Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

Maria da Inglaterra, do Brasil, do Piauí

Foto: Otávio Neto
1
Natacha Maranhão · Teresina, PI
7/4/2006 · 101 · 9
 

Ela espera ansiosa que o telefone toque. E que alguém do outro lado da linha diga que chegou a hora de arrumar as malas e ir para Recife, cantar, dançar e viver em um apartamento na beira da praia de Boa Viagem. Ela afirma que sabe que isso vai acontecer. Jura que está próximo o dia em que vai viajar para longe e mostrar sua cantoria mundo afora. Sonha alto, quer ir pro exterior, “que lá o povo gosta da música do Brasil”.

Maria da Inglaterra, 66 anos, conta sua história como quem desfia um rosário. Fala muito, gesticula, levanta da cadeira, senta, levanta de novo. Reclama que a garganta dói um pouco. Dá uma volta pela casa simples, que fica em um bairro distante na periferia de Teresina, às vezes parece buscar o companheiro Otacílio, que faleceu há pouco mais de um ano. Antes era ele quem ajudava e conduzia as entrevistas. Agora Maria está sozinha. Ao seu lado, os “guardiãos” que ela afirma que vieram do espaço.

Nascida Maria Luiza, ela conta que lembra exatamente do dia em que sua vida mudou e ela soube que para encontrar a felicidade teria que compor e cantar. “Estava de noite, umas sete horas. Eu estava em casa com meu velho e vi uma luz vindo do espaço. Ele disse que era um avião, mas não era, não. A luz mudava de cor, vinha se aproximando e crescendo, nós ficamos com medo que fosse uma bomba. Eu não conseguia parar de olhar, e a luz vinha, vinha, ficava mais baixa. Aí eu vi que dentro dela tinha duas pessoas, um homem e outra com cabelo grande, que eu acho que era mulher. Eles chegaram bem perto, depois foram se afastando até sumir. Nessa noite eu demorei pra dormir, só consegui pegar no sono lá pela meia-noite. E quando eu e meu marido deitamos, os dois apareceram de novo e disseram: "Maria, nós viemos te convidar pra cantar". Eu disse: "Eu não sei". Eles disseram: "A gente ensina”.

Foi nessa noite, bem nessa hora, que o homenzinho começou a cantar Baião do cajueiro. O marido de Maria anotou a letra. Depois, a moça de dentro da luz começou a cantar Serrote grande, música que faz parte do CD O peru rodou, lançado em 2002. “Quando a moça terminou, o rapaz disse pra mim: 'Agora você vai fazer música e letra. E eu não vou lhe enganar, você vai sofrer tanto que vai ter vontade de desistir, mas não desista. Quando você crescer, vai morar na praia de Boa Viagem, em Recife'”, lembra.

Isso aconteceu no comecinho da década de 70, e desde então Maria da Inglaterra vem tentando cumprir a missão que, segundo ela, lhe foi confiada por alguém de outras esferas. O nome artístico apareceu nessa época, um dos versos de O peru rodou diz: "Quando eu vim da Inglaterra com destino ao Maranhão". Ninguém sabe, nem ela, por que a Inglaterra apareceu na história, mas o apelido ficou até hoje.

Se é delírio, uma fantasia dela, ninguém nunca vai poder ter certeza. Mas o fato é que as letras e músicas começaram a brotar e, pelas contas de Maria, já passam de mil.

A mistura da voz forte de rezadeira com a aparência doce de uma avó do interior tornam Maria da Inglaterra uma personagem curiosa. Quando sobe no palco, tomada por uma alegria que chega a comover, ela se sente rainha. Cercada pelos músicos de sua confiança, com os quais viaja e participa de festivais de música regional por todo o país, ela encanta. Diz orgulhosa que nunca entrou num festival para perder. Exibe, mais orgulhosa ainda, a caixa de CDs do projeto Rumos, do Itaú Cultural, que tem duas músicas suas.

O maior festival de música do Piauí, o Piauí Pop, tem um palco com seu nome. Ela se derrete ao falar nisso. “O Piauí Pop é diferente de tudo quanto é evento daqui, lá os artistas são respeitados, valorizados. E é gente demais que vai ver os shows.”

Na sala de sua casa, mostra os livros de gente como Luiz Tatit, Hermano Vianna e José Carlos Tinhorão, cuidadosamente arrumados na estante. Diz que são tesouros.

Em seguida, traz o CD O peru rodou, seu passaporte para a fama. São doze músicas, das quais pelo menos duas, a faixa-título (verdadeiro hit por estas bandas de cá) e Forró forrado, estão na boca dos piauienses apreciadores das canções da terra. A inspiração para as composições, segundo Maria da Inglaterra, ainda vem dos “amigos” que vieram do espaço.

Ela conta com eles – e com quem mais quiser ajudar - para fazer a tal viagem dos sonhos para o Recife, depois para o exterior. Esperamos que seja em breve e que possamos ter mais notícias dela fazendo grandes shows, brilhando, como deve brilhar toda estrela.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Edmundo Nascimento
 

HACKED by @KoubackTr

Edmundo Nascimento · João Pessoa, PB 5/4/2006 12:52
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Edson Wander
 

HACKED by @KoubackTr

Edson Wander · Goiânia, GO 5/4/2006 18:55
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Tati Magalhães
 

HACKED by @KoubackTr

Tati Magalhães · Maceió, AL 7/4/2006 13:10
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Eduardo Neves
 

HACKED by @KoubackTr

Eduardo Neves · Teresina, PI 7/4/2006 16:25
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Ricardo Spindola
 

HACKED by @KoubackTr

Ricardo Spindola · Passo Fundo, RS 7/4/2006 17:30
sua opinião: subir
Clara Marcília
 

HACKED by @KoubackTr

Clara Marcília · Fortaleza, CE 8/4/2006 15:50
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Daniel Cariello
 

HACKED by @KoubackTr

Daniel Cariello · Brasília, DF 9/4/2006 13:23
sua opinião: subir
Maykell Francis
 

HACKED by @KoubackTr

Maykell Francis · Teresina, PI 8/12/2008 17:39
sua opinião: subir
Natacha Maranhão
 

HACKED by @KoubackTr

Natacha Maranhão · Teresina, PI 9/3/2009 16:01
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados