis
 

Minha amiga Sinvaline, você e teus textos são um espetáculo de sinceridade, de comunhão ao bem maior.

Obrigado por trazer tão bem essa construção de simplicidade; em texto, em letra, em cultura e, principalmente, em uma mensagem tão 'simples-bela', que faz chegar em todos os cantos.

Abraços fraternos do amigo Higor.

Higor Assis · São Paulo, SP 9/5/2012 09:29
sua opinião: subir
Sinvaline
 

Higor, sentia falta de vc por aqui, obrigada. Voce é que tem sensibilidade bastante para entender o que quero transmitir, bjs

Sinvaline · Uruaçu, GO 9/5/2012 14:43
sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

Bravo Sinva!

Somente quem entende a conexão com a mãe terrestre pode ver além das aparências...

Marcos Paulo Carlito · , MS 10/5/2012 06:13
sua opinião: subir
MERIREU
 

Olá,Silvaline...
É com muita satisfação que dirijo-me à você, pois sempre acompanho fatos sobre os índios de Goiás/Tocantins, isso motivado porque em 1984/5 ter sido convocado pelo presidente da FUNAI Cel. Paulo Moreira Leal para implantar e chefiar a Ajudância Autônoma de Araguaina/AJARINA. Nesse período eu vivia no Pantanal de São Lourenço com os Bororo. Uma das atribuições da AJARINA era dar proseguimento a Frente de Atração Ava- Canoeiro. Conheci nesse período Andre de Toral que mostrou um pouco da loucura dessa frente de atração. Então,BSB designa dois sertanistas que já estavam nessa área, Benamour e Canguçu que fariam novo levantamento na Serra da Mesa. Nesse meio tempo Antonio Bonis, mateiro da FUNAI liga pra AJARINA dizendo que o menino Reginaldo estava com os "Caras Pretas" . Ciente de vários casos de contatos e de suas trajédias desloco pra área da Serra da Mesa com a EVS (Equipe Volante de Saúde)com duas enfermeias, Socorro e Mara, ambos com vivência com frente de atração (Guaja, Cinta Larga,etc.). Brasília remaneja parcos recursos para a Frente, mas, mesmo assim desloquei-me pra área e pela primeira vez vi um povo indígena isolado. Convivi com esses 4 índios por alguns dias e a emoção foi muito grande. Infelizmente a guerrilha do Araguaia plantou naquela região um clima de animosidade constante(rso) e com a queda do regime militar na FUNAI, o presidente Otavio Ferreira transfere-me de volta pra Cuiabá, ação normal para a FUNAI, mas os índios de Goiás não aceitou tal ação por não terem sido consultados, pois nossa administração criou a auto-gestão(administração da FUNAI/AJARINA,PIs e comunidade indígena, todos ageriam com a máxima transparência). Um clima de geurra foi defragado em Araguaina com a invasão dos índios Krahô, Apinajé, Xerente e Karajá do Xambioá, essa bola de neve cresceu e eu e mais 4 indigenistas fomos processado pela FUNAI. Depois esse presidente resolve ter uma desavença com Raoni e o Ministro do Inerior resolve destitui-lo da chefia da FUNAI. Então, depois disso, fui convidado pela Reitoria e pelos antropólogos do Museu Rondon/UFMT pra trabalhar no Museu. Então, por estratégia não achava prudente voltar pra Araguaina ou áreas indígenas afins, mesmo que a saudade e a gratidão aos índios de Tocantins "rufasse no meu peito". Vez por outa um parente visita Cuiabá e assim a saudade diminuie um puco. No caso Avá, ouço e leio notícias, me preocupei quando da tentativa de leva-los para seus parentes do Araguaia, felizmente não deu certo e em contato com o pessoal de Furnas que contruía a hidroelétrica de Manso e por determinação do Ministério Público teria que construir um prédio no MUSEU para acondicionar o acervo arqueológico da área impactada de Manso. Fiquei contente com a noticia recebida. Disseram que a terra Avá tinha uns 25 mil hectares, e um indigenista chamado Valter estava fazendo um ótimo trabalho. Agora lendo seu artigo fiquei extremamente feliz pelo seu trabalho e pelo introsamento com outros povos, principalmente os Macro-Jê. Parabens Sinvaline pelo trabalho dedicado com nossos Avás. Um abração de Antonio João de Jesus-Merireu. Mande-me seu email que vou postar fotos dos Avá-Canoeiro logo após o contato, quando fiz a visita na área com equipe médica da AJARINA. Abração e sucesso no trabalho com nossos índios, pois é de maior gratificação esse trabalho. Depois do Museu Rondon recusei fazer outro tipo de trabalho a não ser a de viver com os índios. Hoje com 64 anos decidi aposentar do Museu Rondon/UFMT. Antonio João de Jesus-Merireu merireu@hotmail.com

MERIREU · Cuiabá, MT 27/5/2012 03:45
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Diogo P.
 

Parabéns, que legal...

Diogo P. · Araras, SP 11/5/2013 21:42
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados