No ritmo tangolomango

Beatriz Inojosa
A apresentação não é finalizada: há mudanças minutos antes e, na hora, improviso
1
Carolina Berger · Rio de Janeiro, RJ
16/11/2008 · 199 · 8
 

Por
Beatriz Inojosa
Carolina Berger
Iasmine Pereira
Liliana Baroni
Mariana Moreira


Dililim, dililim, tum-tum, dililim, tum-tum, rosa, azul, ta-cabã, dililim, amarelo, tum-tum, ta-cabã, vermelho, verde, roxo, vermelho de novo. Sons e cores se unem e encaixam no Tangolomango – Festival da Diversidade Cultural. A palavra que dá nome ao evento é uma variação de tanglomango, que significa doença atribuída a feitiçaria; bruxedo, de acordo com o Dicionário Aurélio.

É na Fundição Progresso, na Lapa, que a integração de olhares e movimentos provenientes do Rio, São Paulo, Pernambuco e Santiago (Chile) acontece naturalmente, mas o primeiro passo vem dos organizadores do evento, que possibilitam o encontro e a realização do festival.

Após abertas as inscrições para a participação no evento, escolhem-se os grupos que irão compor o espetáculo. Marina Vieira, diretora do Tangolomango, conta com orgulho que a maior parte dos grupos que participa se inscreve para as edições seguintes. Porém, há preferência para grupos novos. “Preferimos dar oportunidade a outros grupos, pois o objetivo é que os que já participaram continuem esse trabalho em sua localidade”, explica Marina. A diretora conta que a integração que acontece no festival pode (e deve) ocorrer entre grupos de lugares próximos, mas esses, muitas vezes, não têm o hábito de trabalhar juntos. O Tangolomango vem promover essa idéia.

O roteiro da apresentação de domingo é construído pelos diretores João Carlos Artigos e Sidnei Cruz durante as oficinas que acontecem nos dois dias anteriores. O espetáculo se constrói entre pernas de pau, cores fortes e fantasias. Ao som de tambores, pandeiros e até pentes, as combinações se encaixam e os diretores vão no embalo do que acontece. O grupo de forró de Geraldo Júnior promove a coesão. João Carlos explica que não vai ao Tangolomango com idéias planejadas. A função dele é “colocar pilha” no que está acontecendo, sem se preocupar com exatidão, certo de que o resultado será bom. “O norteador do espetáculo é a generosidade intelectual”.

Sobre o Circo del Mundo, grupo circense chileno, Marina diz que a participação deles deve ser tão natural quanto a dos brasileiros devido à diversidade que constrói os países latinos. Mércia Britto, responsável pela curadoria dos grupos latino-americanos, conta que é a primeira vez que o Tangolomango recebe estrangeiros. O principal critério de seleção é que o grupo tenha a “essência de intercâmbio”. A partir daí, as barreiras idiomáticas são vencidas pela proposta da troca.

Os chilenos não são a única novidade do ano. É a primeira edição do evento que conta com um blog e uma mesa-redonda no dia seguinte ao da apresentação. O blog acompanha o ritmo da festa ao estar disponível para postagens e comentários, enquanto na mesa-redonda, participantes e organizadores contam suas impressões e fazem sugestões. Dois fatores que reforçam a idéia de reciprocidade.
Aliás, esse é um elemento presente em todos os momentos do festival. João Carlos explica que o que permite tamanha troca é o fato de as pessoas estarem com "ouvidos e olhos atentos para receber mais do que dar". É o desapego que permite a integração. Usa-se um pouco da arte de cada grupo. Perde-se parte de sua performance para somar à do outro. "Nenhuma idéia é tão genial que não pode ser mudada." Isso tudo faz com que a apresentação se desenvolva a partir do "princípio da brincadeira". "O que importa é o momento presente, o ato de fazer. Aqui a gente não tem o sentimento de futuro que perturba as pessoas o tempo todo".

O Tangolomango é formado pelo presente, pelo o que se vê e pelo o que se sente, por experiências, passos, palavras e emoções. E por aquilo que não pretende terminar. Dililim, tum-tum...

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Augusto Gazir
 

Legal, meninaxxxxxx! Vou falar de perfumaria; exceto talvez pelo ponto 6:
1- poderia ter uma assinatura de todo o grupo
2- A legenda da foto principal não quer dizer nada; eu aperfeiçoaria...
3- Depois de "Santiago", eu colocaria entre parênteses "Chile", já que se trata da única cidade que não é brasileira
4- No quarto parágrafo, "devido à riqueza de diversidade"? Se botar, "devido à diversidade" não muda o sentido em nada e fica bem melhor.
5- Mesa redonda sem hífen é um móvel esférico. No sentido de mesa de debates, diálogo, tem que ter o hífen.
6- Senti falta de mais declarações e opiniões do diretor do espetáculo, que também ficou escondido no pé da matéria.

Augusto Gazir · Niterói, RJ 13/11/2008 16:24
sua opinião: subir
José Cycero
 

Muito bom.Votado.

José Cycero · Aurora, CE 16/11/2008 11:32
sua opinião: subir
Jorge Daher
 

Votado... confere o meu também.. valeu

Jorge Daher · Ribeirão Preto, SP 16/11/2008 13:55
sua opinião: subir
Fúlvio
 

Parabéns, meninass!!
O resultado ficou ótimo!! Devidamente votado!!

Raquel Gonzalez e Fúlvio

Fúlvio · Rio de Janeiro, RJ 16/11/2008 16:17
sua opinião: subir
Claudia Almeida
 

Fiz um comentário e sumiu ,parabéns pela diversidade @

Claudia Almeida · Niterói, RJ 16/11/2008 23:26
sua opinião: subir
Eloy Santos
 

Valeu pela iniciativa e o objetivo.
Parabéns.
Votei.
Com atraso mas votei.

Eloy Santos · Rio de Janeiro, RJ 17/11/2008 10:26
sua opinião: subir
fernando ciscozappa
 

maravilha!
esse gosto destravando ilhas...


abraços ternos,

fernando ciscozappa · Belo Horizonte, MG 17/11/2008 11:44
sua opinião: subir
Cafa Sorridente
 

e viva o rio!

grande abraço
se possivel, dá uma força pro meu texto.

Cafa Sorridente · Belo Horizonte, MG 17/11/2008 15:25
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Gigantes pela Própria Natureza tocam pentes zoom
Gigantes pela Própria Natureza tocam pentes
Os ensaios são gravados o tempo todo zoom
Os ensaios são gravados o tempo todo
pandeloucos da AMC com o grupo de Geraldo Júnior zoom
pandeloucos da AMC com o grupo de Geraldo Júnior
Conversa entre Majê Molê e Circo del Mundo zoom
Conversa entre Majê Molê e Circo del Mundo
Majê Molê em ação zoom
Majê Molê em ação
João Carlos dirigindo Circo del Mundo zoom
João Carlos dirigindo Circo del Mundo

áudio

A artista circense Amanda Wilson fala sobre a dinâmica do evento

Instale o Flash Player para ver o player.

A apresentadora do evento fala sobre a integração dos grupos

Instale o Flash Player para ver o player.

O desenrolar da mistura cultural por uma Gigante Pela Própria Natureza

Instale o Flash Player para ver o player.

O doim antropológico do Coordenador Artístico, João Carlos

Instale o Flash Player para ver o player.

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados