PAPEL DO JORNALISMO CULTURAL

1
Marcelo de Castro · Campina Grande, PB
19/5/2006 · 103 · 8
 

As páginas de cultura dos jornais, de circulação local, regional ou nacional, trazem na grande maioria das vezes, matérias, reportagens ou artigos voltados para uma cultura que segrega parcela da população. Ora, se um faminto não tem acesso à comida, quiçá ao teatro, ao cinema, aos grandes eventos! Se não tem acesso ao “bê-a-bá”, quiçá às obras euclidianas, machadianas ou quaisquer outras obras de grande vulto!
Cultura para nós, chamados “letrados”, pode ser tudo isso citado acima. E, nos deliciamos com tais objetos. Porém, cultura também é saber “juntar as letrinhas”. Soletrar. Contar até dez. Pintar com giz-de-cera.
Porque os jornais não separam um pequeno espaço, na seção de cultura, para tentar estimular essa cultura primária? Essa resposta é fácil: pobre não compra jornal. O espaço do jornal é caro. Ou qualquer outra desculpa que atinja o vil metal. Pobre não compra jornal, mas o abastado compra. E, estimulando esse abastado a fazer algo pela cultura primária, pode surtir algum efeito, mesmo que pequeno. Onde está o caráter social do jornalismo? Ficou nos primórdios? O espaço é caro? Não precisa abdicar. Conquiste parceiros nessa idéia! As empresas têm seus projetos sociais e o espaço do jornal pode ser aproveitado por elas. Até incentivo fiscal existe para facilitar essa troca.
O que não é admissível é a desfaçatez, o mascaramento, o apartheid cultural que é promovido pelos impressos diários, semanais ou mensais.
Os espaços destinados à cultura tornaram-se uma grande agenda, onde até se paga para que matérias sejam publicadas. A revisão desse papel do jornalismo cultural deveria ocorrer de imediato, para que os meios de comunicação possam ajudar tirar o atraso que se encontra a educação brasileira.

compartilhe

comentários feed

+ comentar
stellio
 

Marcelo amigo, o problema é: a que interessa ao poder, econômico principalmente, um povo culto, que cobre por um voto mais que uma dentatura ou um show de Calyyyyyypso?
Mas nosso papel como jornalistas é romper essas barreiras.
E textos fantásticos como o teu são um promissor começo.

stellio · Campina Grande, PB 18/5/2006 07:19
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Fábio Fernandes
 

Marcelo, confesso que seu texto não ficou muito claro para mim. A que jornalismo cultural você se refere especificamente? No eixo Rio-São Paulo, existe, claro, um certo elitismo, mas que atualmente se concentra muito mais na nova geração de escritores, músicos, atores do que nos mais antigos. Ou seja, o jornalismo cultural atual (na região citada acima, pelo menos) é justamente tudo menos machadiano. Não deixa de ser elitista por isso: apenas criou outro tipo de "gueto", digamos.

Fábio Fernandes · São Paulo, SP 19/5/2006 14:20
sua opinião: subir
Daniel Cariello
 

Marcelo, a 'grande mídia' vai continuar sempre com sua missão de impor o que vemos, ouvimos e até como reagimos a isso.

O Overmundo vem para (tentar) preencher uma parte dessa lacuna. Quanto mais gente conhecer e utilizar, melhor. Divulgando o site você já ajuda a mudar essa cena.

Abraços!

Daniel Cariello · Brasília, DF 19/5/2006 16:52
2 pessoas acharam útil · sua opinião: subir
Marcelo de Castro
 

Caro Fábio Fernandes,

Os termos “euclidianas” ou “machadianas” no texto foi apenas com um tom figurativo ou até mesmo sarcástico. A verdade é como você mesmo disse: existe elitização! E, para mim, repito: o papel do jornalismo cultural deveria extrapolar os limites do agendamento e cair em campo para incluir mais pessoas no mundo das letras.

Obrigado a todos pelos comentários!

Marcelo de Castro · Campina Grande, PB 22/5/2006 10:39
sua opinião: subir
carioca in canada
 

Marcelo,
gostaria de contribuir com outro site?
Estamos criando um jornal online direcionado aos brasileiros residentes no Canada.
visite www.achei.ca e se estiver interessado mande um email para "redacao".

carioca in canada · Rio de Janeiro, RJ 27/5/2006 22:35
sua opinião: subir
Kuja
 

Não seria o caso trocar a palavra "jornalismo" por "inclusão"?

Kuja · São Paulo, SP 14/6/2006 17:46
sua opinião: subir
Tone Ely
 

É Marcelo... também vivo essa realidade de Campina Grande. E ajudando o outro Marcelo a entender melhor, posso afirmar que os jornais daqui quando não se voltam para a velha guarda (geralmente de cultura regional ultrapassada), dão visibilidade à cultura de massa. E o pior é que nem a cultura de massa daqui é estruturada. Então o povo fica refém da cultura externa.
Como artista, me ponho em desafio e acredito que a coisa está tão carente que só tá dependendo de mim. E a cena de ilhados com Bandas como Cabruêra, Aero-Trio, Repercussão, Marxuvipano, Dona Júlia e outros... tem que ousar mais.
E nas outras artes não fica para traz. Precisamos de mais garra. E desafio quem duvidar disso. Pois quem tiver sua arte e, CG, pode falar comigo que eu garanto q aparece nos Jornais daqui!
Aguardo interferências!

Tone Ely.
marxuvipano.multiply.com

Tone Ely · Campina Grande, PB 24/7/2006 20:16
sua opinião: subir
Joca Oeiras, o anjo andarilho
 

Querido Marcelo: confesso que também não entendi onde você quer chegar e que nem imagino o teor das notíciass que vc reclama faltarem nas seções "culturais" dos jornais.
beijos e abraços
do Joca Oeiras, o anjo andarilho

Joca Oeiras, o anjo andarilho · Oeiras, PI 13/6/2008 00:07
sua opinião: subir

Para comentar é preciso estar logado no site. Faça primeiro seu login ou registre-se no Overmundo, e adicione seus comentários em seguida.

veja também

filtro por estado

busca por tag

revista overmundo

Você conhece a Revista Overmundo? Baixe já no seu iPad ou em formato PDF -- é grátis!

+conheça agora

overmixter

feed

No Overmixter você encontra samples, vocais e remixes em licenças livres. Confira os mais votados, ou envie seu próprio remix!

+conheça o overmixter

 

Creative Commons

alguns direitos reservados