Brasil.gov.br Petrobras Ministério da Cultura
 
 

NEGO D´AGUA

Leonidas Vidal
Nego D´Agua
1
Sinvaline · Uruaçu, GO
19/8/2011 · 9 · 4
 

NEGO D’ÁGUA

A construção do Lago Serra da Mesa trouxe grande impacto ambiental e social para a região Norte de Goiás, contudo trouxe o turismo, a pesca e, por debaixo dos panos, também fez surgir lendas e lendas...

O lago cheio, fazendas antigas com suas casas assombradas, cavernas pré históricas ficaram debaixo do volume imenso de 1780 km2 do espelho d’água.

Quem perdeu sua terra deu jeito de comprar uma área pequena ou um lote e fazer um barraco ou um rancho, garantindo o local da pesca, principalmente do tucunaré. E esse lote ficou sobre qual casa assombrada?

Seu Pedro arrumou o ranchinho, fez a cerca e plantou mandioca, milho, pimenta, construiu a canoinha de pau e assim ele se sentia um verdadeiro fazendeiro.

Todas as tardes, já cansado, entra na canoinha e lá vai ele atrás dos peixes. Certo dia, já com o sol entrando, vê um vulto na água e não entende o que é.

Rema mais perto e o vulto afunda na água. Pensa que é um peixe grande e amarra a canoa por ali e recomeça a pesca. Para espantar as muriçocas, acende o pito de palha.

Sobrecarregado de lembranças, se assusta quando a canoa começa a balançar; olha em volta e não vê nada, nem ventando estava.

E a canoa não parava. Seu Pedro tira o facão e o segura na posição de ataque, seja o que for que aparecesse estava morto.

Um roncado o faz olhar para trás. Assustado, vê uma mão escura de dedos tortos segurando a canoa para que balançasse mais.

- Virgem Maria!

Junto com o grito o facão decepa os dedos que caem na água e pouco a pouco a canoa se acalma.

Seu Pedro, tremendo, nem conseguia remar para sair do lugar. Procurou vestígios de sangue e nada, só água.

Criou coragem e remou depressa para o barranco. Já com segurança, na margem, alumiou com a lanterna e viu um pedaço de pele enrugada na canoa. Levou para o rancho e com a luz clara conseguiu reconhecer um dedo magro, escuro e muito enrugado.

Enrolou-o em um pano, colocou-o dentro de uma lata e foi dormir, no outro dia levaria para alguém examinar e descobrir que bicho era aquele que queria afundar sua canoa.

A noite foi longa, de pesadelos. Lembrava-se das histórias do pai de que no antigo Rio Maranhão existia o Nego D’Água, muitas pessoas chegaram a vê-lo entre os rios Passa Três e Maranhão. Lembrou do Zé contando:

- Nóis ia atravessando o gado de nado e os canoeiro acompanhano, e os Nego D’Água ia nadando de pareia com o gado! Eles tinha cara de gente e pé de pato igual um reminho.

Já seu compadre Ademar dizia:

- O Nego D’Água tem dois forgos(*), um da água e outro de fora, o bicho é brabo!

O avô descrevia:

- Os Nego D’Água só tem um zoi grande no meio da testa, ele afoga os pescadô!

Dormiu variando e mal o dia clareou foi buscar o suposto dedo para levar a cidade de Uruaçu, tinha que tirar a dúvida.

A surpresa foi grande: a lata tinha sumido com o dedo e tudo!

Apavorado, ele correu para a cidade e contou a história para muitas pessoas e a confirmação de todos foi a que ele já esperava:

O Nego D’Agua voltou para a região norte de Goiás, era certo que com a bagunça da construção da hidrelétrica ele tivesse sumido e agora reaparece para vingar os rios represados. Os pescadores que se cuidem!

Seu Pedro coçou o queixo, pensou e disse para a mulher:

- É, agora eu cridito em Nego D’Água que meu pai contava, por pouco ele não afundou minha canoa... Danado esse bicho!

A mulher fez um muxoxo e completou:

- É, meu véio, ainda bem que agora esse tar de Nego D’Água vai aparecer mas fartando os dedos...

E ai a história cresceu, tomou estrada e o fantasma continua aparecendo em várias partes do Lago Serra da Mesa. Os assustados que o veem só ainda não notaram se é o mesmo Nego D’água sem os dedos da mão...

*fôlego

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Luiz de Aquino
 

Excelente, Sinvaline! Continue, conte-nos mais histórias das lendas do nosso sertão...

Luiz de Aquino · Goiânia, GO 18/8/2011 10:48
sua opinião: subir
Bodin
 

Sinva, você é demais. Lendo Nego D'agua, voltei aos velhos tempos das pescarias de subsistência com meus parentes lá do sertão do Maranhão. Quanto medo passamos nas beiradas daquelas fontes e lagoas quando na penumbra algum barulho nos remetia a pensar ser o dito cujo. Rssss
Beijo grande, parabéns, não me esqueça.

Bodin · Uruaçu, GO 24/8/2011 13:21
sua opinião: subir
ayruman
 

E salve nossas lendas e nossa cultura sertaneja. Viva nosso povo brasileiro!

Bom estar aqui!

ayruman · Cuiabá, MT 28/9/2011 15:29
sua opinião: subir
Joizimar Titoneli
 

nego d 'água é o nome do meu projeto de contos do norte goiano , que um dia vou publicar..

Joizimar Titoneli · Uruaçu, GO 27/11/2012 15:06
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

pescador de Serra da Mesa zoom
pescador de Serra da Mesa

veja também

filtro por estado

busca por tag

observatório

feed
Nova jornada para o Overmundo

O poema de Murilo Mendes que inspirou o batismo do Overmundo ecoa o "grito eletrônico" de um “cavaleiro do mundo”, que “anda, voa, está em... +leia

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter