Outro Brasil é possivel. Outro olhar é necessário.

Arquivo Ong Ação Cultural
Projeto Ecarte (Estatuto da Criança e do Adolescente com Arte) - Ano 2004
1
Zezito de Oliveira · Aracaju, SE
15/11/2007 · 215 · 18
 

O ditado popular diz que o que os olhos não vêem o coração não sente, embora no mundo real seja diferente, pois quem é negro, mora na periferia, com pouca estudo ou que estuda em escola pública, que ganha salário mínimo ou que está desempregado o que vê? Falta de respeito pelos direitos humanos mais elementares, o principal deles o direito a vida, quase sempre negado através da sujeira, buracos, ônibus velhos e atrasados, assaltos, mortes, escolas tristes, falta de praças e de outros espaços para a prática da cultura, do esporte e do lazer, desemprego etc...

E o sentimento dominante é de impotência, de acomodação, de passividade, não adianta fazer nada, é muito difícil mudar, a única solução e entregar tudo na mão de Deus e esperar a solução que virá do alto E assim as pessoas vão vivendo e de tão comum os olhos e ouvidos já se acostumaram.

E para fugir da realidade ou para fazer com que as pessoas vejam, mas não enxerguem, há gente de todo tipo. Desde os vendedores de milagres até os traficantes, passando pela maioria dos donos das associações de moradores, das quadrilhas juninas, dos times de futebol, dos bares e muitos, mas muitos cabos eleitorais empregados nas escolas e postos de saúde. Todos eles agindo com a cobertura de uma fabrica de idiotas, a televisão, que como diz o grupo musical Titãs “ Está sempre deixando as pessoas muito burras, burras demais”.

Mas há pessoas que escapam, há aqueles que querem ver com os olhos do coração, aqueles que querem ver o essencial que na opinião do pequeno príncipe é invisível aos olhos do rosto , há aqueles que começam a querer ver com os olhos e os ouvidos do espirito o qual segundo Jesus Cristo muda a forma de ver, de ouvir e as atitudes. “Quem tiver olhos para ver, veja”. “Quem tiver ouvidos para ouvir, ouça”.

São nessas pessoas que querem ver e ouvir com o coração, com o espirito, que reside a esperança de um mundo melhor. E estas pessoas estão presentes nos milhares de iniciativas socioculturais espalhados pelo Brasil afora. Estas ações desenvolvidos na sua maioria por ONGs, Movimentos Sociais e setores conscientes das religiões, buscam um olhar que valorize o que se é, mas que procure ir sempre além. Um ouvido que descubra outros sons e outros tons, que não somente o superficial, o efêmero que se ouve em quase todas as rádios. Um olhar critico que considere que assim como a dança, o teatro e a música são criações humanas, a miséria, o desrespeito aos direitos do cidadão, a falta de dignidade também são ,e, portanto podem ser transformados, porque quem transforma o corpo em instrumento para transmissão de beleza e alegria pode também transmitir mensagens de socorro e de solidariedade e intervir nos acontecimentos políticos como bons artistas que aprenderam a lutar pela justiça, para alcançar a paz.

Conta Eduardo Galeano, no Livro dos Abraços que um garoto chamada Diego não conhecia o mar, seu pai, Santiago Kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar. Viajaram para o sul: Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.
Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e tanto seu fulgor, que o menino ficou mudo de beleza. E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai. - Me ajuda a olhar!


É isto que me estimula a participar de iniciativas que buscam descortinar através das infinitas possibilidades de beleza e criatividade que a arte oferece um mundo de justiça e felicidade.

Penso que seja um bom papel que a arte pode desempenhar em um pais que consegue, sabe Deus como, conviver lado a lado com tanta beleza e com tanta feiura. Ajudar a olhar o que das tradições que herdamos merece ser preservado, o que deve ser jogado fora. Ajudar a olhar o que alimenta as nossas esperanças e os nossos sonhos, e o que nos faz deixar de acreditar e de lutar por eles. Ajudar a olhar o que nos torna diferentes e originais, ao contrário daquilo que nos confunde e que nos deixa bastante parecidos com os demais.

Publicado no Jornal da Cidade em 19 de maio de 2004 com o titulo “Outro mundo é possivel, outro olhar é necessário."
e no Webjornal Balaio de Noticias


P.S.: No periodo de 23 a 25 de Novembro estaremos participando do 3º Fórum Popular de Cultura esperando que este e outros eventos possam contribuir para diminuir o isolamento e a falta de reflexão que enfraquece o potencial transformador das milhares de experiências que envolvem crianças, adolescentes e jovens e algumas centenas de adultos que não deixaram de acreditar que vale a pena continuar fazendo arte e educação popular para virar esse mundo em “Festa, Trabalho e Pão” como disse um dia, o poeta José Carlos Capinam.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
Rubenio Marcelo
 

Zezito,
bela divulgação.
Louváveis estas iniciativas.

Sucesso para todos.

abrs,

Rubenio Marcelo · Campo Grande, MS 14/11/2007 13:27
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Marcos Paulo Carlito
 

Vamos escapar, então, sem fugir...

Marcos Paulo Carlito · , MS 14/11/2007 15:35
sua opinião: subir
LAILTON ARAÚJO
 


AMGIO ZEZITO!

Continuo afirmando que você é dos poucos produtores de cultura, com sensibilidade, conhecimento e verdadeira participação nas transformações sociais das comunidades carentes...

Quando leio um texto como este e vejo medidas efetivas, sinto que vale à pena continuar lutando em favor da arte-tranformação!

Meu amigo! Conte sempre comigo! Até em parcerias estaduais...

Vamos nos manter informados sobre futuros projetos... Em São Paulo e Sergipe...

Parabéns!

Grande abraço!

Lailton Araújo

LAILTON ARAÚJO · São Paulo, SP 14/11/2007 21:31
sua opinião: subir
LAILTON ARAÚJO
 


... leia-se "AMIGO ZEZITO"

LAILTON ARAÚJO · São Paulo, SP 14/11/2007 21:32
sua opinião: subir
Cintia Thome
 

Divulgação ímpar. Projeto belíssimo, colaboração primorosa para o site Overmundo que precisa se abastecer de textos assim. Parabens Zezito.abç

Cintia Thome · São Paulo, SP 14/11/2007 23:11
sua opinião: subir
Adroaldo Bauer
 

quem sabe que sabe e não fica esperando pela aprovação de outro que pensa que sabe e fica dizendo que o outro não sabe faz.
e faz de verdade e bem.

Adroaldo Bauer · Porto Alegre, RS 15/11/2007 08:48
sua opinião: subir
Nydia Bonetti
 

Belo trabalho, Zezito.
Como disse Cintia, este tipo de colaboração é que enriquece o OVERMUNDO, e por que não dizer, o mundo...
abç.
Nydia

Nydia Bonetti · Piracaia, SP 15/11/2007 09:07
sua opinião: subir
ILZE SOARES
 

Zezito,
Passei por aqui ontem e votei, mas, não deu tempo de ler o texto. Agora posso te dizer que vc escreveu um dos mais belos textos que já li por aqui. Trouxestes denúncias... amor... alento... falastes de misérias... justiça... felicidade... e mostrastes também que UM NOVO OLHAR É PRECISO e me desses certeza que PODEMOS CONSTRUIR UM MUNDO MELHOR... SÓ É PRECISO DAR O PRIMEIRO PASSO... IGUAL DESTES E CONTINUAS DANDO.
Ganhastes uma admiradora!
Principalmente porque fazes partes dos poucos que querem fazer da arte e educação popular virar esse mundo em “Festa, Trabalho e Pão” conforme o poeta Capinam.

Parabéns!!
Bjos

ILZE SOARES · Salvador, BA 15/11/2007 12:24
1 pessoa achou útil · sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Rubenio, Carlito, Lailtom, Cintia, Adroaldo, Nydia e Ilze,
Um dos motivos que me levaram a escrever esse texto, foi uma pergunta que me acompanhou durante muito tempo e que somente há alguns anos pude começar a encontrar algumas respostas.
Porque em menor ou maior grau aceitamos viver humilhados, ofendidos, explorados etc.? E a pergunta inicialmente surgia, em meados dos anos 80, adolescente, caminhando pelas ruas cheias de buracos e com esgotos a céu aberto do bairro onde residi, Novo Paraiso, olhem que nome contraditório, e isso após um dos momentos da realização da oficina de teatro popular. O tempo passou, cresci, fiz o curso de História na UFS, participei como educador e ás vezes como assessor pedagógico do Projeto Reculturarte, no bairro onde morei, estive presente nos cursos de verão voltados para a formação de agentes de pastoral no CESEP/SP e nas oficinas e seminários de formação para agente culturais, sociais e também de pastoral no CENAP/PE e com isso pude produzir o texto que vocês acolhe e que muito nos aproxima. Para finalizar, fica a certeza de que o dizes de mim e do que escrevi, é o mesmo que senti e/ou disse em outras ocasiões, a partir dos escritos, músicas e fotografias postadas por vocês. Nossa!!! Quanta gente boa eu encontro no Overmundo. E reiterando, resultante das muitas contribuições postadas por vocês e/ou que encontrei navegando por aqui.
P.S.: Grifei oficina de teatro popular por que sem saber já estava participando de uma iniciativa que pode contribuir para escaparmos, sem fugir, como bem destacou Dom Carlito.
Um grande abraço para todos e para todas e um agradecimento em especial, pelas palavras generosas a meu respeito e pelo que escrevi.

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 15/11/2007 15:57
sua opinião: subir
Higor Assis
 

Amigo Zezito você é diferenciado. Um abraço e o que precisar pode me avisar!!

Higor Assis · São Paulo, SP 15/11/2007 19:17
sua opinião: subir
carlos magno
 

Muito bom amigo Zezito,

a tua contribuição é muito importante, é realmente um trabalho magnífico dirigido para aqueles precisam de muita atenção. Meus sinceros aplausos e abraços.
Carlos Magno.

carlos magno · Rio de Janeiro, RJ 16/11/2007 00:22
sua opinião: subir
Matheus Muzy
 

Parabéns Zezito!
Uma bela divulgação...
Até mais.
Um abraço!!!

Matheus Muzy · Cordeiro, RJ 16/11/2007 07:20
sua opinião: subir
Guilhermina
 

Olá Zezito, parabens pela reflexão.
Como sempre, um belíssimo texto cheio de esperanças e caminhos. Endureceu sem perder a ternura. É isso aí, nunca é demais lembrar que teoria e prática precisam caminhar juntos. Abraços

Guilhermina · Aracaju, SE 16/11/2007 09:57
sua opinião: subir
TUKA VILLA LOBOS
 

Parabéns Alma Linda!!!! Cidadania acima de tudo!
bjuss grandes.
Tuka

TUKA VILLA LOBOS · Brasília, DF 16/11/2007 12:09
sua opinião: subir
Paulo Apolonio
 

´Rapaz, muito bom!
Ótima maneira de refletir.

Paulo Apolonio · Salvador, BA 17/11/2007 00:43
sua opinião: subir
Zezito de Oliveira
 

Higor, Matheus, Carlos Magno, Guilhermina, Tuka e Paulo Apolonio.
Muito grato pelas manifestações de apreço e carinho.


Abraços,

Zezito de Oliveira · Aracaju, SE 17/11/2007 20:29
sua opinião: subir
Maxi Ferreira
 

Este é realmente um dos melhores textos de Zezito, e com certeza há de contribuir muito para a sensibilização e mobilização de muitos daqueles que podem fazer algo em prol de nossos jovens, de sua cultura, sua arte, sua vida!
Parabéns pelo trabalho, amigo.

Maxi Ferreira · Aracaju, SE 20/11/2007 01:24
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
ayruman
 

A finalidade da Arte está intimamente ligada à finalidade da Vida. Vida compreendida como evolução criadora, como longo caminhar da inconsciência à Consciência. (Onofre Penteado).

Abraço fraterno!

ayruman · Cuiabá, MT 13/9/2011 15:26
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

imagens clique para ampliar

Meninas (os) da Cia de Dança Rick di Karllo - Ano 2006 zoom
Meninas (os) da Cia de Dança Rick di Karllo - Ano 2006
Apresentação da Cia de Dança Rick di Karllo no Centro de Criatividade - Ano 200 zoom
Apresentação da Cia de Dança Rick di Karllo no Centro de Criatividade - Ano 200

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter