LÁ VEM A CIDADE

Gyothobat
La vem a cidade
1
Gyothobat · Brasília, DF
31/12/2008 · 204 · 13
 

Eu vim plantar meu castelo
Naquela serra de lá,
Onde daqui a cem anos
Vai ser uma beira-mar...


A poesia fala por si mesmo. Tem o poder da síntese e de captar aquilo que, muitas vezes, demanda tempo e muitas palavras para ser formulado em teorias e estudos empíricos. Lenine e Bráulio Tavares são poetas-compositores visionários com licença poética para traduzir a realidade social e suas contradições em frases poético-musicais. “Lá Vem a Cidade”, música do último CD de Lenine, Labiata, descreve em versos uma visão delirante do caos urbano.

Vi a cidade passando,
Rugindo, através de mim...
Cada vida
Era uma batida
Dum imenso tamborim.
Eu era o lugar, ela era a viagem
Cada um era real, cada outro era miragem.


Uma cidade imaginária, como as cidades invisíveis de Calvino, da qual o poeta foge, instalando-se em seu castelo situado no alto de uma serra, de onde vê a cidade se alastrando e chegando pouco a pouco

Eu era transparente e era gigante
Eu era a cruza entre o sempre e o instante.
Letras misturadas com metal
E a cidade crescia como um animal,
Em estruturas postiças,
Sobre areias movediças,
Sobre ossadas e carniças,
Sobre o pântano que cobre o sambaqui...
Sobre o país ancestral
Sobre a folha do jornal
Sobre a cama de casal onde eu nasci.


Como um bicho ameaçador, a cidade amedronta, acua, mas também seduz e encanta. Sua grandeza atrai. Se traduz em beleza e caos. As teorias confirmam: riqueza se acumula onde já há riqueza e gente. E riqueza e gente atraem mais gente e riqueza. Mas como já poetizou Caetano, a força da grana ergue e destrói coisas belas.

A cidade
Passou me lavrando todo...
A cidade
Chegou me passou no rodo...
Passou como um caminhão
Passa através de um segundo
Quando desce a ladeira na banguela...
Veio com luzes e sons.
Com sonhos maus, sonhos bons.
Falava como um camões,
Gemia feito pantera.
Ela era...
Bela... fera.


Sonhos maus, sonhos bons. As pessoas migram do campo para a cidade e de cidades pequenas para cidades maiores em busca de seus sonhos e oportunidades. Mas se a cidade a alguns oferece emprego, consumo, educação, lazer e melhoria de vida, a muitos só oferece vida dura, desemprego ou sub-emprego, más condições de moradia, violência, frustação e solidão.

Desta cidade um dia só restará
O vento que levou meu verso embora...
Mas onde ele estiver, ela estará:
Um será o mundo de dentro,
Será o outro o mundo de fora.

Vi a cidade fervendo
Na emulsão da retina.
Crepitar de vida ardendo,
Mariposa e lamparina.
A cidade ensurdecia,
Rugia como um incêndio,
Era veneno e vacina...


O crescimento urbano, especialmente nos países mais pobres, se é sinal de maior dinamismo econômico, também vem acompanhado de problemas de difícil gestão. Metade da população do planeta já é urbana e estudos confirmam que é nos países pobres que a urbanização está ocorrendo de forma acelerada sem que os governos tenham condições de dar condições de vida digna à população.

Eu pairava no ar, e olhava a cidade
Passando veloz lá embaixo de mim.
Eram dez milhões de mentes,
Dez milhões de inconscientes,
Se misturam... viram entes...
Os quais conduzem as gentes
Como se fossem correntes
Dum rio que não tem fim?


Em 2050 haverá 3 bilhões de pessoas pobres no mundo vivendo em condições precárias nas cidades. Isto afetará ainda mais os problemas habitacionais, os serviços de saúde, educação e os transportes. A violência urbana aumentará e o meio ambiente será mais impactado. Os mais pobres serão mais afetados pelas enchentes, pelas secas e pelo frio intenso. Todos serão afetados pelo aquecimento global.

Esse ruído
São os séculos pingando...
E as cidades crescendo e se cruzando
Como círculos na água da lagoa.
E eu vi nuvens de poeira
E vi uma tribo inteira
Fugindo em toda carreira
Pisando em roça e fogueira
Ganhando uma ribanceira...
E a cidade vinha vindo,
A cidade vinha andando,
A cidade intumescendo:
Crescendo... se aproximando.


Lá vem a cidade e não há como detê-la. Como círculos na água da lagoa, as cidades se expandem e se adensam. Maior consumo de matérias primas e energia, maior emissão de poluentes, maior a temperatura da Terra. E enquanto as calotas polares derretem e o clima enloquece, as cidades crescem e são tomadas pelas águas e arrassadas pelos maremotos e terremotos. O sertão vira mar, o mar vira sertão. Como em Sodoma e Gomorra, aqueles que fogem se refugiam nos lugares altos enão podem olhar para trás sob pena de virarem estátuas de sal.

Eu vim plantar meu castelo
Naquela serra de lá,
Onde daqui a cem anos
Vai ser uma beira-mar...

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Pedro Monteiro
 

Provocante, para uma instigante reflexão.

"A vida na cidade grande, o medo que é grande também,
corrida do cheque coberto, o saldo não teve e não tem..."
(Zé Geraldo)
Abraços

Pedro Monteiro · São Paulo, SP 27/12/2008 23:52
sua opinião: subir
Bruno Resende Ramos
 

Muito bem elaborada a discursiva descrição da vivência nas metróplis

Bruno Resende Ramos · Viçosa, MG 31/12/2008 00:11
sua opinião: subir
ze polinomio
 

VOTADO GOSTEI MUITO UM ABRAÇO DO MANOEL (ZE POLINOMIO)

ze polinomio · Barão de Grajaú, MA 1/1/2009 00:29
sua opinião: subir
jessebarbosadeoliveira82
 

ESTA LETRA DE LENINE SOBRE COMO A SELVA DE PEDRA DEVORA OS SONHOS E O LIRISMO SUSCITA-ME LEMBRANÇAS RELATIVAS
Á HORA DA ESTRELA, DE CLARICE LISPECTOR E A POEMAS DE DRUMMOND
QUE EXPÕEM COMO A SELVA DE PEDRA OPRIME E SOÇOBRA A
CANDURA E O LIRISMO.

jessebarbosadeoliveira82 · Salvador, BA 1/1/2009 09:02
sua opinião: subir
Faraó
 

Votado. a foto tb está muito boa. Um abraço afetuoso do Faraó

Faraó · Fortaleza, CE 1/1/2009 19:30
sua opinião: subir
Julyana Quintino
 

A música parece até um quase sonho, daqueles que as vezes a gente tira um cochilo sem querer na aula ou no trabalho e acorda assustado, com alguma violência do sono,ou com a agunia do que vai ter que correr para conseguir fazer alguma coisa. Pensativa, sufocante.
;)

Julyana Quintino · Salvador, BA 2/1/2009 02:09
sua opinião: subir
Andre Pessego
 

É, ao mesmo tempo, tudo muito real e tudo muito imaginário. A beleza também é assim.

Andre Pessego · São Paulo, SP 3/1/2009 09:46
sua opinião: subir
Gyothobat
 

Agradeço os comentários. Nas cidades, onde a maior de nós vive, se misturam ilusões e realidade, sonhos e pesadelos, delírios reais e imaginários. Calvino descreve uma cidade nascida na sua imaginação:

“Naquela direção, após sete dias e sete noites, alcança-se Zobeide, cidade branca, bem exposta à luz, com ruas que giram em torno de si mesmas, como um novelo. Eis o que se conta a respeito de sua fundação: homens de diferentes nações tiveram o mesmo sonho – viram uma mulher correr de noite numa cidade desconhecida, de costas, com longos cabelos e nua. Sonharam que a perseguiam. Corriam de um lado para o outro, mas ela os despistava. Após o sonho, partiram em busca daquela cidade; não a encontraram, mas encontraram uns aos outros; decidiram construir uma cidade como a do sonho. Na disposição das ruas, cada um refez o percurso de sua perseguição; no ponto em que havia perdido os traços da fugitiva, dispôs os espaços e as muralhas diferentemente do que no sonho a fim de que desta vez ela não pudesse escapar.” ( Italo Calvino – “As Cidades e o Desejo 5” in “As Cidades Invisíveis” – tradução de Diogo Mainardi)

Gyothobat · Brasília, DF 3/1/2009 11:11
sua opinião: subir
Lila Su
 

Discussão de altissimo nível. Parabéns. Lila Su.

Lila Su · São Paulo, SP 5/1/2009 12:25
sua opinião: subir
Carol Jatôlah
 

Parabéns pela genialidade, meu pai. O caos urbano é inevitável. Viver em cidades também. Desde a lembrança sombria e rural da Idade Média a alma humana reluta em desenvolver-se na cidade, nosso habitat social em que é possível evoluir culturalmente. A despeito de muitas vozes dissonantes (termo que utilizo para entrar no universo musical do inspirador Lenine - que nasceu no manguetaown e batiza de labiata - espécie de orquidea que ele coleciona, talvez para suavizar a concretude da cidade,- seu ultimo trabalho), a procura pelo modo de vida rural está cada vez mais escassa. Todos querem plantar amigos e "discos", idéias, oportuniddes na cidade ainda. Entretato, provoco uma outra discussão - considerando que os locais não sao mais materiais,mas sim virtuais e cibernéticos, há espaço para tanta idéia no mundo todo, na cidade, na roça? Ou é inexorável que estamos fadados a vivermos todos em cidades - com todo o caos e encanto que isso nos provoca - que serão continuas - se nao territorialmente, pelo menos ciberneticamente? Há de haver mais espaço para inclusão? Quem quer morar na cidade? Quem quer continuar na cidade? Já veio a cidade!!!! Beijos mil! Carol

Carol Jatôlah · Brasília, DF 24/1/2009 10:49
sua opinião: subir
Gyothobat
 

Obrigado pelo comentário, Carol. O caos urbano é evitável. Veja o exemplo de algumas cidades européias que conseguiram alcançar uma excelente qualidade de vida urbana. Mas é claro, a realidade social, econômica e cultural é outra. E elas não têm mais do que 500 mil habitantes.Evitar o caos nas populosas cidades dos países em desenvolvimento é bem mais complicado. Quanto mais gente nas cidades, mais difícl administrá-las, ainda mais no contexto socioeconômico e político em que vivemos.

Gyothobat · Brasília, DF 25/1/2009 10:42
sua opinião: subir
Gyothobat
 

O destino da humanidade é humano. O percentual de quase 100% das pessoas vivendo nas cidades, que já ocorre nos países desenvolvidos. será gradativamente atingido pelos demais países a medida em que se desenvolverem. Mas o ideal bucólico da vida no campo com o conforto da cidade, que já era sonho de consumo da alta classe média desde o século XIX, continua sendo um dos modos de vida mais "cult" e caros hoje em dia.

Gyothobat · Brasília, DF 25/1/2009 10:58
sua opinião: subir
Gyothobat
 

quero dizer O destino da humanidade é urbano

Gyothobat · Brasília, DF 25/2/2009 22:22
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados